domingo, novembro 22, 2020

Um profeta sentado à sombra do carvalho

 

Sombra do carvalho
Autor: João Cruzué

Este post destoa do pensamento geral das grandes lideranças evangélicas, interessadíssimas em cargos de representação da política secular, tendo como justificativa a defesa da causa da Igreja de Cristo. O Post foi escrito em 2015 mas, em novembro de 2020, notei que esse interesse continua muito forte e  fazendo vítimas. 

Há dois tipos de exercício da política: A representação e ação políticas. Para mim, a atuação política de um pastor diante de seu rebanho é muito mais valiosa, que a sua representação solitária em uma Casa Legislativa. Trocar as funções ministeriais por uma representação política é tão perigoso quanto dirigir à noite com os faróis queimados. Se o pastor crê que recebeu uma chamada de Deus para exercer o ministério pastoral, não deve se meter com cargos de representação política. A chamada e a unção de Deus não é dada para qualquer um, pois é rara. Paulo aconselhoo Timóteo a guardar o depósito que havia recebido de Deus.

De uns 30 anos para cá,  muitos Pastores que foram separados por Deus (ou pelo menos parece que foram)  estão trocando  a busca pelas almas perdidas pela busca de Brasília. E nesta troca, têm encotrado a morte espiritual e arruinado suas famílias.

Um Pastor com chamada de Deus que se mete a candidatura política é semelhante ao profeta novo que apareceu em Betel, no capítulo 13 Primeiro Livro de Reis,  para anunciar o nascimento de Josias, da Casa de Davi, diante do Rei Jeroboão, profetizando contra o altar. 

Era cheio da unção do Espírito de Deus.

E ao estender o Rei Jeroboão  a mão contra o profeta, ela secou-se imediatamente. Humilhado, Jeroboão pediu oração, o profeta orou e a mão do Rei foi curada. 

E disse Rei Jeroboão ao profeta novo: Vem comigo a minha casa e conforta-te e dar-te-ei um presente.Porém o profeta novo disse: Ainda que me desses a metade da tua casa, não iria contigo, nem comeria pão, nem beberia água neste lugar, porque assim me ordenou o Senhor: Não comerás pão, nem beberás água, nem voltareis pelo caminho por onde foste. E o profeta se foi, voltando por outro caminho.

E morava em Betel um profeta velho. E o profeta velho, era muito experiente e astuto com as palavras. Mandou albardar um jumento e foi à procura do varão de Deus, encontrando-o sentado à sombra de um carvalho, perguntou:

--És tu o homem de Deus que veio der Judá?

--Eu sou.

--Então vem comigo à minha casa e come pão.

-- Não Posso. O Senhor me disse que não.

-- Ah! também sou profeta como tu, e um anjo me falou pela palavra do Senhor dizendo: "Faze-o voltar contigo para tua casa, para que coma pão e beba água." Mentindo.

E sucedeu que depois que comeu pão e bebeu água, o homem de Deus (o profeta novo), se foi  montado em seu jumento. E um leão o encontrou pelo caminho e o matou. E tanto o jumento quanto o leão estavam junto ao cadáver, quando foi encontrado.

Como contextualiza bem este momento político com o trágico acontecimento do passado. Ele traz um alerta aos homens de Deus que hoje vão em busca da sombra do carvalho. 

À sombra da tentação e da morte. 

Orgulhoso das conquistas que já fez à frente do ministério, agora se assenta à sombra do carvalho, que é muito parecida com o terraço do palácio onde Davi estava, já cheio de tantas vitórias, no dia da tentação.

E é a sombra deste carvalho que muitos homens de Deus, pastores, evangelistas e bispos, têm sido tentados. Ali naquela penumbra, fora do alcance do sol, muitos convites de velhos profetas tem sido feitos. 

--Olha eu também sou pastor, bispo, homem de Deus como você, seu lugar não é no Deserto, você precisa ir para Brasília - para defender o "POVO", a Igreja Evangélica... volta, e vem comer pão e beber a água do Planalto!

E dali, tem surgido muitos escândalos, contradições, fisiologismo, de homens que antes andavam calçados com os sapatos do evangelho, e os trocaram pelos "jumentos" do secularismo. Há muitas Igrejas de luto, olhando o que restou dos homens que antes cuidavam do rebanho do Senhor: cadáveres espirituais cercados de leões e jumentos.

O mais recente caso: Pastor E.

A representação política está ao alcance de os todos cidadãos deste país. Mas não para o homem que tem uma chamada real de Deus para servir no ministério pastoral. Se voltar atrás, a alma do Senhor não terá mais prazer nele. 

É sempre bom lembrar disso.




.

A Amazônia, Beto Freitas e a TV estatal francesa

Crédito: Redes Sociais

 João Cruzué

O Brasil ficou horrorizado com a morte de um negro dentro do Carrefour de Porto Alegre,causada por espancamento de seguranças a serviço da empresa.

Quando? Na sexta-feira, dia 20 de novembro, feriado do Dia da Consciência Negra no Brasil.

Em 26 de agosto do ano passado, quando aconteceu a cúpula do G7  em Biarritz na França, a TV estatal francesa deu ampla cobertura as queimadas da Amazônia, assunto muito explorado pelo presidente Macron.

O jornalista Nelson de Sá, comentando o assunto em sua coluna na Folha de São Paulo, hoje, informou que mesma TV estatatal francesa France 2 divulgou apenas as imagens dos protestos realizados em decorrência do assassinato de Beto de Freitas.

TV hipócrita.

Dá mais valor a uma árvore do que a vida de um negro.