sábado, fevereiro 25, 2012

População Evangélica do México cresce 72% em 10 anos

.
Mexico
População Religiosa do México - Censos 2000 e 2010

Por João Cruzué
También en español

Em homenagem aos irmãos mexicanos leitores do Blog Olhar Cristão, procedi uma pesquisa nas páginas do INEGI -  Instituto Nacional de Estadística y Geografía, similar mexicano do nosso IBGE, em busca de dados sobre religião nos censos de 2000 e 2010. Trabalho semelhante ao que venho fazendo e publicando no Brasil desde 2009.

Com base em dados publicados pelo Instituto Mexicano elaborei uma tabela para transformar dados em informações. Informações inéditas produzidas em primeira mão.

A primeira informação produzida com base nos números da tabela:  Em relação a participação total,  a população católica caiu 5 pontos porcentuais em 10 anos (2000 a 2010) -  de  89,08%  para 84,21%.  Em termos quantitativos  cresceu 12,87%; de  74,6  para 84,2 milhões de fiéis. Menos que o crescimento total da população, de  15,24%.

Segunda informação: No mesmo período, a população protestante/evangélica avançou  2,42%.  De 5,26% para  7,68% de participação na população pesquisada.  Em termos quantitativos cresceu 72,19%. Quase que dobrou: De  4,4  para 7,6 milhões de crentes. 

Terceira: Números  muito semelhantes aos do Brasil da década 1971 - 1980 , quando saímos de 4,8 para 7,8 milhões de crentes.  Numa análise ingênua dos números, o México evangélico está 30 anos atrás em relação ao Brasil. A diferença é que enquanto crescemos  1,46% na década de 70 no Brasil, o México avançou  quase o dobro: 2,42%.

Quarta: O seguimento dos "Bíblicos Não Evangélicos" (Mormons, Adventistas, Testemunhas de Jeová) representam 2,35% da população mexicana em 2010.  Protestantes/Evangélicos e Bíblicos não Evangélicos representam 10,04%.

Quinta: Com base nestes números, e a semelhança do que aconteceu nas últimas três décadas no Brasil, posso fazer a seguinte projeção: Entre 2011 - 2020 a população protestante/evangélica pode dobrar outra vez no México, crescendo dos atuais 7,6 para 15 milhões de crentes. De 7,68 para 11,6%.  Os católicos devem continuar caindo, de 84,21% para 72,4%.

Por fim, o fenômeno do crescimento  evangélico (de maioria pentecostal) no México, como em toda  América Latina é irreversível, pois  o esforço de evangelização e a descentralização da Igreja evangélica são bem mais eficientes e efetivos do que a perfórmance da Igreja Católica Romana.

Data: 25.02.12
Publicado originalmente para Blog Olhar Cristão
Autoria: João Cruzué

También en español





6 comentários:

Dilson Goulart de Mendonça disse...

Vc queria uma nota, só posso lhe dar nota 10, muito bom mesmo esta sua pesquisa. Graça e paz!

Pr. Carlos Roberto disse...

Caro amigo Pb. João Cruzue,

A Paz do Senhor!

Grato pelas informações de primeira!
O que seria da blogosfera cristã se o OLHAR CRISTÃO!

Deus te abençoe!

Um grande abraço!

Seu conservo,
Pr. Carlos Roberto

Wilma Rejane disse...

Irmão Cruzué,

O trabalho estatístico não é fácil, ainda mais quando se usa de comparativos. Por isso, parabenizo-lhe pelo estudo que serve de referência tanto no México, como no Brasil.

Abençoado seja o Mexico, pois feliz é a nação cujo Deus é o Senhor, e o povo que Ele escolheu como herança Sl 33:12.

Abençoado seja também nosso Brasil.

Em Cristo.

Sidney disse...

Fruto do trabalho missionário de todas as nações, que enviam ministros evangélicos para com grande participação do nosso querido Brasil.
Brasil continue enviando missionários para o México.
Deus é quem dá o crescimento.
Obrigado pela informação Pr. Cruzué.

Arão Rocumback Duarte disse...

Pr. João, parabéns pela pesquisa divulgada. Nota 10. Tais dados servem de ferramenta para nos conscientizar que temos muito trabalho, pois embora a população evangélica naquele país cresceu 72% em 10 anos, representa apenas 7% do total da população. Deixo a todos alguns versículos como: João 4.35 "Não dizeis vós que ainda há quatro meses até que venha a ceifa? Eis que eu vos digo: Levantai os vossos olhos, e vede as terras, que já estão brancas para a ceifa."; Mateus 9: 35 a 38 "35. E percorria Jesus todas as cidades e aldeias, ensinando nas sinagogas deles, e pregando o evangelho do reino, e curando todas as enfermidades e moléstias entre o povo. 36. E, vendo as multidões, teve grande compaixão delas, porque andavam cansadas e desgarradas, como ovelhas que não têm pastor. 37. Então, disse aos seus discípulos: A seara é realmente grande, mas poucos os ceifeiros. 38. Rogai, pois, ao Senhor da seara, que mande ceifeiros para a sua seara." E por último: Romanos 12.2 "E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus."
Um forte abraço.
Arão Rocumback Duarte

Anônimo disse...

Quem diria, o país da "Virgenzinha de Guadalupe, o país da tequila, do catolicismo tão conservador", está se tornando evangélico. Pobres mexicanos, não sabem o triste destino que seus netos terão, pois assim que o protestantismo tomar conta do México, perderão suas liberdades, suas escolhas e as minorias seus direitos, pois embora haja muitos evangélicos cristãos, abertos e racionais, existem os fanáticos radicais e extremistas (Feliciano, Macedo, Malafaia). Eles tomarão conta de toda a América Latina, já estão tomando conta do Brasil, a taxa de crescimento dos evangélicos aqui no Brasil não é mais reversível, em 20 anos o Brasil será evangélico, governado talvez por fanáticos religiosos que apenas querem encher o bolso e empobrecer ainda mais o Brasil. Preparem-se para uma nova Cruzada, uma Nova Guerra Santa, pois um país não é feliz só porque é governado por evangélico que seguem cegamente a Bíblia, país feliz é onde todos se respeitam, são honestos. Se fosse assim WILMA REJANE a Sécia, Noruega e Dinamarca (países ateus) seriam os mais pobres do mundo, e Etiópia, Catar, Argélia (fanáticos muçulmanos) seriam os mais ricos.
Sua estatística é interessante e assustadora, tenho certeza que em um país de maioria evangélica vai predominar a discriminação, a violência, o extremismo, a pobreza e a desigualdade social, ser evangélico não faz uma pessoa melhor do que ninguém, amar o próximo como Jesus ensinou, isso sim nos torna pessoas melhores, porém, a maioria dos evangélicos não sabe ou não entende isso (salvo alguns casos).