quinta-feira, março 22, 2012

Como ouvir a voz de Deus 2

.
Chuva de bênçãos
João Cruzué

Escrevi o primeiro texto há uns cinco anos, e desejei continuar no mesmo assunto. Sei queDeus fala conosco de várias formas e de várias maneiras. Fala por um conselho da família, de um pastor e até por um estranho.  O detalhe é que nem sempre  temos tempo para ouvir ou nossos ouvidos estão como o botão do rádio em off. Tenho certeza que muitos há mais crentes mais experientes e abençoados que eu, contudo, quero escrever para adicionar uma pequena mudança em seu entendimento. Se isto acontecer é por bondade do Senhor, e não mérito meu.

Deus falou pelo menos umas oito vezes com Abraão. Já estive meditando sobre o assunto.  Da primeira vez disse: Sai da tua terra, do meio da tua parentela e da casa de teu pai, e vai para a terra que eu te mostrarei.  

Não sabemos quanto tempo Abrão ainda ficou em Ur. E quando ele saiu, não foi só; juntos foram a família do pai e o sobrinho. Pararam no meio do caminho, em Harã. E Deus só voltou a falar com Abrão quando ele deixou Harã e chegou na terra  prometida. Para trás tinha ficado a terra natal e a família do Pai. 

No entanto, o sobrinho ainda continuava com ele. E Deus só voltou a falar com Abrão, no dia que o sobrinho se apartou dele, deixando-no no prejuízo. Os textos estão em Gênesis, capítulo 12:1; 12:7 e 13:14.

Um pequeno comentário: Deus fez uma promessa inicial para Abrão. À medida que este avançava em obediência e fé nas promessas, Deus continuava a falar. Falou pela segunda vez quando chegou no destino. Falou pela terceira vez, quando cumpriu completamente a exigência de Deus: Longe da terra natal, longe da casa paterna e longe da parentela. Deus falava nas crises de Abraão para confortar e surpreendê-lo.

Minha experiência pessoal: Quando deixei minha terra e a casa de meu pai para morar em São Paulo, foi nesta época que aceitei a fé e me tornei um seguidor de Jesus. 

Imagino que nossos ouvidos não estejam abertos ao que Deus tem para nos falar enquanto não saímos da zona de conforto. Foi assim com Moisés, Josué, Sansão, Samuel, Elias, David,  Neemias, Pedro, Paulo e comigo.

Pelo menos umas quatro vezes  ouvi a voz de Deus falar comigo.  Vou comentar sobre duas. Eu estava no final de onze longos anos de desemprego. Casado, pai de duas crianças, cortando despesas a cada ano, e procurando as oportunidades de ganhar o pão que aparecessem. Era mês de março, e estava no sítio, na companhia de minha mãe, longe da família e de São Paulo. O que estava fazendo? Plantando 160 covas de bananeiras maçã, por sugestão de minha saudosa mãe.

Quando terminei o plantio, ao final de uns cinco dias de trabalho, choveu. Eram duas horas da tarde. E uma chuva mansa  caiu e começou a molhar a poeira  da terra. Vi a bênção de Deus naquela chuva. O sol  iluminava a tarde, enquanto as gotas da chuva  brilhavam entre seus raios. 
 
No sítio dormíamos cedo, para acordar mais cedo ainda. Eram 08 horas da noite, quando eu pousei os joelhos ao lado da cama para orar. No mesmo instante, coincidentemente outra chuva mansa começou cair. E no outro dia, eu passaria a manhã inteira regando cada uma daquelas 180 covas de bananeiras. Depois eu voltaria para minha família, em São Paulo.

Eu sabia que aquelas duas mansas chuvas não molhariam completamente as plantas. Mas com a coincidência daquela chuva repentina na hora da oração, de alguma forma percebi que  Deus me provocava para fazer uma oração bem-humorada.  

E eu disse ao Senhor: Pai, eu posso regar amanhã cada uma daquelas mudas de bananeira, sem nenhuma preguiça. Mas, se o Senhor está mesmo disposto a regá-las que mande  mais outra chuva" e arrematei sem cerimônia: Mas que dessa vez seja dez vezes mais grossa!  Agradeci e dormi. Dormi, mas acordei  na madrugada com o barulhão de grossas goteiras caindo do telhado  na calçada  lá embaixo. Sem  vento, relâmpago ou trovão.

No outro dia observei na  estrada as marcas de enxurrada. Subi ao campo e havia lama nas covas das bananeiras de tanta chuva. De fato, deve ter sido mesmo "dez" vezes mais grossa, pensei. E enquanto eu olhava o campo e as folhas das bananeiras, uma voz interior falou forte em minha alma:  Se Eu me preocupo em regar tão simples e comuns bananeiras, também estou cuidando de você.

Três meses depois, era 14 de julho de 2003, o Senhor abriu-me uma porta de trabalho, depois de ter ficado 11 longos anos desempregado. A porta continuou aberta e foi se alargou. Seis anos adiante - no final de 2009 - eu tomei posse em cargo no Tribunal de Contas do meu estado. Cargo Efetivo. Eu passei e fui convocado em dois concursos em dois Tribunais TCESP e TJSP. Por causa disso, recusei convite para trabalhar na Secretaria de Finanças do Município de São Paulo. Fiquei com a melhor oportunidade. Foi mesmo uma chuva 10 vezes mais grossa.

Deus tem o "estranho" costume de falar conosco em tempos de crise. Com certeza por que  não estamos interessados em ouvi-lo  na inércia de uma boa zona de conforto. Ele permite que passemos por aflições e tribulações, mas quando pensamos que estamos sozinhos, não vemos  que Ele nos observa, tentando cruzar um mar de dificuldades no frágil  barco da vida. Então ele  repreende o vento e manda o mar se aquietar. É assim que Deus faz.




.

2 comentários:

Marileide Santos disse...

A paz do Senhor Jesus irmão,

Louvo ao Senhor por usar seus vasos para encher a outros vasos que estejam precisando, o trabalhar do Senhor é lindo e seu amor incondicional... Texto edificante, uma resposta do Senhor para minhas perguntas.

Que Deus o abençoe e te capacite a cada dia mais.

Obrigada irmão.

Zéia disse...

Caríssimo irmão.

Visitanto seu blog (acredito que direção do Espírito Santo) seu texto testificou em meu espírito a luz da Palavra de Deus, movendo dentro de mim o Amado Espírito Santo.
É desse jeito mesmo. Também estava vivendo uma situação (enfermidade) e passei a viver isolada (Pr 18.1)
e começaram a acontecer situações que Deus falou comigo mt claro que mesmo passando no Vale de sombra de morte Sua Presença permanecia junto de mim e que esperava uma reação, uma atitude minha. "A fé no espírito, exercendo a fé a luz de Sua Palavra".
Boa Palavra. Em Nome de Jesus.
Que Deus o abençoe poderosamente em nome de Jesus.