sexta-feira, dezembro 12, 2008

A cocaína mata , mas Jesus liberta do pó


Jesus Liberta do pó

João Cruzué

Dia 14 de dezembro, domingo do mês, é comemorado por nós evangélicos como o Dia da Bíblia. Um livro antigo como o sol, que não perde o brilho nem a majestade, e sem dúvida é o maior Best-seller de todos os tempos. Como um tributo de honra a este livro, onde encontramos o Manual de instruções de Deus para guiar nossas vidas em qualquer tempo e situaçao, quero abordar uma questão atual e muito triste. Tenho observado quanta gente rica e famosa vem perdendo a vida, ainda bem jovem, por overdose de cocaína. Jesus Cristo, o personagem central da Bíblia, é o mesmo ontem, hoje e para sempre. Ele perdoa todos os pecados, restaura pessoas e famílias, cura todas as enfermidades, e tem poder para libertar os cativos - inclusive os dependentes do pó!

Eu poderia fazer uma lista de nomes de pessoas famosas ou ricas que perderam suas vidas por overdose de cocaína. Uma simples pesquisa nos levaria à centena de nomes. Mas não vamos associar o nome de pessoas vivas ou que já se foram com esta miséria de cor branca, que começa com uma folha, que depois é misturada com cimento, acetona e sei mais lá o que - para escravizas, enlouquecer, matar pessoas ricas e pobres em plena juventude. O que leva uma pessoa famosa, com muito dinheiro, carros exclusivos, iates, jatinhos ou simplesmente tudo a se deixar aprisionar nas correntes da cocaína?

A vulnerabilidade seria uma resposta bem apropriada. Vulnerabilidade pela ausência de Deus. Deus em segundo ou terceiro, quarto, quinto - no último lugar de suas vidas. A infelicidade com origem em um grande paradoxo: como é possível ter quase tudo e mesmo assim se sentir infeliz e vazio como se nada tivesse? Por que este vazio, esta falta de contentamento, como uma fome canina, nunca é satisfeita? É porque falta o principal. Falta a presença de Deus na vida. Deus está completamente fora da vida dessas pessoas. Sem Deus, há vulnerabilidade.

Quando Deus está do lado de fora, algo espiritual, oculto, já usurpou o lugar. Um espírito mau , mesmo sem ser convidado, vem e ocupa o lugar que era de Deu. Escondido nas sombras, instiga e aguça os sentidos da pessoa em busca de coisas más para destruir a própria pessoa e semear a infelicidade a tantas outras atraídas para o círculo de relacionamento. Se o temor de Deus é o princípio da Sabedoria, a proposta de não dependência e distanciamento de Deus é o princípio da loucura. Loucura por aborrecer o santo e buscar o profano, para satisfazer um espírito mau e odiar a Deus. A culpa disso não é exclusiva do diabo, se espontânea e voluntariamente milhares e milhões de filhos pródigos decidem fugir da presença de Deus.

Este mundo tem duas dimensões conhecidas. A dimensão física decifrada pela mente dos mais brilhantes cientistas da humanidade e a dimensão espiritual descrita em textos da Bíblia Sagrada pela mão de estadistas, militares, reis, profetas e apóstolos, entre outros. E a dimensão espiritual governa a dimensão física. O poderio espiritual da maldade é tão grande, que se não fosse contido por Deus, já teria instigado os homens ao aniquilamento total. Estas hostes da maldade, de vez em quando são liberadas pelo do extravasamento do limite de um pecar contínuo da humanidade. Quem poderia explicar de onde surgiu, por exemplo, as explosões de destruição humana das Primeira e Segunda Guerras Mundiais? Por que em determinados países a cultura do ódio é tão exarcebada e em outros ainda não? Por trás desse universo físico, na dimensão espirutal, existem anjos e demônios de todas ordens e poderios que, se ordenados e libertados, em frações de tempo destruiriam tudo ou manipulariam os corações dos homens a tal ponto que os levariam à loucuras inimagináveis.

A partir de certo limite, quando a sociedade ofende profundamente a Deus desprezando a justiça pelo pecado, pela corrupção em todos os sentidos, o Juízo de Deus cai sobre ela, deixando-a à mercê da fúria destruidora das hostes espirituais da maldade. Quando a sociedade rompe o muro dos limites morais estabelecidos por deus, vai enfrentar aquilo que mora do outro lado deste muro. Exemplo? Não estaria longe da verdade se dissesse que a prostituição desemfreiada após os anos 60 atraíu o mal da cocaína para o seio da sociedade.

O diabo, satisfeito com o grau de prostituição alcançado, cujos efeitos se tornaram visíveis na mesma medida pela destruição dos elos familiares do amor e do respeito, introduziu a cocaína para potencializar tanto a prostituição quanto a violência. Notícias de Fflhos assassinando pais sob efeito do pó. E Deus não pode impedir a colheita daquilo que a sociedade semeia - a menos que haja um arrependimento verdadeiro. Se a dimensão espiritual não existisse, seria muito fácil matar, na origem, o nascedouro dos processos malignos. Mas ela é real. Existe. As leis não humanas não conseguem acabar com a prostituição nem com o crescimento do uso da cocaína. Ao prender um traficante, aparecem 10. As grades de uma prisão de hoje não mais conseguem conter os negócios do pó. Antes seo tráfico era coisa de adultos, hoje os "aviõezinhos" podem crianças de cinco seis anos. Por que não se consegue acabar com isso? Por que nem polícia, nem o juiz, nem ninguém? É porque a origem do mal está no mundo espiritual, onde os homens não têm autoridade nenhuma para combater.

Somente a presença de Deus na vida das pessoas, nas famílias, na comunidade, nas cidades, nações - é que poderiam se livrar destes males perversos e contínuos. No meio das drogas, a cada ano surge algum mais destruidor e mais desagregador, que atingi do magnata ao mendigo.O que abre as portas para isso: a rebeldia em fugir diante da presença de Deus, de escolher o caminho do pecado, em lugar do caminho da justiça.

O filho pródigo do Evangelho em Lucas 15 percebeu em tempo que, vivendo em meio aos porcos e desejando comer de suas bolotas, estava a um passo da loucura e da morte. Caíu em si, reuniu um resto do bom senso ponderou: "Até mesmo os serviçais na casa de meu pai têm uma vida melhor que a minha. Levantar-me-ei e partirei para a casa de meu Pai. Pedirei perdão a ele. Direi: Pai pequei contra o céu e contra ti, já não sou mais digno de ser chamado de filho, deixa-me, porém, ficar e ser como um dos seus empregados." Pensou, e logo depois agiu. Levantou-se e voltou para casa do pai. E quando chegou foi foi recebido com festa, e abraçado, e perdoado, e restaurado , pois estava perdido e foi achado.

Eu imagino que a parábola do filho pródigo da Bíblia não tem apenas o objetivo de acutilar a idiossincrasia do irmão mais velho. Aquele texto está ali para dizer a todos filhos pródigos distantes da Casa de Deus que o perigo ronda a vida de quem vive entre os porcos. O mau cheiro da lavagem os alimenta e a sujeira onde vivem não é um lugar de famosos, mas de condenados à miséria do espírito disfarçados de pessoas felizes e famosos. Onde está a fama em meio a um vício que aprisiona, que acorrenta, envilece, enlouquece, desmoraliza, causa pena e está sempre levando alguém ainda jovem à morte?

Deus nunca estará longe daqueles que se levantam e buscam uma aproximação com Ele. O peso de uma atitude de reconciliação o agrada. Eu sei que do outro lado deste monitor esta mensagem está caindo como um luva na vida de alguém escravo deste pó. Quando os demônios se cansam de tanto humilhar uma pessoa, eles trazem outra casta ainda mais perversa, para concluir o serviço. Eles existem, e o próprio Cristo leu na sinagoga de Nazaré a profecia registrada no capítulo 61 de Isaías: "O Espírito do Senhor Jeová está sobre mim, porque me ungiu para pregar as boas novas aos mansos; enviou-me a restaurar os quebrantados de coração, a proclamar a liberdade aos CATIVOS e a abertura da PRISÃO aos presos."

Deus é muito maior que a fama; é o mais rico dos ricos; o Rei dos reis; o Senhor dos senhores, mas também ele é Pai. Deus amou o mundo de tal maneira, que nos enviou seu filho unigênito para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Deus ama você. Tome uma atitude ainda hoje. Entre no seu quarto, feche a porta, e diga para Deus que quer aceitar Jesus como Senhor da sua vida e libertador da sua alma. Depois, compre uma boa Bíblia de Estudos; não importa se católica ou evangélica, mas comece sua leitura a partir do Evangelho de São João. Separe regularmente todo dia, uma parte do seu tempo, para leitura da da Bíblia - a Palavra de Deus.

Chame a atenção de Deus, procurando agradá-lo, se interessando pelas coisas santas, procurando uma Igreja Evangélica mais perto de sua casa para congregar. Converse com o pastor e diga que você está ali para aceitar Jesus como Senhor da sua vida. Você vai receber o perdão de Deus, a orientação da Igreja e libertação do vício da cocaína.
Não deixe que o diabo continue a contagem regressiva para destruir sua vida. A cocaína mata, mas Jesus Cristo liberta do vício deste maldito pó.


Escrito em SP-13/12/2008

cruzue@gmail.com

.

2 comentários:

Agnaldo Gomes disse...

Com certeza, as drogas tem trazido tragédias para inumeras familias.
As pessoas buscam saída no vicio e se afastam cada vez mais do Criador.
Agnaldo Gomes
Desperta Igreja!

Unknown disse...

Eu precisava ler algo assim hoje. nesse dia de hoje fui humilhado por esse pó. Me reconciliei com deus e agora vou buscar minja libertação