sábado, abril 09, 2011

Wellington Menezes era muçulmano, cristão ou terrorista?

.


Foto: Antonio Lacerda/EFE

João Cruzué


Voltei a escrever depois de ter lido mais de 40 comentários sobre minha postagem anterior [1], para trazer uma análise mais profunda, passado alguns dias do trágico atentado perpetrado pelo jovem Wellington Menezes de Oliveira, na Escola Municipal Tasso da Silveira, no bairro de Realengo, Zona Oeste da Cidade do Rio de Janeiro, onde assassinou 10 garotas e 02 meninos com tiros de revólver, na cabeça e no peito, e depois suicidou-se com um tiro na boca.

Como este blog trabalha principalmente com reportagens e assuntos religiosos, é dentro destes limites que estou fazendo minha análise. Como repórter, não tenho o direito de esconder fatos ou manipular dados para agradar este ou aquele segmento. religioso. A verdade tem que ser dita, inclusive, porque estamos diante de do primeiro atentado desse tipo no Brasil, além de outra importante informação: ainda não está evidente o motivo dos assassinatos, embora, de um modo geral, atos de loucura não precisam de motivação. Como sou de uma Igreja Pentecostal, entendo isso como uma pessoa sob possessão demoníaca. Ele foi dando oportunidade e o diabo foi envenenando sua mente, paulatinamente.

O contexto desse atentado é ambíguo e inquietante. Por um lado pode ter sido um ato isolado de loucura/esquizofrenia de um sujeito que poderia ter muitos parafusos soltos na mente. Contudo se o estereótipo de "caladão", "quietão", "barbudão"ou "isoladão", e islâmico, não são significativos para explicar o fato, pois há milhares de pessoas com tais características, que nunca vão cometer atos de terrorismo.

Por outro lado, não podemos esquecer que a Revista Veja (edição 2211 - 06.04.11) publicou uma reportagem especial - com 09 páginas (pp. 88/96) , sobre a existência de extremistas islâmicos no Brasil. Foi a principal matéria de capa, textos do repórter Leonardo Coutinho e fotos de Manoel Marques. Nesta reportagem, pg. 90, no rodapé esquerdo está: "A ESCALADA DO MAL - em duas décadas, o avanço extremista no Brasil já cumpriu quatro estágios, segundo a Polícia Federal. O próximo passo pode ser a realização de atentados."

Wellington Menezes de Olivera.

Cinco dias depois da revista sair às bancas, dia 07 de abril de 2011, um jovem, ligado ou simpatizante do Islã radical, há dois anos, irrompe ela Escola Municipasl Taso da Silveira, no Rio, mata 10 meninas, dois meninos, fere mais 14 pessoas e antes de ser morto, comete o suicídio. com um tiro na boca. Tudo isto é coincidência? Tudo indica que sim, mas há uma pequena dúvida no entendimento das autoridades de que há um componente desconhecido por trás. E este componente, ainda que com remotas possibilidades, pode estar ligado ao final do parágrafo anterior.

O Brasil já é grande demais no contexto mundial para ficar fora das mazelas internacionais e que o encaminhamento da política de relações exteriores, sob a presidente Dilma, mudou o viés, dando uma guinada de 180º em relação à orientação anterior.

Wellington Menezes de Oliveira foi participante da Igreja Testemunha de Jeová? Sim. Ele seguia os mesmos passos da família de parentes que o adotara, principalmente da mãe, que o levava para praticar evangelização de porta em porta, como é da cultura da Igreja. Mas depois que ela morreu, deixou a Igreja e se converteu ao Islã. Este fato não pode ser desmentido, pois foi testemunhado por vizinho e membro da mesmo Salão do Reino, que Wellington frequentava. Isto foi publicado no meio de uma extensa reportagem publicada no jornal americano "The New York Times" e também confirmado em outra publicação na Rcnet - ambos com links na minha reportagem anterior. Se alguém ainda tem alguma dúvida, que procure se informar melhor, diretamente no Salão do Reino das Tjs, onde Wellington frequentou quase a vida toda, até dois anos atrás.

Wellington era membro de alguma comunidade Islâmica no Rio? Nenhuma fonte de informações publicou isto. Foi publicado, sim, que ele se converteu a fé islâmica, há dois anos. E se ele converteu, houve um agente efetivo que o recebeu e lhe doutrinou. Se foi em uma comunidade, célula ou apenas uma pessoa - ainda não sabemos, mas é um fato inegável. Corrobora para isto as palavras da irmã, da jornalista amiga da família Oliveira e do irmão, que citou uma frase de autoria do atirador, em que ele almejava derrubar um avião, de forma igual ao que os terroristas do 11/setembro fizeram, ou seja, o maior atentado ao vivo da História, padrão máximo de ação, na cabeça de qualquer extremista islâmico.


Wellington era cristão ou muçulmano?

Wellington era cristão? Se a frequência de uma pessoa a uma Igreja Cristã fizer dela um Cristão, durante boa parte de sua vida toda ele frequentou um Salão do Reino, que chamamos Igreja Testemunha de Jeová. Mas a frequência ou membresia de uma pessoa não faz dela um legítimo seguidor de Yaveh adorado e ensinado pela Igreja.

Wellington era muçulmano? O testemunho de pessoas próximas e reportagens publicadas recentemente, mostram que ele deixou o Salão do Reino dos Testemunhos de Jeová, há mais ou menos dois anos, quando se converteu ao Islamismo. Sim ele era muçulmano. Se frequentava uma Mesquita, célula islâmica ou a casa de alguém, não sei, mas sua idiosincrasia e maior isolamento veio por mudança de fundamento religioso. Ele deixou de ser um fundamentalista cristão para ser um fundamentalista islâmico.

Wellington era um terrorista? Há terroristas católicos? Sim, na Irlanda do Norte. Há terroristas Islâmicos? Sim. Na Chechênia, na Índia, no Líbano, e em uma infinidade de países de maioria religiosa muçulmana. O estereópico do terrorismo no contexto atual é de origem no radicalismo islâmico. Um pouco mais: "As cartilhas terroristas recomendam aos militantes que desfiram atentados em ocasiões em que suas ações ganhem visibilidade." Neste contexto, falta uma causa evidente que justifique a explosão de fúria. Wellington Menezes de Oliveira tinha sim um perfil de terrorista, ou pelo menos deseja tê-lo. Era uma mente envenenada planejando sua epifania, misturando falta de parafusos com, esquizofrenia e terrorismo. O mais estranho em tudo isso é que tenha acontecido na Cidade do Rio de Janeiro.

Pode ser que nunca fique provado que ele fosse de fato um terrorista islâmico e que nenhum veículo da grande mídia possa escrever abertamente isso. Mas eu garanto que, informalmente, no meio dos radicais islâmicos, Wellington Menezes de Oliveira já é considerado o primeiro mártir islâmico a praticar um ato de terrorismo autêntico no Brasil. E também afirmo, com 100% de certeza, que esta tragédia acendeu um alerta vermeno na cabeça das autoridades brasileiras que vão cuidar da segurança de milhares de pessoas que virão para os dois eventos de máxima envergadura esportiva mundial: A Copa do mundo em 2014 e os jogos olímpicos de 2016.

SP-09.04.2011.


Nota: A comunidade "árabe" e a Igreja Islâmica no Brasil, não têm nada a ver com terrorismo de extremistas islâmicos, assim como as Testemunhas de Jeová nada têm do que se envergonhar, pois nunca estiveram associados ao fomento do terrorismo em qualquer parte do mundo.






.

17 comentários:

Andre Ricardo disse...

Olá irmão João Cruzué,

também postei sobre este assunto, o assassino de Realengo foi criado num lar de Testemunhas de Jeová e há algum tempo havia largado esta religião para pesquisar mais sobre o Islamismo através da Internet.

O apelido dele era Xeique o que deve também servir de luz sobre qual era o pensamento dele.

Veja mais em:

Mantenedor da Fé - REALENGO

http://mantenedordafe.org/blog/?p=8687

Anônimo disse...

Muito interessante.
Mas e as demais facções do cristianismo? A maioria ensina variações do mesmo, ou seja, basicamente "que somos amaldiçoados por nossos pecados e que necessitamos o tempo inteiro de perdão, por que somos pecadores compulsivos e que pecamos até em pensamento...". Todavia, não é comum vermos cristãos suicidas saindo por aí atirando nos outros e apresentando os argumentos desse atirador no Rio de Janeiro - santidade, sono dos mortos, Deus, Jesus, etc.

As religiões ensinam uma coisa, parte das pessoas assimilam de uma forma construtiva, mas os com distúrbios mentais, psicológicos, não devidamente tratados, podem, digamos, entender tudo errado.


Eu acho que ele já era doido e ter crescido com TJs não ajudou em nada. Teria feito o mesmo se fosse de outra seita, cristã ou não, e com familiares que, pelo visto, não deram a devida atenção aos problemas dele. Depois que os pais adotivos morreram a situação dele piorou muito. Parece que nenhum dos irmão tinham paciência ou interesse.

Agora, mesmo não atribuindo culpa à religião, acho que esse caso poderia servir de lição. Poderia ter acontecido em qualquer comunidade, religiosa ou não? Sim, poderia. Mas teria sido possível reduzir os riscos de algo assim acontecer? Por exemplo, por meio de aconselhamento, atenção especial ou uso da autoridade religiosa para insistir com o rapaz a continuar o tratamento psicológico que ele interrompeu.

Pessoalmente, eu acho boa parte do ambiente religioso prejudicial para pessoas como esse rapaz pois costuma exaltar os aparentes acertos, as pessoas que se superem, que vencem, que melhoram, com entrevistas, testemunhos, destaques, elogios e varrer para debaixo do tapete os casos em que não dá jeito, os erros, os defeitos, as limitações, quando não atribuem culpa às próprias pessoas que seriam "sem fé", que teriam "dado margem ao diabo" ou outras superstições.

Muito cuidado com suas declarações pois elas podem incitar a intolerancia religiosa, preconceito e até mesmo sentimento de revolta da população por qualquer determinado grupo.

Naldo disse...

,

Islâmico ou não, ele fez o que fez por motivo religioso, ainda que a sua religião tenha sido do tipo "desigrejado", não estava vinculada a nenhuam igreja, mas conservava no íntimo coisa de bárbaros muçulmanos, e da lei do talião.O próprio critério de pureza revela uma religiosidade doentia. Mesmo que não quisesse se comportou como um terrorista fanático


Naldo.


.

Dedé Vieira disse...

Olá, pessoal estamos dando muito valor a um sensacionalismo barato que a mídia está nos impondo, a questão não é essa, existem explicações e explicações obvias, por mais de 2 anos pesquisa, as influências e comportamentos mediante ao Bullying.Essa sim é a questão, uma questão muito seria, essa atitude de Bullying vem crescendo de uma forma avassaladora.É necessário avaliar diversos fatores, como a preparação dos educadores em perceber e delimitar essas atitudes e expor um ambiente de inclusão social, é triste dizer, mas no Brasil estava demorando pra acontecer algo do gênero, infelizmente o bullying é criado e sustendo nas escolas no mundo, e no Brasil essa situação parece ser camurflada, abafada.Não! descordo plenamente e acho fútil se falar em questões religiosas para se referir a esse caso, antes vamos discutir sobre fatores que podem interferir nessa exclusão dentro das nossas escolas, vamos discutir sobre as questões de autônomia dos Professores dentros das escolas que não se há e isso sim é preocupante, pois é lá que elas atuam mas sem real 'favorecimento' nada podem fazer e mais casos como este virão, existem muitas questões e pior que ninguém se lembra de casos de jovens que se suicidaram sem causar danos a ninguém, morreram reprimindo essa exclusão social, disso ningué fala, por que? Lembrando que não estou concordando com a atitude de Wellington, pelo contrário, acho algo abissal, animalesco, mas é necessario avaliar outros fatores e fatores lógicos.

Abelmon disse...

Ao Anônimo.

Não se baseie na opinião dos outros. Leia o Alcorão e tire suas próprias conclusões.

Concordo, existem pessoas problemáticas aos montes independente de religião, raça ou credo. Na minha igreja, meu pastor também tem formação em psicanálise, existe acompanhamento, psicólogos na creche, conferências com profissionais e já vi sugerirem pessoas irem a um psicólogo. Mas nem por isto, na minha igreja, nega-se a Bíblia, pois conhecemos e falamos do que sabemos: sobre Deus, Jesus e todo o conhecimento e sabedoria espiritual, que está oculto aos que não crêem.

A origem da palavra "psicologia" vem de "psique" que quer dizer "alma": o estudo da alma. Mas a verdade diz claramente que qualquer tratamento que foque na consequência irá falhar, pois este mesmo tratamento ignora a causa.

Wallace Vidal disse...

que vergonha; mas eu já estava acostumado, sempre me falaram: a veja é canalha

como o cara era ligado ao Islã se ele acreditava na ressurreição de jesus?

na boa; vá a merda, veja

cia sistem disse...

É lamentável o que ocorreu nesta escola com estas crianças. Isto mostra apenas o cumprimento das profecias bíblicas que indicam que vivemos realmente nos dias finais deste sistema imperfeito de coisas. Entretanto perguntar se Wellington era um cristão é uma pergunta que não faz sentido! Cristão é quem segue as pisadas do Cristo e que promove a paz e o amor entre os humanos. Quanto a se ele era terrorista isso também não faz sentido tendo em vista que até mesmo os terroristas tem um ideal fundamentado em alguma crença. O Wellington foi apenas mais um subproduto da loucura humana que nem mesmo Freud, o pai da psicanálise, saberia explicar. Mas existe uma explicação e está na bíblia. " 1 Quem se isola procurará o [seu próprio] desejo egoísta; estourará contra toda a sabedoria prática. Provérbios 18:1" Ele se isolou na sua arrogante existência e se julgou no direito de tirar a vida de inocentes num ato covarde e estúpido. Diminuir a culpabilidade de Wellingom por afirmar que ele havia sido vítima de bullying é tentar tornar justificável tal ato insano! (Existem cidadãos exemplares e bem ajustados a sociedade e que também foram vítimas de bullying no passado.) Única explicação:"Sabe, porém, isto, que nos últimos dias sobrevirão tempos penosos; pois os homens serão amantes de si mesmos, gananciosos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a seus pais, ingratos, ímpios, sem afeição natural, implacáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, inimigos do bem, traidores, atrevidos, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus(2 Timóteo 3.1-4)"

Anônimo disse...

olá gostaria de dizer que é muito ruim para qualquer cristão o fato de associarem esse caso com esta ou aquela religião o q fica claro é q nenhuma religião cristã ensina seus membros a fazer o q ele fez e independente dele ter sido ou não testemunha de Jeová usar esse fato para desmerecer uma religião é no mínimo anti- ético principalmente qndo isso parte de outros religiosos!

silma disse...

O que esse louco fez não tem nada de islamismo,ele misturou tudo,me preocupo com esse jugamento,vai começar uma caça as bruxas com os muçumanos por conta de um louco,a mídia tem o poder de manipular a opinião pública,de induzir ao erro,não são todos mas muito cristãos se julgam donos da verdade...eu aprendi em um estudo Bíblico que Deus õu mesmo Jesus não criou esta ou aquela igreja,a bem da verdade Jesus era Judeu,se for olhar por esse lado a verdadeira religião é o judaismo...as igrajas foram surgindo ou religiões foram surgindo,criadas pelo homem,cada um interpreta a Bíblia de um jeito,o importante é ter respeito por cada um e tentar viver em paz na medida do possível.

Abelmon disse...

Silma,
será que o que ele fez não tem nada com o islamismo? Eu discordo. Mas é muito importante que você leia o Alcorão e tire suas próprias conclusões. Mas saíba que as pessoas estão começando a analisar o islamismo porque ele está entrando no Brasil de fininho!

Concordo contigo pelo fato de Jesus não ter fundado uma religião nova. Eu como cristão e muitos de nós, incluindo você, criticamos o cristianismo abertamente, pois buscamos o que vem da palavra e separamos o que não vem. Hoje, o cristianismo é aberto a críticas. Será que o islamismo é aberto a críticas como o cristianismo? Num país islâmico, onde reina a Sharia, eu teria condições de continuar vivo após postar uma mensagem que busca refletirmos?

Quer falar de religião?
"A religião pura e imaculada diante de nosso Deus e Pai é esta: Visitar os órfãos e as viúvas nas suas aflições e guardar-se isento da corrupção do mundo." (Tiago 1:27)

A Bíblia permite várias interpretações?
"E temos ainda mais firme a palavra profética (...)sabendo primeiramente isto: que nenhuma profecia da Escritura é de particular interpretação. Porque a profecia nunca foi produzida por vontade dos homens, mas os homens da parte de Deus falaram movidos pelo Espírito Santo." (2 Pedro 1:19-21)

Joao Cruzue disse...

Oi pessoal,

Vim para agradecer o comentário de vocês. Estou sempre aprendendo com os que pensam como ou diferente de mim.

É uma honra ter vcs aqui,mesmo que discordem. No Brasil, temos liberdade para expressar nossas opiniões, desde que não isto não seja feito no anonimato.

A Paz para todos.

Muito Obrigado,

Irmão João.


.

Guerreiras da Oração disse...

Aí... tô lendo sobre esta discussão aqui e gostaria de comentar também.
A restpeito da religiosidade de Welington não tem como negar: ele é seguidor do islã. forma de vestir, falar, agir... enfim, tudo converge para o Islã (radical). Mas há uma dúvida pairando no ar sobre a carta dele... a carta não foi escrita a mão, apenas foi assinada. Acredito que ele estava sendo guiado por outra pessoa a cometer este ato de violencia, ainda mais se provando que ele tinha patologia mental. É uma questão complicada... mas temos que abordar. observem os detalhes... investiguem... e vejam vocês mesmos.

Anônimo disse...

OLÁ irmãos,

Sou muçulmano, e não acredito que este demônio fosse um muçulmano, não nego que em nome de DEUS foram cometidas terríveis atrocidades ao longo da história, mas o islamismo não prega isso. Todo radicalismo é terrível, seja ele islâmico, seja ele cristão. Este homem tinha mente vazia, a oficina de satã, qualquer demônio poderia tê-lo dissuadido a fazer aquilo, assim como acredito que se tivesse sido uma anjo, uma pessoa boa (de qualquer religião) ele teria feito coisas boas. É uma pena que ele tenha feito isso, DEUS é misericordioso, todos seremos julgados, é de DEUS o único julgamento justo, qualquer um que façamos aqui nesta vida pode se voltar contra nós. Fico imensamente triste com isso, não apoio nenhum ato terrorista, (11 DE SETEMBRO, HOMENS-BOMBA NO ORIENTE MÉDIO, NENHUM MESMO!!), serei julgado pelo que disser e fizer, pelo que pensar e desejar. ESPERO QUE ESTE WELLINGTON PAGUE PELO QUE FEZ! Não há como negar as violências cometidas contra ele, mas isso não justifica seus atos, não podemos fazer justiças com as próprias mãos (NUNCA), Jesus disse isso, assim como Mohammad disse para nunca fazer mal à uma criança ou inocente, o ISLÃ não prega violência, assim como o CRISTIANISMO, respeito todas as religiões, estudo para poder comentar, tenho familiares católicos, evengélicos, me casarei com uma católica, meu sócio é pastor da igreja Assembléia de Deus, não podemos culpar uma religião pelos atos de loucos.
a intolerância religiosa é um veneno que adoce lentamente nossa sociedade, TODOS somos PRECIOSOS para DEUS.

QUE A PAZ E A BENÇÃO DE DEUS ESTEJA COM VOCÊS, VOLTEM-SE SEMPRE PARA ELE, ELE ESTÁ EM TODOS OS LUGARES, ELE NOS PREENCHE DE SUA EXISTÊNCIA E NOS ESVAZIA QUANDO O DEIXAMOS, ELE É JUSTO E MISERICORDIOSO, ASSIM COMO CASTIGADOR.

YUNNES ABDALLAH SAYD, ADVOGADO.

Anônimo disse...

OLÁ irmãos,

Sou muçulmano, e não acredito que este demônio fosse um muçulmano, não nego que em nome de DEUS foram cometidas terríveis atrocidades ao longo da história, mas o islamismo não prega isso. Todo radicalismo é terrível, seja ele islâmico, seja ele cristão. Este homem tinha mente vazia, a oficina de satã, qualquer demônio poderia tê-lo dissuadido a fazer aquilo, assim como acredito que se tivesse sido uma anjo, uma pessoa boa (de qualquer religião) ele teria feito coisas boas. É uma pena que ele tenha feito isso, DEUS é misericordioso, todos seremos julgados, é de DEUS o único julgamento justo, qualquer um que façamos aqui nesta vida pode se voltar contra nós. Fico imensamente triste com isso, não apoio nenhum ato terrorista, (11 DE SETEMBRO, HOMENS-BOMBA NO ORIENTE MÉDIO, NENHUM MESMO!!), serei julgado pelo que disser e fizer, pelo que pensar e desejar. ESPERO QUE ESTE WELLINGTON PAGUE PELO QUE FEZ! Não há como negar as violências cometidas contra ele, mas isso não justifica seus atos, não podemos fazer justiças com as próprias mãos (NUNCA), Jesus disse isso, assim como Mohammad disse para nunca fazer mal à uma criança ou inocente, o ISLÃ não prega violência, assim como o CRISTIANISMO, respeito todas as religiões, estudo para poder comentar, com medo de ofender qualquer pessoa. tenho familiares católicos, evangélicos, me casarei com uma católica, meu sócio é pastor da igreja Assembléia de Deus,e sou grande amigo e testemunha de casamento de casais evangélicos, uma grande amiga é Testemunha de Jeová, e entre amigos vários ATEUS. Inclusive não podemos culpar uma religião pelos atos de loucos. A intolerância religiosa é um veneno que adoece lentamente a nossa sociedade, TODOS somos PRECIOSOS para DEUS.

QUE A PAZ E A BENÇÃO DE DEUS ESTEJA COM VOCÊS, VOLTEM-SE SEMPRE PARA ELE, ELE ESTÁ EM TODOS OS LUGARES, ELE NOS PREENCHE DE SUA EXISTÊNCIA E NOS ESVAZIA QUANDO O DEIXAMOS, ELE É JUSTO E MISERICORDIOSO, ASSIM COMO CASTIGADOR.

YUNNES ABDALLAH SAYD, ADVOGADO.

Anônimo disse...

caro irmão, me confundi na hora de lhe enviar meu comentário, por favor, poste o maior, pois foram feitas pequenas alterações, mas de grande valia para mim.

avalie os dois, e verás que não forma feitas alterações de conteúdo.

Que a Paz de DEUS esteja com você.

Silma disse...

Apesar de não ser muçumana,conheço um pouco sobre o islã,pois desde que comecei a conviver com o sufismo,aprendi mais sobre a cultura arabe e sobre os grandes mestres e seus ensinamentos...o que eu quero agora e elerta contra um mal que vcs estão esquecendo ele disse que foi vítima de BULLYNG,colegas de escola contaram na tv as coisas que fizeram com ele na escola...acho que é hora de debater essse assunto nas escolas nas casas,os pais ensinarem seus filhos a respeitar as diferenças...eu aprendi que não devemos fazer com os outros aquilo que não queremos que façam com a gente.

Abelmon disse...

O que destrói a humanidade é o pecado no coração do homem. Mas este pecado tem cura... "Aquele que não ama não conhece a Deus; porque Deus é amor. Nisto se manifesta o amor de Deus para conosco: que Deus enviou seu Filho unigênito ao mundo, para que por ele vivamos. Nisto está o amor, não em que nós tenhamos amado a Deus, mas em que ELE NOS AMOU a nós, e enviou seu Filho para propiciação pelos nossos pecados.(...) E nós conhecemos, e cremos no amor que Deus nos tem. DEUS É AMOR; e quem está em amor está em Deus, e Deus nele."

Quando os homens (de qualquer religião) tentam fazer a justiça de Deus com as próprias mãos, tenha medo... porque isto não é de Deus. "Porque bem conhecemos aquele que disse: Minha é a vingança, eu darei a recompensa, diz o Senhor. E outra vez: O Senhor julgará o seu povo."

Eu tenho sentido as dores dos cristãos perseguidos nos países islâmicos, mas pelo versículo acima, e pelo que Jesus falou jamais poderemos pagar o mal com mal, antes pagar o mal com o bem. Como cristãos, a nossa luta é por justiça, pois Deus disse: "Porventura não é este o jejum que escolhi, que soltes as ligaduras da impiedade, que desfaças as ataduras do jugo e que deixes livres os oprimidos, e despedaces todo o jugo? Porventura não é também que repartas o teu pão com o faminto, e recolhas em casa os pobres abandonados; e, quando vires o nu, o cubras, e não te escondas da tua carne? Então romperá a tua luz como a alva, e a tua cura apressadamente brotará, e a tua justiça irá adiante de ti, e a glória do Senhor será a tua retaguarda." (Isaías 58:6-8)