terça-feira, março 05, 2013

Hugo Chávez deixou Cuba para morrer em casa


O Comandante se foi.

Hugo Chávez
"Sigo aferrado a Cristo y confiado en mis médicos y enfermeras.
 Hasta la victoria siempre! Viviremos y venceremos!"

João Cruzué

Faleceu hoje à tarde o comandante HUGO RAFAEL CHÁVEZ FRÍAS, presidente da Venezuela. Depois de quatro tentativas para debelar um câncer no intestino, os médicos cubanos o liberaram para morrer em casa. Sabiam que Chávez não teria mais que poucas semanas de vida. 

Chaves foi eleito Presidente em 1998, tendo sido reeleito em 2000, 2006 e 2012. Não chegou  a tomar posse em janeiro de 2013, porque estava em Cuba pela quarta vez  para tratamento de saúde.

Anti-americano por ideologia, na prática era um grande parceiro comercial dos EUA, principal fornecedor  óleo cru e comprador de gasolina. Curioso é deixava a ideologia de lado quando se tratava de negócios. A Venezuela foi o  único país a socorrer a Argentina de Cristina Kirchner.  Vendendo petróleo fiado e comprando títulos da dívida argentina para rolar a dívida - coisa que ninguém queria. No entanto, cobrava juros bem acima do mercado. Amigo pero no mucho.

Negociando com o presidente Lula, planejava construir, juntos, uma refinaria de petróleo em Abreu e Lima em Pernambuco.  Como Lula não permitiu que ele vendesse gasolina barata aqui, pelo mesmo preço que custa na Venezuela, desistiu na sociedade e passou a enrolar o presidente brasileiro.

Antes de morrer, tentou emplacar como sucessor o vice-presidente Nicolás Maduro. O fato é que Chaves vai deixar uma grande brecha no coração do povo venezuelano, que dificilmente outro poderá preencher. Se de um lado pôs no chão a economia venezuelana, por outro gabava-se de ajudar os pobres.  Chaves era o principal financiador do atraso cubano, servindo aos irmãos Castro. 

Com a morte de Chaves, querendo ou não seus  herdeiros políticos  terão que enfrentar uma eleição antes de junho deste ano. Com certeza podem ganhar a peleja, mas não será tão fácil. Da mesma forma que o câncer levou Chavez, o chavismo na Venezuela vai começar a descer a ladeira.

Um fato muito interessante é que nos anos 60 a  80 enquanto todos países da América Sul amargavam penosas ditaduras, a Venezuela era a única democracia existente. E quando os países sul-americanos entraram em um período democrático, o povo venezuelano estava saturado de tanta corrupção e viu alguma esperança me Chávez  como o salvador da pátria.

Temo pelo Brasil. Do jeito que anda a corrupção anda grassando e desgraçando por aqui, o aparecimento de um "caçador de corruptos" pode levar nossa nação, de novo, a uma ditadura.

Os radicais da esquerda brasileira anda doidos para utilizar o carisma do presidente Lula, a fim de conquistar o poder por longos anos, do mesmo jeito que sucedeu na Venezuela, que foi  uma ditadura disfarçada de democracia. O populismo do programa bolsa-família com forma de cabresto cerebral e eleitoral presta-se a isto.

Se Nicolás Maduro for bem sucedido na conquista e fortalecimento do poder, o próximo candidato à presidência do Brasil não será Dilma Rousseff, mas o companheiro Luis Inácio Lula da Silva. Eu não gosto de ditaduras, nem da manutenção de poder sob a falsa ameaça de que os pobres vão perder o direito a bolsa família se não votarem em Lula.

Quanto à frase de Chávez de continuar agarrado a Cristo, gostei desta parte da frase. E problema esta no restante dela - "Confiado em meus médicos e enfermeiros". Creio que este foi seu grande erro. Se estivesse se tratando no Brasil, por exemplo, suas chances seriam melhores. 









Um comentário:

Isaias Albuquerque Santos disse...

Nunca vi tanta besteira num artigo sem embasamento nenhum a não ser a opinião pessoal do responsável.