domingo, agosto 20, 2017

POPULAÇÃO EVANGÉLICA NO BRASIL PROJEÇÃO PARA 2020

.
POR: JOÃO CRUZUÉ


Quero presentear amigos, irmãos e pesquisadores com mais este trabalho de pesquisa sobre dados estatísticos de religião no Brasil. Para quem ainda não sabe, não temos uma fonte de pesquisa que bata à porta de cada família brasileira e pergunte qual a religião que professa. Tantos os dados do IBGE como os dos maiores institutos de pesquisa (Datafolha e Ibope) tabulam dados por amostragem. Tendo feito esta consideração, seguem os dados com base em duas fontes.

1) Projeções da população evangélica para 2020, usando dados estatísticos do IBGE:






Notas explicativas:  1) AH, significa "Análise Horizontal"; 2) AV, quer dizer "Análise Vertical" 


Como metodologia da projeção, usei os seguintes critérios:


1) Para  encontrar a população Evangélica, apliquei a mesma variação entre os Censos de 2000 e 2010, sobre os dados populacionais de 2010 para projetá-los para 2020, ou seja o mesmo crescimento de 61,45% em 10 anos ou 4,9% por ano.


2) Quanto à variação de crescimento ou redução da quantidade de fiéis de cada Igreja, é algo mais complexo. Apenas utilizei o mesmo desempenho da primeira década para sugerir que, se tudo permanecer igual, o resultado poderia ser igual. 

Observações importantes: O IBGE não preparou questionários, no Censo de 2010, com os nomes das Igrejas Internacional da Graça de Deus, nem com o da Igreja Mundial do Poder de Deus. Acho que deveriam, mas não o fizeram. Também não fez separação entre Igrejas Pentecostais e Neopentecostais. Por outro lado, nem todos os países do mundo publicam estatísticas oficiais sobre religião. Neste ponto, aprecio o esforço do IBGE.


2) Projeções estatísticas com base em pesquisas publicada pelo o Instituto DATAFOLHA em 28 de dezembro de 2016: 




a) Série Históricas de 1994 a 2015:




a) Em seguida, ainda pelo DATAFOLHA, seguem as estimativas de fiéis por Igreja Evangélica e nossa projeção para 2020.




Quero acrescentar que não adicionei incremento de eventual crescimento a partir de 2015. Mantive a mesma relação dos 30% sobre a população em 2020.

Conclusão: Comparando a projeção 2020 com base em dados do IBGE (32,18%) com a projeção com dados de 2015 do Instituto DATAFOLHA, é possível estimar que no final do ano de 2020 a população evangélica esteja em um intervalo de 32 a 35%.


P.s: como este post me custou mais de 6 horas ininterruptas de trabalho, por favor, se precisar de usar meus dados, solicite autorização por e-mail (cruzue@gmail.com). Certamente vou atender.


.


sexta-feira, agosto 18, 2017

Estudo Bíblico sobre Geazi

.

O arrebatamento do profeta Elias
Por: João Cruzué


Estive lendo esta semana o texto da Bíblia que registra a história da morte do filho da melhor sunamita. Ali, fiquei curioso com as atitudes de Geazi no cotidiano com o profeta Eliseu. Daí, nasceu um desejo de sair do perfunctório e fazer uma análise holística sobre este intrigante personagem.

Geazi aparece, pela primeira vez na Bíblia, atendendo uma ordem do profeta Eliseu, no segundo Livro dos Reis - 2Rs. 4:12. No desenrolar desse diálogo, fica bem entendido que, enquanto o profeta se preocupava com a vida espiritual das pessoas, Geazi se interessava pela vida particular delas.

-Então disse ele [Eliseu]: O que se há de fazer por ela? Ele já havia perguntado diretamente a ela do que precisava. Como foi muito discreta, e não dissera nada, o profeta foi confabular com o auxiliar.

-Ora, ela não tem filho, e seu marido é um velho. Esta foi a análise de Geazi. 

Eliseu não sabia disso, mas Geazi estava muito bem informado. A meu sentir, isto mostra indubitavelmente que Geazi tinha um perfil de fofoqueiro, dado a buscar informações sobre a vida pessoal das pessoas. Sinceramente, não sei qual foi o critério de escolha de Eliseu ao acolher Geazi. Será que Eliseu aceitou a sugestão de alguém, em lugar de esperar pela resposta de Deus? Pergunto a você, no começo deste post,  você acha que foi mesmo Deus que mescolheu Geazi para ser auxiliar do profeta Eliseu?

Continuando, com base na informação de Geazi, o profeta Eliseu mandou chamar a mulher sunamita e lhe fez uma promessa: "Por este tempo [mês] no próximo ano, abraçarás um filho. O que ela, a princípio não quis acreditar.

-Mas, eu analiso que não foi Deus que revelou a Eliseu que a mulher queria um filho. Isto foi dedução e sutil sugestão de Geazi. O profeta era um homem que andava na presença de Deus, chamou a mulher, prometeu, crendo ou não, a promessa se cumpriu.

Depois do menino grande, ele morreu de repente, talvez por um aneurisma cerebral. A cabeça começou a doer e não houve jeito. Ao meio-dia, expirou no cola da mãe. Ela foi procurar o profeta no Monte Carmelo.

O profeta viu de longe a aproximação da sunamita. Ele disse para Geazi: "Eis aí a sunamita; corre-lhe ao encontro e pergunta se está tudo bem. Quero interromper o rio, para comentar que há lindos hinos cristãos com a resposta a esta pergunta "Vai tudo bem, It is well on my soul".

A mulher abaixou-se e segurou os pés de Eliseu. Qual foi a atitude de Geazi? Ele procurou tirar a mulher dali, entendendo que ela estava importunando o profeta.  O que posso ler nesta atitude? Que Geazi não possuía nenhuma intimidade com Deus. O profeta percebeu que ela estava com o espírito amargurado. Geazi, não. Não tinha nenhuma sensibilidade espiritual.  Posso comparar isto à secura espiritual do sacerdote e do levita, no texto da parábola do bom samaritano. Sensibilidade zero.

Foi aí que o profeta Eliseu sofreu a primeira crítica da sunamita: Por ventura eu pedi ao senhor algum filho?  Foi aí que o profeta sentiu na pele o que é tomar uma decisão fora da direção de Deus. Isto mesmo, que arranjou-lhe toda confusão foi Geazi.

Sendo assim, ele pôs Geazi a caminho. "Vista uma roupa, tome meu bordão  e vai correndo. Não perca tempo saudando ninguém, nem responda saudações. Chega até onde está o menino e põe o meu bordão sobre o rosto do menino.

A esta altura, a mulher sunamita não concordou. E não concordou porque passou a conhecer que o auxiliar do profeta não tinha a virtude, a presença de Deus na vida; pelos gestos e atitudes ela viu que Geazi era um religioso estéril. Por isso, insistiu que Eliseu fosse até onde o menino estava.

Geazi foi correndo e voltou trazendo más notícias. "Eu coloquei o bordão na cara do menino, mas ele nem se mexeu, continua mortinho..."

Eliseu teve de orar 2 vezes a Deus para ver o menino ressuscitado. Pegou o menino, chegou até a sunamita e disse mais ou menos assim:

-Toma, sua incrédula! Ela se ajoelhou aos pés do profeta, colocou seu rosto no chão, pegou seu menino e saiu.

No capítulo 5 do mesmo Segundo Livro dos Reis, podemos conhecer outra face do caráter de Geazi - o Geazi avarento.

O general sírio Naamã recebeu a cura da lepra, banhando-se 7 vezes nas águas barrentas do Rio Jordão. O profeta Eliseu recusou os presentes do general, mas Geazi, sorrateiramente, foi e mentiu, dizendo que por motivo de "assistência social" o profeta Eliseu precisava de 1 talento de prata e 2 mudas de roupa. Sai, com 2 talentos de prata e 2 mudas de roupa. Geazi nem se deu ao trabalho de carregar; dois auxiliares do general carregaram aquilo até perto da casa de Geazi.

--Geazi,  donde vens?

--Ah! meu senhor, teu servo não foi a parte alguma. 

A Bíblia fala que o diabo é o pai da mentira, que mente desde o princípio e nele não há verdade alguma.  A Bíblia registra as palavras de Jesus em São João 8:44, chamando os fariseus de filhos do diabo porque eram homicidas e mentirosos.

A lepra saiu de Naamã, mas por causa da mentira e avareza ela foi parar no meio da família de Geazi.

No capítulo 6 de 2Reis, o Rei da Síria fazia guerra contra Israel. A tática que o Rei e seus generais planejavam nas suas tendas, Deus revelava ao olhos do profeta Eliseu. Este, sendo revelado pelo Senhor, avisa o Rei de Israel: Evita de passar por tal e tal lugar, porque o exército da Síria vai estar lá.

Irritado, o Rei da Síria pensou que havia um espião de Israel no meio de seus generais. Ao saber que seus planos eram revelados por Deus ao profeta mandou cercar a cidade onde estava morando Eliseu e Geazi.

Pela manhã, o moço do profeta [Geazi] levantou-se e viu a cidade de Dotã cercada pelo exército sírio.

-Ai meu senhor! O que faremos agora?

E Eliseu orou, e disse:

--Ó SENHOR, peço-te que lhe abras os olhos, para que veja. 

E o Senhor abriu os olhos dele, e ele viu que o monte estava cheio de carros de fogo em redor de Eliseu. Nesta sequência, eu posso ver que o Geazi cego, incrédulo, fofoqueiro, mesquinho, mentiroso e avarento, passou a ter visões espirituais.

No capítulo 8 de 2Reis, vemos, porém, um Geazi diferente, conversando com o Rei de Israel. E o Rei pediu: "Conta-me, peço-te, as grandes obras que o profeta Eliseu tem feito" E, enquanto ele estava contando como Eliseu ressuscitara o filho da sunamita, ela própria apareceu, de repente, perante o Rei, e Geazi falou: "Ó rei, meu senhor, esta é a mulher, e este é seu filho a quem o profeta Eliseu ressuscitou." Muito interessante esta passagem. Geazi falando e Deus trazendo a mulher durante o assunto, para  confirmar o testemunho.

A partir do capítulo 8 de 2Reis, não é mais mencionado o nome de Geazi, segunda minha pesquisa na Bíblia América: https://eliseujn.wordpress.com/biblia-america .


Minha conclusão: pelo que está exposto na Bíblia, Geazi foi um péssimo auxiliar de profeta no começo. Seu pior feito foi ter mentido ao general Naamã por motivos avarentos. Mas depois deste acontecimento, talvez por causa da maldição da lepra em sua família, Geazi pode ter mudado de caráter. Eu creio nisso, depois da oração do profeta Eliseu: Senhor, abre os olhos desse moço. Ali, Geazi começou a ver a majestade de Deus e o poderio dos exércitos celestiais. Geazi era um cego que passou a ver. Quando ele contava o testemunho do que Deus fizera, ressuscitando o filho da sunamita, eu posso ver um ex-fofoqueiro que passou a ser uma testemunha fiel dos milagres do Senhor Deus. 

É isto que eu posso dizer, depois de ter analisado a obra completa da vida de Geazi na Bíblia.









quinta-feira, agosto 17, 2017

A Operação Lava Jato e a corrupção no Brasil

.
Oração.3
Por: João Cruzué
.
Toda organização humana tem começo, meio e fim. A Lava Jato não vai ser exceção. O que vem até nós pela imprensa tem cara de verdade, parece com a verdade, todavia, não sabemos no meio de tantos interesses o quê de fato é verdadeiro. O que não nunca vai mudar é: Deus abomina a corrupção e ama a justiça. A lava jato vai passar, a corrupção pode voltar atualizada,  mas se nós cristãos  orarmos com mais insistência, a justiça de Deus vai se revelar e  outra lava jato também virá.

Uma verdade é bem clara: A corrupção parece estar presente nos grandes negócios envolvendo governo e grandes empreiteiras . O exemplo disso é farto: Petrobrás, Eletrobras, BNDES, e as empresas que aparecem todo dia na mídia impressa . Basta fazer uma busca no portal de cada grande jornal ou revista, que os resultados vão ser fartos. 

Infelizmente, se houvesse ranking de roubo e desvio de dinheiro público, hoje, seria difícil desbancar o Brasil do Guinness  www.guinnessworldrecords.com/ .

Segunda verdade: A meta de gastos do Brasil em 2017 pode estourar 140 bilhões  de reais. Gasto maior que arrecadação http://g1.globo.com/economia . Para resolver isso,  de três soluções, apenas duas são repetidas exaustivamente pelos ministros da Fazenda, na tentativa de torná-las uma verdade: 1) Aumentar impostos; 2) Reduzir despesas com Saúde, Educação e Assistência Social. A terceira solução, seria reduzir bastante as taxas de juros. Mas sobre isso nem uma palavra. A taxa Selic (www.bcb.gov.br/htms/selic/conceito) sempre está, no mínimo, uns 4 pontos acima do que seria razoável.

Você quer saber quanto é pago de juros pelo governo federal? Pois bem, segundo o portal http://g1.globo.com/dívida publica, em maio de 2017 foram pagos R$ 34,36 bilhões. Fazendo uma conta rápida, isto dá 412 bilhões de reais de juros para 2017. 

Informações adicionais: cada ponto percentual que cai na taxa Selic (exemplo: de 10,25% para 9,25%), segundo análises de abril/2107, são  R$ 35 bilhões de juros que deixam de aumentar o total dívida do Governo Federal - www.correiobraziliense.com.br/economia.  A dívida pública federal alcançou em maio/2017 o patamar de R$ 3,25 trilhões - http://g1.globo.com/dívida publica .

Como o governo federal é dependente do sistema financeiro, é muito mais fácil deixar por 2 anos de corrigir a tabela do Imposto de Renda, aumentar os impostos sobre a gasolina e gás de cozinha, do que tirar dinheiro dos Bancos, afinal por que você acha que, via de regra, o Ministério da Economia/Fazenda no Brasil está sempre nas mãos de uma pessoa que está ligada aos Bancos? Embora sejam muito competentes, não seriam bobos de mexer nos próprios interesses.

Terceira verdade: A Lava jato começou bem, continuou bem, mas agora está afundando. Não por causa do Juiz Moro, mas porque alguns agentes da Procuradoria e do Ministério Público se envaideceram e partiram para um ativismo, que não é do meu interesse abordar aqui. Foram muito zelosos no caso da Odebrecht, mas deu um tiro no pé no caso da Friboi.  Quando os irmãos Batista receberam imunidade processual, além de uma anistia ampla, geral e irrestrita, eu sinto muito, o Ministério Público Federal, liderado pelo Procurador Geral Rodrigo Janot, assinou o ocaso da Operação Lava Jato.

Ela pode até continuar por mais um ano, dois. Prender meia-dúzia de empresários a cada segunda-feira, mas o rombo no casco do "titanic" já está feito. 

O que vai acontecer com a corrupção no Brasil? 

Como cristão, creio muito no poder da oração. Orar mexe com os ouvidos e as mãos do Senhor Deus de Israel. Eu oro e continuo orando para que toda corrupção, de todas as esferas de governo seja exposta à luz do meio dia. Todavia, em uma terra que não põe em prática o conselho de II Crônicas 7:14, infelizmente, eu creio que o que vai acontecer por aqui é o mesmo que se seguiu na Itália da operação "Mani Pulite" (http://www.bbc.com/). 

Ou seja, a corrupção vai mudar de versão, assim como o Windows da Microsoft. Vem aí a corrupção  ponto 3.  as grandes e pequenas empreiteiras continuarão fazendo "grandes e pequenos" negócios com as três esferas de governo. Outra lava jato só vai acontecer, quando outro grupo do Judiciário adquirir força política necessária para confrontar os donos do poder.

A não ser, que le mani de Dio acabem com esta cultura satânica em que os "faraós" do  Brasil  ficam com tudo, enquanto as viúvas, órfãos, pobres e  miseráveis continuam olhando para cima,  aguardando as bolsas-migalhas.

Minha conclusão é: A corrupção.3 é inevitável. A forma de receber trocar propinas por negócios vai sofisticar-se. A oração, por outro lado, também deve atualizar a sua versão. Quem  ora de dia, se quiser, pode começar a orar pelo Brasil de madrugada - oração.3. E, o Senhor Jesus vai ouvir esta oração incessante, e vai enviar outra Operação Lava Jato atualizada, porque esta, que está aí,  já era.     







quarta-feira, agosto 16, 2017

Uma reflexão sobre o Salmo 126: os que voltaram a Sião


Em meio ao cinza, havia uma canção.

Wilma Rejane


Salmo 126:1-Quando o Senhor trouxe do cativeiro os que voltaram a Sião, estávamos como os que sonham. 

O Salmo 126 foi escrito por um exilado judeu que experimentou  70 anos de deportação de Jerusalém para Babilônia. Qual o nome desse prisioneiro? Não se sabe. O que se sabe é que sua gratidão e louvor por ter retornado a Sião são e salvo, está registrada como  um cântico de celebração ou um Cântico dos degraus.

E que degraus eram esses? Eram os degraus das subidas entre Jerusalém e a Babilônia (Esdras 7:9) e os degraus do templo de Jerusalém,onde,ano a ano peregrinos se reuniam para relembrar a libertação do cativeiro. Cada degrau um novo cântico,um novo Salmo. No total, são quinze os Salmos denominados "dos degraus ou das romagens" do 120 ao 134.

O Salmo 126 é tão belo quanto os demais e versa especialmente sobre restauração. O autor faz uso de três metáforas para expressar a alegria do retorno para casa: Um sonho agradável, as águas frescas das torrentes do Neguev e as festividades da colheita. Lendo esse Salmo, logo no primeiro verso, encontro inúmeras lições que servem de referencial para os tempos de crises, de cativeiros enfrentados por nós em determinados momentos da vida. 

O cativeiro Babilônico teve inicio em 598 a. C e nos livros dos profetas Ezequiel, Jeremias, Daniel, Ageu e Zacarias é possível constatar relatos da época, bem como dos propósitos de Deus para a nação de Israel que estava sob julgamento. No livro de Esdras há um rico relato do período de retorno da Babilônia, do mover de Deus sobre a nação de cativos que com arrependimento e choro retornaram para os seus lares.

Mas o que aconteceu com os cativos  durante os 70 anos de crise? Como encontraram forças e ânimo para permanecerem esperançosos e confiantes de que tudo iria passar e Deus estava com eles? Não deve ter sido fácil porque a Babilônia procurou de todas as formas oprimir e roubar toda esperança do retorno. E é da Babilônia que nos chegam revelações do que acontece no mundo espiritual em tempos de crise. Claro, nem toda crise é resultado do juízo de Deus sobre nós. Existe base Bíblica para afirmar que até mesmo homens justos e tementes a Deus podem passar por cativeiros terríveis,foi o que aconteceu com Jó.

Se é difícil encontrar os porquês das crises, se não há unanimidade quanto a isso, porém,há unanimidade em outro aspecto das crises: elas confrontam nossa fé e força e todos, sem exceção, precisam lidar com elas, de modo a não se deixar abater, naufragar. Por esse motivo, é que olhar para o cativeiro nos ensina. Eclesiastes 7:5 diz: "O coração dos sábios está na casa do luto, mas o coração dos tolos na casa da alegria." Então, vamos aprender com a casa do luto?

Algumas dificuldades vividas pelos cativos na terra da Babilônia:

I- Uma das primeiras investidas do exército da Babilônia (sob o domínio de Nabucodonosor II) contra os judeus foi: saquear as preciosidades do templo de Jerusalém. Tudo quanto havia em ouro, prata, metais preciosos foram levados embora (Jeremias 52). 

O templo de Jerusalém era uma representação da presença de Deus,  um elo entre Deus e o povo. Era lá que os sacerdotes se reuniam para transmitir a Palavra de Deus, manejar as ofertas sagradas.

O templo saqueado indicava o inicio de um período de tristeza. Consideremos que nós somos o Templo do Espírito Santo de Deus. Quando as crises vêm elas têm o objetivo de saquear esse Templo: roubar a alegria, o gozo,a comunhão com Deus, o que há de mais valioso em nossas vidas. O templo estava vazio, mas sua estrutura estava lá de modo que ainda era possível sonhar com um retorno, com as festas e as reuniões solenes. Não por muito tempo, porque os opressores também investiram para destruir essa esperança.

II- Sacerdotes e ferreiros estavam na primeira turma de cativos (Jeremias 24:1)

Sem sacerdotes e sem ferreiros o povo enfraquecia. Não havia direção de Deus, não haviam armas para contra atacar. Até mesmo no exílio essas funções foram proibidas de serem exercidas, em Lamentações de Jeremias se lê:

Lamentações 2: 9 - "As portas de Jerusalém já de nada servem. Todas as fechaduras e cadeados estão violados e partidos; foi ele mesmo quem os arrombou. Os seus reis e os nobres estão escravizados em terras desconhecidas e afastadas, sem um templo, sem leis divinas para os governarem, sem visão profética para os guiar."

Efésios 6:10-18 afirma que nas crises trava-se uma batalha espiritual. Os recursos espirituais estavam sendo roubados de Israel. Armas materiais não mais haveriam e as espirituais precisavam ser buscadas, de modo individual. os profetas da prosperidade haviam sido envergonhados, suas mensagens de paz e bênçãos não se cumpriram e aos cativos restava ouvir os profetas dos "ais" (Lamentações 2:14). e ouvindo os "ais" cada um deveria buscar a Deus em arrependimento. 

O que aprendemos aqui? A salvação é individual. Romanos 14:12 diz: "De maneira que cada um de nós dará conta de si mesmo a Deus." Desconfie de qualquer evangelho que não pregue arrependimento e afastamento do pecado. Desconfie dos caminhos e portas largas que não exigem renúncia e comprometimento com Deus. Desconfie da ritualidade eclesiástica, porque Evangelho é libertação é relacionamento com Deus através de Jesus Cristo. Evangelho é restauração do Templo, é novo nascimento com retorno ao Criador para fazer a Sua vontade. 

I Pedro 1:23 "Sendo de novo gerados, não de semente corruptível, mas da incorruptível, pela palavra de Deus, viva, e que permanece para sempre.

Cada cativo precisava viver sua própria experiência, crescer pessoalmente na compreensão sobre Deus. Crises são aprendizados e não adianta querermos apenas culpar os outros pelo que não deu certo. É preciso fazer a nossa parte, refletir: onde preciso melhorar? 

III- A cidade destruída e a batalha para reergue-la.

Como voltar para os lares se a cidade estava em ruínas? Deus providencia o recomeço e instrui a Esdras para liderar a obra de restauração. Mas a Babilônia sabia que com os muro reerguidos e o templo em funcionamento, o retorno se tornaria possível, a esperança renasceria para os cativos que se tornariam mais fortes.


Esdras 4:4-5 "Todavia o povo da terra debilitava as mãos do povo de Judá, e inquietava-os no edificar. E alugaram contra eles conselheiros, para frustrarem o seu plano, todos os dias de Ciro, rei da Pérsia, até ao reinado de Dario, rei da Pérsia."

Não é assim também conosco? A Babilônia, não quer nos vê de pé e felizes, mas quando Deus ordena, Seus planos não se frustram. Havia chegado a hora do retorno, as ruínas do passado precisavam dar lugar a uma cidade forte. Salmo 113:7 diz que "Deus Levanta o pobre do pó e do monturo levanta o necessitado."

Se estamos dispostos a mudar a direção de nossas vidas, os pecados serão  perdoados. De vidas despedaçadas: por vícios, medos,abandonos, rebeldia...O que for, Deus ajunta os cacos e ergue fortalezas. Mas será preciso esforço, entrega. Não se pode esperar que outros façam por nós o que só nós podemos fazer. Israel não tinha mais que confiar em templos, reuniões, sacerdotes da prosperidade, armamentos. Israel tinha que decidir andar com Deus, as bençãos seriam consequências.

Para reconstruir Jerusalém, nem mesmo as pedras queimadas pelo fogo do incêndio provocado pelo exército inimigo foram descartadas. Elas serviram de alicerce para novas construções.  É isso mesmo, Deus é divinamente paciente para nos tratar com amor e perdão. Ele não quer nossa destruição, antes,porém, quer nosso crescimento e felicidade. E se para isso tiver que nos corrigir, assim seja. Sábio será o que aceitar a correção.

Hebreus 12:11 "E, na verdade, toda a correção, ao presente, não parece ser de gozo, senão de tristeza, mas depois produz um fruto pacífico de justiça nos exercitados por ela."


 A restauração:
  • Quando o Senhor trouxe do cativeiro os que voltaram a Sião, estávamos como os que sonham.
  • Então a nossa boca se encheu de riso e a nossa língua de cântico; então se dizia entre os gentios: Grandes coisas fez o Senhor a estes.
  • Grandes coisas fez o Senhor por nós, pelas quais estamos alegres.
  • Traze-nos outra vez, ó Senhor, do cativeiro, como as correntes das águas no sul. 
  • Os que semeiam em lágrimas segarão com alegria.
  • Aquele que leva a preciosa semente, andando e chorando, voltará, sem dúvida, com alegria, trazendo consigo os seus molhos. 
Salmos 126:1-6

No final, a recompensa  chega como as correntes do Sul, que lugar é esse? Se refere as torrentes no deserto de Neguebe, um lugar inóspito ao Sul de Jerusalém. Ali existe um leito de rio vazio e seco em alguns períodos do ano, mas de repente, e sem haver chuva ou explicação, o lugar é inundado por torrentes de águas, e o lugar então, faz jus a indicação: "correntes do Sul" ou "torrentes do Sul" que transbordam como em um fenômeno.

No final o que foi plantado com choro, é colhido com alegria. Por que foi plantado com choro? Porque o terreno era trabalhoso, a caminhada era penosa, as sementes foram conseguidas com tanto esforço que mesmo andando e chorando o semeador não as soltou, não as desprezou. Pelo contrário, ele as sustentou com todo o zelo e acreditou que floresceriam. Que grande lição de fé nos dá esse Salmo!

Nesse momento, temos em diversas partes do mundo, servos fiéis  passando por cativeiros: missionários em prisão, mulheres em decepção por causa de um relacionamento, homens desempregados, quem sabe doenças, morte. Todos esses cativeiros são reais, mas não podemos soltar as sementes das promessas de Deus, não podemos perder jamais a alegria de ter o Reino de Deus em nós. As torrentes do Sul, podem jorrar como um despertar espiritual nos proporcionando crescimento que não alcançaríamos, de outra forma, que não através do choro de arrependimento, decepção, tristeza e outros regressos.


Que o Deus da restauração o abençoe.

Fonte de pesquisa: Bíblia de Estudo Plenitude, Sociedade Bíblica do Brasil, SP. Edição 1995.

domingo, agosto 13, 2017

Chuvas voltam a São Paulo - 14 de agosto 2017


João Cruzué

Depois de dois meses sem chuva, o clima vai começar a mudar para a Cidade de São Paulo na metade deste inverno. Acho que voltamos a estaca zero entre as influências de El Niño e La Niña.  El Niño já ficou para trás, e La Niña deve estar chegando. Por que ainda não chegou? Porque a seca não está presente no Sul do País. Seca na região Sul e enchentes no Nordeste - eis La Niña.





Estava mesmo precisando de coletar água da chuva para minhas verduras e legumes.


Graças ao Senhor, Que venha a chuva!




.
.

sábado, agosto 12, 2017

Sabedoria e feliciade


Foto: João Cruzué
Photobucket
Estrada da Cachoeira - Barra do Turvo/SP

João Cruzué
Considerando que a felicidade são momentos de paz e contentamento, ser feliz para sempre poderia ser apenas uma utopia.  Os pobres  poderiam ser felizes, estando cheios de necessidades?  E os ricos -  seriam felizes o tempo todo?  Tanto  ricos quanto pobres podem felizes e infelizes. Como ser feliz então? Digo sem receios que o conhecimento da palavra de Deus traz a sabedoria. A sabedoria divina é um meio para uso em tempos de fartura e de deserto. Então, vamos meditar.


"Entrega os teus caminhos ao Senhor, confia Nele  e, Ele tudo fará"

Salmo 37:5.

Como estudioso da Bíblia Sagrada, entendo que a felicidade depende do contentamento, e para viver contente em meio a tantas dificuldades, necessidades e avareza é preciso ter um encontro verdadeiro com Jesus Cristo, o Filho do Deus Vivo. Quem tem Jesus tem o caminho, as respostas e a paz. Quem tem Jesus é feliz.


Esta não é uma reposta ilógica, se é razoável dizer que a própria lógica não traz respostas absolutas, senão desoladoras. Lê-se em livros de ciência e filosofia que o homem está sozinho, que viemos de um símio, que o homem faz a si próprio, que não foi criado por ninguém e que seu destino é ser miserável porque é irracional . Alguns chegam até a dizer que religião é apego de seres inferiores.

--Será que Deus existe? Ele tem algum interesse pessoal em nós? 


-A resposta é: Sim!

Jesus Cristo é Deus. Ele não é uma religião, não é uma filosofia, não é uma força positiva e não é a natureza. Jesus é uma pessoa. Jesus é o filho de Deus encarnado em forma humana. Jesus é a expressão do amor de Deus para com a humanidade perdida. Ele chegou aqui com um propósito maior: trazer as boas novas de reconciliação e paz do Deus Criador. Esta boas novas são: Deus por meio de Jesus Cristo colocou em funcionamento um plano de reconciliação entre o Criador e a criatura; neste plano há uma oportunidade para você.

Todo aquele que crer em Jesus, como o Filho de Deus, será salvo. Salvo da miséria, salvo da maldição do pecado, salvo da insignificância, salvo do ódio - através do perdão de Deus. Isso parece loucura, mas os fatos mostram por si, que pessoas deixam de ser infelizes quando aceitam voluntariamente jesus como Senhor, porque só Jesus pode trazer alívio, relevância, significado e prazer para suas vidas. Nenhuma religião pode preencher o vazio e a falta de sentido na vida de ninguém. Isto é provado, pois o mundo está cheio de religiões. Jesus, uma pessoa, pode preencher este vazio e trazer a paz de espírito a uma alma em desespero.

Sabe por quê você não é feliz? É porque não convidou pessoalmente a Jesus para morar em seu coração. Sabe por quê você ainda não é feliz? Porque não achou o propósito de Deus para sua vida. Ele criou você para ser livre e feliz, entretanto com suas escolhas erradas você caminha em direção oposta. Ele criou você para maravilhosos propósitos que ainda não sabe. Aproxime-se do Senhor que sua vida vai melhorar, vai mudar. Vá esta semana mesmo à uma Igreja Evangélica para se reconciliar com Deus, aceitando Jesus.

Se você já é crente em Jesus, mas nunca se preocupou em descobrir qual o propósito dele para sua vida, os planos de Deus para você. Não me admira mesmo de que esteja insatisfeito e com uma sensação de vazio.. Hoje mesmo peça ao Senhor que o coloque dentro da Sua vontade. O preço da felicidade é agradar o Senhor.

Quando alguém agrada o Senhor, o Espírito de Deus faz nele morada, o Espírito tem liberdade em sua vida. Ele ouve a voz do Espírito e se alegra. O Espírito orienta a realizar ações para a glória de Jesus. Você pode não ter nada no bolso, nem emprego, nem um teto, mas se estiver na presença de Deus, você estará feliz, por que é o Templo do Espírito Santo. A felicidade verdadeira é o contentamento da presença do Senhor.

Qual é o preço da prosperidade? Bom, o preço da sua liberdade, que foi muito alto, Jesus já pagou. O preço menor, que é descobrir qual é a vontade dele para você, e trabalhar dentro dela, é por sua conta. Agrade então ao Senhor Jesus e ele cumprirá o desejo do seu coração. Salmo 37:4


João Cruzué
SP-27/02/2008

.

Namoro Cristão - Isaque e Rebeca




P&Y
Noivado Cristão

João Cruzué

Quando o assunto é a escolha de alguém para amar e ser amada(o) uma vida inteira, a prudência é mais importante que a aparência. A Bíblia Sagrada é nossa referência para esse assunto, por isso escolhemos o casal Isaque e Rebeca cuja história vamos conhecer e analisar. No final deste aconselhamento você vai estar apta(o) para responder quem escolheu Rebeca para Isaque.

Há um versículo em Provérbios 19; 14 onde está escrito: A casa e a fazenda são herança dos pais, mas do Senhor vem a mulher (ou o homem) prudente.

Isaque estava com 40 anos. Sara, sua mãe, já tinha morrido. Abraão - o pai - tomou a decisão de arranjar uma esposa para o filho. Chamou seu servo de maior confiança - Eliezer - e deu-lhe uma grande responsabilidade: buscar uma noiva para Isaque.

Abraão orou assim na partida de Eliezer: "Ó Senhor Deus dos céus que me tomou da casa de meu pai e da terra da minha parentela, que me falou e que me jurou dizendo: A tua semente darei esta terra e ele enviará o seu anjo adiante da tua face, para que tome mulher."

E Eliezer levantou-se e partiu para a Mesopotâmia, para a cidade de Naor, com uma caravana de 10 camelos. Depois de muitos dias, chegou lá e fez ajoelhar seus camelos fora da cidade, junto ao poço. Inseguro quanto ao resultado da viagem começou uma oração: "Ó Senhor Deus de meu senhor Abraão, dá-me hoje um bom encontro e faze beneficência ao meu senhor Abraão. Eis que estou de pé junto a este poço onde as filhas dos varões da cidade vêm tirar água. Seja, pois, que a donzela que eu pedir: Abaixa agora o teu cântaro para que eu beba; se ela disser bebe e também darei de beber aos teus camelos, esta seja a que designaste ao teu servo Isaque. E que eu conheça nisto que fizeste beneficência ao meu senhor."

E sucedeu que, antes que ele acabasse de orar, eis que Rebeca saía com o cântaro sobre o ombro e desceu a fonte e encheu o cântaro. Então Eliezer aproximou-se e pediu: Ora, deixa-me beber um pouco da água de seu cântaro. E ela disse: Bebe meu senhor, e abaixou o cântaro sobre sua mão e deu-lhe de beber. E acabando ela de dar-lhe de beber, disse: Tirarei água também para seus camelos até que acabem de beber. E apressou-se e vazou o cântaro na pia e desceu para tirar mais água, e tirou para todos os camelos. E o varão Eliezer estava admirado de vê-la; calando-se para saber se o Senhor havia prosperado sua jornada.

--De quem és filha? Há também lugar na casa de teu pai para pousarmos? Ela disse: Eu sou filha de Betuel, filho de Naor. Também temos palha, e muito pasto, e há lugar para pousar. Então Eliezer inclinou-se e adorou o Senhor: Bendito seja o SENHOR de meu senhor Abraão que não retirou sua beneficência e a sua verdade de meu senhor e meu guiou até a casa do irmão de meu senhor.

Assunto tratado, Eliezer decidiu voltar imediatamente. E a família perguntou à Rebeca: Irás tu com este varão? E ela disse: Irei. E assim partiram pelo caminho da volta.

Ora Isaque saíra a orar no campo, sobre a tarde; e levantou os olhos e viu os camelos. Rebeca também levantou os olhos e viu a Isaque; desceu do camelo e perguntou: Quem é aquele varão que vem pelo campo ao nosso encontro?

E Eliezer disse: "Este é o meu senhor Isaque. Então, ela tomou o véu e se cobriu. E o servo contou a Isaque todas as coisas que fizera. E Isaque trouxe Rebeca para sua tenda e a tomou por mulher."

C O N S E L H O S 

Deus teve a primazia de escolher a noiva de Isaque. Primeiro, através da oração de Abrão. Depois pela oração de Eliezer. E por fim, Isaque estava voltando da oração da tarde quando a caravana chegou com Rebeca.

Isaque era um moço temente ao Senhor. Poderia ter ele mesmo feito a escolha, mas não a fez. Ele orava. O Senhor sempre vai nos ajudar a escolher melhor por que ele vê o futuro enquanto nós mal conseguimos analisar o presente.

O casamento é uma instituição divina. Se for construído dentro da vontade do Senhor, será com certeza uma bênção. Venha a luta que vier, Cristo vai estar sempre no barco. Deixar o Senhor de fora do processo da escolha é contar com a própria sorte.

A construção do seu futuro lar depende de uma escolha. Cabe você fazê-la, mas pode pedir que o Senhor lhe ajude. Quero dar meu testemunho, ele é verdadeiro: deixei o Senhor ajudar na escolha e tenho uma esposa maravilhosa há 22 anos.

Quando for escolher não tome decisões com base em profecias. Deus pode falar pessoalmente ao seu coração quando seu(sua) escolhido(a) chegar. Para isto acontecer você precisa andar em sinceridade com Deus, pois ele não responde orações de pecadores nem de crentes mascarados. Há uma condição básica para orar e receber a resposta: ter um coração limpo diante do Senhor.

Prepare-se para aquele dia. O Namoro cristão não é treino nem oportunidade de manipular com os sentimentos alheios. Cuidado! Aquilo que você plantar é o que vai colher depois. Não é um processo de tentativa e erro, é de sorte mesmo. Uma sorte na escolha que vem do Senhor.

Os costumes mundanos não são padrões a serem copiados. O que você vê nas novelas não serve de experiência para um crente. Ali o amor é lindo – até que dure. E ele dura pouco. Não há pessoas mais infelizes no amor do que artistas de TV e cinema. Por trás daqueles rostos famosos, há muito sofrimento, desgostos, infelicidade e arrependimento tardio escondidos.

Não há meio termo: para ter comunhão com Deus temos que rejeitar o mundo e sua cultura. Não se apaixone por ímpios, pois Deus não está no coração deles ainda que venham embrulhados em papel de presente dourado e cartão dizendo “Aqui mora seu amor eterno”. Não se deixe apaixonar antes de ter certeza que a escolha tem aprovação de Deus.

O que está em jogo é a construção de um lar feliz onde você possa agradecer a Deus todo dia pelo cônjuge que o Senhor lhe deu. Não deixe que o diabo estrague isto.


Se você gostou, deixe seu comentário.
Sp-10/10/2005

cruzue@gmail.com .



Origens do fogo pentecostal do século XX

.
Tradução de: João Cruzué 
Em 08.02.2005 - Revisão: 12.8.17
.


William Joseph Seymour nasceu em 02 de maio de 1870, em Centerville, Santa Maria de Paris, no Estado da Louisiana - USA. Seus pais, Simon Seymour e Phillis Salabar tinham nascido escravos.
.
Quando o Presidente Abraham Lincoln assinou a Proclamação de Emancipação terminando com a escravidão nos estados rebeldes do Sul, o pai de William se alistou no Exército do Nordeste e serviu até o final da guerra civil. Durante a marcha do exército pelos estados do golfo, Louisiana, Mississípi, Alabama e Flórida ele ficou doente e foi hospitalizado em Nova Orleans. Pela descrição, ele teria contraído malária ou alguma moléstia tropical parecida. Ele nunca se recuperaria totalmente.

William era o primogênito de uma família enorme e viveu seus primeiros anos em abjeta pobreza. Em 1896 os bens de sua mãe eram: um catre, uma cadeira e um colchão, velhos. Toda aquela "fortuna" fora avaliada em $ 55 dólares - ou R$150,00.

Seymour também sofreu com a injustiça e preconceito da reconstrução sulista. Violência contra homens livres, era comum e a Ku Klux Klan aterrorizava o Sudeste da Louisiana.

O Jovem Seymour teve contato com várias tradições cristãs. Seus pais foram casados por um pregador metodista; o garoto William foi batizado na Igreja Católica Romana em Franklin, Louisiana; seus pais foram sepultados junto a uma Igreja Batista.

Muitos ditos sobre a vida de Seymour afirmam que ele era analfabeto. Não é verdade. Ele frequentou uma escola de homens livres em Centerville e aprendeu a ler e escrever. De fato, o retrato de sua assinatura demonstra uma caligrafia.

Fugindo da pobreza e da opressão da vida no Sudeste da Louisiana, Seymour deixou seu lar em plena infância. Ele esteve trabalhando em Indiana, Ohio, Illinois, e outros estados; possivelmente no Missouri e no Tenesse. Ele habitualmente trabalhava como garçom em hotéis de grandes cidades.

Foi em Indianápolis que Seymour se converteu, em uma Igreja Metodista. Logo, entretanto, ele se uniu ao movimento da Igreja de Deus Reformada em Anderson, Indiana. Naquele tempo o grupo era chamado de "Os santos da Luz do Alvorecer". Enquanto estava com aquele grupo de santidade, ele foi separado e chamado para ser um pregador.

Em Cincinnati, Ohio, depois de um surto quase fatal de varíola, Seymour se rendeu à chamada ministerial. A varíola o deixou cego de um olho e com marcas na face, e, pelo resto de sua vida ele usou uma barba para esconder aquelas marcas.

Em 1905, Seymour estava em Houston, Texas, quando ouviu a mensagem pentecostal pela primeira vez. Ele se matriculou na Escola Bíblica dirigida por Charles F. Parham. Parham, foi o fundador do movimento de Fé Apostólica, e é o pai do reavivamento Pentecostal/carismático moderno. Na Escola Bíblica de Topeka, Kansas, seus seguidores tinha recebido o batismo no Espírito Santo com a evidência bíblica de falar em outras línguas.

Por causa das leis de segregação racial da época, Seymour foi forçado a se assentar no corredor, do lado de fora da sala de aula. O humilde servo de Deus suportou a injustiça com graça. Seymour deve ter sido um homem de um aguçado intelecto. Em poucas semanas ele se tornou bastante familiarizado com os ensinos de Parham, que observou que ele também podia ensinar. Entretanto, não recebera o batismo com o Espírito Santo com a evidência de falar em línguas.

Parham e Seymour dirigiram, juntos, reuniões em Houston, com Seymour pregando para auditórios negros enquanto Parham pregava para grupos de brancos. Parham tinha planos de usar Seymour para espalhar a mensagem da Fé Apostólica para os afro-americanos do Texas.

Neely Terry , uma convidada de Los Angeles, encontrou com Seymour quando ele pregava numa Igreja regular pastoreada por Lucy Farrar. Esta, era empregada da família de Parham no Kansas.

Quando Terry retornou a Los Angeles, ela persuadiu a pequena Igreja de Santidade que frequentava a convidar Seymour para ir até sua Igreja para uma reunião. Sua pastora, Julia Huthinson, oficializou o convite.

Seymour chegou a Los Angeles em fevereiro de 1906.

Seus primeiros esforços para pregar a mensagem pentecostal foram impedidos e ele foi expulso porta à fora daquela igreja. A liderança tinha suspeitas da doutrina de Seymour, estavam especialmente convencidos de que ele pregava sobre uma coisa que ainda não tinha recebido.

Mudando para a casa de Edward Lee, um zelador de um banco local, o bispo Seymour começou a ministrar a um grupo de oração que estava se reunindo regularmente na casa de Richard e Ruth Asbery, na Rua Bonnie Brae, 214. Asberry também tinha um emprego de zelador. A maioria dos adoradores eram afro-americanos, com algumas visitas ocasionais de brancos. Assim que o grupo foi buscando a Deus por reavivamento, sua fome se intensificou.

Finalmente, em 19 de abril, Lee foi batizado no Espírito Santo com a evidência de falar em outras línguas. Quando as novas de seu batismo foram contadas aos verdadeiros crentes da Rua Bonnie Brae, um poderoso derramamento se seguiu. Muitos receberam o Batismo do Espírito Santo como um reavimento pentecostal chegado à Costa Oeste.

Aquela tarde poderia ser descrita assim: gente caindo pelo assoalho parecendo inconscientes, outras clamavam e corriam pela casa. Uma vizinha, Jennie Evans Moore, tocou piano sem nunca ter tocado antes.

Nos poucos dias de continuo derramamento, centenas se ajuntaram. As ruas ficaram cheias e Seymour pregava do alpendre dos Asbery. Em 12 de abril, três dias depois do derramamento inicial, Seymour recebeu seu próprio batismo de poder.

Rapidamente, deixando o lar dos Asbery, o bispo procurou um local para uma igreja. Eles encontraram um prédio de uma missão na Rua Azuza nº 312.

A missão tinha sido construída para ser uma Igreja Metodista Episcopal Africana, mas quando os planos foram abandonados, o santuário do andar de cima foi transformado em apartamentos. Um incêndio destruiu um lance do teto e ele foi refeito um flat de 40 x 60 com a aparência de uma caixa quadrada. O porão inacabado com um teto baixo e um chão sujo, era usado como armazém e estábulo.

Esse porão veio a ser o local da Missão da Fé Apostólica. uma mistura de cadeiras e pranchas de madeira foram arranjadas para os assentos e oração. Duas caixas cobertas por um tecido barato se transformaram em um púlpito. foi deste humilde local, que a verdade pentecostal se espalhou para o mundo.

Visitantes vieram tanto de perto quanto de longe para participar do grande avivamento na Missão da Fé Apostólica da Rua Azuza, 312 em Los Angeles, Califórnia.

Em 17 de abril, o jornal Los Angeles Daily Times enviou um repórter ao local do reavivamento. Em seu artigo ele malhou a reunião e o pastor chamando os frequentadores de "uma nova seita de fanáticos", de Seymor disse: um velho exortador. Ele zombou das línguas estranhas : Uma esquisita babel de línguas ".

Mais importante do que suas críticas,foi o tempo providencial da sua visita. O artigo foi publicado no mesmo dia do grande terremoto de São Francisco. Californianos daquela região foram pegos de surpresa e com grande temor achavam que o reavivamento era o cumprimento das profecias do dia do Grande Juízo Final.

Imediatamente, Frank Bartleman, um evangelista itinerante, publicou um folheto sobre o terremoto. Milhares de folhetos, sobre o cumprimento das profecias, foram distribuídos. Logo, multidões se apertaram na Rua Azuza. Um recepcionista disse que mais de mil pessoas lotavam a propriedade. Centenas enchiam o pequeno prédio. outros assistiam do lado de fora, entupindo aquela rua suja.

Com a ajuda de um estenógrafo e um editor, a Missão começou a publicar um jornal, "A Fé Apostólica". Os Sermões de Seymour eram transcritos e impressos junto com as novidades sobre reuniões de muitos missionários que estavam sendo enviados. Os escritos literalmente espalharam a mensagem Pentecostal através do Globo. Circularam mais de 50.000.

Cultos eram dirigidos três vezes ao dia: às 10:00, à tarde e às 19:00h. Eles freqüentemente permaneciam juntos o dia inteiro até o fim do último culto. Este programa continuou sete dias por semana, por mais de três anos.

Era muito comum o perdido ser salvo, o doente curado, o endemoninhado liberto,e quem buscava saía batizado com o Espírito Santo na mesma reunião. Muitos dos pioneiros do movimento Pentecostal receberam o Santo batismo adorando nas pranchas de casca de madeira no altar da Rua Azuza.

Em 28 de setembro de 1922, com 52 anos de idade, teve dores no peito e falta de ar. Embora o médico fosse chamado, o peregrino foi estar com o Senhor na Cidade Celestial.
.
---------------------------------------------------------

Tradução de João Cruzué > cruzue@yahoo.com.br .
Página de html: Bishop William J_ Seymour -
Azusa Street Revival.htm
SP. 08/10/2005. 

domingo, agosto 06, 2017

Agosto, um mês de boas lições


PASTOR ARMANDO VANELLI


Blog do Pastor Vanelli

Então, eis que já estamos em agosto.Isso mesmo, parece que o 1º de janeiro foi ontem. O tempo tem passado numa velocidade descomunal, mas com certeza são as nossas múltiplas atividades que fazem com o tempo urja tão veemente. Mas, se chega um novo mês, um novo tempo, é sempre bom deter-se sobre ele. Por exemplo, agosto é um mês muito interessante, além de ser o segundo mês do segundo trimestre do ano, é um mês que dá mostras da transição do inverno para a primavera, que começa às 17:02 (sem horário de verão) do dia 22 de setembro e termina em 21 de dezembro de 2017.

E agosto tem ainda um piques, uns resquícios do inverno que se esvai com uma  brisa quase que diuturna. Com esse vento constante desperta nos meninos um forte estímulo para empinar pipas, e muitas delas estão por todos os cantos da cidade. Nos parques, nos descampados e até mesmo entre o emaranhado de fios elétricos e telefônicos surgem com as mais variadas formas e cores que no lindo céu azul as pipas embelezando o ar e vindicando uma acirrada disputa entre os empinadores, com destaque a altura, manobras e "taios", tentando cada um prevalecer com a sua arte o maior tempo possível no ar.

Hoje, na modernidade, qualquer garoto faz uma pipa com facilidade. Há papeis, varetas e colas especiais para a confecção das pipas, que a cada região tem um nome: quadrado, maranhão, papagaio, pandorga ou raia. No meu tempo de garoto não era fácil fazer um pipa.Em princípio o que se conseguia era folha de papel da embalagem do macarrão Maravilha(lembra disso?), uma cola de trigo ou de sabão e as varetas de bambu que se cortava de uma taquara e com uma pequena faca trabalhava se para dar a devida curvatura no arco do pipa.

Mas por trás dessa brincadeira sempre havia algo que me impressionava, por exemplo, a condição de cada garoto que empinava sua pipa.Eu sempre tinha algum retrós de linha de costura que ganhava de alguém, mas havia alguns meninos mais afortunados que traziam em suas maquininhas de soltar pipa, 2 ou 3 carreteis de linha de ótima qualidade, havia uma marca muito popular entre os pipeiros que a linha Corrente, e cada carretel tinha 131 jardas ou 120 metros cada. A considerar 3 carreteis de linha soltos para uma pipa, 360 metros era uma considerável altura, e as pipas se perdiam de vista.

Residindo num simples bairro chamado Vila Bazani em Itapira,SP, e ali nas imediações havia um menino chamado Vineu, Vineu Piolo e ele era uma espécie de um professor Pardal dos arrebaldes, fazia uma engenhocas para empinar pipas e usava até 5 carretéis de linha, logo era o campeão em altura naquela redondeza.

Chegava agosto,  a lição de casa ficava para depois. Todos no largo 13 de maio, praça da famosa festa de 13 de maio, e toma de levantar e empinar viva. As horas voavam, e ao anoitecer retornávamos ás nossas casas. Uns alegres pela proeza de ter conseguido por o seu pipa lá nas alturas, outros cabisbaixos porque a linha se rompeu e adeus ao colorido brinquedo.

Na época ainda não tinha conhecimento da Palavra de Deus, mas hoje relembrando historias da minha infância me permito pensar a capacidade daquele vento de agosto de levar os nossos maranhões às alturas, mas e o vento, onde nascia aquele vento? Um dos textos que mais me chamou a atenção quando comecei a ler a Bíblia foi este: "O vento sopra onde quer: ouve-lhes o ruído, mas não sabes de onde vem, nem para onde vai" João 3.8a, citado por Jesus no diálogo com Nicodemos e tratando do novo nascimento.

De certa forma nós não tínhamos um conceito de coisas divinas, mas também não pudíamos fugir da realidade de que até naquele vento era possível imaginar a presença de Deus. E isto me faz lembrar, ainda que possa parecer redundância, de um grande evangelista da tevê, nos meus primeiros idos da vida cristã, e ele contou que um homem ao passar perto de um menino que tinha um largo sorriso nos lábios, olhava atentamente para cima enquanto segura uma lata onde estava amarrada a linha, disse: está sorrindo porque ?  Ao que o menino lhe disse: meu papagaio está quase perto de Deus. O homem imediatamente disse: Deus? Deus não existe, o que não se pode ver não existe. O menino então disse: olha o meu papagaio, e o homem por mais que se esforçava não conseguia ver. Então o menino disse: segura aqui a minha linha e aquele senhor  pegou a linha, puxou duas ou três vezes e disse: e daí menino? E o garoto respondeu é assim com Deus, o senhor não viu meu papagaio, mas sentiu a força dele na linha, é assim com Deus, não posso vê-lo,mas sei que Ele está lá.

Assim é a vida do que crê, sabe e conhece que Deus está presente em cada detalhe da vida cotidiana, por isso aproveite que agora é tempo em que o Espirito está soprando sobre cada igreja que prega a verdadeira Palavra  e se entregue a Deus, abra seu coração para Jesus. Você pode não vê-lo,mas com certeza está batendo à porta do seu coração. Não hesite ou  espere mais, tome a decisão, abra seu coração e desfrute da presença real de Deus na sua vida.



.