sábado, junho 19, 2010

Uma análise de blogs evangélicos por João Cruzué


João Cruzué

Tenho muito interesse neste assunto - Blogs Evangélicos - pois sempre estive envolvido com muita paixão em publicar conteúdo cristão na Web a partir de um blog. Estamos em tempos de graça. Não é preciso pagar criar e hospedar blogs. Podemos publicar até uma Bíblia inteira em um Blogspot ou criar 100, 200 blogs que o serviço é gratuito. Por quanto tempo eu não sei. Acho que enquanto o Google estiver fazendo dinheiro com seus anúncios virtuais. Volta e meia eu costumo postar uma análise criticados rumos da blogosfera evangélica no exato propósito de conscientizar que não podemos perder mais tempo. Poderíamos estar muitos passos adiante.

Quando começamos em 2004 havia pequenos espaços no UOL. Então veio o Blogger. Fiquei conhecendo o Wordpress, depois o Vox, Ning. Há dois anos inscrevi-me no Twitter - antes daquelas mentiras sobre a revolução do Irã, que alavancou de uma vez o Portal. A maioria dos blogueiros evangélicos apareceu de 2008 para cá.

Na minha idiossincrasia eu vejo muitos desvios de rumo. Principalmente daqueles que hoje têm muitos leitores. Não vejo com bons olhos o blog-sempre-crítico. Que aborda somente o lado ruim das coisas e das pessoas. A imagem que faço deles, é como se alguém pusesse uma placa na porta de uma Igreja com os seguintes dizeres: Aqui prega um patife! Não quero dizer com isso que devamos esconder debaixo do tapete as patifarias em nome de Deus. Isso tem mesmo que ser combatido. Mas com equilíbrio nas postagens. Você não pode publicar 100 postagens e em todas elas só tratar de patifaria. Isso não é missão de blog evangélico. Será que só tem coisas ruins em nossas Igrejas?

Um leitor deste blog comentou: Tem sim irmão João.

Se eu pusesse uma placa na porta de uma Igreja: "O pastor desta Igreja é um falso profeta." A comunicação deste fato ficaria exposta aos vizinhos e transeuntes da rua. Quando você publica a mesma coisa em um blog, nos próximos 10 segundos o texto fica disponível para qualquer canto da terra. A Internet é global. Criticar os pilantras? Sim! , mas não fazer disso uma obsessão.

Há quem interprete como apologia a publicação dos mal-feitos de todos os pastores avarentos. Eu já interpreto a missão de um blogueiro que apenas faz isto como agente de difamação. Que usa a difamação para atrair outros difamadores. Eu sei que muitos pastores merecem mesmo receber boa cajadadas por que são 100% pilantras, mas eu não vim para à Internet para apenas construir minha fama às custas da difamação alheia. Estou me referindo a blogar com equilíbrio.

É muito fácil girar os ponteiros do counter usando uma lupa para atazanar a vida dos outros. Mas isto os ímpios já fazem. Com toda humildade, será que a única forma de ter muitos leitores é baixar a ripa no que pastores fizeram ou que achamos que vão fazer?

Estamos perdendo um tempo precioso. As grandes corporações evangélicas já estão na blogosfera. Para vencê-las é preciso oferecer formação e informação com excelência. Gosto de textos de conteúdo construtivos. Pelo menos seis em cada 10 deveriam ser. Assim, os novos leitores não precisariam fugir correndo de textos com ofensas gratuitas e baratas.

Há uma crítica universal sobre blogueiros. Os analistas dizem que eles não produzem notícias, apenas leem o que a imprensa de verdade produz para depois fazer ressonância. A consciência disso é boa, porque nos força a analisar o meio em que estamos e vivemos para criarmos textos originais e substantivos.

Olhando a Bíblia de Gênesis a Apocalipse eu vejo um Deus interessado em abençoar e perdoar. O Evangelho - a parte mais importante das Escrituras Sagradas - fala de arrependimento, Espírito Santo, reconciliação, perdão, esperança, sacrifício e comunhão. Se um blog evangélico não se ocupa de mostrar alguns desses aspectos, eu penso que está perdendo um tempo precioso. Temos que tomar muito cuidado, pois da mesma forma que "medicamentos" um apego excessivo a um blog pode trazer problemas sérios de sociabilidade. A medicina está preocupada com os efeitos da vida virtual, cujos efeitos ainda são desconhecidos.

De vez em quando é preciso dar uma "desligada" nos excessos da vida virtual. Não podemos nos deixar dominar por essas coisas. É bíblico. Tenho visto assuntos pequenos se transformarem em grandes inimizades e contendas. É muito fácil entristecer pessoas com palavras.

Vejo milhões de pessoas tristes diante de seus computadores. Muitas delas passam a madrugada inteira navegando na WEB. Onde estão aqueles textos inspirados que levam o amor de Deus às necessidades dessas pessoas? "Ah! irmão João isto é muito piegas. Hoje não é mais assim... não tem mais esta de evangelização, missões, isto pertence ao passado..."

Eu penso que não. O dia que eu achar que isso pertence ao passado, eu estaria pisando no prato que comi. Aceitar Jesus ainda é a melhor coisa que fiz na minha vida. Dar lugar a voz do Espírito de Deus ainda é a única forma de manter a alegria da salvação em minha vida.

De que me serve blogar coisas que agradam o meu ego se quando termina o meu dia eu tenho aquela sensação de insatisfação, frustração com as pessoas e até tristeza? Essas coisas costumam acontecer na vida de um cristão que está perdendo o rumo e se embrenhando por atalhos sem saída.

A graça e a misericórdia de Deus ainda está presente em nosso dia a dia. Se não estamos enxergando nada é porque nossa visão foi hackeada. Jesus tem "avast" para vender de graça. Atrás de cada texto nosso é preciso uma boa consciência e os princípios cristãos. Não basta dizer que é evangélico, é preciso ter comunhão com Cristo para não ficar escrevendo qualquer coisa.

cruzue@gmail.com

Mais sobre blogar com responsabilidade, por João Cruzué





3 comentários:

Família Ramos® disse...

A Paz...
Sou recente no espaço do blog... e o que o sr. colocou neste post faz muito sentido... as vezes tenho a sensação que em nome de defender fazer apologia ao evangélio alguns dão mto enfase a "desgraça", ao falso profeto e ao erro alheio. E pouco se fala do amor, do perdão, da graça e etc...
QUe Deus nos abra os olhos para olhar o que está errado sim, MAS nunca deixar de falar do evangelho da CRUZ.

No Amor de Cristo,

Thayafrican disse...

Parabéns!
Reflexão útil.
Não podemos perder o nosso foco, nem na vida real nem na virtual.
Deus abençoe!

Rafael disse...

é realmente estamos vivendo dias em que as pessoas estão tão decepcionadas com muitos "cristaos" que acabam não percebendo o Deus perfeito o qual servimos, esta na hora de despertarmos e agir, se muitos de nos dessemos a mesma enfase que damos ao criticar e a usarmos para falar do amor de cristo mais pessoas seriam alcansadas pela net.