domingo, julho 27, 2014

Hamas: um clube de milionários na Palestina


GAZA



Tradução:João Cruzué

Nas eleições legislativas de 2006, as ruas da palestina esmagadoramente votaram no Hamas por causa exuberante contribuição  financeira que corrompeu a  Autoridade Palestina. Agora, depois de anos do lucro da exploração da guerra, parece que próprio Hamas  se tornou o  primeiro entre o clube dos milionários palestinos.

Desde muito cedo,  depois de tomar 0 controle da Faixa de Gaza em 2007, o Hamas  e seus aliados começaram a escalada de lançamento de foguetes contra o estado judaico. Dado a gravidade das represálias israelenses, que pareceriam não ser muito boas para o negócio. Mas, que de fato tem sido.

Passados sete anos, a liderança de Hamas arrecadou  somas ultrajantes de dinheiro graças ao bloqueio israelense de Gaza. A maior parte dos ganhos foram o resultado de impostos exorbitantes sobre as mercadorias contrabandeadas do Egito em túneis que correm embaixo das fronteiras de Gaza, ou grosseiramente tributando  o combustível egípcio subsidiado.

Nenhuma daquelas fontes de receita seriam possíveis sem  a provocação  violentamente a Israel para estabelecer o cerco à Gaza.Da mesma maneira os lucros de Hamas são ameaçados pelas quantidades enormes da ajuda humanitária e outras mercadorias que o Israel e a comunidade internacional distribuem em Gaza todo mês, que numerosos relatórios sugerem que o Hamas bloqueia aquela ajuda.

Ao mesmo tempo, os líderes de Hamas tem se provido de arrecadações de fundos agressivas nas suas viagens ao exterior. E, desde que a razão da existência do Hamas é a destruição de Israel, seria duro virar as costas para o lobby financeiro  para alguns mísseis  em cima do judeus de vez em quando.

E para onde vai o dinheiro?

Em entrevistas recentes  aos meios de comunicação , o Professor Ahmed Karima da Universidade al--Azhar no Egito observou que, nos últimos anos, o Hamas se tornou um movimento florescente de milionários. Segundo Karima,  o Hamas gerou  mais de 1,200 milionários sob sua liderança entre os funcionários de nível médio. Esta  afirmação foi confirmada pelo líder palestino Mahmoud Abbas, que em 2012 estimou que o número de milionários de Gaza era de 800.

Particularmente, o líder geral do Hamas, Khaled Mashal, acumulou uma fortuna de 2.6 bilhões de dólares, segundo fonte jordaniana.

Há um ano, quando a Fraternidade Muçulmana, organização de onde veio o Hamas, governava o Egito, o grupo de liderança de Gaza do grupo menos tinha pouco cuidado em ostentar  sua prosperidade, e o mercado imobiliário luxuoso que cresceu como resultado.

Tudo isso está acontecendo porque muitos habitantes de Gaza se afundam  na pobreza e lutam com uma taxa de desemprego de 40 por cento. Imagine quantos novos empregos poderiam ser criados com todo o dinheiro  reunido pelo Hamas. 

Em vez disso, o grupo de terror instalado em  Gaza sente prazer em ver o povo de Gaza sofrer, tanto economicamente como em consequência de sua violência contra  Israel, tudo a serviço do principal  objetivo  do Hamas.


SP 27.7.14.








Jesus disse não


João Cruzué

Vivemos em uma época em que a palavra sim está na moda. Pelo amor ao dinheiro,  a consciência de muito religioso troca o não pelo sim, por um simples exercício de racionalização.

há bispos e pastores que dizem, sim! Pelo interesse em perenizar o poder, os políticos dizem "sim!" à corrupção. Pela introdução dos relacionamentos descartáveis na sociedade a palavra sexo usurpou o significado de amor - sim. Também vivemos em dias, que os filhos quando conversam com os pais, só esperam ouvir: Sim! Tempos da relativização do santo, do escárnio da moral, da banalização do sexo, da "Lei de Gerson" que se tornou um texto consuetudinário enquanto o "Príncipe" de Maquiavel tem sido a bíblia de cabeceira de muitos aspirantes ao "pudê". No entanto, hoje eu não vim enaltecer o "óbvio", mas lembrar de três momentos em que Jesus Cristo exercitou a força da palavra não.

Decerto que houve mais de três momentos em que Cristo precisou dizer não. Assim posso restringir o foco do meu post em três passagens bíblicas. Eu sei que este texto vem destinado a mim, e por isso mesmo, também poderá falar com muitos. Jesus disse não: durante a tentação; Jesus disse não, diante da mulher adúltera e Jesus disse não durante sua crucificação.

Há momentos que é preciso dizer não!

Quando Jesus foi para o deserto orar e jejuar por 40 dias e noites, ele foi assediado pelo diabo. E naquele lugar solitário e árido o Senhor foi tentado por três vezes. Na primeira, o diabo tentou quebrar sua obediência à vontade de Deus, sugerindo: Se tu és o filho de Deus, manda que estas pedras se transformem em pães. Colocar a satisfação de uma necessidade justa, primária, na hora errada. Cristo pensou duas vezes, como é costume dizer, e respondeu que nem só de pão vive o homem, mas de toda palavra de Deus. Comer era uma necessidade básica, ainda mais depois de 40 dias de jejum, mas Cristo esperou para o momento certo, quando os anjos de Deus desceram para lhe dar alimento. Depois o diabo procurou tentá-lo com a fama e comisso matá-lo antes do tempo, induzindo-o ao suicídio. A fama também mata, haja vista o que tem acontecido com milhares de religiosos. Na última tentativa, o diabo ofereceu o poder e a glória deste mundo, e foi rechaçado pelo Cristo, pois o Reino de Deus é um reino espiritual.

Se Cristo tivesse racionalizado com a palavra de Deus, como muitas autoridades estão fazendo hoje, a miséria, o pecado e a morte seriam eternas. Isto não aconteceu, pois a mente do Senhor estava atenta ao que era (e o que não era) a vontade do Pai. Ah! como tem gente sendo enganado pelo diabo pensando que estão fazendo o que é da vontade de Deus.

A segunda vez que Jesus disse não, foi diante de um grupo de religiosos radicais. Adiante, ia uma mulher adúltera. Atrás, velhos e moços com grandes pedras na mão. Calmo, Jesus escrevia no chão. Tendo insistido, o Senhor propôs: Aquele que estiver sem pecado, que atire a primeira pedra. Saíram primeiro os mais velhos; surpresos, os jovens os seguiram. Frente a frente, ficaram uma mulher assustada e agradecida e o Filho de Deus. "Mulher, onde estão os teus acusadores? ...Vai em paz e NÃO peque mais."

Jesus disse sim, para a vida e não, para o pecado. Ele ama o pecador, mas aborrece o pecar. E mais ainda aborrece aos atiradores de pedra de plantão que se postam nas portas do templos para procurar falhas e defeitos na vida dos irmãos e dos pecadores que tenta se aproximar da salvação.

A terceira vez que Jesus disse não, foi quando ele estava a poucos momentos da morte e um coro de filhos de príncipes zombava: Se tu és o Cristo, desce da cruz agora e salva-te a ti mesmo! O curioso é que o início desta frase também foi usada pelo diabo - Se tu és o Cristo... Como também não é mera coincidência as mesas palavras dentro do contexto da pergunta do Sumo Sacerdote em Marcos 14:61, e de membros do Sinédrio em Lucas 22:67. É somente impressão minha ou toda aquela gente estavam com suas bocas à disposição do diabo?

Se Cristo tivesse descido da cruz com o poder e a glória que tem, o plano da salvação teria fracassado e nunca mais alguém escutaria o seu nome. Mas Cristo venceu a vontade do diabo. Ele venceu a própria vontade, e é por isso que, 2000 anos depois, seu nome continua sendo Maravilhoso, Deus Forte, Conselheiro, Deus Forte e Pai da Eternidade.

Há "nãos" que não precisam ser ditos para que sejam entendidos. Atitudes falam mais alto que palavras, porque são mais difíceis de serem tomadas.

Quero terminar esta mensagem fazendo três perguntas para mim mesmo:

-Qual é o preço de se dizer não! Quando as pessoas esperam que devemos dizer sim?

Se alguém vier oferecendo uma oportunidade maravilhosa, dizendo que é uma bênção, será que estarei pronto para dizer a resposta certa, dentro da vontade de Deus?

De acordo com minhas atitudes, que palavra o Senhor me dirá, naquele dia, quando eu bater a sua porta?

Diante disso, chego a esta conclusão: minha justiça perante o Senhor é como trapos de imundície e que eu preciso muito conhecer sua vontade para dizer não no tempo apropriado.





segunda-feira, julho 21, 2014

Medicina na Bíblia




Wilma Rejane


Existiria na Bíblia o ensinamento de que é pecado recorrer a medicina para curar doenças? O uso da ciência médica seria indicação de falta de fé? Esses são dilemas constantes no meio cristão, evangélico ou não, visto que há religiões que proíbem sua comunidade de recorrer a procedimentos médicos como por exemplo: transfusão de sangue, transplantes e outros.

Sei que o assunto exige extenso debate, mas quero tão somente que esse artigo sirva de suporte para ajudar pessoas que procuram referencias Bíblicas para o uso da medicina: Deus condena essa prática? 

Há inúmeras passagens Bíblicas sobre a ciência médica, a primeira referência está no livro de Gênesis quando Deus realiza um corte na costela de Adão com o objetivo de originar Eva. Por que Deus escolhe fazer a Eva de Adão? Ele não poderia fazê-la de modo independente, como fez com Adão? Nessa operação cirúrgica de Deus está presente o papel social de homens e mulheres, mas também e de forma esplêndida o papel de medicina na origem de todos os seres humanos; a química, biologia, genética e outros. Observemos:

Gênesis nos diz que Deus criou Eva usando material retirado do lado de Adão. (Gênesis 2:21-22) A palavra hebraica para o que foi tirado de Adão é tsela = costela(H6763 de Strong). 


Os componentes necessários para fazer Eva já estavam nas células de Adão, ou seja, os cromossomos humanos, que carregam o material genético para fazer o corpo humano. Todos os seres humanos têm 46 cromossomos, mas o sexo é determinado por apenas dois deles - chamados X e Y. Os machos têm um X e um Y. As fêmeas têm dois Xs.


Portanto, para tornar células femininas a partir de células masculinas Deus teve todos os diferentes tipos de cromossomos que precisava. Ele tirou o Y e duplicou o X, mas Ele não teve que inventar qualquer novo  cromossomo. Adão e Eva foram, criações únicas e separadas, produtos de um Deus que sabia manipular coerentemente os dados científicos que tinha em mãos.


Passando do Gênesis, vamos para o livro de Levítico, Onde Deus orienta a congregação de Israel a fazer uso de práticas sanitárias e de higiene pessoal em prol da saúde Dt 23: 10 a13

"Quando entre ti houver alguém que, por algum acidente noturno, não estiver limpo, sairá fora do arraial; não entrará no meio dele.Porém será que, declinando a tarde, se lavará em água; e, em se pondo o sol, entrará no meio do arraial.Também terás um lugar fora do arraial, para onde sairás.E entre as tuas armas terás uma pá; e será que, quando estiveres assentado, fora, então com ela cavarás e, virando-te, cobrirás o que defecaste."

Queimar animais mortos, lavar despojos de guerra com água corrente e/ou esterilizar com fogo foram medidas também ditadas por Deus para que Israel tivesse os dias de vida prolongados, com saúde. 

E hoje : Países que não têm politicas de saneamento básico,  possuem maiores índices de doenças, subnutrição e mortes. Porque a proliferação de germes é responsável por muitas doenças. Deus ensinou sobre isolar roupas e pertences de leprosos e anos depois mais precisamente em 1873 ficou comprovado que a lepra era altamente contagiosa e que sua bactéria poderia sobreviver até três semanas fora do corpo.

E no século 14: A peste negra  ceifou  milhões de vidas e não foi quebrada até que os pais da igreja em Viena  incentivaram o público a  a seguir as diretrizes  estabelecidas na Bíblia. Os resultados promissores em Viena obrigaram outras cidades a seguir o exemplo e, a temida praga foi finalmente erradicado .

Circuncisão ao 8º dia
Deus instituiu a circuncisão  dos meninos nascidos em Israel, a partir do oitavo dia de vida (Gn 17:12, 21:14, 00:03 Levi, Lucas 2:21). Médicos pesquisadores descobriram  que os dois principais fatores de coagulação do sangue, a vitamina K e da protrombina, atingem o seu nível mais alto na vida, cerca de 110% do normal, no 8 º dia após o nascimento. Estes agentes de coagulação do sangue facilitam uma rápida cicatrização e reduzem a chances de infecção. Atualmente, qualquer procedimento de circuncisão antes do 8º dia exigirá injeções de vitamina K para cicatrizar sem problemas.

O que levou anos em pesquisa para ser descoberto,já estava escrito pelo Médico dos médicos nas páginas da Bíblia Sagrada.

Ezequias,  Acazias  e Asa

O profeta Isaías (sobre direção de Deus) prescrever um medicamento para Ezequias, o composto feito com pasta de figos foi colocado em cima da enfermidade e teve efeito rápido de cura. II Reis 20:7.“Disse mais Isaías: Tomai uma pasta de figos. E a tomaram, e a puseram sobre a chaga; e ele sarou.” e Isaías 38:21.


II Reis 1:1-4 cita ainda o exemplo do rei Acazias de Israel, que estava doente e foi enviado para Belzebu, o deus de Ecrom, para ver se ele  se recuperava da doença. A resposta de Deus através de seu profeta Elias no versículo 3 foi: "Será que é porque não há Deus em Israel, que você está indo para consultar a Baal-Zebube, deus de Ecrom?"

A Bíblia condena a confiança em deuses pagãos, amuletos, encantamentos ou outras formas de magia ou superstição. Rei Acazias enviou a Baal-Zebube, deus de Ecrom, para saber se ele iria se recuperar de uma doença, da mesma forma como o rei Saul consultou a feiticeira de Endor antes de sua batalha final. Acazias deveria ter consultado a Deus. Esta passagem é sobre a idolatria; não tem nada a ver com a obtenção de ajuda médica. 

Em outro exemplo, quase no final de sua vida, o rei Asa foi repreendido por Deus por causa de uma doença muito grave, ele não buscou a Deus, mas procurou os médicos (2 Crônicas. 16:12-13). O problema era que Asa não havia buscado a Deus primeiramente, mas havia colocado toda a confiança nos médicos.


No Novo testamento

Jesus Cristo disse: "Aqueles que estão bem não precisam de médico, mas os que estão doentes" (Lucas 5:31). Era uma clara referência a cura do espírito, sendo Ele, Jesus a cura daqueles doentes.

Lucas 4:23 Jesus cita o provérbio: "Médico, cura-te a ti mesmo"

Lembremos que Lucas, o que narra esses acontecimentos da vida de Jesus, era médico e em nenhum momento da Bíblia é dito que ele deixou de exercer a medicina por causa da fé. Em Colossenses 4:14 Paulo se refere a Lucas como o "médico amado".

Em Marcos 5:24-29 vemos outra referência aos médicos: Uma mulher há doze anos sofria com fluxo de sangue,tendo ido a vários médicos em vão. E bastou um toque da mulher na orla da veste de Jesus para, enfim, ficar curada.

Quando Jesus exerceu seu ministério na Palestina, Ele encontrou muitos doentes, multidões que estavam sofrendo pela ineficácia da medicina daquela época. Jesus veio trazendo a cura e ensinando que vários fatores poderiam motivar a enfermidade do corpo a espiritualidade era uma dessas causas. Contudo, não deveríamos considerar toda doença como fruto de pecado, maldição. As doenças eram consequências também de falta de cuidado com a saúde, acidentes e outros.


Considerações finais:

Por todo o contexto Bíblico, podemos concluir que Deus Pai, Filho e Espírito Santo têm todo o poder para curar qualquer enfermidade que seja. Devemos sempre recorrer a Ele para vencer do mais brando ao mais terrível diagnóstico. Uma vida de oração e adoração constante  nos dará segurança de que Deus está no controle do que quer que aconteça conosco. E se Deus criou a fé e a medicina, não estamos condenados a padecer por doenças que a medicina pode auxiliar a curar. Contudo e sobre todas as coisas, nossa confiança não deve estar nos homens, mas em Deus. 

Tiago 5:14-16

"Está alguém entre vós doente? Chame os presbíteros da igreja, e orem sobre ele, ungindo-o com azeite em nome do Senhor; E a oração da fé salvará o doente, e o Senhor o levantará; e, se houver cometido pecados, ser-lhe-ão perdoados. Confessai as vossas culpas uns aos outros, e orai uns pelos outros, para que sareis. A oração feita por um justo pode muito em seus efeitos."

 Recorrer a Deus em casos de doenças, pode nos proporcionar:

  • Em primeiro lugar uma cura sobrenatural sem auxilio de medicamentos.
  • Uma orientação sobre onde e a quem recorrer
  • Tranquilidade e segurança para lidar com o tratamento médico
  • Recursos financeiros e humanos
  • Sobriedade para tomar decisões
  • Resignação para conviver com certos espinhos que nem sempre deverão ser arrancados ( II Coríntios 12)

Provérbios 3:5-6: "Confia no Senhor de todo o teu coração, e não se apoie em seu próprio entendimento;  reconhecê-O em todos os teus caminhos e Ele endireitará as tuas veredas." 

Deus não condena a medicina, nem os cristãos que recorrem a ela. O que Deus condena é o confiar apenas nos recursos humanos esquecendo-se que Ele pode transformar situações. Condena o ocultismo, a superstição, a idolatria na busca pela cura.

Outra consideração que faço é a de que me sinto pequena e incapaz diante da Soberania e poder de Deus. Por isso, sempre que me deparo com situações de doenças quer seja comigo ou com outros, primeiramente recorro a fé porque sei que ela dá o suporte necessário e eficaz para todas as demais áreas. 

A Deus seja a honra e a glória por Sua justiça e perfeição, pela cura sobrenatural ou medicinal. A Ele seja a glória pelo que a vida nos oferece e também pelo que não nos compete.


Deus o abençoe

Fontes: Bibleevidences e Bíblia sagrada.


Wilma Rejane edita o blog A Tenda na Rocha e colabora com o Olhar Cristão