quarta-feira, julho 09, 2008

A chamada missionária de George Müller


George Müller.
George Fredrick Müller
(27.09.1805 - 10.03.1898)
Tradução de João Cruzué

UM TESTE DE FÉ

Sem o sustento do pai, George Müller ficou sem um centavo. Em breve, depois de apresentar o problema para Deus, ele foi convidado para ensinar alemão para alguns professores americanos visitantes, e por isso ele recebeu muito mais do que na verdade necessitava.


O maior obstáculo que George Müller tinha que ultrapassar era a obtenção de um passaporte para se matricular em uma escola de treinamento de missões em Londres, porque se esperava que ele prestasse o serviço militar. Depois de muito orar ele seguiu adiante com o processo de alistamento no exército e seguindo uma bateria de exames médicos ele foi dispensado do serviço ativo por saúde insatisfatória.

George Müller em 1829 seguiu seu caminho para Londres para a escola de treinamento em missões para trabalhar com judeus. Depois de um breve tempo na escola ele ficou seriamente doente e quase morreu. Durante sua recuperação em Devon, cidade de Teignmouth que a vida de George Müller sofreu outra mudança de rumo.

PREGANDO O EVANGELHO

George Müller conheceu Henry Craik, um escocês que se tornou seu amigo íntimo, e foi este calmo, devoto e erudito homem que o ensinou a necessidade de crer sinceramente, e ser obediente a vontade de Deus. Depois de desistir da escola de missões para assumir compromissos de pregação, George Müller conseqüentemente aceitou o pastorado de uma Igreja em Teignmouth com um ordenado de 50 Libras anuais. Ele sentiu que Deus proveria todas as suas necessidades e que ele se colocaria inteiramente na dependência do Senhor. Daquele momento em diante, até a sua morte em 1898, George Müller cresceu em obediência e confiança em Deus em todas as coisas.

A MUDANÇA DE DIREÇÃO

Com a ajuda de seu bom amigo Henry Craik , ele ganhou um grande entendimento das escrituras e da vontade de Deus. Durante este período de aprendizagem em Teignmouth George observou que muitos pregadores falhavam ao comunicar as verdades do evangelho e tendiam a ler sermões escritos, os quais eram sempre apologéticos, carentes de convicção e inspiração. Assim que George Müller começou a pregar a Palavra de Deus de uma maneira direta, dinâmica e sem rodeios, ele foi continuamente encorajado pela resposta de muitos ouvintes e pelo crescente número de conversões.

A despeito da crescente resposta a sua pregação, havia muitos que reagiam energicamente contra sua aproximação direta, mas de qualquer modo eles pareciam sem forças para lhe fazer qualquer coisa, a não ser ouvir.

MUDANDO PARA BRISTOL

Em 1830, George Müller casou-se com Mary Groves que se tornou uma verdadeira companhia e apoio para os anos de mudança que viram a seguir. Depois dois anos em Teignmouth ele sabia que seu tempo ali estava chegando ao fim, embora estivesse bem estabelecido e muito feliz, ele sentia que uma mudança era iminente.

Henry Craik já estava em Bristol quando escreveu para seu melhor amigo convidando-o para fazer a mesma mudança, George sabia que esta chamada era de Deus. Assim, em 1932 ele e Mary Müller partiram de Devon, cidade de Teignmouth com destino a Bristol onde Deus tinha um plano preparado para seu agora servo fiel.

O ORFANATO

George Müller pediu a Deus 1.000 Libras e as pessoas certas para dirigir tal lar. Dentro de cinco meses seu pedido foi providenciado. A senhora Muller, junto com suas amigas começaram a mobiliar o primeiro Lar na Rua Wilson em São Paulo, área de Bristol, para acomodar trinta meninas. Os Lares de Órfãos se tornaram o quinto objeto do SKI.

Mais três casas na Rua Wilson foram arrumadas, prontas para abrigar mais 130 crianças. Em 1845 quando este número para além das premissas adicionais, George percebeu a necessidade de estabelecer um propósito para construir uma casa para acomodar 300 crianças. Este projeto requeria uma grande soma de 10.000 Libras.

Uma vez mais as orações de George Müller foram respondidas e os fundos necessários forma providenciados e ele comprou um sítio na área rural de Ashley Down, exatamente fora dos limites da cidade, bem abaixo do preço pedido. Em 1849 o primeiro Lar foi inaugurado acomodando 300 crianças.

Por volta de 1870 havia um total de cinco Casas em Ashley Down valendo 100.000 Libras e abrigando mais de 2.000 crianças. Todo o dinheiro e os funcionários vieram como resultado direto da oração, sem nenhuma dívida incorrida e nenhum apelo ou pedidos jamais foram feitos. Há muitas histórias memoráveis sobre as respostas de oração. Os edifícios e trabalho continua sendo um testemunho da graça de Deus e de sua fidelidade.

The George Müller Foundation

Direto da fonte: http://www.mullers.org/cm/general/127
Tradução de João Cruzué - SP 09.07.2008

Leia também: A conversão de George Müller


cruzue@gmail.com


Um comentário:

Eva2Barberan disse...

Muito bom o testemunho de George Müller...