sexta-feira, junho 22, 2012

Postura da Igreja Evangélica diante da corrupção


João Cruzué

Este é o tipo de texto que você não vai encontrar no site de uma grande Igreja evangélica. E por que não vai? Porque suas lideranças "acham" que isto nada tem a ver com a missão da Igreja. Errado! É preciso sim tomar atitudes cristãs, ter um postura cristã, e romper com o silêncio da indiferença que nunca foi cristão.

Por mais de 40 anos o dragão da inflação devorou o bolso das famílias brasileiras. Era o gafanhoto. Devorava o suor dos assalariados de tal maneira que chegou um tempo em que dormiam com 100 cruzeiros no bolso e acordavam com 50. Até que chegou o julho de 1994. De lá para cá o dragão deixou de torrar os caraminguás dos brasileiros. Tenho certeza  que muitos pastores e muitos crentes oraram para que esse dia se tornasse realidade. E se tornou!

Todavia, outra praga surgiu e vem se multiplicado exponencialmente: as Ratazanas brasiliensis que institucionalizaram a corrupção na vida pública brasileira. Se antes ela era praticada na penumbra da noite, hoje ela é o substantivo abstrato mas saliente entre os pequenos e grandes ratos que moram nos esgotos de Brasília.

A moralidade? ora a moralidade... é uma virtude que tem sido condenada ao calvário enquanto os barrabás por baixo dos panos compõem poemas franciscanos, produzindo rimas de gerúndio com o presente do indicativo.

O futuro de nossa nação está seriamente ameaçado. Todo dia, centenas de velhinhos, crianças, índios emendigos  estão morrendo de fome e  miséria, porque algum larápio meteu a mão no dinheiro público A Casa de Deus está corando de vergonha. O dízimo financia novelas, as ofertas estão comprando fazendas de gado e Haras para criação de cavalos. É um prevaricar sem fim e sempre crescente.

A corrupção é hoje a maior praga que assola nossa nação. Vem seguida da violência. Legiões de demônios agem com desenvoltura espalhando  miséria através das mentes que só pensam em como se dar bem com o dinheiro público. Uma simbiose real sustentada no plano espiritual. Filhos de Can assalariados por satanás.

Eu já estou enfadado e irritado de tanto ouvir  nomes: "cachoeira", alfa, beta,  Monte Carlo e Delta. Mas como ratos somente andam em pares, cadê os outros roedores? Certamente estão fazendo a oração do bode emissário. Um vai para o deserto, enquanto o restante da quadrilha disfarça, e disfarça muito bem, como se fossem santos de carteirinha, desde o nascimento

E diante de tudo isso, seguem indiferentes e omissas as lideranças das grandes Igrejas Evangélicas Brasileiras, fazendo corar no túmulo os muitos personagens bíblicos que desciam a língua publicamente nas atitudes e ações de governantes que se prostituiam.

Perguntar faz parte da minha liberdade de expressão: Por que será que Tantos líderes evangélicos anda tão "caladinhos" e não têm protestado com veemência contra estes malandros que roubam o sustento dos órfãos, o pão  das viúvas e a referência dos jovens?

O silêncio destas lideranças é o maior incentivo para quem está roubando o dinheiro público. Porque neste caso específico, quem cala está CONSENTINDO em alguma coisa má.

Orar apenas não basta. Agora não é tempo de orar, mas de cobrar rispidamente mais vergonha na cara e amor ao próximo. Se o pastor e o bispo  não tem mais unção para fazer isto, a quem então iremos recorrer?

A Igreja de Jesus não vai desaparecer, mas estas associações religiosas que estão aí pregando um evangelho  de faz de contas de dia enquant à noite  despregam com novelas podres. Os crentes podem perdoar escorregões morais, mas a sociedade, não. É como o sal que perde o prazo de validade e não presta mais para nada.

Esta talvez seja a maior oportunidade que a Igreja Evangélica já teve para evangelizar esta nação. A sociedade precisa de um paradigma. De um exemplo a seguir. De referências.

 Mas cadê postura?















.

4 comentários:

Felipe F.Lopes disse...

Como ouvirão se não ha quem pregue?Quem pregue o evangelho do reino de Deus, não o do reino do bipo ou do apostolo. Bom comentário Deus continue abençoando o seu ministério!

1000NOTICIAS disse...

Muito boa essa observação pastor cruzué. É muita gente esquece que tudo isso já faz parte do cumpri- mento da volta de cristo, e devemos estar atentos, e fora que também somos cidadãos, temos direitos e obrigações.

Aluizio Araujo disse...

Olá prezado irmão Cruzué, parabéns essa é uma pura verdade. Eu tinha acabado de digitar um texto sobre a exclusão social quando cliquei nesse blog. Acredito ser de Deus essa sua indignação como também foi o meu impulso para escrever essa reflexão. caso esteja de acordo em publica-la. Martin Luter King já dizia: " O que mais me preocupa não é o grito dos maus, é o silêncio dos bons" SUSTENTABILIDADE SÓ COM + AMOR AO PRÓXIMO

Para o bem estar coletivo e a paz mundial das nações, a sustentabilidade não deve ser norteada apenas no sentido de preservarmos a natureza mais primordialmente o mundo deveria investir + na vida humana. Uma nação deve priorizar o bem estar dos seus cidadãos, cuidando com ações preventivas e não deixar pessoas morrerem nos hospitais públicos por falta de atendimento médico ou demais investimentos que devem ser aplicados.

A natureza, em conseqüência dessa ação primaz do investimento na vida humana ganhará reforço coletivo com cidadãos sadios com melhor raciocínio para cuidar mais da natureza que deve ser a segunda preocupação depois do ser humano. Deus através da sua onisciência deixou para a humanidade dois versículos: “O primeiro mandamento é amar a Deus sobre todas as coisas e o segundo é amar ao próximo como a ti mesmo” que sintetiza todo o e/vangelho e nos faz melhor quando obedecemos.

Alguém até já disse que: “ quem ama cuida”! O saudoso profeta secular José Datrino, que ficou conhecido com a frese, “gentileza gera gentileza”, deixou essa grande verdade que combina com o a legislação divina, “colhemos sempre aquilo que plantamos”. É impossível viver no mundo com tantas desigualdades, com a falta de pão na mesa de muitos sem que alguém venha sofrer os efeitos colaterais dessa verdadeira da exclusão social.

Essa reflexão é para todos nós, ‘governantes e governados’, até por que, nossas lideranças são o espelho da sociedade. Talvez o resultado do Rio + 20 não chegue ao esperado, mas deixa sempre algum legado, principalmente para nós, cariocas e filhos adotivos dessa cidade como anfitriã desse evento surgiu essa oportunidade de repensarmos no que podemos fazer mais para melhorar o nosso contexto social e melhor qualidade de vida, aqui e no mundo. Artífice Aluizio Ferreira de Araujo. Campo Grande RJ

Tiago Santos disse...

O fato relatado é uma grande verdade, e como eu sempre digo: que o mesmo corra pelo Brasil numa velocidade mais rápida que Bíblia na mão de joio! Que esse povo acorde! Que o joio possa ser transformado em trigo, que o trigo palha possa ser regenerado, e que o trigo/trigo possa ser manter conservado e dando bons frutos.

(Eu acho que tem um pequeno erro de escrita na postagem: índios emendigos - deveria ser assim: e mendigos).

A paz, de seu irmão em Cristo...