domingo, setembro 04, 2011

Descendo à casa do Oleiro

.


João Cruzué

..........Hoje é quatro de setembro; faltam 19 dias para o início da primavera austral. Pela janela, a luz do sol ilumina as paredes das casas e um pé de flamboyant se prepara para a mudança de estação. No quintal, uma pequena jabuticabeira vaidosa mostra o tronco coberto de bolinhas cor de vinagre. Ao lado, uma aceroleira experiente (e competitiva) ostenta incontáveis frutinhas verdes enquanto insiste em abrir mais flores. Ontem eu vi, andando pela cidade, um pé de bulgarim com uma multidão de flores brancas e roxas. Tudo está em vertiginosa mudança, porque a primavera está chegando. E volvendo meus olhos sobre a Bíblia, para a meditação desta manhã de domingo, fui apanhado pelo texto de Jeremias. 18, onde o profeta recebeu uma ordem direta de Deus: "Levanta-te e desce à casa do oleiro, e lá te farei ouvir as minhas palavras."

..........Eu gosto de assistir, e assistir de novo, certos filmes. Entre eles, primeiro vem "Lutero", com Joseph Fiennes no papel principal; depois o 3º filme da trilogia de Sir John Ronald Reuel Tolkien - "O Senhor dos Anéis". E em menor frequência, Matrix, dos irmãos Andy e Lana Wachowski, em que Niobe (Jada Pinkett Smith) e Morpheus ( Laurence Fishburne) trocam frases sobre mudanças como: Algumas coisas nunca mudam; outras, quando mudam, mudam para melhor."

..........Deus poderia ter dito tudo o que precisava para Jeremias. E o profeta poderia ter se esquecido de algumas coisas. No mesmo Livro, e no capítulo anterior, o Senhor menciona dois objetos de uso em gravação: um ponteiro de ferro com ponta de diamante e a tábua de um coração. Um assunto não está ligado diretamente ao outro, mas é como se estivesse: Deus queria que Jeremias guardasse e entendesse 100% da essência do assunto que tinha a dizer.

..........E descendo, o profeta Jeremias encontrou o oleiro em pleno processo de construção de um vaso. E aquele vaso quebrou-se nas mãos do oleiro. E com a experiência de ter enfrentado outras tantas situações parecidas, o oleiro pegou aquele mesmo barro e deu forma a um novo vaso, conforme pareceu bem aos seus olhos fazer.

..........E depois daquela cena, a voz de Deus se fez ouvir bem alta no coração do profeta: Não poderei Eu fazer de vós, como fez este oleiro? Eis que, como barro nas mãos do oleiro, assim sois vós na minha mão, Ó casa de Israel?

..........Vasos quebrados. O texto diz que o vaso se quebrou no ato de construção. Um vaso com defeito não terá mais utilidade para o propósito inicial, para o qual foi criado. Mas Deus pode recuperar qualquer vaso defeituoso; até mesmo os cacos daquilo que não se presta mais a nada, para produzir um novo vaso, e para um propósito ainda maior - para a glória do Seu Nome. Deus é Deus, e nada é impossível para Ele.

..........Jesus Cristo, o filho do Deus vivo, é especialista em causas perdidas, ovelhas negras, bandidos e instrumentos humanos nas mãos do diabo. Basta um olhar,uma oração e uma oportunidade. Pai, mãe, filho, neto, drogado, traficante, desconhecido ou morador de rua. Vasos que podem ter até crescido dentro da Casa do Senhor e que hoje estão rachados ou despedaçados com os cacos espalhados pelo chão. A última palavra sobre o destino de uma pessoa pertence a Deus.

..........Quando Deus disse a Jeremias: "Levanta-te e vai", creio que estava querendo dizer: Recobra o ânimo e começa a agir. Da mesma forma, no dia de hoje, está dizendo a mesma ordem para você, porque o barro daquele vaso quebrado, rachado, destruído, pertence a Deus, e falta apenas mais uma oração para que o prato da balança comece a se levantar em direção à vitória. E toda vez que isso acontece, o nome do Senhor é glorificado.

..........Em frente!








Um comentário:

Pr.Vanelli disse...

Gloria a Deus pelo texto irmão João, amei a introdução, mas é impossível não se estimular com a finalização. Texto rico. Oportuno. Deus realmente te usa neste blog. Abraços.