terça-feira, março 31, 2020

Coronavírus - Registro Diários de Casos desde o 1º Caso em 26.02.2020

.

Por João Cruzué

Casos diários do Coronavírus no Brasil desde o registro do 1º caso em 26.02.2020

Fonte: Informação diária do Ministério da Saúde



Em 31.03.2020

https://www.saude.gov.br




.
.


Novo Coronavírus Projeção em 31.03.20 para os próximos 30 dias


Por: João Cruzué


Dados do novo coronavírus no Brasil. Esta postagem é  7ª de uma série de projeções a partir de uma data, com incremento de 3 em 3 dias para um período de 30 dias. Por exemplo, no quadro abaixo, temos 5.717 casos informados pelo Ministério da Saúde (MS) na tarde de hoje - 31.03.2020. O incremento vem da divisão dos 5.717 casos de hoje pelos 3.904 casos informados pelo MS em 28.03.2020. Isso dá o índice de 1,464395 - ou um aumento de 46,44%.  Assim de 3 em 3 dias, estimamos os números de casos até 30.04.2020. Pretendo fazer este tipo de publicação e projeção todo dia, com o link do MS. para referenciar o dado de casos informados na tarde do dia. Att. João Cruzué.

Eis os dados do Brasil. Mais abaixo, compilarei os dados mundiais e link.





Gráfico de casos de contaminação da semana



...
Informações do Coronavírus no Mundo.


COVID-19 CORONAVIRUS PANDEMIC
Last updated: April 01, 2020, 00:02 GMT

Coronavirus Cases:

856,917

Deaths:

42,107

Recovered:

177,141




.

segunda-feira, março 30, 2020

Novo Coronavírus Projeção em 30.03.20 para os próximos 30 dias

Por João Cruzué
.




Para dar transparência aos dados, vamos informar a memória dos cálculos.

a) Contaminados em 27.03.2020 = 3.417 
b) Contaminados em 29.03.2020 = 4.256
c) Contaminados hoje, 30.03.2020 = 4.579
d) Aumento de ontem para hoje (c - b) =  323 casos
e) Índice de incremento em 3 dias (c / a) = 1,460034

O quadro acima começa com o número oficial de contaminados divulgados hoje pelo portal https://www.saude.gov.br = 4.256. A partir deste nº, a cada três dias há um incremento de 1,340064. Ao final de 30 dias - em 29.04.2020, o número projetado seria de 85.512 casos, a menor previsão desde 22.03.2020. 


Veja também aqui as estatísticas do coronavírus em todo mundo: 

COVID-19 CORONAVIRUS PANDEMIC
Last updated: March 30, 2020, 22:23 GMT

Coronavirus Cases:

781,485

Deaths:

37,578







A terceira Onda e a oração de Habacuque

.


Habacuque 3; 2

João Cruzué


A visita do Espírito do Senhor aos corações dos homens é o maior privilégio que pode acontecer à humanidade de tempos em tempos. Duas ondas sacudiram a espiritualidade das nações, sendo uma delas no início do século XVI - com a Reforma. A segunda, veio no início do século XX - com o Movimento Pentecostal a partir da Bonnie Brae/Rua Asusa em Los Angeles. Estamos no começo do terceiro milênio e a terceira onda já está se aproxima.


A comemoração dos 500 anos da Reforma protestante - a primeira onda - ocorreu em 31 de outubro de 2017,  ainda é assunto predominante na mídia evangélica mundial. Da Reforma emergiram a Igreja Luterana, a Igreja Presbiteriana, os anabatistas e os anglicanos. E por causa dela aconteceu a Contra-Reforma dentro da Igreja Católica Romana. Junto com o fundamentalismo que a Reforma trouxe, veio uma das maiores bênçãos que a humanidade ja experimentou - a produção em massa de livros a partir da máquina de imprimir de Gutemberg. O primeiro produto impresso foi a Bíblia Sagrada em alemão. O invento foi tornando cada vez mais baratos o custo dos livros enquanto mais e mais pessoas tinha acesso a eles. A democratização do conhecimento por mais de 500 anos e principalmente a  leitura da Palavra de Deus na própria língua.

Considero como a segunda onda da visita de nosso Deus aos corações dos homens o Movimento Pentecostal do início do século XX. Uns ainda dizem que é coisa do diabo outros que é uma completa heresia. 

Com base na ideia do conselho de Gamaliel nos primórdios da Igreja Primitiva, os resultados por ela produzidos não foram malignos: em apenas uma década, um avivamento varreu o mundo de Norte a Sul, do Ocidente ao Oriente. Nós brasileiros não podemos negar a força que o pentecostalismo mostrou através de cristãos cheios da presença do Senhor atuando em duas vertentes: na Igreja Cristã no Brasil e  na Igreja Assembléia de Deus (AD). 

No caso da AD, ela começou nos lares mais humildes do Norte e do Nordeste do Brasil.  Destas regiões mais pobres proveu-se de homens e mulheres capacitados pelo Espirito Santo que empreenderam viagens (alguns em "paus-de-arara") rumo as grandes Metrópoles: Rio de Janeiro e São Paulo. Assim como Deus abençoou a Judeia a partir da Galileia, Deus ordenou o mesmo caminho no Brasil. Do Norte e Nordeste para o sul. 

Outros movimentos apareceram em tempos mais calmos e também foram muito bem sucedidos, tais como o da Cura Divina, pela Igreja Pentecostal Deus é Amor e Igreja O Brasil para Cristo e um pouco mais tarde os ligados ao chamado Neo-pentecostalismo, cujas duas maiores representantes são a Igreja Universal do Reino de Deus do Bispo Macedo, e a de seu contra-parente Igreja Internacional da Graça de Deus - do Missionário Romildo R. Soares. As duas maiores tecnologias de massificação da pregação do Evangelho desta onda foram o Rádio e a Televisão.

Em 2007, estamos às portas de embarcar na terceira onda de evangelização a qual será a mais eficaz de todas pois vai adicionar velocidade à comunicação do Evangelho sem deixar de usar os meios providos por Deus da primeira - a imprensa, e da segunda - o Rádio e a Televisão. A tecnologia da terceira onda será a página eletrônica na WEB.  A mídia que nasceu nos anos 50/60 dentro dos quartéis americanos nos tempos da guerra fria encontrou o protocolo http:// de Tim Berners Lee em 06 de agosto de 1991. De lá para cá, principalmente a partir de 2010, as mídias sociais tomaram conta do mundo (Facebook, Twitter e Whatsapp, etc.)


Qual é a situação da Igreja do Senhor na  do Século Xfinal da segunda década do séculoXI? Sinceramente diria o Velho e Continente é um Vale de ossos secos. Quanto às Américas estão morrendo sob a teologia da falsa prosperidade.

Quanto à sociedade desta época (março/2020) está corrompida e assustada. Corrompida, porque nestes 70 anos de relativa paz toda sorte de pecado e impiedade foram aceitos e reenvidicados. Hoje, o liberal e moderno é praticar tudo sem nenhuma restrição de espécie alguma. A inversão de valores secularizou até mesmo uma parte da igreja. Assustada, porque Deus está começando a dar um basta nesta orgia do novo  bezerro de ouro.  O Covid-19 está assustando esta sociedade corrupta. 

Começando pelos países mais ricos em direção aos mais pobres.  O Dr.  Anthony S. Fauci[1], Diretor do Insituto Nacional de Alergia e Moléstias Infecciosas comentou em tom pessimista que o Coronavírus pode matar de 100 a 200 mil pessoas nos Estados Únidos da Améria. Ás 01:36, horário de Brasília os registros[2] de contaminação mundial atingiram 722.350 casos, com 33.980 mortes em apenas dois meses.

A terceira onda com a tecnologia disponível, e com a liderança do Espírito Santo, hoje é possível levar o Evangelho de Jesus Cristo em questão de segundos aos quatro cantos da terra - incluíndo - a China que em 2207 providenciou emenda constitucional para permitir mais liberdade ao culto religioso, e entre eles o cristão. O susto que a Igreja está passando por esses dias causado pelo Covid-19 está fazendo com que desperte de um sono. 

A julgar pelo que pode acontecer no Brasil e no mundo, aquela igreja de pregação humanista, politiqueira e avarenta está com os dias contados. Quando a morte começar a rondar os pastores e  suas famílias muita coisa vai mudar. A pregação do Evangelho vai se tornar prioridade, a oração vai substituir os churrascos e a fartura de dízimos e ofertas vai minguar. Como se costuma dizer no meio pentecostal, estamos diante de um reboliço.

O topete dos grandes líderes mundiais vai ser abaixado. As ruas estão vazias. Milhares de caixões estão saíndo todo dia. O desemprego está às portas. A economia vai desabar. As companhias áreas vão falir. As empresas de turismo vão quebrar. Os governos vão ser sacudidos. Como tudo mudou em apenas dois meses. Quando tudo parecia perfeito e confortável teremos a mais dura Páscoa dos últimos 70 anos.

Então, a oração que hoje vamos fazer hoje, é a mesma que fez o profeta Habacuque: "Ouvi, SENHOR, a tua palavra e temi; aviva ó SENHOR a tua obra no meio dos anos, e no meio dos anos a notifica; na ira lembra-te da misericórdia" Habacuque. 3:2.

(a continuar)

domingo, março 29, 2020

Novo Coronavírus Projeção em 29.03.20 para os próximos 30 dias


Por João Cruzué
.




Para dar transparência aos dados, vamos informar a memória dos cálculos.

a) Contaminados em 26.03.2020 = 2.915 
b) Contaminados em 28.03.2020 = 3.904
c) Contaminados hoje, 29.03.2020 = 4.256
d) Aumento de ontem para hoje (c - b) =  352 casos
e) Índice de incremento em 3 dias (c / a) = 1,460034

O quadro acima começa com o número oficial de contaminados divulgados hoje pelo portal https://www.saude.gov.br = 4.256. A partir deste nº, a cada três dias há um incremento de 1,460034. Ao final de 30 dias - em 28.04.2020, o número projetado seria de 187.340 casos, a menor previsão desde 22.03.2020. 


Veja também aqui as estatísticas do coronavírus em todo mundo: https://www.worldometers.info/coronavirus.

COVID-19 CORONAVIRUS PANDEMIC
Last updated: March 29, 2020, 23:21 GMT

720,661

TOTAL DE CASOS DE CORONAVÍRUS  NO MUNDO EM 20:21,HORÁRIO DE BRASILIA
.


A igreja do últimos dias vai ser avivada pelo Espírito Santo de Deus?


Pastor David Wilkerson

(tradução João Cruzué)

"O que está adiante da igreja de Jesus Cristo? Esta é uma questão de grande preocupação para os crentes em todo o mundo. À medida que eventos os catastróficos ocorrem, muitos se perguntam; "O Espírito Santo reavivará a Igreja antes do retorno de Jesus? Será que o corpo de Cristo deixará o mundo com um choro ou um brado de vitória?"

Jesus profetizou essas mesmas coisas. E seus avisos eram para desafiar nossa fé. À medida que a maldade sobrecarrega e inunda a terra, ele pergunta: "Mas quando o Filho do Homem chegar, ele encontrará fé na terra?" (Lucas 18:8).

Pense nisso: Cristo sabia tudo o que enfrentaríamos hoje, desde tiroteios em escolas horríveis, ascensão da homossexualidade militante até atos terroristas que ocorrem em todo o mundo. No meio dessas coisas, ele nos pergunta, você ainda vai continuar crendo mesmo que as coisas piorem? Você vai perder sua confiança quando as coisas não acontecerem do jeito que você pensou, ou você ainda vai confiar em mim?

Veja, apesar do aumento da maldade e das grandes calamidades, Jesus sabia que haveria um grande avivamento nos últimos dias. O Espírito Santo inspirou as profecias de Isaías, e ele sabia muito bem sobre a previsão de um reavivamento à medida que o fim se aproximava.

-------------------------------------------------
Isaías disse que haveria um grande despertar global
um pouco antes do retorno de Cristo.
-------------------------------------------------

Esta profecia é encontrada em Isaías 54 e está resumida nestes versículos: "Pois transbordarás  à mão direita e à mão esquerda; e a tua semente herdará nações e fará que sejam habitadas as cidades devastadas. (54:3)

Acredito em vários estudos bíblicos que a profecia de Isaías tem uma dupla aplicação. Ele não fala apenas sobre o Israel natural após seu cativeiro na Babilônia, mas também sobre o Israel espiritual que estava por vir: o corpo de Jesus Cristo, a igreja da Nova Jerusalém. Paulo cita Isaías 54 quando ele se refere ao "Mas a Jerusalém acima, que é a mãe de todos nós, é livre", (Gálatas 4: 26). Paulo viu que a profecia de Isaías era dirigida "aos filhos da promessa", aqueles em creem em Cristo pela fé.

Se Isaías dirigisse sua profecia apenas para o Israel natural, significaria que suas promessas ainda não foram cumpridas. Em suma, não foi cumprido que "Para tu se estender à mão direita e à mão esquerda; sua semente herdará as nações [gentios em inglês]" (Isaías 54:3). No entanto, essa palavra foi claramente cumprida em Cristo, na Cruz e em Pentecostes. Pense nisso: quando Isaías abordou esta mensagem, cerca de 42.000 israelitas haviam deixado o cativeiro babilônico. Na época de Jesus, seu número tinha aumentado apenas cerca de três milhões.

Isaías se refere à sua profecia como uma promessa de partida de Deus, uma palavra juramentada do céu. Vemos os Juramentos do Senhor perto das montanhas e até mesmo referindo-se ao seu pacto com Noé. Ele diz, em essência: "Tão certo quanto eu não permitirei outro dilúvio na Terra, eu lhe digo que haverá um despertar da minha igreja nos últimos dias."

-----------------------------------------
Nestes últimos dias, os olhos do Senhor não estão fitos em
poderosos, mas sobre a igreja de Jesus Cristo.
-------------------------------------------

Deus não está interessado na economia, no crescimento das religiões mundiais, ou no rugido dos ímpios. De acordo com Isaías, as nações são de Deus: "Eis que, as nações são para ele como a gota d'água que cai da pia", (Isaías 40:15). São todos do seu governo e reino soberano.

Ele sabe tudo sobre ameaças terroristas, guerras e rumores de guerras. Sua Palavra adverte que os ímpios rugirão, os poderes seculares tentarão proibir o cristianismo e os movimentos do anti-cristo em rápido crescimento se vangloriam de governar o mundo e destruir os seguidores de Jesus. A Bíblia diz isso sobre tudo:

"Os reis da terra se levantarão, e os príncipes conspirarão contra o Senhor e contra seus ungidos, dizendo: 'Vamos romper suas ataduras, e sacudamos suas cordas de nós'" (Salmo 2:2-3). Resumindo, "vamos nos esquecer de todos freios morais e de todos os sinais morais do passado."

Aqui temos a reação de Deus a esses poderes mundanos e homens influenciados por demônios: "Aquele que habitar no céu vai rir; o Senhor vai zombar deles (2:4). Não importa o quão desesperadoras as coisas pareçam, tudo permanece sob o controle total de Deus.

"E os portões do Hades não prevalecerão contra ele. (Mateus 16:18). Nenhuma das entranhas do inferno pode esperar que vai destruir a igreja de Cristo. Seu olho está sempre sobre seu povo, e ao longo do tempo ele avisa Satanás e seus anfitriões: "Não toquem na menina do meu olho." "Se alguém conspirar contra você, vai fazê-lo sem mim, e o que conspirar, deve cair diante de você. (Isaías 54:15). Você pode ver o que Deus está dizendo aqui? "O diabo virá contra você. Inimigos do inferno se unirão contra você. Mas Satanás não terá sucesso."

Deixe o diabo fazer o que quiser. Deixe o inferno abrir suas entranhas e derramar cada coisa vil. Não terá impacto no plano de Deus para o seu povo. Glória ao Senhor, sua igreja não pode ser destruída!

-----------------------------------------
Onde quer que nos vivamos nos últimos dias, veremos
a glória de Deus se apresentando em um reavivamento final.
-----------------------------------------

A igreja de Cristo irá além das limitações anteriores para trazer as boas notícias. "Expanda o local de sua tenda e as cortinas de seus quartos são estendidas; Não seja apocalíptico; alongar suas cordas e fortalecer suas estacas. Para tu deve estender-se para a mão direita e a mão esquerda; sua semente herdará nações e habitará as cidades devastadas. (Isaías 54:2-3). Simplesmente, a igreja aumentará sua força e levantará multidões em Cristo.

À medida que olhamos mais de perto para a profecia de Isaías, podemos ver que é dirigida não apenas ao corpo eclesiástico, mas também aos indivíduos. Conheço servos piedosos, meus amigos, que usaram esta profecia como uma palavra pessoal do Espírito Santo. E eles aumentaram sua fé por suas promessas: "Não tema, pois você não será confundido; não se envergonhe, pois você não será afrontado, mas você vai esquecer a vergonha de sua juventude e  da afronta da sua viuvez você não terá mais memória. (Isaías 54:4). Isaías esclarece neste versículo: A igreja de Deus não terá vergonha.

Mais apenas alguns versículos abaixo, lemos este aviso para a igreja dos últimos dias: "Pobres, cansados da tempestade, sem conforto! Eis que colocarei tuas pedras sobre carbúnculo e sobre safiras eu vou te derreter. (Isaías 54:11). Ele nos diz que estaremos de luto, jogados de um lado para o outro pela tempestade. Mas nos promete uma fundação de safira. O que isso significa, exatamente?

Como crentes, podemos ter esta aliança com Deus, trazendo em nossos corações suas preciosas promessas de não temer, sem vergonha, sem confusão, sem censura. No entanto, ainda podemos ser jogados para frente e para trás por tempestades pessoais, experimentar a solidão e não ter ninguém para nos confortar. Resumindo, Satanás pode nos sacudir.

(Vai continuar)





Coronavírus 2020 x Copa de 2014 - onde foi parar o dinheiro dos hospitais

Palavra de Blogueiro

João Cruzué
Domingo, 29 de março de 2020. 

Hoje, depois de ter ouvido sobre uma suposta resposta do Ministro da Economia Paulo Guedes a uma Deputada Federal pelo Paraná, fui até o Twitter conferir in loco se era verdade. Se os perfis são verdadeiros, não sei, mas que está lá de todo tamanho, está. Fiz o print e aí está.

Crédito do Twitter


Diante disso, fui pesquisar em fonte confiável se o dinheiro que está faltando hoje, principalmente na Saúde, havia mesmo sido enterrado e desviado em elefantes brancos, ops! estádios de futebol. Aí, encontrei está análise crítica do Dr. Luciano Coelho Ávila, publicada neste endereço:  https://www.mpdft.mp.br/ .


CRÉDITOS:
Luciano Coelho Ávila 
Promotor de Justiça do MPDFT


Na primeira parte do presente ensaio demos início a uma análise crítica e reflexiva sobre a questionável opção política do governo do Distrito Federal (GDF) por construir um estádio de futebol de padrão internacional com recursos integralmente públicos e capacidade para 71 mil espectadores, destinado a abrigar alguns poucos jogos da Copa do Mundo de 2014, em uma capital que não possui nenhuma tradição ou projeção no cenário do futebol nacional e em cujo campeonato local o público presente à grande final de 2012 foi de somente 970 torcedores.
O exame mais detido sobre a (falta de) “qualidade“ dos gastos públicos no DF ao longo dos últimos anos tem o condão de possibilitar reflexões mais críticas sobre até que ponto ou medida o administrador de interesses públicos, legitimamente eleito através da pia batismal do voto popular, pode valer-se do escudo pretensamente impenetrável do mandato que lhe foi conferido para definir, unilateral e discricionariamente, as políticas públicas governamentais. Em última análise, almeja-se averiguar a validade e a legitimidade social das escolhas governamentais não precedidas de ampla consulta ou participação popular para a ordenação de grandes despesas em setores manifestamente não prioritários para o bem estar de uma coletividade, tendo por parâmetro maior o fundamento constitucional republicano que impõe ao Poder Público e a todos os cidadãos brasileiros o primado do respeito à dignidade da pessoa humana, seja na sua dimensão individual, seja na coletiva.
Na primeira parte do texto, confrontamos a decisão política do GDF de construir um estádio para a Copa em Brasília com a grave situação da saúde e da segurança pública no DF, apontando alguns dos piores indicadores sociais do país nas regiões administrativas que integram esta unidade federada (o DF não pode ser dividido em municípios, sendo, por isso mesmo, composto por RA’s). 
Na sequência, ingressaremos no exame da política administrativa de educação pública do DF e na comparação entre os altos custos de construção do Estádio Nacional de Brasília e os dos demais Estádios da Copa de 2014, para possibilitar, ao final, a formulação de questionamentos reflexivos sobre a qualidade dos gastos públicos no Brasil.
Com efeito, no plano da educação pública infantil, constata-se no DF a inexistência de qualquer proposta ou política pedagógica efetivamente preocupadas com a “qualidade“ dos serviços educacionais oferecidos às crianças e adolescentes de famílias não abastadas. Tem havido preocupação exclusiva com a “quantidade“ de professores temporários e efetivos contratados no DF, nenhuma com a “formação“ desses profissionais e chega a beirar a utopia qualquer pretensão de se exigir uma fiscalização mais rígida sobre as estratégias de ensino empregadas em sala de aula pelos docentes, o que permitiria melhor aferir o grau de eficiência das técnicas pedagógicas que vêm sendo adotadas para a formação de nossos futuros cidadãos.
A política pública de ensino do DF (observação válida para quase todos os estados do Brasil) insiste em adotar métodos educacionais obsoletos e já ultrapassados no plano internacional, até porque a busca pelo conhecimento, segundo os maiores pedagogos da atualidade, deveria partir do interesse das crianças e adolescentes pelos assuntos em geral e não pelo que é imposto, quase que autoritariamente, pelos supostos “detentores do saber“, método que apenas se presta a retirar o interesse dos infantes pelo aprendizado (Fernando Hernández e Paulo Freire). Faltam professores qualificados e capazes de estimular o senso crítico das crianças. Faltam investimentos para a melhor estruturação das escolas, mas não só investimentos: falta, sobretudo, competência de gestão. 
E apesar de todos esses indicadores sociais escandalosamente desfavoráveis que contribuem para fazer do Brasil um país em eterno desenvolvimento — fora do eixo dos países ditos desenvolvidos e de bem estar social já alcançado —, quando imaginamos que o surreal encontra limites, acabamos por nos surpreender a cada dia com a notável capacidade dos gestores do dinheiro público na inversão do que deveria constituir prioridade nesse país de imensos abismos e contrastes sociais e culturais.
De fato, em meio às inaceitáveis contradições que resultam do cotejo analítico entre as altas receitas financeiras do DF — proporcionalmente as maiores do país dentre as unidades federadas — e a péssima qualidade ou ineficiência de seus serviços públicos essenciais, por outro, acaba de chegar ao fim a construção do imponente Estádio Nacional de Brasília, cujo valor final das obras[1] se aproximará, estratosfericamente, da casa de 1 bilhão e 500 milhões de reais[2] — o Estádio mais caro do mundo de todos os tempos[3] —, custeado exclusivamente com recursos públicos provenientes de convênio celebrado entre Novacap e Terracap, por meio do qual a última se comprometeu a alienar terras públicas pertencentes ao DF para emprego de seu produto na conclusão do moderno “Coliseu Romano“ da capital federal — uma refêrência às belas e grandiosas colunas externas de sustentação da obra faraônica, no melhor estilo da arena dos gladiadores históricos.
Segundo dados recentemente divulgados pelo jornal O Estado de S. Paulo, relatório técnico de auditoria do Tribunal de Contas do Distrito Federal (TCDF) nas contas das obras no Estádio de Brasília já aponta, preliminarmente, um desvio de dinheiro público da ordem de pelo menos R$ 212,3 milhões. O TCDF já cobra a devolução de R$ 99,9 millhões do consórcio formado por Andrade Gutierrez e Via Engenharia e exigiu do GDF a explicação de R$ 112,4 milhões aparentemente desviados.[4] A auditoria em questão também assinala que o preço do assento do Estádio de Brasília, orçado em R$ 16.938, por exemplo, é mais de duas vezes superior ao mais barato, que é o do Estádio Castelão de Fortaleza, de R$ 7.740. Na comparação com o palco da abertura da Copa de 2014, a Arena Corinthians/Itaquerão, que tem o segundo maior custo de colocação de assentos, o preço dos assentos é R$ 12.615, 40% menor que o do Estádio de Brasília.
Extrai-se, ainda, de mencionado relatório técnico, que superfaturamento, cobrança de serviços em duplicidade, erros de quantitativos, mudança de itens do projeto original e barbeiragens gerenciais contribuíram para o Estádio Nacional se tornar o mais caro de todos os tempos.
Enquanto isso, na capital do Rio Grande do Sul, Estado de grande tradição e prestígio futebolístico, foi recentemente inaugurada a belíssima Arena Grêmio, com capacidade para 60 mil torcedores, obra construída pela iniciativa privada, com parte de seu valor financiada pelo BNDES. O custo final da nova arena, igualmente erguida em padrão internacional, girou em torno de R$ 500 milhões, segundo informações oficiais extraídas do site do clube portoalegrense[5].
Apenas para que nossa avaliação não se limite ao custo de construção dos estádios de Brasília e de Porto Alegre, esclareça-se, para fins comparativos, que o custo final da Arena Castelão, em Fortaleza, para 64 mil lugares, foi de R$ 518 milhões; a Arena Pernambuco, em Recife, com capacidade para 46 mil espectadores, tem custo estimado de R$ 530 milhões; o novo Mineirão, em Belo Horizonte, custou R$ 666 milhões, para um público máximo de 62 mil pessoas; o Estádio Itaquerão/SP, custará em torno de R$ 800 milhões; a nova arena Fonte Nova, em Salvador, custou R$ 591 milhões; todos com custos significativamente inferiores aos de Brasília, com a agravante de que nas outras capitais mencionadas existem grandes times de tradição no cenário do futebol nacional, com clássicos vibrantes e público lotando os estádios, diferentemente do que se dá na capital da política.
Diante de tamanhas disparidades de valores, indicativas da flagrante falta de zelo, bom senso, economicidade, eficiência e qualidade dos gastos públicos para a construção, na capital federal, do estádio mais caro do futebol mundial de todos os tempos — com custos superiores aos das mais modernas arenas alemãs — e erguido com a finalidade precípua (para não dizer única) de abrigar apenas alguns jogos da Copa do Mundo de 2014, impõe-se-nos, como cidadãos e contribuintes preocupados com os destinos dos recursos públicos, suscitar alguns questionamentos para aspectos não veiculados nas propagandas televisivas de bebidas que buscam apenas celebrar, mediante lavagem cerebral dos telespectadores alienados, tão grandioso evento no Brasil. Afinal, como defenderiam importantes filósofos, muitas vezes mais importantes que respostas são as boas perguntas, capazes de nos conduzir às melhores e mais aprofundadas reflexões. Indaguemos, pois!
Em primeiro lugar, como se explica, objetivamente, o fato de o Estádio Nacional de Brasília ter custado próximo de R$ 1,5 bilhão pagos integralmente com recursos públicos? Por que o Estádio de Brasília, seguindo o modelo de economicidade, planejamento e eficiência portoalegrense, não foi construído pela iniciativa privada? Por que o Estádio de Brasília não custou “apenas“ R$ 500 milhões, a exemplo da belíssima Arena Grêmio?
De outro vértice, quais as razões de interesse social que levaram o GDF a não optar por investir R$ 1 bilhão em setores manifestamente prioritários para o bem estar de sua população, como segurança pública preventiva, saúde, transporte coletivo e educação de qualidade (temas que mais afligem a população do DF), sobrando-lhe, ainda, em torno de R$ 500 milhões para a construção de um estádio de padrão internacional com capacidade para abrigar 60 mil pessoas em perfeitas condições durante a Copa do Mundo? Há base constitucional para tamanha discricionaridade administrativa?
Sob os influxos do princípio da democracia participativa, amplamente albergado pelo Texto Constitucional de 88 (artigo 14, incisos I e II; artigo 49, inciso XV, e artigo 61, parágrafo 2º — CR/88), como se justificar o fato de a população do DF não ter sido ouvida através de prévia consulta popular, audiências públicas ou até mesmo sob a forma de referendo sobre a melhor destinação desses vultosos recursos empregados na construção do Estádio? Qual importância tem sido dada ao desenvolvimento do princípio da democracia participativa entre nós?
Ainda em termos jurídico-constitucionais: afora o controle social exercido a cada 4 anos através do voto popular, não há qualquer outro mecanismo legal ou constitucional de controle jurisdicional das escolhas manifestamente incoerentes do administrador e do legislador[6]? Será que não há outras prioridades a serem atendidas pelo DF diante da clara ineficiência e má qualidade dos serviços públicos essenciais que disponibiliza aos seus cidadãos, mesmo sendo ele detentor de privilégios financeiros não ostentados pelos demais estados da federação brasileira? Por que o Poder Judiciário brasileiro ainda tem sido tão refratário à admissibilidade desse tipo de controle jurisdicional incidente sobre a própria constitucionalidade do denominado “mérito administrativo“, mesmo quando a alegação de reserva de discricionariedade administrativa presta-se apenas a obnublar a prática de desvios flagrantes de finalidade ou abusos de poder?
Já avançando para os possíveis aspectos relacionados à eventual configuração de ato de improbidade administrativa, o custo final de quase R$1,5 bilhão do Estádio de Brasília, três vezes mais caro que outras belíssimas arenas nacionais, representa, ou não, intolerável desperdício de dinheiro público dolosamente atentatório aos princípios da moralidade e economicidade administrativas?
Em termos de ganhos palpáveis para a sociedade, qual será o legado do Estádio Nacional de Brasília para uma capital que não possui nenhum time de futebol de expressividade no cenário nacional? Qual será o legado da Copa de 2014 para a saúde, a educação e a segurança da população do DF? O Estádio Nacional de Brasília será apenas "mais uma obra de arte no museu a céu aberto que é Brasília“, como já o definiram alguns políticos defensores dos altos gastos utilizados para sua construção?
Na França, não há muito tempo, milhares e milhares de "cidadãos" inconformados com a decisão do governo francês de retirar um simples comprimido de aspirina das cestas básicas fornecidas gratuitamente à população carente resolveram tomar as ruas em sinal de protesto. Os manifestantes, ordeira, mas vigorosamente, exigiam a retratação governamental, num admirável exemplo de mobilização, cidadania e capacidade de reação popular. Também pudera: ali está o berço da revolução iluminista que, em 1789, logrou derrubar a monarquia despótica e impor limites ao arbítrio estatal, através da consagração de diversas liberdades públicas, sob a forma de direitos individuais oponíveis contra o Estado. Os cidadãos franceses, historicamente, possuem plena consciência cívica de seu direito — e mais que isso, de seu dever — de interferir nas decisões políticas governamentais capazes de afetar negativamente o seu dia a dia. Não se contentam em simplesmente entregar um mandato popular a um governante eleito para julgá-lo apenas ao final de sua gestão, através do voto. Cobram-no diuturnamente pelos mais variados e legítimos meios. No caso exemplificado, tratava-se de uma simples aspirina a menos na cesta básica mensal. Não é preciso muito esforço intelectual para se imaginar o que ocorreria por lá se a situação envolvesse tamanho desperdício de dinheiro público em obra absolutamente desnecessária para o verdadeiro bem estar do povo.
E o que temos feito nós, subservientes cidadãos brasileiros, diante dos desvios cotidianos dos recursos públicos que poderiam e deveriam ser aplicados para a melhoria de nossa saúde pública e assistência social? Como temos reagido à falaciosa segurança pública que não nos protege? E o que dizer de nossa educação pública obsoleta e de péssima qualidade e do enlameado transporte público coletivo que não nos serve com a sonhada eficiência ? Pacatos cidadãos de Roma: até quando nos contentaremos com pão e circo no majestoso “Coliseu Romano“ erguido em pleno século XXI na capital do Brasil? Aliás, tem havido pão para todos?
[1] Considerando o custo total das obras do Estádio e das denominadas estruturas temporárias (ou provisórias) que serão construídas ao redor do Estádio por exigência da FIFA.
[2] A previsão inicial de custo do Estádio era de R$ 696 milhões de reais, segundo dados fornecidos pelo TCDF.
[4]Fonte: Jornal Estado de S. Paulo, edição de 27/01/2013.

[6]Vide, em defesa desse ponto de vista, a tese defendida por Robert Alexy, in Teoria de los derechos fundamentales. Trad. Ernesto Garzón Valdés. Madrid: Centro de Estudios Constitucionales, 1997, p. 422.
.
Frase de Blogueiro - Acho que deram o nome de "Mané Garrincha" no Estádio de Brasília, por causa do drible da vaca que deram no povo. 

Para quem ainda não sabe, o drible da vaca é aquele que o atacante  joga a bola por um lado e passa pelo adversário pelo outro. 


.




sábado, março 28, 2020

NOVO CORONAVÍRUS ESTATÍSTICA DE CASOS EM 28.03.2020

.


DADOS ESTATÍSTICOS DO 

NOVO CORONAVÍRUS  NO MUNDO - HOJE - 28.03.2020
.
ÀS 19:00 HORAS

Por: João Cruzué

Selecionamos abaixo, os dados de 60 países.






Neste quadro os Estados Unidos da América aparecem com o maior número de casos registrados. Cabe lembrar que a fidedignidade dos números dependende dos registros dos testes. Países que apenas testam quem chega nas unidades de Saúde, tecnicamente devem possuir muito mais casos que os informados. Dessa forma é muito relativo comparar o total de casos da China com o total informado pelos Estados Unidos. Curiosamente, a data de registro do 1º caso, constatado na China é 10 de janeiro 2020. Será?


.





Novo Coronavírus Projeção em 28.03.20 para os próximos 30 dias

Por: João Cruzué
SP-28.03.2020

O Ministerio da Saúde divulgou hoje que o Brasil registrou 3.904 casos  confirmados de coronavírus e 114 mortes. Informou ainda que após um mês da confirmação do primeiro caso (26/2), todos os estados  registraram casos da doença.


https://www.saude.gov.br/


Para dar transparência aos dados, vamos informar a memória dos cálculos.

a) Contaminados em 25.03.2020 = 2.433 
b) Contaminados em 27.03.2020 = 3.417
c) Contaminados hoje, 28.03.2020 = 3.904
d) Aumento de ontem para hoje (c - b) =  487 casos
e) Índice de incremento em 3 dias (c / a) = 1,604603

O quadro acima começa com o número oficial de contaminados divulgados hoje pelo portal https://www.saude.gov.br/ = 3.904. A partir deste nº, a cada três dias há um incremento de 1,604603. Ao final de 30 dias - em 27.04.2020, o número projetado seria de 441.759 casos.


Veja também aqui as estatísticas do coronavírus em todo mundo: World Statistics of Coronavirus 2020_03_28_19:00 OC




sexta-feira, março 27, 2020

Novo Coronavírus Projeção em 27.03.20 para os próximos 30 dias


Por: João Cruzué
SP-27.03.2020

O Ministerio da Saúde divulgou hoje que o Brasil registrou 3.417 casos  confirmados de coronavírus e 92 mortes. Informou ainda que após um mês da confirmação do primeiro caso (26/2), todos os estados  registraram casos da doença e 8 deles apresentaram óbitos - AM, CE, PE, RJ, SP, GO, PR, SC e RS. 



Dito isso, cabe uma observação. 

O número de pessoas já infectadas pelo novo coronavírus é muito maior, porém elas não tiveram sintomas e, por isso, não precisaram ir até o médico. Se para cada 100 pessoas, provavelmente  6 casos demandam internação e notificação, estatisticamente haveria entre nós 56.950 pessoas que já foram infectados.  

Isto é de certa forma aceitável porque não houve nenhuma contenção em aeroportos de turistas que vieram de fora para o Carnaval.  Enquanto a Viradouro e a Águia de Ouro desfilafam, o coronavírus corria solto por aeroportos, hotéis e uma infinidade de lugares no Rio de Janeiro e  São Paulo. 

-.-









quinta-feira, março 26, 2020

Novo Coronavírus Projeção em 26.03.20 para os próximos 30 dias

.
Projeção de 3 em 3 dias para os próximos 
30 dias - de 26.03 a 25.04.2020

.
Fonte das ocorrências em 26.03.2020  https://www.saude.gov.br/



Quadro  com o histórico das ocorrências 
.
desde o início em 26.02.2020:



Fonte dos dados: Divulgação Diária do Ministério da Saúde