domingo, julho 13, 2008

A barraca do descarrego

João Cruzué

Hoje é domingo, e São Paulo tem uma das mais belas tardes do ano; é bem verdade, que a tarde de ontem estava ainda mais bonita; aproveitei para tirar algumas fotos de algumas coisas entre elas do próprio céu. Daqui a pouco vou fazer minha caminhada habitual, mas antes dela, abri a WEB para ler as notícias do dia. Não é que vi uma matéria na Folha SP que me deixou impressionado, tamanha a novidade!

Agora temos barraca de igreja evangélica no meio da rua para unção com óleo mais sessão de descarrego! Eu não sei se devo rir ou chorar. O nome da Igreja dos "pastores" é muito sugestivo: "Igreja Internacional do Reino de Cristo"; diretamente da Zona Leste para publicidade no Centro de São Paulo.

"Em nome do Senhor seja afastada toda obra maligna no setor profissional, no sentimental e na saúde" Sai! em nome de Jesus. Orava assim o "pastor" segurando a cabeça de um funcionário público, depois da unção com óleo.

Segundo a Folha, na semana passada, em uma hora, doze pessoas foram "oradas". O "pastor" disse que faz 60 orações por dia, na sua barraca. Dona Joana, uma aposentada católica, disse que estava saindo da Igreja Católica da Consolação quando viu a barraquinha. "Sou católica, mas Deus é um só - todas orações são boas." - disse ela.

Eu já tenho visto e ouvido pregadores evangélicos nas praças de São Paulo, até já preguei em praças porque isto é natural em nosso meio, mas barracas de camelôs evangélicos para sessões de descarrego no Centro da cidade, confesso que foi uma surpresa. Estão transformando o Evangelho em um produto pirata.

O foco do Evangelho verdadeiro são as almas cativas que precisam de libertação do reino das trevas para adentrar ao Reino de Deus. Já a "muamba" que estão vendendo por aí sob o nome de "evangelho neopentecostalista" tem na verdade exalado um mau cheiro humanista: seu foco é centrado na satisfação das necessidades outras das pessoas, sem uma preocupação sincera com a situação de suas almas.

Autor: João Cruzué
Http://olharcristao.blogspot.com

cruzue@gmail.com


.

5 comentários:

Pr.Rogerio Cavalcanti disse...

Olá João Cruzue, interessante esta matéria. Estão transformando o Senhor Jesus e o evangelho em produtos de pratilheira, e cada um vende o seu produto de acordo com sua criatividade e poder de convencimento.
Note bem que a palavra, que ensina o caminho da Salvação quase não esta sendo pregada.
Povo de Deus, abra seus olhos enquanto é tempo !

Amauri disse...

Daqui a pouco os videntes, ciganos e outros bichos mais ali do Viaduto do Chá vão botar ele pra correr.

Concorrência é um negócio perigoso...

Ah, minha opinião séria sobre isso? Não precisa nem falar. Compartilho a mesma opinião que a sua.

Até mais.

NilmaBostonRio disse...

Nosso Deus! onde é que vamos parar?!

cintia disse...

a Paz João.Muitas pessoas estão fazendo do "evangelho" algo que chame atenção,e para isto usam meios que chegam até chocar,tamanho abuso.Infelismente daqui a pouco não vamos nem nos surpreender mais com estas coisas.Deus o abençoe João

Ezequiel disse...

A paz do Senhor Amado!em I João Cap2vs18 diz: "Filhinhos já é a última hora", mas já podemos traduzi-los como: "Filhinhos já é o último segundo...", o fim está próximo.
Montam a barraca e colocam Deus como Funcionário, já não chegam estarem usando Deus como Banqueiro, Ageota,etc...