quarta-feira, setembro 03, 2008

Caio Fábio e a lei da mordaça


art by João Cruzué
Mordaca Biblica
PL 122: mordaça na Bíblia
Por Caio Fábio

"Muita gente vem me escrevendo acerca da tal Lei Contra a Homofobia pedindo de mim uma opinião, a qual, tendo em vista que em geral os “religiosos” são homofóbicos mesmo, não me interessei nem em ver o texto e menos ainda em discuti-lo. Ontem, no entanto, atendo ao pedido de uma pessoa amiga e que ocupa o cargo de Senador da Republica, li o texto a fim de dar a minha opinião.

Ora, a simples leitura do texto do projeto de lei me evidenciou de saída o fato de que o tal projeto não apenas incorre em várias inconstitucionalidades, mas, também, muito além disso, cria precedentes hostis e perversos, sem falar que dá, em tal caso, aos queixosos homossexuais, um poder de arbítrio sobre inúmeras áreas da vida comum, gerando o espaço legal para grande quantidade de exageros e exacerbações.

Em minha opinião o projeto de lei é inconstitucional na forma como está redigido, pois, gera uma soberania de direito ao grupo que demanda tal direito, que, pela própria natureza da formulação legal, anula outros direitos superiores e bem mais antigos em sua legitimidade.

Por exemplo, por tal lei, no caso de ela um dia vigorar, os demais direitos universais (como o de expressão de opinião de qualquer natureza, se for contrária às manifestações homossexuais, ainda que escandalosas), serão subjugados pelos direitos de qualidade “Homocráticas” de tal grupo, posto que, pelo bojo da proposta, declara-se mesmo a impossibilidade de discordar publicamente de práticas ou ideologias de conteúdo homossexual.

Ora, a tal PL122 supostamente se fundamenta em direitos inalienáveis, como os que protegem condições intrínsecas dos humanos, como raça, etnia e cor, mas, apesar de tudo, evoca os direitos da própria expressão religiosa (um dos direitos inalienáveis da Constituição), pondo-se em equivalência com aquilo que sendo objetivo não necessita nem de demonstração e nem de prova, como é o caso de uma raça ou etnia.

Uma raça é uma raça. Uma etnia é uma etnia. Portanto, são realidades universais e objetivas em sua constituição.

Não é a mesma coisa com a condição homossexual, a qual, como se sabe, tem casos de homossexualidade inata e intrínseca, tanto quanto também possui uma enorme quantidade de casos que não carregam traços inatos da condição, mas apenas configuram uma “escolha”, não sendo, dessa forma, em hipótese alguma, algo que possa ser universalizado como universal é o direito de uma raça ou etnia.

Isto sem falar que a PL 122 também cria, de modo inerente, uma espécie de vitaliciedade empregatícia. Sim! Pois com as descrições de direito que teria um suposto homossexual ante um patrão (podendo ele alegar pela via da simples queixa que está sendo objeto de discriminação, não importando o grau de objetividade e de constatabilidade da denuncia) - todos os patrões são postos na difícil situação de temer despedir um funcionário homossexual, por qualquer que seja a razão trabalhista ou funcional, em razão de que sob ele pesará a possibilidade de ser condenado pela subjetividade ou até mesmo esperteza e ou maldade do funcionário queixoso.

Há de se ter leis que protejam os homossexuais de toda forma de discriminação real e objetiva. Do mesmo modo, há de se ter sempre leis que ao garantirem os direitos de minorias não o façam contra a expressão da maioria.

A presente PL 122, todavia, vai além da proteção aos direitos dos homossexuais, e, por outra via, passa a ser uma lei de Homossexualismo ao invés de ser um lei de proteção ao direito de ser homossexual numa sociedade democrática e pluralista.

Acho fundamental aqui fazer duas distinções que julgo importantes:

1. Homossexualidade não é homossexualismo. Homossexualidade pode ser uma condição psíquica ou até congênita (ainda a ser completamente provada, e, até agora, relacionado à minoria dos casos), a qual, na maior parte das vezes, é praticada com descrição e recato natural, assim como deve proceder um heterossexual sadio. Já o homossexualismo é ideológico, político, impositivo, catequético, fundamentalista em seu fervor fanático, e, sobretudo, trata-se de um movimento “sindicalizante” e hostil. Ora, a presente PL 122 é tipicamente um projeto de lei homossexualista e altamente ideológico.

2. Direitos Universais são caracterizados pela inafastabilidade objetiva da condição existente. Assim, etnias e raças carregam a si mesmas em seus direitos universais. Ora, o mesmo não se pode dizer da homossexualidade, a qual existe em estado de profunda subjetividade, além de que está há anos luz de distancia de qualquer coisa que se possa chamar de condição universal. Desse modo, creio que a presente PL 122 faz universal um particular da existência humana. Ora, em tal caso, creio que uma outra PL deve ser proposta, mas que não carregue em si “direitos” que soneguem outros direitos universais já estabelecidos e por todos aceitos como fruto do bom senso.

Aqui me eximo de falar sobre outras implicações do presente Projeto de Lei 122, posto que a meu ver são apenas reações angustiadas ante à desvairada propositura da PL122, mas que não tratam das questões de sua inviabilidade Constitucional.

Isto posto de modo muito rápido, concluo dizendo que creio que o que de melhor se faria seria derrubar tal PL122, e, no lugar dela, que parlamentares equilibrados, e que, portanto, não fossem nem militantes homofóbicas e nem militantes homossexualistas, propusessem um novo projeto de lei, o qual deveria dar respeito e dignidade aos homossexuais em nossa sociedade, ao mesmo tempo em que eles não fossem feitos os juizes e os executores de leis conforme se prevê nesta fatídica PL122.

O meu temor agora é pelas manifestações de amanhã, como Silas, Linhares e Cia. LTDA vociferando ódios, de um lado; enquanto, do outro lado, os “homossexualistas” ganham mais um argumento apenas assistindo o destilar do ódio de seus opositores.

A PL 122 é uma desgraça. Pena que não é apenas ela, pois, sendo justo, tem-se que admitir que os modos da refutação sejam tão cheios de ódio e de homofobia, que, por tal razão, até quem está errado fica certo pelo ódio do antagonista.

A verdade tem que ser seguida em amor. Pois, do contrário, até a verdade se torna mentira quando os modos são os do ódio.

Podendo escrever muitas outras coisas, mas atendo-me apenas a estas, peço as orações de todos, pois, o resultado de tudo isto pode ser a criação de muito mais ódio numa sociedade que está perdendo por completo o amor e a reverencia pelo próximo.

No espírito que Dele tenho aprendido,"

Caio Fábio


.

9 comentários:

nad disse...

muito legal seu blog!Parabéns!
http://tudoevangelico.zip.net/

Adones@comentários-escrituristico disse...

Pr Caio F. a paz do Senhor. Li seu comentário e louvei ao Senhor. Apesar de não nos conhecermos e eu ser um pequeno servo do Senhor aqui do sul, mas estou preocupado com o que está acontecendo, pois além de cristão nato, sou brasileiro e patriota. Conte com minhas orações a seu favor. Já venho orando por Silas Malafaia. Deus nos valerá.

Rosana Gabrielle disse...

Oiee
legal seu blog
vc divulga os blogs novos?
se puder divulgar o meuuu
O nome dele é Cristo Reina
http://blogospelcristoreina.blogspot.com

Pr. Carlos Roberto disse...

Caro irmão João Cruzue!
A Paz do Senhor!
Em que pese todos os cuidados e temores do articulista Caio Fábio com os possíveis exageros, foi feliz em sua firmeza e moderação ao condenar a PL 122, da maneira como está propostra e redigida.
Considerando o público pensamento do Pr. Caio Fábio a respeito da questão homossexual, esse artigo sobre a PL vem em boa hora.
Um abraço!
Pr. Carlos

João Cruzué disse...

.

Rosana Grabrielle,

Fiquei contente com seus comentários, e mais ainda com sua iniciativa em publicar um blog de conteúdo cristão.

Coloquei o link do "Cristo Reina" no topo do Olhar Cristão, em Novos blogueiros e sugestões". É uma forma simples e carinhosa de dizer "continue, siga em frente!" que nós, os blogueiros mais antigos da UBE, usamos para incentivar os novos Blogueiros.

Deus abençoe seu trabalho.

João Cruzué disse...

.

Pastor Carlos Roberto Silva,


Obrigado pela visita.


Agradeço seus comentários; também tenho algumas reticências sobre algumas atitudes do Pastor Caio, isso no entanto, não significa que não possamos aproveitar aquilo que de bom podemos ter dele. No caso desse artigo, tratanto do PLC 122, é a análise mais objetiva e sólida que já li sobre o caso.

Achei que seria justo repercuti-la.

Da mesma forma que o irmão considerou. Em um ponto específico, pinçado do comentário do Pastor Fábio, faço coro com suas palavras: "Dependendo da forma como nos defendemos, podemos transformar nossos oponentes em vítimas" considerando que a opinião pública sempre apoia os que estão sofrendo "injustiças".

Ainda sobre o assunto, por uma questão de inércia o "povo" não costuma analisar com profundidade certos assuntos, o que não mudou desde os tempos de Cristo, quando em seu julgamento por "aclamação" o povo ficou do lado de Barrabás, porque era (e ainda é)manipulado.

Também em tempos atuais, uma mentira embrulhada com uma capa de verdade, se se repetida muitas vezes, pode enganar a opinião púlica.

Então, voltando sobre a PL 122, corremos o risco de ter seu texto aprovado sem recortes, pelo simples fato de tomarmos os caminhos errados para nossa defesa.

Ainda não conquistamos a opinião pública sobre este assunto. O que temos visto rotineiramente é uma enxurrada de opiniões e artigos na mídia considerando o povo crente como ladrões (seus pastores) injustos (sobre aborto de anencéfalos) fisiológicos (nos cargos públicos) e manipulados (vítimas de voto de cabresto) e sujeiros à lavagem cerebral (como disse Hebe Camargo)

Não podemos deixar que nossa imagem seja associada a tudo isso, e precisamos dar valor aos que em nosso meio se posicionam equilibradamente.

Por isso, pessoas com grande bom senso e capazes de fazer críticas construtivas, como o Irmão, são muito bem vindas no meio evangélico.


Um abraço do irmão João.

João Cruzué disse...

.

Sobre comentários não aceitos, anônimos ou não.


O editor desse blog segue alguns princípios para publicação de comentários;

1 - Principio do equilíbrio e do amor cristão.

Resumo: "Bem aventurados os pacificadores, pois serão chamados filhos de Deus"

Este princípio me diz que não devo utilizar esta mídia gratuíta e pública para DIFAMAR quem quer que seja, ainda que tal pessoa não tenha um bom nome. Jesus não difamou Zaqueu nem a mulher adúltera. Poderia tê-lo feito, mas pautava-se pelo AMOR.

Por isso não publicarei nenhum comentário que venha jogar gasolina no fogo, pois trabalhamos com a ÁGUA e com o AZEITE.

Se eu não puder construir, de forma alguma farei o contrário, nem permitirei que outros o façam aqui.Ainda mais sobre a sombra do anonimato.

Não posso aceitar comentários que ataquem famíliares de ninguém, pois a semente que semeio é o "trigo" e ele é comprado na Casa do E.S.Eu nunca iria à Casa do d. para comprar joio.

---------------------------

2 - Princípio da humildade

- Ainda estou aprendendo a Blogar. Não sei tudo - longe disso.

--------------------------

3 - Princípio do Respeito

- Posso não concordar com os comentários de alguém, mas se ele for feito de forma respeitosa e não difamatória, expressando uma opinião divergente - publico sem problema nenhum.

- Contudo não sou adepto da idéia de fazer do espaço dos comentários um espaço para receber ataques e contra-ataques. Minha sugestão é que é melhor criar e publicar um blog para uma melhor expressão de idéias e opiniões.

---------------------

Assinado: João Cruzué



.

jose antoniors disse...

Entendo como injusta a sentença proferida pelo articulista contra as posições dos Pastores Silas e Linhares acerca do tema. As manifestações públicas levadas a efeito apartir do posicionamente destes formadores de opinião, ao contrário do apontado, não têm "destilado ódio" contra os homossexuais, sendo a expressão legítima de cidadãos brasileiros integrantes de um estado democrático de direito. Somente os "inventores de males" é que pensam de forma diversa. Verifico que os eventos ocorridos, sob o ponto de vista numérico, têm sido bastante tímidos, ante a quantiade de evangélicos existentes no Brasil, cujo número, conforme sabido, já é capaz de decidir uma eleição presidencial. O Povo de Deus já deveria ter dado um basta a esse tal PL 122, que, como parece reconhecer o próprio articulista, é inconstitucional. Perguntar-se-ia ao comentarista de que forma entende como o crentes deveriam se contrapor à referida agenda gay. Com discursos politicamente corretos? Não se deve olvidar que, na condição de crentes, não devemos apenas anunciar o evangelho, mas DENUNCIAR os pecados e os valores mundanos dos homens. Seria ingenuidade acreditar que os evangélicos receberiam apoio da opinião pública sobre a questão, vindo de uma sociedade que se sabe cada vez mais relativista e pluralista, influenciada pela mídia secularista, que, com o apoio de órgãos governamentais, vem reiteradamente patrocinando o movimento homossexual no Brasil. Divergindo da opinião do comentarista, sou do entendimento de que os homossexuais não precisam de qualquer proteção especial da lei. Digo isto porque, ao contrário da raça, etnia e cor, a "homosexualidade" ou "homossexualismo" não é uma condição humana. Demais disso, eles já dispõe da legislação penal existente, direcionada a proteger todo e qualquer cidadão deste País. Acredito que, por questões hormonais, alguma criança possa ter tendências homossexuais, mas é algo que pode ser corrigido em família e mediante tratamento. Não há que falar em diferença entre "homosexualidade" e "homossexualismo", como definido pelo comentarista, ao menos do ponto de vista bíblico. Tanto um quanto o outro são igualmente pecados, cabendo, portanto, à Igreja, enquanto "coluna e firmeza da verdade", confrontar com a Palavra de Deus os princípios amorais e aintiéticos difundidos na sociedade pós-moderna.

João disse...

.

Réplica a José Antônio.
.

Concordo com seu posicionamento.

* É mesmo uma utopia desejar que a sociedade tenha empatia por manifestações cristãos. O que eles mais desejam e se pudessem fariam seria arrancar de nossa garganta a voz, parafraseando Maiakovsky;

* O comunidade homossexual e simpatizantes ficaram surpresos e indignados com a manifestação evangélica em Brasília. Cheguei mesmo a ler manifestações do tipo: Crente bom é crente morto". Eles querem um país laico e todos os cristãos proibidos de exercitar a política. Eu creio que
um cristão deve exercer sua cidadania nas duas esferas: espiritual e social.

* Sinceramente não sei quem doutrinou tão bem os crentes brasileiros a pensarem que o exercício da política é coisa do diabo. Martin Luther King sob a inspiração de Deus liderou os negros americanos a arrojarem de si o jugo do preconceito. Ele nunca se candidatou a cargos públicos mas dobrou toda nação americana com ações políticas.

* Muitos crentes irão votar nestas eleições em vereadores incrédulos que vão proibir bíblias em Bibliotecas Públicas Escolares e negar espaço público para congressos e eventos evangélicos. Por quê? Porque a maioria das Igrejas são omissas no ensino bíblico quanto a consciência pública e exercício de cidadania. Temos a melhor estrutura de ensino que existe ( a Escola Dominical) mas ensinar cidadania e política ali ainda é tabu. Ponto para as comunidades gay, ponto para os corruptos, e ponto para os que usam da política para continuarem como grandes sanguessugas do dinheiro público.

* Se hoje os valores morais estão invertidos, trocados, corrompidos; o safado e o dissimulado recebe loas por sua "esperteza", grande parte disso se deve a inércia dos cristãos. No que diz respeito aos evangélicos, se são 1/4 da população brasileira, por que estã faltando tanto sal; onde estão as lâmpadas para guiar nossa sociedade?

* Infelizmente atônitas com tanto fisiologismo em nosso meio. Ao grito de qualquer maconheiro colocam as bocas no saco.

* A culpa de tanta corrupção no Brasil deve-se principalmente as lideranças das grandes denominações evangélicas, que a semelhança do velho sacerdote Eli, sabem que há corrupção mas nunca tem firmeza para dizer publicamente um Chega! Neste ponto, por mais surpreendente que pareça, os bispos católicos são muito mais atuantes - eles descem a língua mesmo!

* Sei que Caio Fábio jogou, ele mesmo e mais ninguém, seu principado evangélico no lixo quando achou que estava mesmo por cima e emprestou a boca para ser o Balaão dos Marinho. Hoje ele está fazendo falta.Silas e ele juntos, dariam muito trabalho aos arraiais dos "filisteus"

Outros "Caios" estão aí para "cair" no mesmo caminho da soberba, assim como centenas de outros "jimmys" fizeram no passado. A glória pertence a Deus e Ele não abre mão dela. Basta apenas um segundo da retirada da graça de Deus para que toda glória de um homem possa ser destruída pelo diabo. Vide o livro de Jó, ainda que justo.

O que destruído a força da liderança evangélica no Brasil não é a falta de conhecimento, é a falta de humildade. E não vejo solução humana para a solução disso.

Somente quando Deus tiver misericórdia de nós e enviar um Espírito de quebrantamento que converta o coração dos pais aos filhos.

É Isso.


.