segunda-feira, junho 16, 2008

A escolha de Rebeca


Isaac and Rebecca
Isaque e Rebeca
João Cruzué

Hoje à tarde, no intervalo do trabalho no Hospital, saí para caminhar um pouco e estive pensando em escrever um texto sobre as experiências de Jacó, suas escolhas, suas tribulações, coragem e atrevimento de lutar com o anjo de Deus em favor de sua família. Prometo que isto ficará para os próximos dias, porque em meio aos nossos pensamentos, antes de escrever sobre Jacó, julgamos conveniente meditar um pouco sobre esta mulher corajosa, de escolhas surpreendentes. E foi assim, que ao chegar em casa, à noite, deixei de assistir o "Jornal Nacional" para me dedicar à redação de A escolha de Rebeca.

Rebeca era a mãe de Esaú e de Jacó. Uma mulher acostumada a tomar grandes decisões desde jovem. Ela não hesitava e sempre acertava em suas decisões. Em determinado momento, porém, quando aconselhou o filho mais novo a enganar e usurpar as bênçãos da primogenitura do irmão, seu conselho trouxe cizânia e ódio e ameaças de morte. A Rebeca que sempre acertava, agora estava em apuros vendo sua casa açoitada pela "tempestade". Na sua preocupação com a bênção da primogenitura ela perdeu a paz de espírito, e sem paz, é impossível ter comunhão com Deus para decidir corretamente.

Rebeca revela-nos seu caráter em sua primeira aparição na Bíblia. Ao tempo que Eliezer viajou para Harã, onde morava a parentela de seu senhor, ele foi preocupado. Em meio à dúvidas e incertezas, orou. Como poderia ter êxito na viagem em busca de uma esposa para o filho de seu senhor Abraão? E nem bem terminara a oração, quando uma jovem formosa subia da fonte trazendo um cântaro cheio. Mau humorada? Não! Atendeu um pedido impertinente. Preguiçosa? Não! Surpreendentemente, ofereceu-se para dar de beber também aos camelos. Medrosa? Não! Aceitou sair da segurança do lar paterno para viajar com um desconhecido rumo a uma terra distante. Indecisa? Não! Viajou para se casar com um moço que nunca antes vira. Rebeca era muito especial: ela era a resposta de Deus às orações de Abraão - o homem mais abençoado da terra.

Se Rebeca era resposta de oração, seu noivo precisava saber disso. E diz a Bíblia que Isaque saíra à tarde para orar no campo quando avistou a caravana que trazia sua noiva. Eles casaram-se. E esperaram 20 longos anos para terem os primeiros filhos. Um tempo longo demais. Isaque orou, e orou, e orou. Orou até que Deus respondesse e Rebeca ficasse grávida. Grávida, sim! De gêmeos. E eles se mexiam e lutavam dentro dela. Preocupada, ela orou: "Senhor o que significa isso?" E Ele lhe respondeu algo que nunca mais se esqueceu: "Duas nações há no teu ventre, e dois povos se dividirão nas tuas entranhas: um povo será mais forte do que o outro e o maior servirá ao MENOR. Jacó e Esaú.

Esaú cresceu e não tinha temor de Deus. E eis as provas: ele conhecia muito bem a história do casamento dos pais, no entanto, para desgosto deles, amasiou-se com duas mulheres ao mesmo tempo. E elas foram causa de amargura de espírito para Isaque e Rebeca. Esaú dava tão pouco valor ás coisas de Deus que certa vez aceitou negociar os direitos de sua primogenitura, as bênçãos de Deus, em troca de um prato de lentilha por causa de algumas horas de fome. Na sua hierarquia de valores Deus estava mesmo em último lugar.

Jacó, o irmão mais caçula, era diferente. Foi ele que propôs o negócio do prato de lentilhas em troca dos direitos da primogenitura: ele tinha interesse nas coisas de Deus. Acreditava nelas. Jacó esperou 70 anos para se casar. Não se prostituiu nem amasiou-se. Entretanto, um dia, seguindo os conselhos e ordens de Rebeca, mentiu, enganou o pai e usurpou a bênção da primogenitura do irmão. Três vezes o pai duvidou, cheirou e perguntou: És tu mesmo meu filho Esaú? E Jacó mentiu, mentiu, e deixou de falar a verdade.

Por que Rebeca instruiu o filho mais novo a se disfarçar, enganar e usurpar a primogenitura de Esaú? A Bíblia diz que Isaque perdera a capacidade de enxergar. E sua cegueira não era apenas física - ele via as atitudes ímpias do filho mais velho mas fingia que não estava vendo nada. Não há uma linha sequer na Bíblia que registra qualquer repreensão sua contra Esaú: o "filhinho do papai". Isaque amava mesmo Esaú pelas afinidades com a caça. Já Rebeca amava a Jacó, porque guardava em seu coração a profecia que Deus lhe dissera quando estava grávida: "Que o maior servirá o MENOR".

Era um lar dividido. Os pais e os filhos pensavam e julgavam coisas de maneiras diferentes. Rebeca fez o que fez porque temeu que seu esposo orasse e abençoasse um filho que não merecia, com isso passou adiante de Deus. O que aconteceria se Jacó, num momento de franqueza falasse a verdade no ato da oração da bênção da primogenitura? Para esta pergunta não tenho resposta, mas Rebeca chamou para si a responsabilidade da maldição caso o logro fosse descoberto.

Foi uma escolha muito difícil: levar o filho mais novo ao caminho da mentira, agir contra a decisão do esposo e causar prejuízo e revolta ao filho mais velho. Pela primeira vez o lar de Rebeca passava por um grande reboliço. Foi tal as conseqüências do roubo da primogenitura que um espírito de vingança e morte pairou sobre a sua casa. O lar de Rebeca ficou desconcertado.

Rebeca, pela profecia, sabia que Jacó seria maior que Esaú. Mas, imaginou que a sorte de Jacó estaria nas palavras de Isaque e não nas mãos do Abençoador. Como Deus estava no controle, sua misericórdia não permitiu que Esaú matasse o próprio irmão. Se Rebeca julgou que o fim justificava os meios, estava errada. O pecado nunca serve de atalho para a bênção, e "Há caminho que ao homem parece direito, mas o fim dele são os caminhos da morte".

A escolha de Rebeca nos traz uma lição: diante de uma circunstância que envolva uma escolha difícil é preciso ter o coração em paz para decidir. É assim que está escrito em Colossenses 3:15: Que a paz de Deus domine em vossos corações! Quando Rebeca deixou a casa dos pais, para viajar em companhia de um estranho a fim de se casar com um noivo que nunca vira, decidiu com um coração equilibrado e em paz. Mas, quando os dias da bênção da primogenitura de Esaú chegaram, em sua preocupação de não concordar com uma injustiça, por causa da profecia, Rebeca andava atribulada e aflita. Foi por isso que perdeu o equilíbrio, em nenhum momento buscou orientação do Senhor, e o resultado foi uma escolha errada.

Que Deus nos guarde de tomar decisões com um coração atribulado.

João Cruzué
SP 17.06.2008


cruzue@gmail.com


7 comentários:

Andreia disse...

Sua última frase foi: "ainda estou escrevendo"... e a minha 1ª frase neste comentário, é: JÁ ESTOU ansiosa pela narração primorosa que vem por aí! Todo o senso de estratégia,assertividade e determinação de Rebeca nos inspira e entusiasma. Estou esperando...

Cintia disse...

irmão João,dentro de seu texto,narrando a história de Rebeca me vi nele,pois quando estou em paz,sigo as instruções,mas num momento atribulado,acabo passando por cima das coisas.Só Deus mesmo com sua infinita misericórdia!Obrigada por este texto que me abriu os olhos,não sou a única!!Sábias palavras Deus abençoe!

Amante da Leitura disse...

Poxa que linda mensagem!!!! gostei muito msm! Deus continue lhe abençoando!
abraços!
Aline Projeto Abraçar

Anônimo disse...

Obrigada irmao.
Abriu meus olhos para a compreensao dessa atitude de Rebeca.:-) Deusabencoe.

Diego Nagasubia disse...

OLHA QUERIDO BELO TEXTO :MAS A ATITUDE DE REBECA NÃO FOI FALTA DE EQUILÍBRIO FOI PROFECIA DE DEUS ,NÃO CAI UMA FOLHA SE QUER SE DEUS NÃO PERMITIR ,DEUS QUIS QUE FOSSE ASSIM DO JEITO QUE FOI, E LOGICO QUE A BÊNÇÃO ESTAVA NAS MÃOS DE JACO (GÊNESIS 27: 28, 29);NÃO SEJA TU IRMÃO ,UM MALDITO PERANTE UMA PROFECIA :QUE JESUS TE ABENÇOE

Emanuel Magalhães disse...

Boa tarde meus Irmãos.
A Paz do Senhor !
Estava intrigado com a postura de Rebeca, acabei de ler a mensagem e fiquei tentando imaginar oque se passava na mente de Rebeca, pra agir com engano ao seu Esposo e seus filhos.
Mas depois de ler esse esclarecimento da vida de Rebeca, fiquei admirado com a atitude dessa mulher!

Emanuel Magalhães disse...

A Paz meus irmãos, boa tarde!
Estava intrigado com a mentira de Rebeca, mas após ler esse esclarecimento facilitou o entendimento .
Ela pecou em mentir e quase trouxe morte para a sua família. Graças a Deus que não permitiu que o mau não veio sobre a sua casa.