domingo, fevereiro 13, 2022

As tribulações da vida e o último inverno de Jesus em Jerusalém

 

Wilma Rejane


E em Jerusalém, havia a festa da Dedicação do templo, e era inverno. João 10:22

Era inverno e Jesus caminhou alguns minutos em direção ao templo de Jerusalém para participar da Festa da Dedicação. Aquele era um dia especial para a nação que por oito dias seguidos celebraria a dedicação de um importante templo. As paredes (externas e internas) e toda a estrutura havia sido restaurada no período de Zorobabel. A festa  era tradição desde 163 a.C. Um rei pagão sírio, chamado Antíoco Epífanes, havia profanado o lugar, causando grande revolta e tristeza aos judeus. E naquele inverno, havia júbilo no ambiente e na nação que solidária se unia celebrando a restauração não apenas de um lugar, mas de uma cultura e de um povo. Jesus estava lá, passeando nos cômodos, observando os detalhes e as pessoas. Era seu último inverno, depois viria a Páscoa e primavera e sua crucificação. Jesus, era o Novo e Eterno Templo que seria derrubado e edificado ao terceiro dia (João 2:29) Sua ressurreição era o inicio de um tempo e lugar mais espetacular do que aquele festejado no inverno, no último inverno de sua vida.

"Jesus passeava no templo, no pórtico de Salomão João 10:23

E quando perceberam a presença de Jesus, se aproximaram dele de uma forma hostil, interrogando-o sobre Sua identidade como não crendo que Ele era de fato o Messias. Meditei sobre essa passagem e relacionei-a ao comportamento de muitos homens (não descartando a possibilidade de me incluir no exemplo); Jesus era maior que aquele templo de pedras, tão festejado. Contudo, os homens ali presentes o ignoravam e menosprezavam. Viravam as costas para Jesus e voltavam o olhar e a atenção para o monumento. Isso parece tão vazio e sem sentido, quanto invernos sem chuvas ou ventos. Tão terrível, quanto frio sem cobertor e sem teto. Jesus caminhou no inverno, para aquecer os corações gélidos e cansados, mas esses corações não o quiseram, preferiram o acolhimento das pedras que formavam aquele abrigo passageiro.

Será que não estamos fazendo das pedras deuses e desprezando o Deus que carrega nossas pedras? Estamos confiando que a cada inverno Jesus virá em nosso socorro?  Ele mesmo disse que em todo e qualquer dia, quer seja de sol, chuva, tempestade ou brisa Ele não nos abandonaria ."De maneira alguma te deixarei, nunca jamais te desampararei.” Hebreus 13:5.

Há uma palavra grega, que traduz muito bem o significado de confiar: “Confia ao Senhor as tuas obras e teus pensamentos serão estabelecidos” Pv 16:3. Confiar aqui é o mesmo que “galal” (Strong 01556) com o sentido de rolar, entregar, afastar, remover. A imagem é a de um camelo sobrecarregado.  Quando a carga está para ser removida, o camelo ajoelha-se, inclina-se para o lado e a carga desliza. Podemos nos ajoelhar em oração e fazer a carga deslizar em direção a Ele. Essa ação estabelecerá nossos pensamentos, modificará as ações, nos fará desviar o olhar das muitas pedras (problemas, tribulações, tentações) "Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei". Mateus 11:28. 

Tantas vezes amontoamos pedras (problemas, tribulações, tentações...), olhamos para essas pedras como se fossem um lugar contínuo e esquecemos que Deus é muito maior que elas. Perguntamos os porquês e ignoramos Jesus que está tão perto, tão receptivo a nossa fé. Mas a fé morre, sufocada pelas pedras que não produzem frutos, tal qual a parábola do semeador: " A semente caiu no pedregal e veio o sol e a secou, porque não tinha raiz" Mt 13:6. É certo que as pedras virão, a cada inverno, a cada verão, elas têm o objetivo de nos fazer tropeçar ou em uma perspectiva maior e revestida de fé, terão o objetivo de nos aproximar de Cristo.

Jesus estava em Jerusalém, naquele templo lotado de pessoas! Ele foi para lá como em segredo, sem alarde, passeou entre as pessoas como um ilustre desconhecido. Sabe o que aprendo com isso, amigos leitores? Jesus está conosco mesmo quando não percebemos Sua presença. Está no cotidiano, quando estamos a sós ou na multidão. Ele é o Abrigo seguro. Será preciso desviarmos o olhar das pedras que estão em grande monumento em nossas vidas (sonhos, realizações, orgulho, vaidade, prestígio, problemas, pedras...) e voltarmos o olhar para Jesus. Essa é a mensagem que aprendi com o último inverno de Jesus em Jerusalém.

Paz para você, em Cristo.

segunda-feira, janeiro 17, 2022

O Covid-19 e a Psicose de Formação em Massa

 

"A transformação social que se desenvolve sob o totalitarismo é construída e sustentada por delírios, pois apenas homens e mulheres iludidos regridem ao status infantil de súditos obedientes e submissos e entregam o controle total de suas vidas a políticos e burocratas." (Joost Merloo)


João Cruzué

Durante o programa de entrevistas "Direto ao Ponto" do jornalista Augusto Nunes, em 11/01/2022, o Dr.  Roberto Zeballos (a partir de 1 hora e 14 minutos do vídeo do YouTube) cita o psicólogo Mattias Desmet, introduzindo o termo "Psicose de Formação em Massa. 

Daí, fiz a pesquisa no Google e cheguei até o post de Luciano Pires (12/01/2022) no Portal Café Brasil. O assunto é bastante técnico, mas para despertar a curiosidade vou fazer dois recortes do texto deste último link.


Primeiro Recorte:

"O Dr. Robert Malone, um dos principais contribuidores para a criação da vacina de RNA mensageiro, criticando a obrigatoriedade das vacinações em massa para a COVID-19, sugeriu ao podcaster Joe Rogan, que os Estados Unidos estão em meio a uma “psicose de formação em massa”.

Malone disse: “Nosso governo está fora de controle sobre isso. E eles são foras da lei. Eles desconsideram completamente a bioética. Eles ignoram completamente a regra comum federal. Eles quebraram todas as regras que eu conheço, nas quais eu fui treinado por anos e anos e anos”.

Cara: a entrevista do médico, deu o maior reboliço. Ele já tinha sido cancelado no Twitter e esse termo, psicose de formação em massa,  ganhou evidência.

Mas do que que se trata, hein?

Olha: quando eu fiz o podcast O poder do mau, lá atrás, eu comecei a pesquisar o assunto e encontrei uma publicação a respeito, mergulhei um pouco mais fundo e encontrei o livro a respeito e já tinha desenhado o programa Café Brasil que se perdeu, ficou meio parado, ficou quietinho, guardadinho pra eu retomar no futuro.

E este episódio aqui com o Joe Rogan, me ajudou a trazer de volta então eu vou fazer hoje o programa que já estava rascunhado desde abril ou maio do ano passado. Então, olha aqui, ó.

Eu vou usar aqui no programa o texto “A fabricação de uma psicose em massa – a sanidade pode retornar a um mundo insano?” Esse texto na verdade é a transcrição de um vídeo publicado no canal da Academy Of Ideas no Youtube em Abril de 2021.


Segundo Recorte:

"O texto abre com uma citação de Gustav Le Bon, intelectual francês interessado em antropologia, psicologia, sociologia, medicina, invenção e física. Le Bon é mais conhecido por sua obra de 1895, The Crowd: A Study of the Popular Mind, que é considerada uma das obras seminais da psicologia da multidão. Le Bon diz assim:

“As massas nunca tiveram sede da verdade. Elas se afastam de evidências que não são do seu gosto, preferindo endeusar o erro, se o erro as seduzir. Quem quer que possa lhes fornecer ilusões é facilmente seu senhor; quem tenta destruir suas ilusões é sempre sua vítima.”

As doenças do corpo podem se espalhar por uma população e atingir proporções epidêmicas, mas o mesmo pode acontecer com as doenças da mente. E das epidemias da mente, a psicose em massa é a mais perigosa. Durante uma psicose em massa, a loucura se torna a norma na sociedade e as crenças ilusórias se espalham como uma epidemia. Mas, como os delírios podem assumir muitas formas e a loucura pode se manifestar de inúmeras maneiras, o jeito específico como uma psicose em massa se desdobra será diferente com base no contexto histórico e cultural da sociedade infectada. No passado, as psicoses em massa levaram à caça às bruxas e genocídios, mas na era moderna é a psicose em massa do totalitarismo que é a maior ameaça.

Arthur Versluis, professor e chefe do Departamento de Estudos Religiosos na Faculdade de Artes e Letras da Michigan State escreveu em As Novas Inquisições o seguinte:

O totalitarismo é o fenômeno moderno do poder estatal centralizado total junto com a aniquilação dos direitos humanos individuais: no estado totalizado, existem aqueles que estão no poder, e existem as massas objetificadas, as vítimas.”

Em uma sociedade totalitária, a população é dividida em dois grupos, os governantes e os governados e ambos passam por uma transformação patológica. Os governantes são elevados a um status quase divino, o que é diametralmente oposto à nossa natureza de seres imperfeitos, facilmente corrompidos pelo poder. As massas, por outro lado, são transformadas em sujeitos dependentes desses governantes patológicos e assumem um status regredido psicologicamente infantil.

Hannah Arendt, uma das mais proeminentes estudiosas dessa forma de governo no século 20, chamou o totalitarismo de uma tentativa de transformação da “própria natureza humana”. Mas essa tentativa de transformação apenas transforma mentes sãs em mentes doentias, como escreveu o médico holandês Joost Meerloo, que estudou os efeitos mentais de viver sob o totalitarismo.

Os autores do vídeo usaram várias referências de Joost Merloo, que em 1933 começou a estudar os métodos pelos quais a pressão mental sistemática leva as pessoas à submissão abjeta, e pela qual os totalitários imprimem sua subjetiva “verdade” na mente de suas vítimas. Em seu livro The Rape of the Mind, Joost Merloo escreveu assim:

“… Há, de fato, muito que é comparável entre as reações estranhas dos cidadãos do [totalitarismo] e de sua cultura como um todo, por um lado, e as reações dos… esquizofrênicos doentes, do outro”.

A transformação social que se desenvolve sob o totalitarismo é construída e sustentada por delírios. Pois apenas homens e mulheres iludidos regridem ao status infantil de súditos obedientes e submissos e entregam o controle total de suas vidas a políticos e burocratas. Apenas uma classe dominante iludida acreditará que possui o conhecimento, a sabedoria e a perspicácia para controlar completamente a sociedade de cima para baixo. E somente quando sob o feitiço de delírios alguém acreditaria que uma sociedade composta de governantes sedentos de poder, por um lado, e uma população psicologicamente regredida, por outro, levará a qualquer coisa que não seja sofrimento em massa e ruína social."

Fim dos recortes.


Repetição da fonte do post:

https://portalcafebrasil.com.br/podcasts/cafe-brasil-804-psicose-de-formacao-em-massa/


Comentário final do Blogueiro:

Não quero crer na possibilidade de que o coronavírus Covid-19, depois de estabelecida a pandemia foi utilizado para testes de ideologia de alienação de massas e conquista de poder. Ainda que infinitamente pequena, a possibilidade é real. Este assunto de Psicose de formação em Massa não é assunto para esquecido, senão pesquisado e melhor entendido. Seu entendimento pode ter os efeitos de uma vacina na sua e na minha mente. Para quê? Para não cairmos no conto do vigário de nenhuma ditadura aniquiladora de nossa liberdade.


Crédito: https://www.afterskool.net/


Vídeo destes desenhos "Menticício"  do After Skool 

aqui: https://www.youtube.com/watch?v=09maaUaRT4M



Nota: não traduzi os textos das figuras de propósito.


SP-17-01-2022





Filme Vida de Inseto x Evangélicos - Revisão de Post sobre Alienação

 Texto publicado em 01 de maio de 2015.

.
Idéias são coisas muito perigosas...
POR JOÃO CRUZUÉ

Revisado em 17/01/2022
.
No filme Vida de Inseto da Disney há uma fala muito interessante na parte final quando o gafanhoto Hopper diz para as formigas: "Que isto sirva de lição para todas vocês formigas; ideias são coisas muito perigosas. Vocês são furadoras de terra, desmioladas, colocadas neste mundo para nos servir". Quero trazer neste post uma reflexão sobre alienação intelectual par ter uma consciência mais ativa.

O gafanhoto Hopper liderava uma gang de ladrões de trabalho alheio que acabava de ter um incidente com as formigas. Elas eram espoliadas todos os anos e queriam se libertar do trabalho escravo de juntar comida o ano inteiro para os gafanhotos. O filme é uma bela fonte de inspiração sobre inovações e liderança e, principalmente, trata de uma situação social aparentemente fictícia, mas que tem muitos ingredientes da realidade social de hoje. 

Vamos começar, procurando o significado da palavra intelecto. No site significados.com.br há uma definição bem abrangente: "Intelecto significa entendimento, raciocínio, reflexão. Intelecto vem do latim e significa ler por dentro, é uma potência cognitiva da alma humana, através da qual ela conhece algo de si, algo que lhe rodeia e algo que a transcende. O intelecto é uma faculdade um ato , que é exercitado através da inteligência. Aquele que faz uso do intelecto se denomina inteligente.

Dessa forma, podemos dizer que intelectual é uma pessoa que faz bom uso do seu intelecto, que sabe ler o que as pessoas falam e, principalmente, ler e entender sobre aquilo que deixam de falar. É uma pessoa que compreende bem o mundo que a cerca com base em sua bagagem de conhecimentos e saberes. Quando uma pessoa pensa, ela planeja coisas que podem mudar o mundo.

A pessoa alienada, por outro lado, usando como referência a mesma definição, seria aquela que não pensa, não faz uso da mente para refletir sobre si e as coisas que a rodeiam. É uma pessoa que não exercita a inteligência que lhe foi dada por Deus. Quem não exercita seu intelecto, não consegue entender o papel que ocupa na sociedade.

No filme, a situação era a seguinte: um formigueiro inteiro, sob a liderança de uma rainha, colhia sementes o ano inteiro, deixndo quase toda a colheita do lado de fora, para que, ao cair da última folha do outono, os gafanhotos viessem tomar todo o esforço de trabalho. E as formigas aceitavam seu papel social na situação por medo. Elas eram adeptas da modinha  gabriela de Dorival Caimy: "Eu nasci assim, eu cresci assim, vou ser sempre assim, sempre gabriela".

Agora, vamos falar do povo crente, que hoje é chamado de evangélicos.

De certa forma, temos muito afinidade com o povo judeu, o povo escolhido por Deus para tirar dali a salvação para todos os povos, tribos e nações. No meio do povo judeu não existem analfabetos. O menino judeu  de hoje aprende a falar pelo menos quatro línguas, entre elas o inglês e o mandarim. O judeu nunca foi cauda desde que saiu do Egito.

Nós, o povo crente, principalmente os assembleianos cuja Igreja congrega a metade dos crentes deste país, viemos basicamente do Nordeste e descemos por todos os estados até São Paulo. Um povo que era muito pobre, mas que agora está deixando de sê-lo. Raramente, dos crentes que moram na Cidade grande, existe alguém que não esteja fazendo uma faculdade.

O desenvolvimento do intelecto através de uma graduação superior é um passo grandioso para deixar de ser alienado e passar a entender com profundidade a realidade social e política que nos cerca. Mas só isto não basta. Assim como o judeu sempre foi por todos os lugares um especialista em finanças, nós evangélicos também precisamos nos especializar. Como? em bons cursos de pós-graduação. Temos que procurar ser os melhores.


Para sermos os melhores é preciso muito mais esforço. Moisés foi o melhor líder de seu povo, na sua época, porque era um homem esforçado. Quando foi substituído por Josué, Deus trabalhou na sua autoestima por várias vezes dizendo: Esforça, Josué, e tem mui bom ânimo! Repetiu isto por mais de duas vezes.


A alienação tem muito a ver com a escravidão. Um escravo, geralmente, não pensa, ele só obedece. Um escravo não decide o seu próprio destino. Um escravo é a cauda e não a cabeça. E Deus falou abertamente, no Livro de Deuteronômio, para os filhos dos judeus que saíram do Egito: E o Senhor te porá por cabeça e não por cauda, e só estarás em cima e não debaixo, quando obedeceres aos mandamentos do Senhor teu Deus, que hoje te ordeno para os guardar e fazer.


Guardar e fazer!


Nosso pais estava assolado pela corrupção. Além disso, a economia estava entregue aos gafanhotos. No livro do profeto Joel fala de gafanhotos: cortador, migrador e destruidor. No campo familiar até 2016, o governo de tendência socialista, buscava se aproximar da liderança cristã durante a noite, mas durante o dia defendia abertamente a desconstrução da família seja pelo ativismo gay, aborto e outras coisas.


A Bíblia fala abertamente e contra o servir a dois senhores e à associação íntima com os ímpios. Neste ponto as lideranças político-evangélicas estavam um pouco perdidas ao manter o pé em um governo com estruturas claramente comunistas (post escrito antes de 2016). E, por outro lado, o povo crente tem pouco tempo de compreensão política pois foi cabresteado até há pouco tempo por uma visão de avestruz (Políca era coisa do diabo). A avestruz quando vê a dificuldade ou o perigo esconde a cabeça para não ver.


O que fazer diante de um país tão grande em população quanto em extensão territorial, com tantas dificuldades e misérias de toda espécie? 

Primeiro continuar estudando e obedecendo à palavra de Deus. Andando na presença de Deus. Em segundo lugar, estudando, especializando-se para servir à nação em todas as oportunidades se abrirem.

Um pergunta indiscreta: Por que Deus usou Paulo em lugar de Pedro para levar o Evangelho à todas as nações da terra? Por que há mais cartas de Paulo na Bíblia do que de Pedro? Você pode até não concordar comigo, mas minha opinião é: Paulo tinha um horizonte de visão mais distante que Pedro. Paulo olhava para longe; Pedro não conseguia sair da sua terra.

Uma visão de país onde a maioria de seus  protagonistas sejam homens, mulheres, jovens e adolescentes sejam tementes a Deus é uma bênção. Eu sei que a religião esconde o perigo do legalismo e da hipocrisia, mas uma pessoa religiosa é uma coisa e uma pessoa que tenha o temor de Deus outra coisa bem diferente.

O que não é desejável é que o povo crente continue como as formigas do filme Vida de Inseto: intolerantes quanto às novas tecnologias e formas de pensamento. Já não deu certo satanizar o rádio e demonizar a TV. Agora os velhos profetas religiosos voltara suas línguas contra a Internet. Saibam, que está prestes a acontecer neste país um importante crescimento do uso da internet para a Educação à Distância. A faculdade e a pós-graduação na tela do computador ou do notebook.

Comentário em 17.01.2022: Com a pandemia, a "internet" foi e está sendo muito usada por meio dos canais de YouTube para todo tipo de serviço da Igreja.

Primeiro o temor de Deus. A primeira missão da Igreja é levar à libertação das almas pela pregação do Evangelho. Seus líderes não devem ser candidatos para atuação política, mas podem ensinar o temor de Deus a todos os crentes, para que eles assumam o protagonismo em todas as áreas sociais e políticas.

A alienação intelectual seria aceitar como normal tudo o que está acontecendo no Brasil. Aceitar para si, para sua família de geração em geração. Alienação é aceitar a voz e o cabresto do diabo na mente pela aceitação de uma zona de conforto mínimo. 

Quantas pessoas passam fome neste país? E quantas pessoas, a pretexto de bolsas-esmolas vêm jogando as migalhas no chão para que as pessoas humildes sejam tratadas como cachorrinhos, enquanto oferecem banquetes de manjares àqueles que lhes pagam propinas e aos Bancos (período petista)? Isto é um protagognismo maldito. Deus há de vingar todas essas malandragens, porque estão roubando o sustento dos órfãos, das viúvas e dos mais necessitados dessa terra.


Vou terminar com a citação de dois versículos maravilhosos da Bíblia sobre o assunto: 

"E conhecereis a verdade e a verdade vos libertará".(João 8.32). 

"E não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus"(Romanos 12. 2)






















quarta-feira, janeiro 05, 2022

A Terceira Onda

 

Terra

João Cruzué

A visita do Espírito do Senhor aos corações dos homens é o maior privilégio que pode acontecer de tempos em tempos. Duas grandes ondas,entre outras, sacudiram a espiritualidade das nações, sendo uma delas no início do século XVI com a Reforma Protestante e a outra no início do século XX com o Movimento Pentecostal. Estamos no começo do terceiro milênio e uma terceira onda é muito necessária.

A comemoração dos 500 anos da Reforma protestante - a primeira onda - em 31 de outubro de 2017, ainda foi assunto predominante na mídia evangélica mundial. Da Reforma emergiram as Igrejas Luterana, Presbiteriana, Anabatista e Anglicana E por causa dela aconteceu a Contra-Reforma dentro da Igreja Católica Romana. Junto com o fundamentalismo que ela trouxe, veio uma das maiores bênçãos que a humanidade ja experimentou - a produção em massa de livros a partir da máquina de imprimir de Gutemberg, cujo primeiro produto impresso foi o Livro dos livros, a Bíblia Sagrada. 

Considero como a segunda onda da visita de nosso Deus aos corações dos homens no segundo milênio, o Movimento Pentecostal do início do século XX. Uns ainda dizem que é coisa do diabo outros que é uma completa heresia. Mas baseado no conselho de Gamaliel dado nos primórdios da Igreja Primitiva, os resultados por ela produzidos não foram malignos: em apenas uma década, um avivamento varreu o mundo de Norte a Sul, do Ocidente ao Oriente. 

Nós brasileiros não podemos negar a força que o pentecostalismo mostrou através de cristãos cheios da presença do Senhor atuando em duas vertentes: Igreja Cristã no Brasil e Igreja Assembléia de Deus. No caso da AD, começando entre os lares mais humildes no Norte e Nordeste brasileiros e deles se provendo de homens e mulheres capacitados pelo Espirito Santo que empreenderam viagens (alguns em "paus-de-arara") rumo as grandes Capitais: o Rio de Janeiro e São Paulo. 

Outros movimentos apareceram em tempos mais calmos e também foram muito bem sucedidos, tais como o da Cura Divina, pela Igreja Pentecostal Deus é Amor e Igreja O Brasil para Cristo e um pouco mais tarde os ligados ao chamado Neo-pentecostalismo, cujas duas maiores representantes são a Igreja Universal do Reino de Deus do Bispo Macedo, e a de seu contra-parente Igreja Internacional da Graça de Deus - do Missionário Romildo R. Soares. As duas maiores tecnologias de massificação da pregação do Evangelho desta onda foram o Rádio e a Televisão. 

Em 2007, estávamos às portas de embarcar na terceira onda de evangelização a qual será a mais eficaz de todas pois vai adicionar velocidade à comunicação do Evangelho sem deixar de usar os meios providos por Deus da primeira - a imprensa, e da segunda - o Rádio e a Televisão. A tecnologia da terceira onda será a WEB a mídia que nasceu nos anos 50/60 dentro dos quartéis americanos nos tempos da guerra fria. No rank mundial de produção de conteúdo para a Internet a língua portuguesa está em quinto lugar. Primeiro vem o inglês, em segundo o mandarim e em terceiro o espanhol. 

Qual é a situação da Igreja do Senhor neste início da 3ª década do Século XXI? 

Sinceramente diria, quanto ao Velho e Novo Continente ( Europa e América) que vejo um vale de ossos secos como na descrição em Ezequiel capítulo 37. 

A terceira onda com a tecnologia disponível, e com a liderança do Espírito Santo, hoje pode levar o Evangelho de Jesus Cristo em questão de segundos aos quatro cantos da terra.

No começo do Século a nação mais poderosa da terra foi desestabilizada com os eventos deo 11 de setembro de 2021. 

No final da segunda década e primeiro ano da terceira, a pandemia do Covid-19 pertubou toda a terra como se um anjo da morte. Em dois anos já ceifou a vida de 5.477.957 vidas.  Ricos, pobres e gente da classe média - sem distinção de raça, cor ou gênero. 


Fonte: Worldometers

Depois do Covid-19, a Igreja.com é uma realidade multiplicada por qualquer canal do YouTube.

Já posso ver todos os ossos ligados aos nervos, músculos como na visão de Ezequiel.

O que falta, mais uma vez, é a graça de Deus assoprando a vida em  uma "igreja" morta, como uma imensa onda  do seu Espírito, varrendo de Sul a Norte, de Leste a Oeste, em cima e em baixo o coração dos homens em toda Terra.

Então vou fazer hoje a mesma oração do profeta Habacuque: "Ouvi, SENHOR, a tua palavra e temi; aviva ó SENHOR a tua obra no meio dos anos, e no meio dos anos a notifica; na ira lembra-te da misericórdia" (Habacuque. 3:2).



.


sábado, janeiro 01, 2022

Senhor Revele Seus Planos para Mim



"Ask God to show you His plans, not bless your dreams"

Billy Graham 

AUTOR: BILLY GRAHAM
.
.Mensageiro Cristão

Tradução de João Cruzué
..
Tudo que eu queria na vida era ser um grande astro da música. Até fui em Nashville  no passado, esperando dar-me bem na música country. Pedi a Deus para que deixasse isto acontecer, mas Ele não quis. Agora, eu gostaria de saber o que vem a seguir. Por que será que Deus me deixou frustrado?

Deus pode não ter feito o que você queria que Ele fizesse, mas Ele não falhou com você. De fato, embora possa ser difícil aceitar isto agora, Ele fez o  que é melhor para você ao fechar esta porta.

Por que o Deus não a abriu para você? Não sei a resposta completa, mas, naturalmente, suspeito que uma  das razões  é porque Ele sabia que este não era o caminho certo. Deus o/a ama, e por causa disto, Ele não quer vê-lo implicado em algo que poderia prejudicar ou até desviá-lo. Deus sabe o que é o melhor para nós e o Seu caminho é sempre o melhor. A Bíblia diz, “Ele guarda  a vereda do justo e protege o caminho dos seus fiéis” (Provérbios 2:8).

A fama e a fortuna podem parecer muito atraentes e fascinantes, mas elas também podem ser muito destrutivas. Quantas celebridades são genuinamente felizes e têm paz? Quantas, em vez disso, terminam com relacionamentos quebrados, dores de cabeça ou outros problemas? Isto não acontece sempre, naturalmente, mas quando vivemos só para nós ou para a aclamação pública,  nos pomos em perigo moral e espiritual graves.

A minha  oração é que você se converta a Jesus Cristo e entregue sua vida e  seu futuro nas mãos dele.  Em vez de pedir a Deus para abençoar seus planos, peça-o, em vez disso. para  lhe mostrar os planos dele  e lhe dê força para segui-los.   




.