sábado, abril 14, 2012

Pl 122 e a imunidade do Imposto de Renda das Igrejas Evangélicas


João Cruzué

Há cinco anos venho escrevendo sobre as consequências da aprovação de uma Lei da "homofobia" no Brasil. Durante este tempo, venho me deparando com sofismas e verdades e a extensão do prejuízo do Pl 122/06 sobre a liberdade de evangelização da Igreja,  é bem mais profunda do que você e eu imaginamos.

Antes que o ex-ministro Fernando Haddad decidisse distribuir o kit gay para os adolescentes de todas as escolas do Brasil, o Blog Olhar Cristão já alertava sobre o que tinha acontecido no Chile cujo "Ministério da Educação" fez exatamente isso e eu publiquei em 2009  a tradução da carta, indignada e esclarecedora  do Pastor Hector Muñoz Uribe , de Concepción/Chile.

Também já escrevi sobre a decisão do conselho de Igrejas da Suécia, berço da Assembleia de Deus Brasileira, ajustando a liturgia evangélica de lá para as celebrações do casamento homossexual.

Hoje, venho fazer um alerta muito maior.  

A potencial perda de imunidade  tributária da Igreja brasileira (evangélica ou católica) perante a Receita Federal. Insanidade minha? Não! Depois que a lei de "homofobia" foi promulgada no Canadá, se a Igreja local for denunciada por qualquer ato "homofobico" (pregar a verdade bíblica sobre o comportamento homossexual, deixar de realizar cerimônia religiosa de "matrimônio" gay) ela está ameaçada de perder a imunidade tributária por "discriminação", perante a CRA - Canadian Revenue Agency, a receita federal canadense. Diante disso, algumas Igrejas daquele país estão levando em consideração ficar sem a imunidade em lugar de falsear a verdade bíblica.

Dedico esta denúncia aos líderes evangélicos brasileiros que, de forma recorrente, têm ficado "quietinhos" enquanto as hostes espirituais da maldade estão organizando seus exércitos para desmoralizar a palavra de Deus escrita na  Bíblia Sagrada. Na verdade não estamos lutando apenas contra as ideias de ativistas do gayzismo, pois eles são apenas a ponta do iceberg neste mundo temporal. O momento de tomar posição é agora, antes que o sagrado se torne sal velho.

Posso descrever hoje  o comportamento das  lideranças indiferentes da Igreja evangélica brasileira, como a do comandante do poderoso Titanic, navegando presunçosamente em rota de colisão contra um insignificante "Pl.122" achando que estão seguros em um barco que  Deus não deixará afundar.

A Igreja (Presbiteriana) do Canadá já está fazendo água. Para não perder a imunidade do Imposto de Renda, mudou sua liturgia para "engolir" o casamento gay e baniu o livro de Romanos do púlpito. 


Nota: Aos céticos, recomendo fazer uma simples pesquisa (em inglês) nos sites de busca, para tomar conhecimento  desta triste verdade.


Reportagem original de João Cruzué para o Blog Olhar Cristão



6 comentários:

Daladier Lima disse...

Os pastores brasileiros, especialmente os assembleianos, estão preocupados com status, ostentação, dinheiro e poder. As exceções são poucas. Quando o mal, enfim, chegar, achará uma seara fértil de adesistas, dispostos a negociar qualquer valor para anunciar a salvação.

Desafiando Limites Vencendo Barreiras disse...

infelizmente, o sr tem razão, e, mais infelizmente ainda mais, existem "igrejas e pastores" que estão dando poder de fogo a essas organizações contrárias à família, fazendo uso esdrúxulo da arrecadação de dízimos e ofertas (enriquecimento ilícito, entre outras coisas) que vai, mais cedo ou mais tarde, trazer a discussão sobre imunidade tributária para o centro dos debates.

bom alerta.

abs, apz.

Cintia Kaneshigue disse...

Isto realmente é uma vergonha, o fom dos tempos está chegando mesmo!A liderança cristã tem se dobrado perante o mundo!

Juscelino Nery disse...

Irmão João, o assunto é sério e exige análise criteriosa. Tenho evitado adentrar esse embate da homofobia, pois as coisas não são simples como possam parecer. Uma verdade: parece que os homossexuais, por esta condição, são mal vistos nas organizações sociais e nas próprias igrejas. Claro que não estou defendendo a prática de um estilo de vida anticristão, mas também não posso desconsiderar que essas pessoas também são cidadãs, juridicamente falando; e também são almas, espiritualmente dizendo. Não é boicotando os homossexuais; não é considerando-os seres inferiores na sociedade; não é excluindo-os sumariamente das igreja que vamos conquistá-los para Cristo. É amando-os que talvez se consiga alguma coisa. O que Jesus faria num primeiro contato com uma dessas pessoas? Certamente o mesmo que fez quando a mulher adúltera foi levada à presença dele pelos religiosos da época. Desse modo, não é pura e simplesmente condenando-os e maltratando-os que demonstraremos espírito cristão. Mas há o outro lado da moeda: a pretensa instauração da ditadura da minoria, no casos deles, sobre a sociedade de um modo geral. Isso é inconcebível. Infelizmente, o bom senso, o respeito mútuo e a civilidade não existem de ambos os lados. Há extremistas dos dois lados: dos homossexuais e dos religiosos. E, considerando que biblicamente as coisas vão piorar até os finais do tempo, sinceramente, acho, como já disse em outra ocasião, é um caminho sem volta. O mundo irá experimentar um nível de iniquidade muito grande como nunca houve, estamos caminhando pra isso e a ditadura do homossexualismo é uma das estratégias. Respeito homossexuais, convivo com alguns, mas é preciso ter muito equilibrio nessas relações. Sou contra qualquer tipo de agressão seja física, verbal, emocional contra os homossexuais e contra qualquer cidadão neste país. Isso não é bíblico e não é cidadania. Por outro lado, é preciso também, rechaçar a instauração dessa ditadura da minoria, distorcida propositadamente por alguns líderes desse movimento, ou do contrário, estaremos submetidos ao silêncio total em nossa liberdade de expressão e pensamento. Falar mal de pastor, de religioso, criticar a postura antibíblica, gananciosa de bispo, apóstolo, isso pode, mas fazer qualquer referência contrária ao pensamento dos homossexuais não pode? Isso é que é perigoso. Quanto à tributação das igrejas, sinceramente, com a libertinagem dos líderes religiosos, enriquecendo à custa dos fiéis,vivendo que nem Tio Patinhas no meio das moedas, acho que seria justo tributar as organizações religiosas, sim. Aí eu queria ver os verdadeiros líderes religiosos, os vocacionados pelas almas e não pelo poder e pelo dinheiro. A coisa está feia e anda já há algum tempo assim. Os embates na tal eleição da CGABD estão aí pra confirmar isso. O bispo e o apóstolo também estão aí; e outros e outros que fundam de qualquer modo, como bem entendem, igrejas em qualquer esquina e encontram nisso a forma de ganhar dinheiro fácil. Se a religiosidade não os limita nisso, não os moraliza como deveria, então, que o Estado exerça isso. Aliás, isso seria até uma forma transparente aos outros cidadãos e uma forma do povo, de um modo geral, constatar os que fazem o evangelismo sério e os que induzem, enganam, e sangram as finanças de seus fiéis. Não exigimos, como cidadãos, transparência dos homens públicos? Por que não exigi-la, também,dos líderes religiosos e de organizações dessa natureza? A discussão envolve imunidade constitucional. Só o Legislativo pode alterar isso, e talvez não seja tão fácil fazê-lo. A Reforma tributária é exemplo típico disso. Está sendo procrastinada há quanto tempo? Imagine tributação de organizações religiosas. Além disso, há representantes desse segmento no Legislativo para contraporem essa possibilidade. Acho que isso vai demorar muito a acontecer.

Anônimo disse...

Infelizmente nossos pastores só vão acordar quando estiverem perdendo suas mordomias e status. Infelizmente, os homossexuais do Brasil, assim como os dos EUA, Canadá, Suécia, Suíça, etc., vão lutar para normalizar suas práticas e rejeitar o amor de Deus que coloca seu comportamento em xeque, por mais amor e tolerância que recebam de ateus ou cristãos. Felizmente o Juízo está às portas, seja com o pré-Juízo da AIDS, superbactérias assassinas de homens gays, vírus mutado e impossível de ser detectado em exames, etc., etc. Mas o inexplicável amor divino ainda está lá. E infelizmente continuará lá, para muitos inútil, uma vez que não é correspondido. Sim, Ele só opera seus milagres tremendos se for correspondido!

equipe Edson Udson disse...

Universal Movimento de Consciência
by Edson Udson (all rights reserved)

Um grande movimento pela paz, amor e liberdade ao redor do mundo, mas para obter resultados e resolver problemas como pobreza, abusos e violência é necessário "união" e "boa vontade" traduzidos em uma simples palavra ... "amor". Respeitando e preservando a natureza ou o combate à diferenças como sexualidade, racismo, ou cultura e aceitando qualquer tipo de amor, sem qualquer discriminação, em qualquer lugar para qualquer coisa. Eu acredito que seja possível ... porque amor, respeito e liberdade são tudo de bom.

pelas crianças do mundo todo

Este trabalho está licençiado sob a Licença Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported da Creative Commons. Para ver uma cópia desta licença, visite http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/3.0/ ou envie uma carta para Creative Commons, 444 Castro Street, Suite 900, Mountain View, California, 94041, USA.