sexta-feira, dezembro 19, 2008

A era digital veio para ficar


Digital Era

Por João Cruzué


Estive pensando: sabe estes novos aparelhos de TV digital que você pode ver nas grandes lojas da cidade, com Telas de LCD enormes de 40, 50 ou 60 polegadas? Não vai demorar muitos anos para que você possa encontrá-los em qualquer lar, à medida que seus preços forem caindo. Eles vão ter usos os mais diversos, que você possa imaginar.

Através daquelas telas enormes, entre outras coisas você vai poder estudar em casa. Cursar uma carreira universitária, fazer pós graduação à distância, usar a mesma TV como um computador, pois as CPUS processadores e demais componentes continuarão diminuindo de tamanho. Assistir filmes, estudar, ver programas de TV, acessar sites de relacionamentos sociais, ler jornais, revistas, ouvir músicas do mundo inteiro - apenas em um aparelho. Ruppert Murdoch já está se preparando para o futuro - o magnata da imprensa sabe que a derrubada de milhões de árvores para imprimir as páginas e mais páginas de jornais e revistas comuns estão com os dias contados. Não que isto seja apenas decorrente de pena de ver a pobrezinha da árvore cair para ser transformada em pasta de celulose. Há umoutro fator mais grave nisso: até que o processo inteiro se complete, milhões e bilhões de litros de água são gastos. Então não é apenas uma questão de lógica ecológica mas de lógica de sobrevivência. O mundo caminha celeremente para uma escassez de água.

Todo este conforto digital vai ter um preço ainda desconhecido. O mundo digitalizado deve produzir pessoas cada vez mais individualistas, reclusas, solitárias, com centenas e milhares de amigos virtuais conhecido apenas por seus avatares ou por seus bilhetinhos e assinaturas digitais. Quando se cruzarem nas ruas nem se cumprimentarão. Se nos próximos anos a segurança das pessoas nas ruas for afetada, os relacionamentos reais cederan lugar aos relacimentamentos digitais.

Se é neste mundo que vamos viver nas próximas décadas, a era digital não apenas chegou , mas veio para ficar. No que diz respeito à pregação do Evangelho do Senhor Jesus, inexoravelmente, o maior meio de divulgação também será o caminho digital. Tivemos várias eras e formas de divulgação do evangelho. desde a pé, montado, de barco, de trem, de navio, de avião, pela livro impresso, pelas ondas do rádio, pelo telefone, pela TV aberta, mais recentemente pelos computadores através da Internet, e estamos caminhando para um tipo de comunicação digital que já está sendo acessada por outros aparelhos digitais - como celulares e depois chegará nos grandes TVs de Plasma e LCD.

Como a Igreja tem sido mais lenta que o restante da sociedade par perceber os processos de mudança de tecnologia, uma coisa é certa: o domínio da tecnologia digital vai ser muito importante de agora em diante no processo de pregação do Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo. O folheto, as revistas e os jornais evangélicos estão sendo substituídos pelos Blogs. O que vai ser publicado na revista na semana seguinte, já será notícia requentada, já publicada e comentada em muitos blogs. E perigo que vem com isso, que é a manipulação de massas por pregadores criados por estratégias malignas de marketing onde a imagem pode ser manipulada em quase tudo. Evangelizar vai ser mais fácil, mas andar na presença de Deus vai ser difícil, tal a quantidade de opções e caminhos e portas de todas as larguras.

A era digital já chegou e veio para ficar. Vai mudar os hábitos de uma sociedade cada vez mais apática e pouco participativa . Você que tem um compromisso de fidelidade com Deus, já está se preparamdo para enfrentá-la?


cruzue@gmail.com

.

6 comentários:

Eliseu Antonio Gomes disse...

João

Os novos televisores de LCD estão aí e já tomaram conta do mercado. Os antigos aparelhos, de tubo, não estão mais sendo industrializados em 100%, numa comparação com novembro / dezembro de 2007. No lugar, estiveram os aparelhos com tela digital e cristal líquido.(Informação vista numa reportagem na Rede Cultura de Televisão).

Com o passar do tempo será cada vez menor a fabricação dos televisores com tubo. Em questão de três anos deixarão de ser fabricados.

Alguns anos atrás vimos o sumiço das máquinas de datilografia, dos aparelhos de fita K7 e as próprias fitas, dos aparelhos de disco de vinil e os próprios discos, dos videocassetes... Chegou a vez do televisor de tubo!

Abraço.

Eliseu Antonio Gomes
http://belverede.blogspot.com/

Preta, Preta, Pretinha... disse...

interessante, muito interessante. Isso me faz pensar em usar tudo o que está sendo criado, como forma de honra e glória a Deus e pregação da palavra!

Felipe Huvos Ribas disse...

Umas das coisas que eu acho interessantes são esses "e-book readers" (inclusive mandei um e-mail para o senhor de um produto desse tipo). Imagina um aparelho do tamanho de uma folha de papel atual, mas com capacidade de acessar a internet sem fio e, ainda, só gastar energia quando trocar de página? Além disso, com um tipo de tela que não prejudique tanto a vista quanto os monitores de computador? (sério, às vezes eu fico com dor de cabeça quando fico lendo muito no computador, talvez seja por causa do monitor ou porque eu li muito, não sei, mas se for o monitor essa evolução de tecnologia será uma coisa boa, talvez). Mas tenho essa preocupação que o senhor demonstrou no texto, sobre as pessoas ficarem cada vez mais individualistas, solitárias (eu mesmo fico bastante solitário às vezes, talvez por conta de usar o computador).

Outra vantagem desses e-book readers é a quantidade de livros que poderão ser carregados em um aparelho desse tipo que eu falei acicma. Imagina? Uma biblioteca inteira em um aparelho. Para os estudantes vai ser uma boa. Porém, olha o que fala esse versículo da Bíblia:
Eclesiastes 12:12 Além disso, filho meu, sê avisado. De fazer muitos livros não há fim; e o muito estudar é enfado da carne.

Levi Bronzeado disse...

Prezado João Cruzué

O avanço tecnológico no mundo das comunicações tem acarretado alguns transtornos, ao exigir de nós uma constante reciclagem na difícil e multifacetada área digital. Para que possamos entender a linguagem cibernética que nos cerca em todos os sentidos, temos que nos render, e forçosamente aprender a manejar esta complicada arte: a da computação. Mas, esse é o preço que temos de pagar pela dádiva de ter tudo às mãos, sem sair do lugar.
Na solidão de nosso gabinete, tendo à frente uma tela e sob as mãos um teclado, nos contatamos com qualquer pessoa em qualquer local do planeta.
Sem o calor humano da conversa “cara a cara”, nos valemos de letras, números, figuras e desenhos animados, para demonstrar as nossas emoções “via satélite”.
Revendo os prós e os contras, acho que valeu a pena entrar no mundo digital.

Graça e Paz,

Levi B. Santos

Se póssivel, dê uma passadinha no meu blog: www.levibronze.blogspot.com

Guiomar Barba disse...

Maranata!
Aproveitemos o máximo q possamos para proclamar as verdades sagradas. Esclareçamos sobre as inverdades, combatamos com garra toda mentira de supostos homens de Deus.E o Espírito Santo suprirá o que nos for impossível. Nehuma ovelha se perderá...Abraços.
Guiomar.

Lady Peep Toes disse...

Caro pastor João Cruzué,

Leio seu blog há alguns meses e gosto muito.

Em muitos momentos imprimi os posts para dar a alguém, eu mesma sempre leio pedindo que Deus fale comigo através de suas palavras.

A respeito desse assunto, me vem a mente que toda circunstância adversa nos propicia uma saída inovadora.

Como cristãos, temos calor humano e amor suficientes em Cristo para atrairmos as pessoas ao nosso redor, nossa luz brilhará mais do que nunca...e o amor de nosso Jesus poderá ser compartilhado de modo muito mais intenso, considerando que todos os fatos narrados no post nos levam a concluir que a carência de afeto será cada dia maior.

De modo algum nos alegramos com a carência alheia, mas sabemos que é um fato, e sendo assim, deve ser considerado, tudo com vistas a amenizar a dor do próximo, lhe apresentando o amor maravilhoso de Cristo.