sábado, outubro 17, 2009

Manual de Conduta para Blogueiros Evangélicos

.
João Cruzué

Ao contrário do que o título sugere, minha intenção não é ditar normas, padrões ou políticas de cabresto para tolher a criatividade nem amordaçar a liberdade de expressão de ninguém. Quero, isto sim, contribuir com algumas sugestões, baseadas na experiência de quatro anos blogando. Meu objetivo é provocar os padrões de pensamento de meus colegas blogueiros e chamar a atenção para o desafio de sermos
as melhores fontes de informação desta e, principalmente, da próxima geração de adultos.

Tecnicamente para se estabelecer uma blogosfera medíocre, míope, o que seria preciso? Seria preciso, por exemplo, políticas de "harmonização", de convergência e até padronização. Com isso ficariam comprometidas: a criatividade, a ousadia, a paixão, a inovação, a liberdade de expressão, e o compartilhamento democrático de ideias. E para combater isso, blogs e blogueiros precisam compartilhar conhecimento da forma mais democrática possível. Os mais experientes ajudando os mais novos. Fugindo do padrão individualista que se enamora do próprio umbigo.


SUGESTÕES DE CONDUTA

PRIMEIRA - É melhor escrever e publicar textos na Internet, do apenas um leitor. Quem escreve tem a chance de influencia na formação de opiniões. Quem lê sofre, de uma forma ou de outra, influências daquilo que lê. Isto não significa uma regra, pois para se escrever bem é preciso ler - e muito. O que quero realmente dizer é que: é muito bom ler. Mas ler e publicar textos da própria autoria é muito melhor. E publicar escrevendo sobre todos os tipos de assuntos. É um sofisma maldoso aquele velho refrão que diz: Crentes não podem falar de mais nada a não ser de religião. Acreditar nisso é deixar que a sociedade forme suas opiniões com base em opinões não cristãs. É o que tem acontecido até hoje. Não é por sermos crentes que vamos deixar as funções de sal e luz. Sal e luz em tudo - não somente em assuntos religiosos.

SEGUNDA - Ninguém nasce maduro. O próprio Jesus passou por um processo humano de amadurecimento normal, e a prova disso foi o início de seu ministério aos 30 anos de idade. Em minha concepção, a experiência em blogs vem com o exercício de blogar. De se manter bem informado e enturmado com outros blogueiros. O conhecimento, regra geral se acumula com interações. A experiência, o amadurecimento, vem com o tempo. Aos quatro/cinco anos publicando blogs sou mais experiente quer há dois anos. Quem para, por qualquer motivo, impede o próprio crescimento. Publicar com regularidade, ao menos uma vez por semana, é o mínimo que se deve fazer para evoluir.

TERCEIRA - O domínio da tecnologia de publicação digital é fundamental para que haja saltos (shifts) de melhoria nas publicações. O que sei hoje sobre banners, manipulação de HTML, programas gráficos, design, fundamentos de engines de buscas, planejamento de tag-words para os títulos - NÃO foi aprendido na primeira semana. Isso levou de um a quatro anos. É preciso ser curioso. Plugado nas novidades. Observar as tecnologias que nossos colegas estão usando. Até entender pelo menos em termos gerais para que serve cada coisa. Por exemplo, só depois de dois anos fui aprender os rudimentos de criação de banners.

QUARTA - Todos nós somos muito ocupados com nossas atividades principais. Blogs para a maioria de nós são atividades secundárias. Eu me canso de ouvir a todo momento que "não tenho tempo". Planejar o uso do tempo é algo que em certa ocasião eu tive que dialogar com o SENHOR. Eu estava na Faculdade, e precisava frequentar as aulas de professores no sábado para ter direito a ensinar na classe de jovens na Escola Dominical. Eu morava só, e tinha pouco tempo nos finais de semana. Então eu orei para que Deus me desse inteligência para aprender muito em pouco tempo de estudos para não deixar de trabalhar nas atividades da Igreja. Deus me ouviu. Aprender a trabalhar com blogs não é perda de tempo, como muitos imaginam. Se é feito com amor e pensando na obra do SENHOR, há boas recompensas.

QUINTA - Como evitar "quebra-paus", ofensas, animosidades e desentendimentos na Internet? Eu creio que as opiniões, comentários e réplicas precisam focar as ações e as opiniões das pessoas. Com isso quer dizer que eu posso discordar das ideias, criticar opiniões, reprovar ações - mas nunca ofender, criticar, rotular, ser preconceituoso com as PESSOAS. Isso precisa ser trabalhado de formas muito clara e objetiva. Devemos respeitar e amar as pessoas, e como trabalhamos com a palavra escrita devemos tomar cuidado. Podemos falar tudo o que queremos, combatendo pontos de vista, credo, religião, mas nunca usar palavras inadequedadas para com as PESSOAS.

SEXTA - Cada um é livre para expressar sua opinião e fazer sua crítica, desde que não se esconda atrás do anonimato - para não perder o amparo da lei. Por tabela, eu entendo o seguinte: não sou obrigado a publicar comentários de anônimos. Nem de exercer a réplica, caso publique.

SÉTIMA - Publicar um comentário sem nenhuma relação com o assunto da postagem, para mim é falta de respeito com o texto do colega. Há casos, em que acontece o equívoco de comentar um assunto no post vizinho pensando que está no lugar certo. Não é este o assunto desta sugestão. Estou falando literalmente da falta de educação de alguns que buscam publicidade do tipo Ervas de passarinho. Outros deixam comentários de uma ou duas linhas, que na verdade são falsos comentários, eles buscam mesmo é divulgação egoísta. Que façam isso nos seus blogs pessoais.

OITAVA - A crítica. Embora ninguém goste de ser criticado, é natural, minha experiência me diz que devo prestar mais atenção a ela, do que aos elogios dos amigos. Isso se deve ao fato de que a crítica produz um desconforto ou mesmo nos colocam em crise. Com ela, nós podemos implementar mudanças com objetivo de melhor. Com os elogios e incentivos, podemos ser levados a pensar que "se melhorar, estraga".

NONA - O individualismo. O pensamento Ocidental está nos levando a não dependermos de ninguém. Entendo que isto seja uma estrada para a mediocridade. Sozinhos não seremos o suprassumo da erudição. Para avançar, é melhor trabalhar e atuar em grupos.

DÉCIMA - Como se comportar com lealdade e ética dentro de uma comunidade de blogueiros. evangélicos. Primeiro, antes de iniciar políticas para aumentar seguidores, criar outra comunidade, solicitar dinheiro ou postar assuntos comerciais - você precisa se comunicar e pedir autorização para os moderadores. Não é uma justificativa aceitável se desculpar dizendo que não sabia das regras, pois nunca foi avisado da existência delas, pois todos sabem como se deve comportar em casa alheia. Se alguém não estiver satisfeito com a sua comunidade, é melhor que se comunique com a moderação e avise que está indo embora. Por fim, é uma atitude muito desleal criar uma comunidade concorrente e enviar convites para que todos o acompanhem. No meio evangélico isto tem um nome: espírito de divisão, de procedência maligna.

DÉCIMA PRIMEIRA - Incentivo e língua porgutuesa. Todo blogueiro evangélico deveria ter consciência de que é muito agradável o costume de visitar outros blogs, principalmente, daqueles que estão começando, para deixar uma palavra de incentivo e ânimo. Os leitores merecem o nosso respeito, e uma forma de respeitá-los é aprender a escrever bem. Neste assunto, o dicionário, a gramática, livros de redação precisam ser companheiros de nossas Bíblias.

DÉCIMA SEGUNDA - Planos para o futuro. A próxima geração de adultos vai se informar principalmente pela Internet. Quem vai escrever as reportagens, as notícias, os textos que as crianças de hoje irão ler? Certamente os blogueiros que estão acumulando conhecimento e experiências - HOJE! a UBE, comunidade blogs da qual participo não escondeu isso de ninguém: nós estamos desafiando as lideranças evangélicas deste país e dos países vizinhos a se envolver nesta estratégia de formar hoje os formadores de opinião de amanhã.


Afilie-se na União de Blogueiros Evangélicos . Mais de 5.600 blogs publicando conteúdo cristão na Internet


Deixe sua crítica abaixo para que eu posso editar e melhorar este texto.



Um comentário:

Danilo Fernandes disse...

Cruzué,

Confesso que vim pelo feed e insuflado pelo preconceito que você mesmo já de início se exime (vem ai mais um desfraldar de regras de minha sapiência...).

Parabéns. Ótimo post. Excelentes conselhos e um diagnóstico preciso do que se pode fazer de pior na blogosfera.

Nunca fui blogueiro, mas lia blogs antes de fazer o meu, de outros assuntos e tribos (política, culinária, etc.). Sempre achei que no nosso meio cristão iria encontrar um ambiente diferente e livre das mazelas e mesquinharias de outras blogosferas. Mas não. Tudo igual.

Acho que seu post deve iniciar uma exortação para que sejamos diferentes aqui. Já.

Não podemos e nem devemos ser iguais e devemos e podemos respeitar diferenças de juízo e forma de se expressar. Mas as questões que você levantou são aspectos do mais básico comportamento que se espera de um cristão. Vamos levar isto adiante!

Saudações,

Danilo