sexta-feira, setembro 10, 2010

11 de setembro - O dia que a terra parou


.

911 a
O dia que a terra realmente parou
Renato Collyer

Era mais um dia comum. Uma terça-feira como outra qualquer. Eu estava retornando da escola. Minha mochila ainda estava suspensa em meu ombro direito quando, ao ligar a tv, deparei-me com uma imagem incrível. Inicialmente, pensei tratar-se de um filme de ficção científica. Mas depois de mudar de canal diversas vezes e perceber que a mesma cena estava sendo retratada em todos os outros, percebi que era bem real. Sem efeitos dignos de um sucesso de bilheteria de Hollywood. Era a vida real!

Às 8:46h, o avião que fazia o voo 11 da American Airlines bateu na torre norte do World Trade Center matando as 92 pessoas a bordo – além de matar ou isolar outras 1.366 no ponto do impacto do edifício ou acima dele. Equipes de reportagem correram para o local. Inicialmente, falou-se em terrível acidente aéreo, mas, 16 minutos depois, quando as câmeras flagraram o voo 175 da United Airlines se chocando contra a torre sul, ficou claro que os EUA estavam sob ataque.

Os sequestradores, a maioria sauditas, haviam assumido o controle dos dois voos com destino à Califórnia logo depois da decolagem de aeroportos da Costa Leste americana. Com facas e bastões, e ameaçando explodir bombas, eles dominaram tripulantes e passageiros e conduziram os aviões repletos de combustível até os alvos.

Na torre norte, todas as descidas foram bloqueadas. Pessoas presas faziam telefonemas desesperados para entes queridos, pedindo ajuda ou simplesmente dizendo adeus.

Em todo o mundo, milhões assistiam ao vivo pela tv pessoas se atirando do alto do prédio em chamas. Na torre sul, uma escada permaneceu intacta. Apenas 18 das cerca de 600 pessoas presas no prédio escaparam antes de seu desabamento. Às 10:28h, a torre norte também veio abaixo.

Controladores de voo ficaram sabendo que mais dois aviões haviam sido sequestrados, mas conseguiram localizá-los somente às 9h37, quando o voo 77 da American Airlines atingiu o Pentágono, quartel-general de defesa dos EUA, provocando a morte de mais 189 pessoas.

Às 10:03h, o avião que fazia o voo 93 da United Airlines caiu em um campo aberto na Pensilvânia, matando todos a bordo.

O presidente americano, George W. Bush, em pronunciamento à nação americana, disse: “Hoje, meus compatriotas, nosso modo de vida, nossa liberdade foram atacados”.

Onze de setembro de 2001, o dia em que a Terra realmente parou. Também foi o dia em que o mundo se perguntou até onde o fanatismo religioso aliado à intolerância são capazes de disseminar o terror e destruir vidas inocentes.



Visite este blog: Renato Collyer



.

Um comentário:

Presb. Fabio Scofield disse...

Olá! Pr. João, Graça e Paz...

Muito bem lembrado; certamente esta data ficou marcada não só para o povo norte americano, mas para todas as Nações; porque este acontecimento não é apenas a lembrança amarga de um atentado terrorista contra uma Nação, no qual muitas vidas inocentes foram ceifadas tragicamente; mas este atentado nos mostra que todos somos vulneráveis e sujeitos a cair independente do nosso poderio econômico ou militar. Lamentável...
Deus a de perdoa os culpados e, confortar os inocentes vitimados.
Deus te abençoe...