domingo, agosto 31, 2014

A Bíblia e o sofisma da maldição da cor negra





POR JOÃO CRUZUÉ

Comentário inicial do blogueiro: A pele negra, os olhos e  cabelos negros têm tudo a ver com a Melanina. Isto pode ser explicado cientificamente e nunca foi consequência de  maldição divina. Esta conversa fiada de que a cor negra dos africanos é decorrência da maldição de Caim, no passado era fundamento para escravagistas e, hoje, preconceito consciente ou repeteco de "papagaios" ignorantes. Na mesma linha vem a maldição de Canaã, neto de Noé, nascida para encobrir a falha da outra ilação, pois, Caim não chegou ao dilúvio. 

Pesquisando a Bíblia, ao meu ver nunca houve esta associação. E quando aparentemente ela veio, parece que teve uma resposta dura de Deus.  É muito provável que a sedição de Miriã e Arão em Números 12:1 tenha tido origem na cor da pele da mulher  de Moisés, que era cuxita (etíope). Se assim foi, Deus não deixou isso sem castigo. A lepra de Miriã  a deixou branca como a neve. Teria este castigo alguma repreensão direta contra a manifestação de racismo?  Não há detalhes no texto, mas o contexto  traz grande  possibilidade  desta interpretação.

Alguns linguarudos ignorantes vivem repetindo que Noé amaldiçoou a descendência de Cã com a cor negra. Outros, mais linguarudos ainda, especulam que uma das noras de Noé era negra. De qualquer forma,  creio que esta difamação teve origem na hipocrisia dos protestantes (Batistas) americanos do começo do século XX, que andavam com a Bíblia na mão e o ódio aos negros no coração. Se não fora DEUS, comissionando o  Pastor Martin Luther King Jr., até hoje, os negros ainda estariam oficialmente debaixo da segregação na América.  


E este assunto besta foi desenterrado pela mídia em 2012 patrulhando o polêmico Deputado Federal, Pastor Marcos Feliciano - que para mim falava demais. Tenho uma curiosidade: gostaria de saber de que versão da Bíblia  seria a literatura deste texto apócrifo: “Você e todos os seus descendentes serão eternamente amaldiçoados, e para diferenciá-los dos demais lhes darei a cor negra, a cor das trevas e do eterno pecado”.  Distorção grosseira de Gênesis 9:25 que NUNCA relacionou a maldição com a cor da pele de Cã ou de Canaã.
(Fim do comentário inicial).

Veja agora o texto da "Revista Despertai" 
e, lá no final, vou deixar minha opinião com a verdadeira origem da raça negra.

REVISTA DESPERTAI/TORRE DE VIGIA
Edição;  22 março 1978

[FORAM OS NEGROS  AMALDIÇOADOS NA BÍBLIA?]


"MUITOS líderes religiosos respondem que “Sim”. Os clérigos Robert Jamieson, A. R. Fausset e David Brown, em seu comentário bíblico, asseveram: “Maldito seja Canaã [Gênesis 9:25] — esta maldição se tem cumprido na . . . escravização dos africanos, os descendentes de Can.” — Comentary, Critical and Explanatory, on the Whole Bible (Comentário, Crítico e Explicativo, de Toda a Bíblia).

Afirma-se que não só a escravização dos negros cumpria tal maldição bíblica, mas que sua cor preta também. Assim, muitos brancos foram levados a presumir que os negros são inferiores, e que Deus propôs que fossem servos dos brancos. Muitos negros ficaram amargurados pelo tratamento recebido, em resultado desta interpretação religiosa. Uma delas observa:

[agora, o Testemunho de uma vítima do preconceito]:

“Era o verão de 1951 quando eu, menina curiosa de 7 anos, sentei nos degraus da Primeira Igreja Batista em ‘Sheepshead Bay’, Brooklyn, e chorei. Tentara diligentemente esfregar a negritude de minha pele até ela sair, porque minhas coleguinhas brancas tinham comentado que era repulsiva. Esfregá-la com detergente Ajax apenas deixou uma mancha vermelha, inchada, que doía, quase tanto quanto meu coração infantil, quando comecei a ponderar por que um Deus de amor me tinha feito negra, a menos que não me amasse.

“Tinha ouvido dizer que isso era devido a uma maldição imposta por Deus à nossa raça. Mas, não conseguia entender ou compreender o que havíamos feito a Deus para merecer tal castigo. E acho, refletindo, que no fundo do coração eu sempre nutri um ressentimento particular contra Deus por me fazer negra e me colocar num mundo branco.

“Nos distúrbios esmagadores das zombarias e epítetos raciais de minhas coleguinhas, tais como: ‘Se é branca, é linda criança; se é morena, só nos dá pena; se negra é, aqui não ponha o pé’, surgiu uma condição marcada, em que comecei a ferver de raiva, especialmente diante de meninas brancas da minha idade.”

Que dizer dessa maldição bíblica? São negras as pessoas por causa duma maldição imposta por Deus a algum ancestral delas? E sofreram os negros séculos de escravidão em cumprimento desta maldição? Ensina realmente a Bíblia tais coisas? Vejamos. O relato bíblico em pauta reza:

“E [Noé] bebeu do vinho, e embebedou-se; e descobriu-se no meio de sua tenda. E viu Cão, o pai de Canaã, a nudez do seu pai, e fê-lo saber a ambos os seus irmãos fora. . . . E despertou Noé do seu vinho, e soube o que seu filho menor lhe fizera. E disse: Maldito seja Canaã; servo dos servos seja aos seus irmãos. E disse: Bendito seja o Senhor Deus de Sem; e seja-lhe Canaã por servo. Alargue Deus a Jafé, e habite nas tendas de Sem; e seja-lhe Canaã por servo.” — Gên. 9:21-27, Tradução Almeida.

Tem-se afirmado que esta maldição bíblica marca os negros para a servidão perpétua. Com efeito, em 1838, o realizador duma cruzada anti-escravista, Theodore Weld, escreveu num tratado popular: A “profecia de Noé [supracitada] é o vade-mécum [companheiro constante] dos senhores de escravos, e eles jamais se aventuram a sair sem ele”. — The Bible Against Slavery (A Bíblia Contra a Escravidão), página 66.

Mas, primeiro de tudo, queira notar que nada se diz neste relato bíblico sobre alguém ser amaldiçoado com a negritude de pele. E, observe, também, que foi Canaã, e não seu pai Cã, que foi amaldiçoado. Canaã não tinha pele negra, nem seus descendentes, que se fixaram na terra que se tornou conhecida como Palestina. (Gên. 10:15-19) Os cananeus, com o tempo, foram subjugados pelos israelitas, descendentes de Sem, e, mais tarde, pela Medo-Pérsia, Grécia e Roma, descendentes de Jafé. Tal subjugação dos cananeus cumpriu a maldição profética sobre seu ancestral, Canaã. A maldição, assim, nada teve que ver com a raça negra.

De onde, então, proveio a raça negra? Dos outros filhos de Cã, Cus e, provavelmente, também de Pute, cujos descendentes se fixaram na África. Mas, como vimos, a Bíblia não diz absolutamente nada sobre os descendentes negros de tais homens serem amaldiçoados! Todavia, presumiu-se incorretamente que assim o foram. Quando é que os comentaristas eclesiásticos começaram a aplicar a maldição a Cã?

Um eclesiástico de uns 1.500 anos atrás, Ambrosiaster, aplicou-a assim, dizendo: “Devido à sua tolice, Cã, que tolamente zombou da nudez de seu pai, foi declarado escravo.” E John F. Maxwell observa em seu recente livro Slavery and the Catholic Church (A Escravidão e a Igreja Católica): “Este exemplo desastroso de exegese [explicação] fundamentalista continuou a ser usado por 1.400 anos e levou ao conceito amplamente expendido de que os negros africanos foram amaldiçoados por Deus.”

Até mesmo há uns cem anos atrás a Igreja Católica detinha o conceito de que os negros foram amaldiçoados por Deus. Maxwell explica que este conceito “aparentemente sobreviveu até 1873, quando o Papa Pio IX associou uma indulgência à oração em favor dos ‘desgraçados etíopes da África Central, para que o Deus Todo-poderoso remova inteiramente a maldição de Cã de seus corações’”.

Todavia, mesmo antes do começo da cristandade há mais de 1.500 anos atrás, sim, possivelmente mesmo antes de Jesus Cristo viver na terra, os rabinos judeus ensinavam uma estória sobre a origem da pele negra. Afirma a Encyclopœdia Judaica: “O descendente de Cã (Cus) tem pele negra como castigo por Cã ter tido relações sexuais na arca.”

“Estórias” similares foram inventadas nos tempos modernos. Os defensores da escravidão, tais como John Fletcher, de Luisiana, EUA, por exemplo, ensinavam que o pecado que motivou a maldição de Noé fora o casamento inter-racial. Afirmava que Caim fora assolado com a pele negra por matar seu irmão, Abel, e que Cã pecara por se casar com alguém da raça de Caim. É digno de nota, também, que Nathan Lord, presidente da Faculdade Dartmouth, no último século, atribuiu também a maldição de Noé sobre Canaã, parcialmente, ao “casamento misto proibido [de Cã] com a raça previamente iníqua e amaldiçoada de Caim”.

Mas, tais ensinos não têm nenhuma base na Bíblia. E houve gente, nos séculos passados, que mostravam que a maldição proferida por Noé estava sendo aplicada erroneamente aos negros. À guisa de exemplo, em junho de 1700, o Juiz Samuel Sewall, de Boston, EUA, explicou: “Pois Canaã é a pessoa amaldiçoada três vezes, sem se mencionar Cã. . . . Ao passo que os da raça negra [em inglês, Blackmores] não descendem de Canaã, mas de Cus.”

Também, em 1762, certo John Woolman publicou um tratado em que argumentava que a aplicação desta maldição bíblica, de forma a justificar a escravização de pessoas e privá-las de seus direitos naturais, “é uma suposição embrutecida demais para ser admitida pela mente de qualquer pessoa que sinceramente deseje ser governada por sólidos princípios”.

Imensos danos resultaram da aplicação errônea, por parte de eclesiásticos, desta maldição bíblica! A escravização dos negros africanos, e os maus tratos que lhes impuseram, desde os dias da escravidão, não podem de forma alguma ser justificados pela Bíblia. A verdade é: Os negros não são, e jamais foram, amaldiçoados por Deus!"


---fim---

Opinião do Blogueiro sobre a origem da raça negra:

Na minha vida de cristão  ouvi muitas vezes, sempre de pessoas iletradadas, que nem pensavam direito no que repercutiam, que a cor negra da pele era maldição de Caim. Sem ficar repetindo esse assunto, e indo direto ao ponto, a pessoa que ressuscita este tipo de  texto em pleno século XXI está procurando encrenca. 

A Genética, um ramo da verdadeira Ciência que trata, entre outras coisas, do estudo do DNA, genes, cromossomos, bases de ligação, já jogou luz suficiente neste assunto, para dar a entender a quem investiga a beleza da criação de Deus que este tipo de comentário não resiste à mais simples lógica científica. Se Caim ou Canaã foi amaldiçoado com a pele negra, como ficaria explicada a cor negra das aves, dos peixes e dos  animais? Será que somente o homem possui a cor da pele negra?

Se nós cristãos cremos pela fé que Deus criou o corpo do homem e da mulher, também devemos crer que Ele potencializou sua genética (DNA) para produzir filhos e filhas com diferentes cores de: pele, olhos e cabelos. A esta opinião devo acrescentar as Leis de Mendel, que tratam do estudo das características recessivas e dominantes transmitidas pela união de indivíduos diferentes da mesma espécie.

A pele negra, os olhos e  cabelos negros tem tudo a ver com  Melanina e nunca foi uma maldição divina. Sua origem é genética e tem perfeita explicação na Biologia. 

Pesquisando a Bíblia, é muito provável que a sedição de Miriã e Arão em Números 12:1 tenha tido origem na cor da pele da mulher  de Moisés, que era cuxita (etíope). Se assim foi, Deus não deixou isso barato. Se a lepra de Miriã  a deixou branca como a neve, teria este castigo alguma repreensão direta contra racismo?  Por que Deus escolheu um castigo que mudou a cor da pele de Miriã para um branco extremo? 

Bem, se em nossos dias alguém ainda fica falando ou citando abobrinhas racistas, principalmente nos púlpitos de Igrejas, talvez esteja mesmo procurando "lepra" para se coçar. Depois não  me venha com conversa de perseguição injusta por causa da fé... Pois em Provérbios 26:3 está escrito: "O açoite é para o cavalo, o freio é para o jumento, e a vara é para as costas dos tolos." 

Por fim, O Brasil segue firme no caminho da democracia. Da mesma forma que nos Estados Unidos um mestiço (de pai negro e mãe branca) tem sido Presidente há quase 08 anos, aqui,existe a possibilidade de a mesma coisa acontecer.







sábado, agosto 30, 2014

A oração de Davi no Salmo 5


"De tardee de manhãe ao meio-dia orarei;


e clamarei, e Ele ouvirá a minha voz"



Túmulo de Absalão(E), Jerusalém
João Cruzué

"Inclina, ó Deus os teus ouvidos à minha oração e não te escondas da minha súplica. Atende-me e ouve-me; lamento-me e rujo, pois o clamor do inimigo e a opressão do ímpio lançam sobre mim iniquidade e com fúria me aborrecem." Este é o início de um Salmo de David, o rei que orava e dependia das respostas de Deus.

David era músico. Atarefado com a guerra e os deveres do reino, receio que não tinha tempo para fazer poesias. Imagino que orava junto a alguém, algum profeta ou secretário, Natã por exemplo, que anotava suas palavras. E elas não eram frutos de ficção, mas de um cotidiano muito difícil.

Os eruditos dizem que o Salmo 55 foi escrito durante a rebelião promovida por Absalão, um dos filhos do rei, que buscava tomar pela força o trono do pai, aconselhado por Aitofel, ex-conselheiro de Davi. Em guerra contra o próprio filho, uma situação desesperadora. Consciente da sua fraqueza, o rei fugiu de Jerusalém para nãos ser morto (ou matar) pelo próprio filho. Absalão, estava envenenado e disposto a qualquer coisa. Que situação. Verdadeiramente as portas do inferno estavam abertas dentro da casa de Davi.

E foi assim que David percebeu que devia orar mais e clamar com mais força a Deus. Passou a orar sobre o assunto três vezes ao dia. E para um judeu fazer isto, significava que sua necessidade era angustiante. De tarde, pela manhã e ao meio-dia.

A principal mensagem do Salmo 55, para mim, está registrada no penúltimo versículo: Lança o teu cuidado, sobre o Senhor, e Ele te susterá, e não permitirá que um justo seja abalado. Isto quer dizer que em situações tão difíceis como aquela não há outro caminho senão orar mais e depender de Deus. Como esta promessa está vinculada à justiça, é bom ordenar sua vida com Deus para evitar impedimentos.

Se você entrar dessa forma diante de Deus, ele vai parar a fúria do inimigo. Você dará a volta por cima, porque o Senhor conquistará a vitória por você. Não se cale nem se apequene diante da fúria do diabo.






.

terça-feira, agosto 26, 2014

Jesus livrou minha mãe das drogas


Hoje ela é obreira na casa do Senhor!



CINTIA KANESHIGUE


Este testemunho foi publicado em novembro de 2009. Eu quero compartilhá-lo novamente, para que a sua e a minha fé sejam fortalecidas!  Vim trazer para você mais um testemunho de vitória na minha família! Para quem ainda não leu meu testemunho publicado anteriormente, sugiro que procure por ele, para entender melhor essa história fantástica, porém real, acontecida na minha vida.

Depois de minha conversão,de meu marido, irmão e cunhados, chegou a vez de minha mãe!
E eu só posso dizer uma coisa, para Deus NADA é IMPOSSÍVEL!

Minha mãe era espírita desde os 16 anos, por imposição maligna. Ela tinha desmaios constantes e os médicos não encontravam a causa. A situação a levou a uma vizinha que, por acaso, era mãe-de-santo. E então depois que minha mãe começou a frequentar a casa dela e a "doutrinar"seus guias, parou de passar mal. O diabo escravizou a minha mãe por 31 anos.

Durante este pequeno tempo na vida dela, houve o casamento com meu pai (também espírita de mesa branca), eu, meu irmão e minha irmã, várias brigas, traições, infelicidade, idas e vindas ao Japão, a separação, nossa vinda definitiva para o país do Sol Nascente, e a última cartada do Diabo sobre a vida dela: o cristal.

Essa droga, foi o xeque-mate na minha família. Eu tive simplesmente a minha família inteira envolvida por esta armadilha diabólica, e por misericórdia de Deus apenas eu e minha irmã não fizemos uso desta droga.

Para a minha mãe em especial, foram quase seis longos anos de dependência e uso contínuo.
Mas como disse anteriormente:para o meu Deus NADA é IMPOSSÍVEL.

O Senhor foi trabalhando na vida de cada um de minha família,retirando este fardo imposto pelo diabo,e em Novembro chegou a vez de minha mãe.

No começo do mês de Outubro meu marido foi trabalhar em outro estado e ficamos eu, minha mãe e a droga entre nós. Já havia brigas frequentes entre nós, e eu particularmente já não sabia mais o que fazer. Minha vida era esconder os cartões do banco, não deixar dinheiro na carteira, desconfiar de cada telefonema que ela recebia. Mesmo indo a igreja e orando a Deus por um milagre, a minha vida parecia uma catástrofe. Mesmo assim nunca perdi minha fé!

Durante a visita de um pastor itinerante à nossa igreja, em uma vigília, na qual disse que daríamos várias voltas na igreja sem dizer nada e na última volta gritaríamos e faríamosmuito barulho num ato profético. Sem trocar uma palavra, eu, minhas cunhadas e meu irmão, colocamos a nossa muralha de Jericó nestas voltas: a minha mãe!

Na semana seguinte meu irmão apresentou uma coreografia na igreja e a minha mãe foi até lá só pra prestigiar, no fim daquele culto, o pregador conclamou a igreja uma oferta de quantia alta, algo em torno de U$100.00, este valor é igual a uma saca de cristal, nesse momento Deus tocou fortemente meu coração, então logo me levantei, e fui dizendo de onde eu estava até o altar de que nunca mais sairia dinheiro algum da minha casa para a compra de droga. Nenhum destes dois eventos citados acima, eram costumeiros na igreja.

Nesta mesma semana orei e depois conversei com a minha mãe pedindo que ela me levasse a igreja nos cultos de oração (eu não tenho carteira de motorista). Para o meu espanto ela aceitou.

Na quarta feira (dia do culto) saímos de casa caladas, até o caminho da igreja, cerca de quarenta minutos. Chegando lá fiquei muito feliz, a minha mãe estava com cara de desconfiada.Ao fim do culto, havia sido um culto especial para mim, o que eu não sabia é que não foi especial só pra mim.

Naquele dia minha mãe acabou entrando novamente na igreja, por causa de uma chuva, que a perseguiu, e dentro da igreja,havia chegado a conclusão de que a vida dela estava um caos. Pediu a Deus um sinal de que Ele a queria.

O sinal foi dado logo no domingo seguinte, aniversário de meu sobrinho. Em casa nunca nos demos bem com o meu cunhado, marido de minha irmã caçula, e o sinal que a minha mãe havia pedido é que naquele dia não houvesse brigas.

Minha irmã e o marido não estavam muito bem financeiramente, então resolvi fazer a festa para o meu sobrinho. Normalmente isto acabaria numa tremenda confusão, já que o meu cunhado era muito orgulhoso, mas naquele dia foi diferente e tudo mudou...

Ele ficou emocionado com a minha atitude, agradeceu muito e tivemos o primeiro dia agradável em família depois de muito tempo!

Este sinal bastou a minha mãe que naquele mesmo domingo foi a igreja por livre e espontânea vontade, chorou e eu que não estava entendendo nada, também chorei!

Quando chegamos em casa, conversamos durante a madrugada inteira, pois Deus tinha tocado no coração dela de uma maneira única e daquele dia em diante ela foi liberta das drogas.

Dois meses depois largou o cigarro,e para honra e glória de Jesus vai se batizar no dia 21 deste mês! Minha casa nunca mais foi a mesma, muitas pessoas duvidaram da conversão dela, mas onde Deus resolve agir, toda dúvida cai por terra!

Este é um pequeno resumo da história dela, depois de tantos anos de lutas, decepções, escravidão, tem um final feliz!

Peço ao irmão(ã) que está lendo este texto que nunca desista,nunca pense que é impossível, pois essa foi a única coisa que eu fiz, jamais desisti da minha mãe,e mesmo com tantas pessoas me dizendo que ela não tinha mais jeito, mesmo abatida com as dificuldades, eu sempre olhei com os olhos da fé a promessa de que se eu cresse de todo o meu coração,eu e minha casa seríamos salvos, se cumpriria na minha vida!

E gostaria de deixar uma mensagem pra você que perdeu a esperança, que já procurou a felicidade em tantos caminhos e não encontrou, você não está lendo isso por acaso! Da mesma forma que Deus teve misericórdia e amou a vida da minha mãe, ELE também te ama, ELE também quer fazer uma obra em sua vida, ELE quer te limpar, te curar te fazer feliz! Não desista!

Se você não se sente com forças para lutar, pra sair do abismo, eu te ofereço a minha amizade, a minha oração por você! Me deixe um recado, me mande um e-mail (maecikaneshigue@gmail.com) terei o maior prazer em estar orando por você e também compartilhando mais da minha vida e das minhas experiências! Não fique só, você não precisa lutar só! 

Deus é contigo!







.

domingo, agosto 24, 2014

Carta para um adolescente cristão

.
Não pare no meio do caminho
João Cruzué

Este é um texto longo para o padrão teen. Mas vai valer a pena chegar até o fim. Você não vem pedindo a Deus para falar com você? É isto que vai acontecer em algum ponto desta mensagem. Abraço.

-----------

Tenho visto dezenas de adolescentes (e adultos também) indo à frente do púlpito no fim da pregação da mensagem a convite do pregador outra oração. E outra. Mais outra... e tudo continua do mesmo jeito. O mesmo tédio, o mesmo desânimo, a mesma fraqueza, parece que nada muda.

E Isto eu vi acontecer de novo neste domingo. Quando eu olhei,  vi aqueles rostos de sempre. Meu coração se moveu e eu chorei. Vi que eles estavam preocupados com sua forma de caminhar diante de Deus.

Chorei porque vi ali uma angústia e um desejo sincero de buscar ajuda do Senhor Jesus. Alguns já estavam parados na fé, sem forças para voltar a caminhar. Outros estavam tropeçando nas pedras das dificuldades. Outros tentando se livrar das redes do pecado. Tempos difíceis.

Difíceis pelas muitas ofertas de pecado. Difíceis pelas muitas cobranças. Estudos, trabalho, falta de dinheiro, responsabilidades. Por outro lado, tem a questão da não aceitação nos grupos - a rejeição do patinho feio. A experiência do primeiro amor ou da primeira desilusão. "De quem eu gosto não gosta de mim". O mundo dos adultos definitivamente não é um lugar confortável para um adolescente, senão estranho e hostil.

O que é muito valorizado pelos adolescentes não cristãos na atualidade é, via de regra, repugnante diante dos olhos de Deus. E manter a fidelidade ao Senhor exige compromisso, mas também é um investimento. E este compromisso de fidelidade é muito importante na hora das necessidades mais agudas, quando você ora e Deus responde. Esta é a diferença.

Muitas coisas eu poderia dizer olhando para os micos e babaquices que aconteceram na minha adolescência. Até os 18, era muito raro ter algum dinheiro no bolso. Quando recebi meu primeiro salário, gastei tudo em roupas, cintos , perfumes... Na maioria das vezes, eu olhava as coisas com um olhar comprido. Sonhos de consumo impossíveis.

Alguns desistem facilmente da fé, parando pelo meio do caminho em busca de se dar bem roubando, prostituindo-se ou sendo escravos do tráfico de drogas. Dinheiro amaldiçoado. Vida sem paz e sem Deus. A morte mora bem perto, do outro lado da parede.

Aos 18 aceitei a Jesus como meu Salvador. Aos 19 eu me firmei na fé. Foi no dia do meu aniversário. Foi quando eu entendi mais claramente o que significava aceitar Jesus como SENHOR. Batizei-me nas águas pouco tempo depois. Também recebi a promessa do batismo com o Espírito Santo, algo hoje que está completamente desvalorizado. Foi só a partir daí, eu entendi o que era a verdadeira alegria, pela presença de Deus em minha vida.

Passei por muitas aflições, mas nunca perdi a alegria nem a paz. E uma dessas aflições foi a "sugestão" de meus pais para que eu saísse de casa, depois que me tornei um crente. Isto basta. Foi este o preço que paguei, para poucos anos depois ver os dois aceitando também a fé. Minha mãe veio primeiro e depois meu pai. Os dois já estão com Jesus.

E depois que o Espírito de Deus fez morada em mim, aprendi o exercício do perdão. Que devemos perdoar sempre, mesmo que isto seja muito difícil. O perdão é a condição para que a presença de Deus permaneça em nossas vidas. Isto é muito importante para obtermos as respostas de nossas orações.

Se eu fosse examinar cada ano da minha fé para definir o que foi mais importante para minha aproximação de Deus eu diria que manter um coração perdoador. Eu não fiquei parado à beira do caminho, chorando pelas decepções do passado. Podemos receber muitas bênçãos, mas não vamos conseguir receber todas.

Algumas orações têm respostas imediatas. Mas para que a nossa fé cresça, Deus sabe que não pode nos dar tudo o que queremos. Ele quer que aprendamos também a esperar pelas respostas. E esperar não é muito do nosso feitio, mas é bíblico: Esperei com paciência no Senhor e ele se inclinou para mim, e ouviu o meu clamor. O Senhor sempre nos ouve.

Não pare no meio do caminho.

Abandonar a esperança e descrer das promessas da palavra de Deus é uma triste realidade. Existe uma guerra espiritual e o diabo conta com as frustrações e decepções do nosso dia a dia para enfraquecer a nossa fé. Eu sei que o SENHOR existe e que confia em nós nessas pequenas batalhas cotidianas que travamos, para não sermos envenenados pelas coisas do mundo.

Santidade é separação das coisas do mundo. O domínio da nossa vontade é uma batalha crucial. Ou agradamos ao Senhor e a seu tempo colhemos os bons frutos da nossa oração ou se desistirmos de esperar damos de "bandeja" nosso futuro para o diabo. Se permanecermos fiéis durante as tribulações, Deus nos dará vitória naquilo que precisamos.

Não importa quem ou o que esteja afligindo você. Não importa o tamanho da "pedra" no seu sapato. Confie nas promessas do Senhor. Fique firme. Seja fiel. Pois chegará um tempo, em que você vai receber a resposta de Deus para todas as suas necessidades.

Para isso, não tenha comunhão com o mundo. Não tenha amizade com colegas mundanos. Seja separado daquilo que não presta, e Deus vai amá-lo como filho, como filha. E tudo que você pedir vai receber. Uma outra coisa tão importante quanto. Não fique perto das pessoas que só veem o lado ruim das coisas, o defeito das pessoas, o lado ruim de tudo. Elas podem fazer de você uma cópia delas.

Que fique bem claro: pessoas que veem o lado ruim de tudo SEMPRE em todo tempo. Pare e observe: eu disse sempre! Os olhos delas estão acostumados a enxergar apenas o que é ruim. Se apenas enxergassem, ainda não teria problema, mas elas não só veem, como também falam MAL o tempo inteiro de tudo e de todas.  Abra bem os olhos para ver isto que estou dizendo.

Deus é fiel. A provação vem, mas ela passa porque Ele se lembra de nós. Eu sei disso, é assim que vem acontecendo comigo há 34 anos. O Senhor tem sido fiel. Tenha você também um firme compromisso de fidelidade com ele, como fez Daniel. Se você não firmar este compromisso de fidelidade e santidade com o Senhor, não haverá oração que baste.

Depende de você. Se você for fiel, você conseguir ajuda do Senhor para estudar, se graduar, se casar, comprar sua casa, criar uma família abençoada, possuir um carro novo, ser uma bênção para você e a sociedade. Jacó não tinha nada quando fugiu de casa. Deus o fez rico. Mas Jacó aprendeu a ser fiel com o Senhor.

Seja fiel em tudo. Nunca fique parado no meio do caminho, pois as maiores bênçãos da sua vida, ficam para ser recebidas depois.


A paz do irmão João.



.




.

Opinião sobre pastores evangélicos na politica




JOÃO BATISTA CRUZUÉ


A quantidade de pastores candidatos a cargos eletivos em 2014 é assombrosa. "Nunca antes na história desta nação" isto ocorreu com tanta intensidade.  A tendência é que isto se avolume nos próximos pleitos. Não estou falando do exercício da política, mas de representação. Sei de pastores que  cuidaram de congregações, cooperaram à frente do rebanhos e pastores que receberam o título por "herança" familiar, bajulação ou por outros interesse que não a vontade do Senhor.  As consequências de uma candidatura política ,que troca a vontade o arado do Senhor por Brasília ou coisa menor, tem afetado diretamente a credibilidade da Igreja.

Quando um pastor ouve o canto da sereia e deixa o arado do Ministério é porque perdeu o siso e se deixou enganar pelo diabo. A Bíblia mostra em Gênesis que a "serpente" sabia o porquê da existência da árvore da ciência do bem e do mal no meio do jardim do Édem. Mas tratou de induzir ao erro apresentando uma nova versão. E deu-se a queda.

--Filho vai trabalhar na minha vinha!
--Sim, meu Pai. Só que depois trabalhar por muitos anos, se cansou e desistiu.  
Desistiu, porque a vinha não lhe dava mais encanto.

A Bíblia traz muitos exemplos de quedas in felizes.

Um deles é do infeliz profeta em I Reis, capítulo 13, quando deu ouvidos a outra "serpente" que o enganou dizendo mais ou menos isso: "Olha, O Senhor, antes, tinha falado assim... Mas, agora, Ele mudou de opinião, e você pode ir comigo lá para  minha casa, para comer pão.  O fruto do assunto em Gênesis, foi trocado pelo  pão, no tempo dos Reis.

Paulo foi de uma precisão ímpar quando definiu a interpretação (Gálatas 1;8) deste assunto:

Ainda que NÓS MESMOS ou que  que um ANJO DO CÉU 
vos anuncie outro evangelho,além do que tenho vos anunciado, 
seja ANÁTEMA.

Quando um pastor desmerece a chamada ministerial do SENHOR, e segue após o convite ou estímulo de profetas velhos, este pastor tomando um atalho e fazendo uma decisão errada. Imagino que na beira do caminho da vida cristã há muitas saídas e na placa de uma delas está escrito:  

Brasília a  2 km.  

Só que não está  informado se se trata apenas da distância  até a saída para Brasília, ou se é a Cidade que fica à distância de 2 km. Atalhos são desvios do Caminho, e a palavra de DEUS, no livro do Profeta Isaías (30;21) é clara: 

E os teus ouvidos ouvirão a palavra que está por detrás de ti, dizendo: Este é o caminho; andai nele, sem vos desviardes nem para a direita nem para a esquerda"

Quando um pastor deixa o CAMINHO do SENHOR para entrar na política ele está voltando ao EGITO, atrás das cebolas de faraó. E quando estes pastores racionalizam, justificando as atuações de JOSÉ do Egito e DANIEL na BABILÔNIA estão cometendo um erro de interpretação. Tanto José, como Neemias quanto Daniel estavam em terra de servidão. Foram levados como cativos para aqueles lugares, coisa que de vontade própria - nunca teriam ido. E a vontade deles - na terra de servidão - era voltar para sua terra.

Se as aves da beira do caminho roubam as sementes dos que recebem com desdém as sementes do evangelho, é no desvio para os atalhos que o diabo coloca os abutres para destruir o ministério dos pastores insatisfeitos. A diferença é que estes se desviam, mas continuam  pensando que são ministros de Deus.

Por outro lado, é assim que o SENHOR revela o caráter daqueles que são mordomos dentro da sua Igreja. Ele não tenta ninguém, no entanto,  cada um cai no engano de suas próprias concupiscências.






domingo, agosto 17, 2014

Patch Adams X Robin Williams

Patch Adams
Cintia Kaneshigue

 Nascido em 21 de julho de 1951 em Chicago, Robin Williams desfrutou de sucesso enorme em Hollywood, mas teve uma turbulenta vida pessoal, lutando contra problemas de saúde, alcoolismo e passando por dois divórcios.
  Robin Williams se internou no mês passado em uma clínica de reabilitação. Ele estava em um setor da Hazelden Addiction Treatment Center, em Minnesota, que possui um programa focado em manter a sobriedade por longo prazo --Williams lutava contra o vício de cocaína e álcool havia décadas. Em 2006, o ator ingressou voluntariamente em uma clínica de reabilitação para tratar o alcoolismo depois de uma recaída após 20 anos de sobriedade.

 No momento, autoridades do departamento forense suspeitam que Williams tenha cometido suicídio por asfixia. 
fonte: Uol
Nota pessoal: apreciei muito os papéis que ele interpretou, infelizmente a bíblia é clara quando diz: "Pois, que adianta ao homem ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma?  Marcos 8:36" Ele passou a carreira inteira fazendo outras pessoas sorrirem, mas o seu fim foi trágico, provavelmente, se suicidou.  Apesar do dinheiro e da fama, estas não foram suficiente para garantir a felicidade, a saúde mental e espiritual. Triste fim para alguém que alegrou a tantos.

A hora e a vez de Marina Silva


João Cruzué

Uma coisa ficou bastante clara: tudo o que humanamente podia ser feito para melar a candidatura de Marina Silva, o PT fez. Deste há muito, quando foi preterida por Lula em favor de Dilma Rousseff, nossa atual Presidente. No começo do ano, o projeto da Rede Sustentabilidade foi zicado até naufragar. Depois, entre tantos que lhe ofereceram uma porta, ela e seus amigos foram parar no PSB, um partido em que ela ficaria em segundo plano. Era o sonho de consumo do PT. Por fim, estava previsto que ela embarcaria no mesmo avião de Eduardo Campos, pois ambos estavam no Rio. Ele embarcou sozinho e foi encontrar seu destino no Guarujá. Na última hora ela decidiu viajar para São Paulo em um avião de carreira, junto com seus assessores, provavelmente, porque não haveria espaço para todos no jatinho. Eu tenho uma dúvida, que somente vai ser esclarecida depois de novembro.

E minha dúvida é: por trás daquela senhora de coque assembleano, mas, paradoxalmente, gosta de usar colares de contas indígenas, há uma pessoa que tem um hábito disciplinado de praticar a ORAÇÃO ou tudo o que tem acontecido na vida dela não passa de simples coincidências? Se for mesmo uma mulher de oração, do tipo que mostra para Deus as vigarices e patifarias da baixa política brasileira, uma coisa pode acontecer: Se Deus ouvir as orações dela e tiver decidido que ela é o melhor para o Brasil nos próximos quatro anos, vai ser muito difícil lhe tirar a Presidência. Evidentemente, esta questão fica condicionada ao SE.

Um fato é inegável: ela está de volta e no centro das atenções da mídia e de sues adversários políticos. Nos últimos quatro anos, seu projeto político se era pequeno agora não é mais, pois teve tempo necessário para refletir e discutir. Por outro lado, a economia brasileira vai mal das pernas. Estes dois fatores conjugados podem tornar muito difícil  as pretensões de nossa atual Presidente.

De minha parte vejo as coisas da seguinte forma: O Brasil é um país com um enorme dívida social. A bolsa-família foi uma benção, mas ela já deu o que tinha de dar. É preciso de outras políticas para melhorar a renda das classes menos favorecidas. Vejo o enfoque na Educação um excelente começo. Marina sabe disso, porque veio de baixo. Em seu caminho, cresceu tanto espiritualmente como intelectualmente e politicamente.

Daqui a dois meses as urnas vão falar. Estou orando para que falem de acordo com a vontade de Deus.  No momento, peço ao Senhor que conforte a dor da  família Campos.







.




quinta-feira, agosto 14, 2014

Solidariedade, Misericórdia e Compaixão


SOLIDARIEDADE
João Cruzué


Solidariedade é uma palavra que a nossa sociedade dira, hoje, ser uma atitude politicamente correta.  Em uma de suas definições, o Dicionário de  Português Online Michaelis traz:  Estado ou condição de duas ou mais pessoas que repartem entre si igualmente as responsabilidades de uma ação, empresa ou de um negócio, respondendo todas por uma e cada uma por todas. Para a palavra compaixão: Dor que nos causa o mal alheio; comiseração, dó, pena, piedade.  E por último, para misericórdia: Pena causada pela miséria alheia; comiseração. Bem, eu gostaria de fazer uma reflexão sobre estas três palavras.

Entendo como muito importante que nós cristãos devemos entender bem os significados de solidariedade,  compaixão e misericórdia. Pode ser que precisemos praticá-las dentro de nossa família, para que haja um efeito pedagógico. 

Se em uma casa, depois de terminar o almoço, as pessoas deixam a responsabilidade da lavar toda a louça para "alguém" da família, em uma casa em que não haja empregados, os conceitos cristãos não estão sendo bem flexionados.

Se eu deixar SEMPRE para "alguém" a responsabilidade de lavar o que eu sujo, deixo fora do lugar ou não arrumo, eu não estou sendo solidário, cujo princípio deveria ser como está no dicionário: Um por todos e todos por um. 

Se eu moro só com minha esposa. E ela costuma lavar minhas roupas sujas no fim de semana. E, de repente, se ela estiver doente e não puder lavar a roupa. Se eu lhe disser que ela pode lavar na próxima semana, eu não estou sendo solidário nem compassivo.

Por fim, se alguém da família me fez um mal terrível e aquilo está remoendo latejando bem fundo e disfarçado no meu coração, devo fazer como nosso Eterno Deus fez. Teve misericórdia de nós. Se abaixou até nós, enviando seu filho unigênito para nos trazer o perdão.

MISERICÓRDIA
Os dicionários seculares trazem certos significados que, às vezes, não registram claramente o sentido das palavras registradas na Bíblia Sagrada. 

Quando Jesus tomou a toalha para amarrar em sua cintura, como um avental, para depois lavar os pés dos discípulos, ele estava sendo didático e solidário. A responsabilidade de lavar os pés aos membros de uma família era da pessoa menos importante. 

Quando o samaritano socorreu o moço que descia de Jerusalém para Jericó, ele usou de compaixão. Coisa que os dois religiosos que passaram pelo mesmo lugar não fizeram

COMPAIXÃO
Se Jesus, que é o SENHOR, praticou a solidariedade, a compaixão e a misericórdia, tanto nas coisas pequenas quanto nas de grande importância, o cristão que não tem um coração solidário, compassivo e misericordioso é um quase-cristão, ou seja, seu testemunho ainda destoa dos ensinos cristãos.

Se você é um dos privilegiados pelo Eterno Deus por ter nascido em uma maravilhosa família cristã, pratique a solidariedade na pia, no tanque e no seu quarto. Não deixe toda a carga para uma só pessoa. Se nas pequenas coisas não soubermos exercitar as ações cristãs, que dirá das maiores!

Em Romanos 12:2, Paulo deixou escrito: E não vos conformeis com o mundo [comportamento] mas transformai-vos pela renovação do vosso entendimento [ação da palavra de Deus] para que experimenteis qual seja a boa,agradável e PERFEITA vontade de DEUS.







Eduardo Campos e a fragilidade da vida humana


João Cruzué



Pedaços de corpos espalhados pelos telhados dos prédios. Um dentista levou radiografias da arcada dentária do político ao Instituto Médico Legal, mas não tinham ainda encontrado esta parte do corpo para comparar. 


O bombeiro que atendeu  ao acidente desde os primeiros momentos, relatou que parecia que os corpos tivessem sido explodidos.  Encontraram um pedaço de gente a 150 metros de distância.

Os legistas não conseguiram corpos para laudar. E dos poucos pedaços de gente que encontraram, será preciso fazer o teste de DNA em todos eles, para juntar algo para colocar dentro de um caixão para ser enterrado pelas famílias.

Estas coisas afligem-me e me mostram que a distância que separa a vida da morte é tão tênue quanto a linha de um retroz. Que o Senhor Jesus conforte coração dos familiares que perderam sete entes queridos.






.

quarta-feira, agosto 13, 2014

Cidadania Evangélica no Brasil

Diga NÃO!
.
aos que procuram menosprezar, discriminar, difamar e apequenar o nome de Cristo.

Esta atitude pode  trazer o respeito que comunidade cristã merece.



João Cruzué

Entre os filmes de que mais gosto há um que em português se chama "O Pastor" (The road to Freedom - The Vernon John's Story). É James Earl Jones quem protagoniza um velho pastor afro-americano da famosa Igreja Batista em Montgomery, capital do Alabama. Às voltas com as injustiças praticadas contra a comunidade negra, nos  anos 40/50, o velho pastor dava verdadeiras aulas de cidadania às suas ovelhas como, por exemplo: plantar suas próprias hortas, andar a pé para evitar a empresa de ônibus onde negros tinham que se levantar para ceder o assento aos brancos, quando chegassem. Aquelas pequenas sementes de cidadania brotaram, cresceram e mudaram a interpretação da Constituição Americana. Isto também podem trazer mudanças significativas para os evangélicos brasileiros.

Cada domingo o pastor pregava um sermão que incomodava as autoridades (brancas) da cidade. Principalmente porque o título do sermão era anunciado em frente à Igreja, com uma semana de antecedência. Não conseguindo dobrar o ânimo do velho pastor, as autoridades locais: o juiz, o xerife e o prefeito começaram a pressionar os membros do Conselho Administrativo da Igreja, que por fim, cansados e amedrontados e não conseguindo a "cooperação" do pastor, o destituíram.

Depois disso, foram procurar por um substituto que fosse jovem e "flexível", que pudesse ser manipulado e "amaciado" à vontade. Mas, no filme o tal jovem sucessor do "desbocado" ancião destituído, era nada mais, nada menos, que Martin Luther King, Jr. Aí foi que o tiro saiu pela culatra. Na verdade, o substituto era muito mais aguerrido e idealista. Este filme histórico conta um parte das conquistas que o Pastor Martin Luther King trouxe para a comunidade negra americana. Em 1964 ele conquistou a aprovação de uma emenda na constituição americana. Foi através de atitudes como resistência passiva e desobediência civil, pregadas por Henri David Thoreau e Gandhi, que o Pastor Martin Luther King conquistou sua fama e a conquista do Prêmio Nobel da Paz, naquele mesmo ano.

Trazendo agora o foco do artigo para a comunidade evangélica no Brasil, em pleno século XXI, ela também vem sofrendo com difamação e preconceitos, e pode aprender muitas coisas a aprender com Martin Luther King. Nós, os crentes em nosso Senhor Jesus Cristo, temos enfrentado aborrecimentos com um preconceito crônico instalado na mídia brasileira, onde a maioria das imagens veiculadas dos evangélicos está associada a algo ruim. Um quarto da população brasileira - 50 milhões de pessoas - são evangélicas, ou como costumo dizer, crentes em Cristo.

A imagem que a TV Globo sempre passou  das mulheres crentes são os estereótipos do "cabelão" e do "saião". Os pastores, independente de que Igreja sejam, são mostrados como charlatães, avarentos ou de indivíduos desequilibrados. O povo crente em geral é considerado como gente ingênua "bobinhos" sempre explorados por vigaristas da fé. Quando aparece uma notícia ruim, o preconceito está tão enraizado entre os jornalistas, que se a pessoa for de qualquer outra religião nada se escreve, mas se há uma família de crentes envolvida, via de regra, esta qualificação é apontada, para insinuar má fama.

Se isto não é preconceito e não vem acontecendo, por favor belisquem-me, pois, devo estar delirando!

Mas é preconceito sim. Ele nos agride e incomoda. Diante disso, as reações de nossas lideranças já são previamente conhecidas. Há os que dizem: o mundo jaz no maligno e não devemos mesmo esperar o nada, nem o respeito da sociedade. São os que  aceitam a escravidão do Egito. Outros fingem que o preconceito não existe, e procuram viver da melhor maneira possível. São os indiferentes - não estão nem um pouco preocupados. Há ainda outros que se disfarçam de incrédulos. São principalmente as crianças, adolescentes e jovens evangélicos que procuram se comportar nas escolas públicas como verdadeiros "pestinhas" apenas para que ninguém descubra que eles são crentes. É como se ainda pairasse um quê de escravidão sobre nossas cabeças.

Podemos, sim, dar um basta neste progressivamente neste preconceito e conquistar o respeito que ainda não temos diante da sociedade brasileira. Não que isto vá fazer o mundo ter paz conosco, mas se nada for feito por nos, até nossos filhos vão ter vergonha de serem cristãos. Não podemos andar de cabeça baixa, é preciso dar uma resposta. Uma resposta equilibrada, sem radicalismo, que possa ser traduzida em atitudes familiares simples, mas que no coletivo vão trazer  boas mudanças e o respeito a cidadania que por direito temos. Quer um exemplo deste tipo de reposta? Cadê aquele kit gay que o atual prefeito de São Paulo, na época, Ministro da Educação pretendia despachar para cada escola dos cinco mil e tantos municípios brasileiros? Sabe por que não fizeram a distribuição? porque tiveram medo de perder o voto dos evangélicos. Nossa atual presidente, Dilma Rousseff, também recuou de implantar a Lei do Aborto indiscriminado.

Precisamos começar a ter respeito por nós mesmos, através de uma consciência mais aguçada de cidadania. Quando olho para o Livro de Atos dos Apóstolos e vejo o efeito que as palavras de Paulo causavam tanto em em ouvidos judeus quanto romanos. Os cristãos, desde os primeiros apóstolos, sempre tiveram entre seus líderes homens cuja coragem era marca de seus caráteres, como está escrito em II Timóteo 1:7. Será que os tempos mudaram?

Há muito tenho ouvido palavras de boicote à TV Globo com suas novelas perniciosas e preconceituosas. Não sou contra a Rede Globo, mas contra as atitudes de seus gestores, que devem ter mesmo ojeriza da família brasileira. Não sou favorável a atitudes radicais e nem é de bom alvitre ter fixação em derrubar órgãos da imprensa. É preferível ter uma imprensa, às vezes preconceituosa, do que a imprensa de "chapa branca" das ditaduras cubanas, venezuelanas, argentinas, bolivianas, equatorianas... Defendo sim a liberdade de expressão, mas desde que não seja usada para ofender os direitos de cidadania de ninguém. De preferência, que não esculhambem a estrutura familiar.

Nós crentes podemos, sim, dar NOSSO RECADO de desagrado quanto ao que vai pela TV não importa qual for: se Globo, Record, SBT, Bandeirantes ou qualquer outra que venha ferir e prejudicar a consciência dos cidadãos da comunidade evangélica. Não queremos destruir, mas contribuir para o aprimoramento dessa liberdade de expressão com atitudes de resistência pacífica.

Estou sugerindo democraticamente que nos conscientizarmos desses fatos e passemos ao terreno das atitudes. Como por exemplo esta: anotar o nome das empresas que patrocinam programas que ajudem a disseminar o preconceito contra crentes ou que promovam a desestruturação familiar. Em seguida que se boicote as marcas desses produtos que patrocinam financeiramente  a difamação.

Ao chegar no supermercado, cada um de nós conscientemente, pode substituir tais produtos por marcas de outras empresas que respeitem nossa cidadania e a cultura cristã.

Irmãs evangélicas, não estou sugerindo que ninguém assista ou deixe de assistir qualquer novela. Uns reprovam, outros gostam. Mas se você tem cabelos longos, seria maravilhoso que parasse de comprar por exemplo aquele shampoo que financia novelas que procuram mostrar a mulher de "cabelão" sempre como uma crente hipócrita - de dia santa e de noite devassa - entre outras coisas ruins. Talvez o shampoo de uma novela dessas até faça mal ao seu cabelo. Mesmo que você nunca assista uma novela, antes de comprar qualquer produto no supermercado, seriam muito bom saber se ele não está por trás de programas que mostram os crentes como pessoas atrasadas, desequilibradas e hipócritas. Não basta deixar de assistir novelas. Por ignorância, você pode estar comprando produtos das marcas que estejam financiando maus costumes. É preciso estar bem-informado para não contribuir com as estratégias do diabo.

A comunidade evangélica responde hoje por mais de 25% do consumo na economia brasileira. Precisamos adquirir consciência desta força para aprender a dizer NÃO de forma pacífica, inteligente e indireta. Uma novela para ficar no ar precisa de patrocínio. O patrocínio vem das empresas que vendem produtos populares. Sabonetes, shanpoos, marcas de carros populares, remédios para dor de cabeça.

Quando os crentes começarem a ligar para os 0800 dessas empresas, para dizer que não vão mais comprar os produtos delas, porque estão patrocinando programas perniciosos ou que estejam depreciando a imagem e cidadania dos crentes - elas vão ouvir, sim senhor! Pode ser que não imediatamente, mas quando cada um de nós for além das palavras e deixar de comprar por um ano, dois anos aqueles sabonetes, shampoos, celulares, remédios de dor de cabeça.... Com certeza isto vai ser uma boa lição de cidadania. Isto é justo e honesto converse e nossa família precisa saber para adquirir uma boa consciência.

Por fim, contextualizando este artigo, quero dizer que vem aí as eleições de outubro de 2014.  O crente em Jesus não pode ter simpatia por anarquistas, que defendem o boicote ao voto. Deixar de votar. Jesus disse que devemos dar a Deus o que é de Deus e a César o que é de César. Ele não mandou boicotar o que era de César, e não mandou porque se este mundo perder a consciência de organização comunitária, vem a seguir o descontrole e a baderna. O caos não é de Deus. O que precisamos fazer é orar para depois escolher. E escolher pessoas que antes de serem eleitas, tenham firmado compromisso de respeitar a família brasileira. Uma nação de terceiro mundo, como a nossa,  só pode prosperar se cada família for temente a Deus e tiver costumes sadios.


Clique na figura para assistir o filme na língua inglesa.


cruzue@gmail.com

.

domingo, agosto 10, 2014

Johann Gutemberg e a palavra escrita

.

Bible, Luther Translation

"Bemühe dich darum, dich vor Gott zu erweisen

als einen rechtschaffenen und untadeligen Arbeiter,

der das Wort der Wahrheit recht austeilt."

2 Timotheus 2:15

-------------------------------------------------------------------------

Joao Cruzue

Você sabia que Johann Gutenberg era judeu e que sua invenção influenciou a vida de bilhões de pessoas, em todas as nações, durante cinco séculos? Sabia também que 35% dos laureados com o Prêmio Nobel são judeus? Tudo isto tem muito a ver com a palavra escrita e no limiar deste novo século, a partir de 1992, uma outra revolução está acontecendo onde a era da mídia impressa está sendo substituída rapidamente pela era digital. Se você ainda não edita um Blog, mas tem um compromisso de fidelidade com o Senhor Jesus Cristo, dê-me cinco minutos para lhe mostrar coisas novas que talvez ainda não sabe.

A segunda razão de tantos judeus ficarem em evidência tem uma explicação: por motivos religiosos Israel sempre focou em educação. Já na época de Cristo não havia analfabetismo em Israel. E antes disso, Deus já tinha provido meios de influenciar sucessivas gerações de judeus, escrevendo sua vontade na Torah. A Bíblia que temos hoje é o maior exemplo da prioridade divina.

Nos dias que seu filho está saindo para o campo missionário, William Carey lhe deu este conselho: Primeiro ensine o povo a ler; depois pregue o Evangelho". Naturalmente usando a palavra escrita.

Hoje, 500 e poucos anos anos depois de Gutemberg, há uma nova revolução na forma de transmitir a palavra escrita. Desde 1992 é possível abrir páginas virtuais com textos e imagens na tela de um monitor. É um formidável salto tecnológico.
Há mais de 2 bilhões de almas lá fora que podem ler a palavra de Deus através de um monitor ou celular. E este número está crescendo.

Deus tem nos dado os meios, gratuitos, para dizer aos quatro cantos da terra 
que Jesus Cristo, seu unigênito, salva os perdidos, perdoa pecadores, cura enfermos, expulsa demônios, ressuscita mortos, levanta caídos, ama os discriminados, reconcilia os distantes, alegra os tristes, batiza com o Espírito Santo, porque seu nome é Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz.
Por um lado, há uma promessa divina de que toda palavra enviada na vontade de Deus não voltará vazia, mas irá, e prosperará, e cumprirá o propósito para que foi enviada. Por outro, ainda há falta de iniciativa ou de atitude daqueles que invocam o nome do Senhor, mas ainda não atentaram para uma das últimas oportunidades que Ele nos dá.

Ou você acha que esta revolução nas comunicações virtuais veio do nada, sendo um simples fruto do acaso? Não! O Altíssimo tem novos propósitos à medida que os séculos passam e a humanidade adquire maturidade para entender os propósitos divinos.

Eu creio, e sempre martelo está mesma visão: que toda liderança evangélica deveria publicar conteúdo cristão na Internet. Sair de uma posição confortável (leitor) para subir um degrau a mais na escala da efetividade, se tornando um publicador de conteúdo. Muitos respondem que há falta de tempo; mas na verdade a grande maioria não escreve por timidez ou receio de não escrever direito e ser criticada.

Não guarde suas experiências com Deus apenas para você. Compartilhe com o mundo. Isto mesmo! Compartilhe seu testemunho, as bênçãos que você tem recebido de Deus, as palavras que Ele tem falado ao seu coração. Outros também precisam ouvir. Isto é ir na contramão do pós-modernismo; deixar o caminho do individualismo para investir na visão de João: "Tantos como areia da praia".

O caminho mais simples para falar de suas experiências com Deus na Internet é através de um blog. Simples, gratuito, fácil de publicar, basta querer. Irmão, seu espaço na Internet ainda está vazio. Conquiste-o! E para não ficar apenas em palavras, aqui vão dois endereços para você aprender algumas dicas: Como Blogar e Curso de Blogs.


Irmão João Batista Cruzué

Associação de Blogueiros Cristãos.

cruzue@gmail.com



quarta-feira, agosto 06, 2014

Como racionalizar missões e apagar a chama do Espírito Santo


.
Análise SWOT
João Cruzué

Estava lendo agora  o  blog Prosa de Crente do irmão  Jean Correa, sobre um assunto de missões e o ceticismo de algumas Igrejas evangélicas sobre se deve ou não, investir em de missões em pequenas cidades brasileiras, sem que antes se faça uma análise de custo/benefício.

Racionalizar de missões, é o conceito oculto por trás da decisão de deixar de investir esforços e dinheiro para manter um obreiro com sua família no interior, por causa do resultado de um cálculo de custo/benefício feito na ponta do lápis.

A receita bíblica infalível contra esta decisão está em II Coríntios 7:5: "Porque  andamos por fé e não por vista".

Os grandes êxitos da fé foram obtidos de projetos que pareciam loucura. O primeiro deles foi a Igreja fundada por Jesus com base em 12 discípulos. O segundo foi a profecia e o envio de Paulo de Tarso. O terceiro foi a ação  do Espírito Santo nas palavras de Wiliam J. Seymor. O quarto, a força da visão de Martin Luther King quando disse que tinha um sonho, e que aquele sonho iria se cumprir. E entre tantos outros, vou citar mais dois: a chamada de Dwight L Moody e o começo das Assembleias de Deus no Estado do Pará, no Brasil, sob os joelhos de Daniel Berg e Gunnar Vingren.

Alguém daria um centavo pelo extraordinário sucesso do apóstolo Paulo? Quem se atreveria a crer na mudança inexplicável de vida  11 indoutos galileus - apóstolos do Mestre? Que fim levou a reportagem arrasadora que um jornalista redigiu sobre o pastor negro Wilian J Seymor e os ajuntamentos da Rua Azuza, em Los Angeles no dia 17 de abril de 1906 - a um dia do grande Terremoto de São Francisco?

Deus não fala através de resultados de Análise SWOT. Porque se todo ceticismo e toda racionalização fosse verdadeiro, onde estaria neste momento a vida deste blogueiro que aceitou Jesus em 1974, e por um milagre se firmou na fé e hoje está escrevendo este texto?

Quem decide sobre assuntos de custo/benefício  de missões não são os economistas, nem os contadores, nem os analistas financeiros. É Jesus através da voz do Espírito Santo.

Dessa forma, a maneira mais rápida de apagar a presença do Espírito Santo dentro da Igreja, é deixar de ouvir a sua voz, para dar crédito à análises racionais. Basta um homem debaixo da chama do Espírito, para que se incendeie uma cidade inteira. Mas tem que ser a pessoa certa, no tempo certo e para o lugar que o Espírito enviar.