domingo, junho 10, 2018

O resultado das escolhas de Sansão

Sansão e os Filisteus
João Cruzué

" Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis, pois, que sociedade pode ter a justiça com a injustiça, e que comunhão pode ter a luz com as trevas? Pelo que saí do meio deles e apartai-vos, diz o Senhor, e Eu serei para vós pais e vós sereis para Mim filhos e filhas, diz o Senhor Todo Poderoso." II Cor. 6.

Sansão é um triste exemplo bíblico de como a desobediência de um jovem crente a essa ordenança de Deus pode trazer aborrecimentos, infelicidade e desgraça. Fuja deste comportamento. Eis um resumo da sua vida amorosa.

Sansão nasceu de um milagre, de uma promessa de Deus. Por duas vezes, o Anjo do Senhor apareceu e fez promessas a sua mãe, pelo motivo de que era um mulher estéril. Deus cumpriu com o prometido. Sansão nasceu e crescia cheio do Espírito Santo . Até o dia que seus olhos se encantaram com uma mulher de família de ímpios.

Desde cedo, seu coração era atraído por iscas malignas. A Bíblia registra que tanto seu pai quanto sua mãe o advertiram por isso. Mas ficou apenas em uma advertência; não insistiram o bastante em seus conselhos. A pedido de Sansão, eles até o acompanharam à casa da primeira mulher de que ele gostara. Deu tudo errado. Foi como mexer em um ninho de vespas. A partir desse episódio a sua vida começou a correr ainda mais perigo. O diabo procurava matá-lo pela mão dos filisteus.

Continuando com sua desobediência, Sansão começou a procurar por prostitutas. Deus não tinha em mente a infelicidade dele. Nem aprovava suas atitudes. No entanto, Sansão sempre escolhia o caminho errado. Por isso Deus apenas adaptou os planos quanto a destruição dos filisteus.

Depois da prostituta, Sansão se enamorou de outra moça também da família dos filisteus. Seu nome era Dalila. Todo dia, ela perguntava a Sansão onde estava o segredo de sua força; ele sempre se esquivava contando mentiras. Até que começou a se angustiar muito, por causa da importunação constante, com que ela molestava sua alma. Foi por isso, que ele revelou que o segredo de sua força, era seu cabelo comprido que nunca tinha sido cortado.

Dormindo ele, cortaram lhe cabelo.

-Sansão! Acorda porque os Filisteus estão sobre ti!

Pensando que, como de costume, ele se livraria deles com facilidade, desta vez tinha se enganado. O Espírito do Senhor já o tinha abandonado porque ele prosseguira no caminho da desobediência e ainda mais: abrira seu coração, com isto revelara toda sua intimidade para uma mulher infiel.

Furaram seus olhos. Puseram-no, como um animal, a puxar uma pedra de mó para moer trigo para os filisteus. Como um animal e ainda por cima sem os olhos. No fim, ele cumpriu o propósito de Deus quanto a destruição dos filisteus, mas foi a custa da sua própria vida.

Ele morreu jovem, não teve um amor verdadeiro, não se casou, não formou um lar, não deixou filhos. Era fruto de uma promessa mas pôs tudo a perder pela desobediência insistente em cobiçar as coisas mundanas.

Para sua meditação:

Fiel deve procurar por fiel para namoro e casamento. A Bíblia aconselha isso tanto no Velho quanto no Novo Testamento. Infelizmente, todo dia, tem cristão saindo dos limites estabelecidos por Deus. O diabo continua lá: enganando e destruindo a vida de muitos jovens que têm procurado imitar Sansão.

Se este é o seu caso, não se engane nem se deixe enganar. Namoro de cristão é com cristão, e com um detalhe importante : na direção do Senhor. Você ora, espera, e o Senhor prepara o seu par.

Quando Ele escolher, aí sim, você começa namorar. Namoro com garantia do Senhor sempre dá certo! Vale a pena confiar Nele!




.



sábado, junho 02, 2018

A ancoragem da Igreja do Senhor na Pós-Modernidade

Cristo na Tempestade - Pintura de Rembrandt

Por: João Cruzué

O desencanto da sociedade com a religião e depois com a ciência é a principal característica da pós-modernidade. E não parou por aí. No rastro destes dois pilares seguiu-se a política, a justiça e a imprensa.  Assim como na época do Renascimento, um espírito de inconformismo e insatisfação paira sobre tudo e todos,  até mesmo sobre a própria pós-modernidade.

Posso comparar esta época com a situação enfrentada por alguns pescadores no Mar da Galileia, há dois milênios, onde a a fúria do mar e a força do vento, que pareciam incontroláveis, se acalmaram pelo som das palavras de um homem.

Quero começar com a  Operação Lava-Jato, um dos agentes da pós-modernidade no Brasil. Ela desnudou e vem  desnudando com fotos, vídeos e gravações a forma centenária de como o poder do dinheiro vem comprando a consciência dos políticos no Brasil - aos MILHARES. desencanto. A forma como o Ministério Público tratou dos acordos de delação levou o Judiciário a aplicar penas brandas a grandes larápios do dinheiro público. Transparência e desencanto como os agentes da Lava-Jato.

A Igreja Evangélica, minha casa, também enfrenta os efeitos da pós-modernidade. A forma com que algumas denominações "arrecadam" os recursos do bolso dos fiéis é uma ofensa à prudência paulina dos capítulos 8 e 9 da II Carta aos Coríntios. Desde quando o Apóstolo Paulo, em nossos dias, ira tomar os dízimos e ofertas do povo de Deus para comprar uma rede de TV para transmitir novelas, filmes e programas indecentes? De que livro da Bíblia Sagrada veio a inspiração para Igrejas fundarem partidos políticos seculares? Com que autoridade um Pastor Presidente pode aparecer em um culto de Santa Ceia para apresentar pastores ou familiares a pré-candidatos a cargos de representação política? Não deviam eles anunciar nestas ocasiões e lugares um plano nacional de evangelização ou um novo campo de atuação missionária? Transparência e desencanto.

A Ciência que "deveria" soterrar a religião, empacou no sequenciamento do DNA humano. Depois de "sequenciado" trouxe mais dúvidas que certezas. O câncer ainda não tem cura, a AIDS ainda não tem cura. A tuberculose nunca esteve matando tanto. E no Brasil a febre amarela e o sarampo estão de volta. A Ciência não deveria ser ter a solução para toda espécie de males? E o que dizer da comunicação na era digital? É só olhar na hora do rush dentro dos trens e dos metrôs e principalmente em suas escadas: zumbis abstraídos com seus smartphones. Houve um recrudescimento da comunicação. As pessoas estão perdendo a sociabilidade, principalmente dentro dos lares. Ninguém tem mais paciência para conversar com ninguém. No meio cristão, é uma dificuldade reunir a família para orar na hora do almoço. Cada um está recolhido em seu espaço manuseando o seu celular. Não sabemos ainda aonde isso vai dar. Estamos cheios de problemas e comendo mal, perdoe-me a indiscrição: comendo porcaria. Uma quantidade enorme de substâncias químicas na carne, nos vegetais, na água, nos produtos enlatados. Nunca tivemos tanta alergia. E as bulas de remédios, cada vez maiores. Na verdade, grande parte das descobertas científicas está sendo aplicada na produção de bens de uso e consumo humano. Faturamento. A sociedade esperava mais.

Quanto à imprensa, jornal, rádio e TV, é 99% tendenciosa. Mostra a informação sob o ângulo que lhe convém. Muitos jornalistas falam aquilo que a audiência quer ouvir e escamoteiam a verdade. A transparência completa  é algo que ainda precisa ser incorporado ao processo de informação dos fatos à sociedade brasileira na era das páginas eletrônicas.  Gilberto Mendonça Teles (2010), registrou um fato interessante ao notar que os dicionários nem sempre reservaram um verbete especial para o termo transparência [1]. Para defini-lo com a profundidade exigida,  buscou auxílio no Dicionário dos Sinônimos - Poético e de Epítetos da Língua Portuguesa de Roquete & Fonseca (1848). Lá,  encontrou o seguinte:
A água é clara, quando nenhuma substância a turva; é diáfana, quando permite a passagem dos raios de luz, mas só é transparente quando permite a visão completa dos objetos que nela estão contidos.
Diante desses conceitos, não é possível dizer que há transparência em todos os fatos noticiados pela imprensa devido à manipulação.

O Judiciário brasileiro, principalmente o que está instalado nas grandes capitais, é a esfera de poder no Brasil que, segundo a grande imprensa, recebe remuneração, benefícios e aposentadoria acima dos limites impostos pela própria Lei. Transparência e desencanto.

Depois de ter se desencantado com tudo e com todos, chegou a vez da própria pós-modernidade. Sua visão crítica expôs a nudez de todas as áreas. A sociedade, sob está ótica,  passou a observar as mazelas e idiossincrasias de religiosos, cientistas,  políticos, juízes e jornalistas. O resultado disso é um comportamento individualista e consumista. O novo fica velho em menos de um ano. A descartabilidade de tudo.  A pós-modernidade é um pensamento que mostrou o cisco no olho das instituições sociais, sem dar nenhuma referência em troca. As instituições coletivas tiveram suas vidraças quebradas mas o indivíduo está se desgarrando e ficando solitário. Desagregação social.

E o cristão dentro da Igreja, diante de tudo isso, não está imune à fúria do mar e a força contrária do vento. A palavra de Deus ainda é o nosso referencial e a nossa âncora em meio à tempestade.  Entre tantos outros textos, citarei este, um dos meus preferidos: primeira Carta de São João, 2,  assim está escrito:
15 Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele. 
16 Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo. 
17 E o mundo passa, e a sua concupiscência; mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre.
18 Filhinhos, é já a última hora; e, como ouvistes que vem o anticristo, também agora muitos se têm feito anticristos, por onde conhecemos que é já a última hora.
19 Saíram de nós, mas não eram de nós; porque, se fossem de nós, ficariam conosco; mas isto é para que se manifestasse que não são todos de nós.
20 E vós tendes a unção do Santo, e sabeis tudo.
21 Não vos escrevi porque não soubésseis a verdade, mas porque a sabeis, e porque nenhuma mentira vem da verdade.

 O mundo passa, mas a Palavra de Deus permanece. Em meio às tempestades de quaisquer eras eu continuo ancorado nestes belos versos do Salmo 46:
DEUS é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente na angústia.  Portanto não temeremos, ainda que a terra se mude, e ainda que os montes se transportem para o meio dos mares. Ainda que as águas rujam e se perturbem, ainda que os montes se abalem pela sua braveza. Há um rio cujas correntes alegram a cidade de Deus, o santuário das moradas do Altíssimo. Deus está no meio dela; não se abalará.

SP 03/1/18.








O Titanic e o processo de secularização da Igreja Evangélica



Foto do Titanic
João Cruzué

Uma sucessão de erros levou o Titanic ao naufrágio. Vou contextualizar o passado com presente processo de secularização por que passa a Igreja Evangélica brasileira. Acho que é bom enxergar com cuidado o tipo de caminho estamos andando para não sermos rejeitados, pensando que estamos agradando ao SENHOR. Vamos meditar juntos.

O Titanic foi apresentado à sociedade inglesa como um barco "inafundável". Ele foi construído pela empresa White Star Line em um estaleiro de Belfast, Irlanda, para ser o maior transatlântico do mundo. Maior em tamanho e luxo que os concorrentes, Mauritânia e Luzitânia da Cunard Line.

Às 23:40 h do dia 14 de abril de 1912, ele bateu na lateral de um iceberg e teve o casco avariado; em três horas afundou. Setenta e três anos depois (1985) ele foi encontrado por uma expedição franco-americana a 4.000 metros de profundidade.





UMA PARÁBOLA PARA A IGREJA DOS DIAS DE HOJE

Um homem  decidiu construir um grande navio e o batizou com o nome de Titanic. Era para ser o maior  barco que jamais navegara pelo oceano. Quanto ficou pronto, seu construtor contratou uma tripulação para fazer a grande viagem de inauguração:  A travessia do Velho  para o Novo Continente.

A tripulação do navio, a princípio humilde, ao ser apresentada pelo engenheiro àquele colosso, ficou tão envaidecida a ponto de espalhar pela cidade que oTitanic era  insubmergível. E esta confiança cega e inabalável foi o primeiro passo para o desastre.

Em sua primeira viagem, o Titanic transportava 2.208 pessoas, mas levava apenas 20 barcos salva-vidas que mal dava para acudir 1.178 passageiros em caso de naufrágio. 

O Titanic navegava  em um mar gelado no começo da primavera. Grandes icebergs tinha sido vistos por outros navios que navegavam por aquela rota. Um deles enviou notícias que foram captadas pelo telégrafo do Titanic. 

O operador do telégrafo estava tão confiante naquele gigante de aço que decidiu não entregar os alertas ao comandante do navio. Este foi o segundo passo.

Os dois atalaias do barco subiram até o cesto da gávea mas não levaram nenhuma luneta para enxergar ao longe. O 3º erro para o desastre. E foi assim que somente viram o iceberg à frente, a apenas 500 metros de distância.

O alarme foi tocado. 

O comandante viu o perigo, mas em vez de mandar parar as máquinas e diminuir a velocidade, decidiu  desviar do iceberg. O tempo foi muito curto e a manobra somente conseguiu o desvio de poucos graus.  O quarto erro.

Em menos de um minuto um leve tremor aconteceu por todo Titanic. Teve gente que nem percebeu. 

No impacto do casco de chapas de duro aço com a borda da montanha de gelo flutuante, alguns rebites saltaram e abriram-se grandes vãos, pelo desprendimento das chapas uma das outras. Se houvesse brecha em um ou dois compartimentos o navio "inafundável" conseguiria chegar ao destino, mas com o impacto, seis compartimentos foram atingidos e inundados. O diagnóstico do engenheiro construtor foi fatal: não havia mais salvação para o Titanic.  Seu destino não mais seria Nova York, mas o fundo do mar.

Das 2.208 pessoas que estavam a bordo do Titanic, 1.176 morreram afogadas ou de hipotermia no mar.  Isto aconteceu  pela omissão de um operador de telégrafo que recebeu vários alertas, mas não os levou à ponte de comando;  da imperícia de um Capitão que não soube diminuir a velocidade do barco para desviar do iceberg; e da negligência de uma companhia que não levou barcos salva-vidas suficientes por avareza.


UMA INTERPRETAÇÃO CONTEXTUALIZADA

A construção de um grande navio pode representar a vaidade humana à frente de uma denominação religiosa. O  mar é  mundo e sua cultura secular.  O destino da viagem está registrado na Bíblia. Quem envia as mensagens sobre o perigo  é a voz do Espírito Santo.  O texto da mensagem alerta sobre o perigo do pecado. 

Os operadores do telégrafo são os profetas da Igreja. A mensagem tem como destino a ponte de comando. Na ponte de comando estão o líder da denominação e seus ministros

A base de flutuação da Igreja são as famílias. Ela é divida em compartimentos. Os "compartimentos" onde não pode entrar a "água" gelada do mundo são: 
1) As crianças; 
2) Os adolescentes; 
3) A juventude;
4) Os chefes de família - pais e mães;
5) O louvor;  
6) Missões e evangelismo; 
7) O Ministério da Igreja.

O leme do navio é a oração pessoal de seus líderes.  A luneta para enxergar mais longe do alto do cesto da gávea, é o jejum.  

A ponta do iceberg é o pecado da soberba.  A parte maior da montanha de gelo que fica submersa, é a teologia da falsa prosperidade,  aquele velho "canto da sereia" que o diabo pregou para Jesus na tentação do deserto.

Á água que entrou nos compartimentos e fez o navio ir ao fundo, é a corrupção que cai dos canos de esgoto da cultura  deste mundo rebelde a Deus: Das novelas cheias de adultério, dos filmes violentos, da pornografia na internet, propaganda de bebida alcoólica, dos bailes gospel agora nas festas de casamento de crentes, das revistas masculinas, do homossexualismo, da pedofilia, das baladas noturnas, da  moda indecente, do namoro fornicário - etc.

Os barcos salva-vidas representam a salvação pela graça de Deus. Os 20 barcos salva-vidas do navio, insuficientes para salvar  todos passageiros, representam a negligência da liderança da Igreja que não se preocupou nem com a volta de Cristo nem com  o discipulado dos membros.

Por quê, 100 anos depois o naufrágio do Titanic nunca foi esquecido? Talvez para lembrar de umas coisas muito  importantes:

1. Nossos olhos e ouvidos podem podem ser  enganados através de palavras persuasivas de um publicidade enganosa;

2. Para enxergar a realidade dos fatos é preciso ser exigente. Um barco com 2.200 pessoas, não pode ter apenas 20 barcos salva-vidas, para o caso de um naufrágio. A menos que coubessem 120 pessoas, em cada. Mas não cabe.

3. Que não se pode confiar a vida espiritual de nossa família a uma igreja de faz-de-contas cujo barco não vai chegar ao destino.

4. O Titanic não afundou por causa de um erro, mas por uma sucessão deles: Falsa confiança, falta de barcos salva-vidas,  falta de responsabilidade, falta de lunetas, falta de conhecimento, falta de perícia e falta de treinamento. 

5. Muitas vidas que hoje estão servindo ao Senhor em certas Igrejas, não estão percebendo aquilo que as pessoas de fora estão cansadas de ver e saber. Aí vai uma lista:

  • Falta temor de Deus da liderança que não ora nem combate o pecado. 
  • Ganância escancarada e sistemática em cima do bolso dos fiéis,
  • Uso das atividades da Igreja para enriquecimento pessoal, 
  • Compra de Redes de Televisão com o dízimo dos fiéis, para transmitir programas imundos produzidos na latrina do diabo;
  • Troca do ministério pastoral por cargos de representação política. O santo pelo profano.
  • Pregação de um evangelho escancaradamente antropocêntrico: "Crê no Sr. Jesus, e serás rico, tu e a tua casa";
  • Uso do nome de Deus para fazer coisas que Ele nunca mandou; 
  • Permitir e fazer vistas grossas para o pecado contra a família: adultério, divórcio, fornicação, sob a desculpa de que Deus quer apenas o coração, e uma vez salvo, salvo para sempre!
Conclusão: Se você está ciente de tudo isto, e a metade dessas coisas estão acontecendo onde você congrega, abra bem os olhos. Mais dia, menos dia, a  fé da sua família pode ir a pique!









segunda-feira, maio 14, 2018

Mães de Ramá e Mães que choram



Wilma Rejane


Profecia por Jeremias: "Assim diz o SENHOR: Uma voz  se ouviu em Ramá, o gemido de muito choro amargo: Raquel chorando os seus filhos, recusando ser consolada quanto a seus filhos, porque eles não mais existem." Jeremias 31:15

Cumprimento: "Um som se ouviu em Ramá, o som do choro de tristeza amarga. Raquel estava chorando por seus filhos. Ela não quer ser consolada, porque eles estavam mortos."  Mateus 2:18

Ramá é a abreviação do nome Ramote-Gileade, região citada muitas vezes no Antigo Testamento. Atualmente, atribui-se a localização de Ramá a Ramith situado em uma colina a duas horas de viagem de Jerusalém. O lugar ficou marcado pela tragédia da morte das crianças por mando de Herodes. De dois anos de idade para baixo, nenhuma criança foi poupada da espada e em apenas um dia  a matança se realizou gerando pranto e grande choro das famílias.

Raquel era esposa de Jacó, mãe de José e Benjamim. Por muito tempo Jacó chorou a morte de José, mas ele não estava morto,  havia sido levado por mercadores como escravo para o Egito. Por ser um homem valoroso e temente a Deus, superou todo o contexto de tragédias que o havia levado ao Egito, José tornou-se governador, um homem admirado por todos . Benjamim era o mais novo e serviu de instrumento de resgate para a família se livrar da fome e da morte e reencontrar o irmão José.

Os dois filhos de Raquel citados acima, representam choro e restauração. E é justamente o que a passagem Bíblica sobre o choro das mães em Ramá pretende nos transmitir. Enquanto Herodes mata as crianças, uma obra de esperança - a maior de todas - acontece nas redondezas: Jesus é dado como salvação para os povos, consolação de toda alma chorosa e amargurada.

No livro do profeta Jeremias, a profecia relacionada a Raquel era uma parábola ao cativeiro Babilônico, quando Ramá havia se transformado em campo de prisioneiros. O território era herança dos filhos de Benjamim (Josué 18:25) e agora abrigava as tribos do norte, chorosas e temerosas pelo destino de cada um. O ano, 722 a.C.

Voltando do cativeiro

A profecia completa de Jeremias fala não apenas de sofrimento, mas especialmente de restauração,vejamos:

Assim diz o Senhor: reprime a voz de choro, e as lágrimas de teus olhos, porque há galardão para o teu trabalho, diz o Senhor, pois eles voltarão das terras do inimigo. E há esperança no derradeiro fim, para os teus descendentes, diz o Senhor, porque os teus filhos voltarão para o seu país” Jr 31: 16:17.

Deus enche de esperança as mães de Ramá! E podemos dizer que essas mães, são todas aquelas que choram por filhos em cativeiro. Os "filhos da Ramã" são vítimas de uma matança sem precedentes: o tráfico das drogas,  vício em pornografia, a rebeldia contra Deus e o mundo, as doenças, enfim.  É preciso continuar trabalhando para que venha o galardão. E esse trabalho é à base de fé e oração.

Deus não omite o sofrimento e a dor em Sua Palavra, mas deixa evidente que Seu amor é capaz não apenas de curar, mas de restituir o que se perdeu.

Esperança no hebraico, se traduz como tiqvah  “estender a corda ou cordão” .(Strong 08615)

Talvez seja mais fácil falar sobre fé e esperança do que viver esses referenciais. Mas a vida é esse desafio que se torna rude e pesado se lutamos com as próprias forças. E se torna  surpreendente quando estamos com Cristo. O “cordão” alcança até os insondáveis lugares da eternidade, onde apenas Deus tem acesso para de lá nos revestir do impossível.

Raquel chorando seus filhos em Ramá é um lugar de indecifrável dor e de incomparável amor. Foi em Ramá que Ana chorou a Deus por um filho e recebeu como resposta Samuel e depois dele mais cinco crianças.

Ramá diz respeito a mães e filhos, mas também a situações como a que atravessava a nação de Israel na época de Jeremias. Raquel se recusa a ser consolada pelos homens, porque a nenhum deles é dado o poder de curar a alma das calamidades espirituais.

Ramá significa "lugares altos, elevados" , podemos dizer que é um lugar altíssimo, perto de Deus, onde se ouve orações. Enquanto os filhos de Raquel morriam em Ramá, Deus entregava o consolo aos homens em Belém, Jesus era a promessa de restauração do cativeiro. Por essa causa, não desprezemos a fé, ela é a melhor escolha em todos os tempos.

Basta um olhar sobre o mundo e as matanças diárias, para percebemos que o choro de Raquel persiste através das gerações. Basta mais que um olhar para Deus, uma entrega de fé, para que a esperança permaneça viva nas mães que choram.


Deus o abençoe.

Fonte: Bíblia de Estudo Plenitude, SBB, corrigida e atualizada.

sábado, maio 12, 2018

Perguntas cristãs sobre namoro sexo e casamento

Namoro
JOÃO CRUZUÉ
.
Vou deixar minhas opiniões e conselhos sobre namoro, sexo e casamento sob o ponto de vista cristão. Como pentecostal, eu creio que a Palavra de Deus pode ser ouvida nas linhas dos livros da Bíblia Sagrada.  Deus fala através de sua palavra com aqueles que se aproximam com humildade da Sua presença.  Vou adicionar neste texto as experiências de 40 anos de conversão e 31 anos de casado.  Saiba  que vou apreciar muito um comentário seu expondo seus sentimentos e experiências: cruzue@gmail.com . Se quiser falar comigo, na lateral do blog tem o link: Conselhos .



1. Por que Deus criou a mulher?

Resposta: Entendo que foi porque ele viu que o homem estava só e a solidão aumenta a vulnerabilidade das pessoas. Não nascemos para andar sozinhos, por isso Deus fez a primeira mulher a partir do osso e da carne do próprio homem para que fosse sua alma gêmea em tudo. A título de ilustração, na moderna ciência de hoje, o processo de clonagem usa as células de um corpo para fomentar a criação de um outro semelhante.  Quando ADÃO viu  sua mulher, ele disse de EVA: Esta é agora osso dos meus ossos e carne da minha carne. Dessa forma, pela fé, eu creio que  foi Deus quem cuidou da formação da primeira família, constituída de um homem e sua mulher.

2. Qual é o mistério divino da formação da família?

Disse Deus em Gênesis 2: Portanto, deixará o homem o seu pai e a sua mãe para se apegar a sua mulher e ambos serão uma carne. Assim como a primeira mulher era osso dos ossos de Adão e carne da sua carne, quando um jovem cristão solteiro se une com uma moça cristã solteira, a partir do casamento os dois, diante de Deus, se tornam em uma só carne.

3. Como manter um casamento feliz até a separação pela morte?

Assim como foi Deus quem cuidou de formar uma esposa para Adão, assim como foi Deus que atendeu às orações de Abraão e Eliezer quando foi buscar uma esposa para Isaque, assim como foi o SENHOR que escolheu e mostrou para mim a minha esposa, minha opinião é que orar e esperar em Deus pela resposta, certamente vai evitar o maior erro na constituição de uma família que é a ansiedade. A moça ou moço cristão ansioso pode ser enganado pelo diabo ao pensar que seu escolhido ou sua escolhida é aquela pessoa que apareceu de repente. 

4. Por que nos dias atuais tem muitos cristãos se divorciando?

Porque estão seguindo o costume dos ímpios. Deus não instituiu o divórcio e nunca o aprovou. Até os casos de infidelidade, a primeira opção não é o divórcio, mas o perdão. Quando um pessoa se deixa apressar pela ansiedade, casa-se fora da direção de Deus. Com o divórcio, ela acaba cometendo dois pecados: não esperou pela resposta de Deus por causa da pressa e depois se divorciou.

5. O jovem cristão deve namorar segundo os costumes mundanos?

A cultura mundana é repugnante aos olhos de Deus. Quando um moço vai e namora uma jovem sem ter afeição por ela, está praticando o engano e não se deve enganar alguém fingindo amor. É um costume arraigado no mundo o sexo antes do casamento e o namoro indecente. Quem fizer isto e não se arrepender, nem confessar o pecado na Igreja, vai ter a vida conjugal sempre perturbada pelo diabo. O Rei David praticou o adultério, a partir daquele ato, o diabo teve o poder de penetrar no meio da sua família e perpetuar várias desgraças. Sansão era um jovem nascido em uma família que temia ao Senhor. Contudo, seu coração sempre ia atrás de prostitutas e mulheres de famílias ímpias. Teve uma morte muito triste, nem chegou a constituir uma família.

6. "Eu conheço várias jovens que tem uma vida cheia de pecados de prostituição e continuam participando de atividades na Igreja normalmente..."

Bem, eles podem enganar o pastor e até a Igreja inteira, mas estão amaldiçoados diante de Deus. Até suas orações cheiram mal diante das narinas de Deus. Tudo que eles estão plantando, vão colher nos dias futuros. Deus não se deixa enganar, somente os que se esforçam no caminho da fidelidade vão ser abençoados por Ele  com famílias maravilhosas e casamentos duradouros. Um vida de mentira, hoje, será um vida infeliz amanhã. No Salmo 101 está escrito: O que usa de engano não ficará dentro da minha Casa e o que fala mentiras não estará firme diante dos meus olhos.

7. Quando o jovem cristão pode começar a namorar?

Antes dos 18 anos é cedo. A vida hoje está muito competitiva, quem não estuda e se gradua vai ter dificuldades para sustentar uma família quando se casar. Estes namoros "eternos" em que toda a semana ou até, vários dias na semana, anos a fio, o moço fica tomando o tempo da família da pretendida, é uma falta de bom senso (para não dizer outra coisa) muito grande. Namoro é coisa de gente adulta, que tem por objetivo o casamento. Namoro cristão não é da mesma forma que namoro ímpio. Deus é santo, e ele exige santidade em toda a maneira de viver. Namoro não é coisa de criança, nem de adolescente. Namora-se com o propósito de conhecer o ente querido para se casar com ele.

8. O que acontece se o namoro acabar em sexo antes do casamento?

O sexo antes do casamento é a mesma coisa que um convite de casamente entregue nas mãos do diabo. O dia que este pecador se casar, a primeira pessoa que vai estar no leito conjugal é um demônio.  Se não houver uma confissão, lá atrás, seguida de arrependimento sincero será muito difícil a vida conjugal desta pessoa. O Cristão deve ter o temor de Deus, e quem tem o temor de Deus aguarda o tempo de Deus: sexo é para ser praticado depois do casamento.

9. O que fazer para consertar se já fiz tudo errado?

Confesse o seu pecado para o Pastor da sua Igreja. Ouça os conselhos dele. Vai e não peca mais! Se já está casado, tenha uma vida diária de oração e meditação na Bíblia Sagrada. Você não vai apagar as consequências do seu pecado, mas terá a ajuda de Deus nos momentos de necessidade.

10. O motel é um lugar que pode ser frequentado por um casal de cristãos?

De jeito nenhum! Um lugar desses é cheio de demônios e espíritos de prostituição e traição. Ali não é lugar santo para dois filhos de Deus. No Brasil, a frequência a motéis é um costume mundano.

11. Quantos anos se deve namorar até casar?

Se você orou ao Senhor e Ele já respondeu, você pode começar a namorar e se casar em um ano. Mas se não tem condições econômicas para sustentar uma família, é melhor orar mais e mostrar seus planos para o Senhor Jesus, para que lhe dê condições de ter uma casa mobiliada e uma fonte de sustento para dois.


12. Quem deve lavar a louça e passar a roupa em uma família de cristãos?

Depende. Um lar que é formado na direção de Deus, é claro que Deus está no direção desta família. As tarefas de cuidar da louça, da roupa e da limpeza da casa, pode ser dividida a dois. A mulher não foi criada para ser uma empregada doméstica sem remuneração (escrava doméstica) em um lar. Os meus pastores, são homens que não se envergonham de ajudar a esposa na pia e na tábua de passar roupa. Mas, há que se ter bom senso: Se o esposo trabalha, chega em casa à noite, cansado da fadiga diária, sua esposa pode se ocupar das coisas domésticas. Mas,  se ao contrário, quem trabalha é ela e o marido está, momentaneamente, desempregado em casa, ele pode ajudar com a louça e a roupa.  Faço isto na minha casa e não é motivo de vergonha. O cristão deve olhar com os olhos de Cristo, e os olhos de Cristo eram compreensivos, compassivos e amorosos. Lembre-se de que no episódio da última Páscoa, quando ninguém quis assumir o serviço de lavar os pés dos outros, Jesus tirou a túnica, colocou a toalha e lavou aos pés de cada discípulo. Por fim, esta é uma questão de bom senso que deve ser combinada entre os dois.

13. O marido cristão  deve tirar uma parte do salário para entregar a sua esposa?

Depende. Se a esposa trabalha, talvez isto não seja necessário. Mas, se ela fica em casa ou esteja cuidando do filho do casal, é uma atitude muito egoísta do marido usar todo o dinheiro do salário e não dar uma parte para a esposa. Em razão disso, às vezes quem sustenta a esposa com algum dinheiro são seus pais. Outra atitude desprezível, é certos esposas que ganham pouco jogar no rosto das esposas que elas não sabem gastar... também pudera! É preciso que o esposo, que deve seguir o exemplo de Cristo, seja amoroso e generoso (com sabedoria) para que, por isso, tenha suas orações ouvidas por Cristo.

14. O casal que tem uma renda pequena deve gastar todo dinheiro que ganham?

Ganhando pouco ou muito, é precisar planejar uma poupança mensal para que ela sirva de "colchão" em tempos de dificuldades. Lembro da cultura de meus pais: quando jovens evitavam de todo jeito o desperdício. Mesmo sendo lavradores, conseguiram juntar depois de certo tempo o suficiente para comprar o sítio do sonho deles. Deus ouve a oração de um casal unido e fiel. À medida que o tempo passa, o Senhor vai abrindo portas maiores de prosperidade. Mas, Ele não faz tudo sozinho: as atitudes que cabem ao casal ou a cada um, devem ser tomadas e empreendidas. Por exemplo, os estudos, a melhoria na Educação, traz mais renda para a família. Deus abre as oportunidades lá no emprego, mas se o cristão não se esforça nem estudo, a bênção que é destinada a ele, vai para nas mãos de outra pessoa.

15. Quantos filhos deve ter o casal nos dias atuais?

O tempo do crescei e multiplicai para ocupar toda a terra, na minha opinião já passou. Porém, uma coisa precisa ser relembrada: as famílias não crentes desejam ter poucos filhos, ou seja: um. É sabido que uma das razões pela qual aumenta o povo crente em uma nação é porque as famílias dos cristãos geram mais filhos que a dos ateus e ímpios. Para sustentar uma família de quatro pessoas (dois filhos) é preciso gastar bastante. Com oração e estudos, o cristão cuida do que é do seu alcance enquanto ora. O Senhor ouve a sua oração e cuida da parte dele:  preparar as melhores oportunidades para seus filhos.

16. Qual deve ser a frequência do sexo entre um casal cristão?

O sexo é um dádiva de Deus para o homem e a mulher que se casam formalmente. No começo do casamento a frequência é maior e, digamos, depois dos 30 anos de casados, esta frequência é bem menor. Desde que seja agradável para os dois, de comum acordo podem praticá-lo tanto quanto quiserem. Mas se não é agradável para um dos cônjuges, é preciso conversar, ouvir, e entrar em um acordo. De um lado, a recusa sistemática da prática sexual por um dos cônjuges, pode abrir uma porta para o diabo dentro do lar. A Bíblia diz em I Pedro 1:7, que se houver um descompasso entre o marido e a esposa na prática sexual, suas orações podem ser impedidas de chegar até os ouvidos de Deus. Quero acrescentar que, o casal cristão não deve copiar as práticas pervertidas e estranhas do mundo quanto à prática sexual.  Há um limite que não pode ser ultrapassado.

17. Qual deve ser a atitude do jovem recém casado na primeira noite de sua vida de casado?

Ele precisa ser prudente e paciente. Deve estar consciente de que o dia foi longo e cansativo para sua esposa. A vida sexual de um jovem casal vai terminar em um único dia, ela está apenas começando. A menos que isto do interesse da sua mulher, os dois devem descansar na primeira noite. No dia seguinte, já descansados,  o marido dê à sua mulher o amor que lhe é devido, da mesma forma que ela, pois agora, pelo casamento, espiritualmente já são um corpo só.

18. O amor de um casal cristão é para toda vida?

Sim. A vontade de Deus é desta forma. A cultura mundana diz que é bom até que dure, mas Deus não estabeleceu sua vontade assim: Ele disse que "Deixará o moço a casa paterna para unir-se com sua mulher e os dois juntos serão  um só corpo. A união de um homem e um mulher simbolizam desde o princípio o amor de Cristo pela Igreja. Assim como Cristo nunca voltará atrás em suas palavras com relação à Igreja, a família cristão formada pela mulher e pelo marido casam-se para viver em amor e respeito até que a morte os separe.

19. O que fazer quando aparece problemas no casamento?

Na base do casamento cristão está Cristo. Por isso, o moço e a moça devem orar e esperar que ele prepare e envie a bênção. Todo casamento passa por ajustes e dificuldades. O que nunca pode ser esquecido é que: na pior das situações a primeira atitude a ser tomada é se humilhar diante de Cristo, orar e expor o problema para Ele. Se você fizer isto, o diabo corre. No capítulo 4 da carta de Tiago está escrito: "Sujeitai-vos, pois, a Deus, resisti ao diabo, e ele fugirá de vós"


20. Existe casamento cristão perfeito?

Creio que não. Mas, é possível viver feliz com a ajuda do Senhor Jesus. Digo assim, porque tanto o marido como a mulher são seres imperfeitos e vulneráveis. A diferença na vida deles é: se andam na presença do Senhor. Se isto acontece, as atitudes de humildade e perdão restabelecem a paz e a harmonia do lar com a prática da ORAÇÃO. Nem mesmo o primeiro casal, formado por Deus tiveram um casamento perfeito.


21. Como é considerada a família homossexual na Bíblia Sagrada?

Cada pessoa tem liberdade de escolher e tomar as atitudes que quiser. Deus não obriga a ninguém ser santo. Entretanto, no que diz respeito ao padrão estabelecido por Ele, para formação de uma família, está bem claro na Bíblia Sagrada: "E disse Deus: deixará o homem o seu pai e a sua mãe, e apegar-se-á a sua mulher, e serão ambos uma carne" Desta forma, a união de um casal de homossexuais não constituirá uma família, porque não é esta o padrão da vontade divina determinado pela Palavra de Deus.















Adolescentes Cristãos e Amor Sexo e Casamento


OITO RAZÕES PARA ESPERAR
.
]
DIGA NÃO AO SEXO ANTES DO CASAMENTO.

Por Josh McDowell

"¿Qué razones dar a los adolescentes para que se abstengan de las relaciones premaritales? Hay una razón básica, Dios nos lo prohibe. No obstante, Dios nos ha dado numerosas razones para obedecer su mandamiento y es vitalmente importante conocerlas. El autor nos ofrece ocho buenas razones para que sus adolescentes esperen.

Hay una razón básica para abstenerse de la relación premarital: porque Dios lo dice. Si Él dice que el sexo prematrimonial está prohibido (y lo ha dicho) entonces es causa suficiente para refrenarse de tal conducta. No obstante, Dios nos ha dado numerosas razones para obedecer su mandamiento y es vitalmente importante conocerlas porque es conocer el por qué.

¿POR QUÉ ESPERAR?
Tenemos ocho buenas razones para que tu adolescente espere, cuatro son beneficios y las otras cuatro consecuencias.

BENEFICIOS
1. El esperar favorece una relación personal, más que física.
Todos deseamos una relación de amor íntimo y el sexo es la expresión física de esa relación. Pero es sólo un reflejo de intimidad, no la causa. Cuando el sexo está primero que una relación personal, no deja que el verdadero amor se desarrolle.

2. El esperar desarrolla el carácter.
El sexo está diseñado para experimentarse entre dos personas casadas, construido sobre autocontrol, disciplina, sensibilidad, paciencia, compromiso, confianza y fidelidad. Cuando está gobernado por esas cualidades capacita a la pareja para gozar de grandes profundidades en intimidad y unidad. Cuando esto se halla en el carácter, son el fundamento para la continuidad y la satisfacción de una relación y del matrimonio.

3. El esperar asegura una relación confiable.
La confianza es fundamental para el matrimonio. Cuando un esposo o una esposa sabe que el otro ha esperado, se fortalece el factor de confianza. Si un hombre y una mujer pueden esperar hasta el casamiento para consumar el sexo, hay una confianza agregada de que él o ella se mantendrá fiel después del matrimonio.

4. El esperar construye una buena autoestima.
El esperar desarrolla el carácter y, mientras el adolescente ve que así sucede, su autoimagen mejora.

CONSECUENCIAS
1. No esperar significa tener recuerdos con qué batallar.
Una de las bellezas de nuestra mente es su capacidad para recordar. Es así que los recuerdos de experiencias sexuales pasadas vuelven a rondar como «fantasmas sexuales». Decenas de jóvenes me han contado cómo batallan contra el miedo de la «comparación», al relacionar el presente con el funcionamiento sexual de otras parejas. En muchos casos, esta ha destruido la relación. Aun años más tarde, burlándose de la saludable relación o matrimonio, esos fantasmas pueden retornar.

2. El no esperar carcome la autoestima.
La culpa y los remordimientos acompañan generalmente a las relaciones prematrimoniales. Si no se trata debidamente, devastará la autoestima de una persona joven.

3. El no esperar significa la posibilidad de embarazo.Un embarazo no planeado causa inmenso sufrimiento a la chica, al muchacho, a los padres y al bebé.

4. Hay 34.000 otras razones para esperar
Ese es el número de nuevas enfermedades por transmisión sexual que se reportan diariamente. Las consecuencias de estas enfermedades incluyen dolor físico, daños cerebrales en los recién nacidos, esterilidad y aun la muerte.

ENSEÑA EL CONTEXTO DE LO POSITIVO

Siempre que Dios emite un mandamiento negativo tal como «¡Espera!», lo hace con dos motivos positivos: protegernos y proveer para nosotros. Él sabe que si el sexo va a ser importante, deberá ser experimentado dentro de cierto contexto. Sus leyes, restricciones y mandamientos establecen los beneficios y es la guía que define amor, relación y matrimonio en su máxima expresión. Es liberador saber que la motivación de Dios para prohibir algunas cosas es para protegernos de influencias destructivas y proveernos de todo lo que necesitamos física, emocional y espiritualmente.

El rey David es un ejemplo de cómo el violar los mandamientos morales de Dios trae dolor al corazón. Después que David cometió adulterio, Dios dijo: «Yo te ungí por rey sobre Israel, y te libré de mano de Saúl, y te di la casa de tu señor, y las mujeres de tu señor en tu seno; además te di la casa de Israel y de Judá; y si esto fuera poco, te habría añadido mucho más» (2 Sa. 12.7, 8).

Sin embargo David «estimó de poco valor» la provisión de Dios y trató de satisfacer sus necesidades a su manera. Esto resultó en muerte, violación, conspiración y disturbio. Pero a través de ello, la misericordia de Dios era evidente. En el Salmo 37.4, 5 David expresó cómo aprendió luego a confiar en un amante Dios que estaba deseoso de proveer y era capaz de hacerlo para todas sus necesidades y protegerlo del mal.

Tanto como sea posible, explícale al adolescente las razones que están detrás de las restricciones que pones sobre él. Comunícale que sólo quieres lo que es mejor para él. No te sorprendas si se enoja contra ti. La mayoría cree que «sabe lo que es mejor» para su vida, pero tú mantente en la postura.

Tarde o temprano, el punto principal será entendido: que tú lo amas, y que los límites de tu amor, que provienen de un amante Dios, son para protegerlo y proveer para Él."




Leia 2ª parte : Amor, casamento e sexo 2

.

Biografia do Missionário Robert Morrison

.
Missionário Robert Morrison
Blog Ojo Protestante*


Tradução: João Cruzué

Robert Morrison nasceu na Escócia em 1782, de uma piedosa família de crentes Presbiterianos. Eram muito pobres e seu pai trabalhava fabricando formas de sapatos. Robert teve que deixar os estudos ainda criança para ajudar-lhe, mas como gostava de aprender, seguiu com os estudos em casa.

Aos 15 anos entendeu o que é mais importante na vida: que ele era um pecador, um homem perdido e para se salvar devia aceitar a Jesus como seu Salvador. Assim ele fez, e depois disso, compreendeu que era seu dever levar também a outros a história desse Salvador para que todos também pudessem se livrar de seus pecados.

Depois de trabalhar por uns tempos nas Igrejas da Inglaterra, Morrison associou-se na Sociedade Missionária de Londres com a idéia de se tornar um missionário na China. Por essa ocasião já dominava o latim, o grego e o hebraico.

Como não havia nenhum missionário protestante ainda na China, Morrison se apresentou para ser o primeiro. Como a principal tarefa que lhe haviam encomendado foi a tradução da Bíblia para o mandarim, se propôs a estudá-lo, enquanto se preparava em medicina e astronomia.

Quando encontrou um manuscrito que continha a tradução de alguns trechos da Bíblia em uma biblioteca, tirou uma cópia para estudar detalhadamente, com a ajuda de um chinês que se ofereceu para ajudar. Esse esforço lhe foi muito útil, pois lhe permitiu economizar um tempo precioso quando esteve na China.

Para chegar até lá teve que viajar por cinco meses. Em 04 de setembro de 1807 aportou-se na cidade de Cantão, ao SUL do país, ao lado de Macau, uma colônia portuguesa. Permaneceu ali durante algum tempo, depois conheceu a jovem Mary Morton, com quem se casou em fevereiro de 1809.

Morrison não se deu conta de quão grandes eram as dificuldades que precisava vencer para chegar lá. O que sabia do idioma não lhe permitia o necessário para uma tradução, e quando buscou um mestre não pode encontrá-lo, pois havia uma lei que condenava à morte qualquer pessoa que ensinasse a língua chinesa a um estrangeiro.

Finalmente apareceram dois homens que tinham conhecido alguns missionários católicos que aceitaram ajudar, embora cheios de temor. O medo que possuíam não era tanto quanto à morte em si, senão pela sua forma, em meio a torturas terríveis. Estavam a tal ponto assustados que levavam sempre consigo um frasco com veneno para suicidarem-se caso fossem descobertos.

Aprender o chinês não era coisa fácil e por aquela época era ainda pior, pois não existiam nem dicionários nem bons professores.

John Wesley afirmou certa vez que “O chinês era um invento do diabo para que não se pudesse pregar o evangelho aos chineses”. Milne, um missionário que mais tarde seria companheiro de Morrison, dizia que para aprender o mandarim era preciso: um corpo de bronze, pulmões de aço, cabeça de carvalho, olhos de águia, coração de apóstolo e memória de anjo... e a vida de Matusalém”

Além de trabalhar na tradução da Bíblia, Morrison se ocupou de fazer uma gramática e um dicionário, para que os missionários depois dele, pudessem aprender o idioma com mais facilidade.

Um chinês chamado Tsae A-ko, foi um grande instrumento preparado por Deus para ajudar o trabalho de Morrison.. Ele ia de noite a sua casa, as portas e as janelas eram bem fechadas, para que ninguém de fora visse o que faziam, por que corria perigo de vida, e ali se punha a traduzir ou corrigir, enquanto que Morrison lhe ensinava as verdades do Evangelho.

Foram gastos 14 anos para traduzir a Bíblia e 16, para concluir o dicionário que foi editado em quatro volumes, com cerca de 4.500 páginas cada um. Tsa A-Ko compreendeu finalmente que aquilo que o missionário lhe ensinava era a Verdade e se batizou em 1814, tornando-se então o primeiro evangélico chinês

Depois de ter traduzido a Bíblia, o problema era sua publicação, pois as penas para quem imprimisse livros cristãos eram tão severas como para aquele que ensinava o idioma. Afortunadamente, depois de muito trabalho, Morrison encontrou quem o fizesse, todavia secretamente. Para diminuir o medo do impressor, quando os pacotes com as Bíblias eram entregues, ele os rotulava com um título falso para disfarçar o “perigoso conteúdo”.

Porém, Morrison não se dedicou somente a traduzir, senão que chegou a estabelecer uma escola chamada Colégio Anglo-Chinês, mais tarde conhecido como Ying Wa College. Esta escola foi transladada para Hong Kong no ano de 1843, quando este território passou a ser controlado pelos britânicos. Esta instituição permanece até os dias de hoje como uma escola secundária.

Robert Morrison nunca teve uma boa saúde e, como trabalha muito, era mesmo impossível que sarasse completamente. Morreu quase repentinamente em 1º de agosto de 1834 em Cantão, China, quanto tinha 52 anos.


Durante sua vida conseguiu a conversão de poucas pessoas, mas seu trabalho traduzindo a Bíblia, preparando o dicionário inglês-mandarim e de edição de uma gramática sino-inglesa, fez com que fosse possível a conversão de milhares de chineses depois da sua morte.


Fonte: não está mais disponível.


.

A insatisfação na vida cristã


Photobucket
Cruzando o Mar da Galileia

João Cruzué

Quero deixar algumas linhas sobre dificuldades de orientação para cristãos já amadurecidos, conhecedores da Palavra, mas insatisfeitos, à procura da Igreja perfeita, diferente, do porto seguro para congregar. Este dilema é bastante comum em nossos dias.

A Igreja do Senhor é perfeita, todavia, constituída de membros imperfeitos que por opção pessoal podem ser lapidados ou não pela palavra. Não sei porquê, mas por duas vezes Ernest Hemingway passou pela minha mente: quando dei título ao post (O velho e o mar) e neste parágrafo, quando lembrei-me de parte daquele prefácio do Livro Por Quem os Sinos Dobram - "Nenhum homem é uma ilha". Uma tendência ao individualismo, ao isolamento pode produzir uma insatisfação com a própria Igreja. Neste ponto começamos ver no próximo defeitos que na verdade também estão em nós.

Jesus ordenou aos discípulos que cruzassem o "Mar" da Galileia, enquanto ficava para trás, com certeza para orar. Interessante: Se Jesus era Deus por que precisava orar? A resposta era o prazer da comunhão, de estar em contato com o Pai. Mas há um algo didático neste hábito: se o que era Perfeito buscava comunhão, para suas orientações diárias, então, cristãos maduros também necessitam do mesmo hábito para manter viva a mesma comunhão.

Os discípulos corriam perigo de morte e o Senhor os viu em plena luta e os socorreu: entrando no barco e repreendendo o vento e o mar. Há muitos cristãos à deriva açoitados pela força do vento e fúria do mar. O vento das novidades e o mar do secularismo. Ficamos insatisfeitos e esta insatisfação pode ser benéfica ou maligna.

Uma crise pode nos forçar um aumento da sede de comunhão com o Senhor. Neste sentido, é Deus quem nos coloca no barco e manda atravessar o mar. Embora não esteja no barco o tempo todo, ele nos observar atentamente. Isso produz experiência, crescimento e maior comunhão.

Outra crise de insatisfação pode nos açoitar - como a do filho pródigo. Esta não produz nem sede de oração, nem desejo de comunhão com Deus. São olhos que focam apenas defeitos naquilo que observam: excesso de ortodoxia, liturgias adormecedoras, pastores ignorantes, antagonistas em lugar de irmãos, o mundo parece mais interessante que a viver da fé. Aqui mora o perigo.

Não era a "casa" do filho pródigo que era defeituosa. Não havia nada errado com ela. O coração do moço, sim, estava envenenado pelo mundo. Sua insatisfação pessoal o levou ao desvario, ao desperdício e à derrota. As orações do pai - o trouxeram de volta, pois coube a ele o benefício da inexperiência.

A insatisfação de cristãos experientes pode ser mais complexa. Se por um lado é difícil encontrar uma Igreja que possa satisfazer a visão de cada um, por outro o conhecimento bíblico de lidar com a situação já faz parte da bagagem. Se Jesus, que era muito mais experiente e sábio que qualquer cristão maduro resolvia seus problemas de orientação e solidão através de mais comunhão, não há outro caminho senão buscá-la através de orações sinceras. 

Jesus era um profundo conhecedor dos corações e da hipocrisia humana não desperdiçava seu tempo anotando defeitos, nem murmurando das pessoas, nem jogando-lhes em face seus pecados. Por que um crente deveria adotar  este comportamento tão mesquinho de origem  maligna? O diabo sim, quando nos vê, só enxerga coisas ruins. Mas Jesus não ensinou assim: Ele  nos vê com olhos compassivos. Ainda que  só tivéssemos mil defeitos e apenas  uma virtude, é sobre ela  que Jesus foca para depois nos animar.

O mar está revolto por causa da fúria do vento? Quem sabe a solução não esteja em abandonar o barco, mas em trazer Jesus para dentro dele?  Isto mesmo! Convide o Senhor para estar no barco.


João Cruzué
para o Blog Olhar Cristão
cruzue@gmail.com
.