sexta-feira, janeiro 06, 2012

A diferença entre crer e acreditar


.
Montes

João Cruzué

Um pensamento passou diante da minha mente outro dia. Daí surgiu o desejo de escrever ma mensagem com o título "Crer e acreditar". E este pensamento acompanhou-me o aquele dia inteiro e seguindo a inspiração, tentei algumas linhas de meditação sobre o tema. São duas palavras, dois verbos, que aparentemente não possuem diferença semantica, mas que para mim, espiritualmente, têm significados diferentes.

Em uma análise, crer e acreditar são sinônimos. Dar crédito, ter confiança, ter como verdadeiro, ter fé... enfim, iguais. No campo da exegese bíblica, nada tão diferente, a não ser o fato de que há pouquíssimo uso do verbo acreditar nos textos bíblicos, pelo menos nas traduções da "Almeida Revista e Corrigida, edição 1995 e Bíblia Digital América (Sociedade Bíblica Trinitariana) com citações da Versão King James. Na pesquisa desta última, o verbo crer aparece flexionado 92 vezes, e acreditar apenas 11. Na Versão Almeida Corrigida, acreditar é citado apenas 10 vezes. Então, biblicamente, dá para perceber que há, sim, diferença entre ambos.

O significado de acreditar na bíblica é basicamente "dar crédito" e "confiar". Crer, por outro lado, é um verbo carismático, ativo, que envolve um componente especial: A fé. Tendo feito estas considerações burocráticas, vamos a meditação de fato.

No segundo Livro dos Reis, o Rei da Síria fazia guerra contra Israel, e Deus revelava os planos dele ao profeta Eliseu. E quando o Rei sírio soube que o profeta estava em Dotã; para lá enviou, à noite, cavalos, carros e um grande exército. E o moço do profeta acordou bem cedo e assustou-se quando viu um grande exército cercando a cidade. Com medo, acordou o profeta Eliseu e disse: Ai, meu senhor! O que faremos? Isso aconteceu, porque o moço ACREDITAVA naquilo que seus olhos viam.

Então o profeta Eliseu respondeu: Não temas, porque mais são os que estão conosco do que os que estão com eles. Ele dizia assim, porque tinha mais experiências com Deus.

Eliseu usava os olhos da fé para se orientar e não dava crédito apenas aos que seus olhos viam. E por isso orou pelo moço: Senhor, peço-te que lhe abras os olhos [espirituais] para que veja. Ver com os olhos da fé é crer.

E depois que o Senhor abriu os olhos do moço, ele viu; e eis que o monte estava cheio de cavalos e carros de fogo, em redor de Eliseu.


É possível conhecer e acreditar em muitas coisas, e ao mesmo tempo sentir-se infeliz, vazio e a mais derrotada das criaturas. E digo mais: A maioria dos que olham para você podem acreditar que você é feliz, bem resolvido e cheio de sucesso.

Como isso é possível? Sim é possível, por causa do crédito às aparências.


Outro exemplo bíblico. Outro profeta. Samuel, foi enviado à casa de Jessé, o belemita, para ungir um novo rei sobre Israel.

E quando Eliabe, o primogênito de Jessé, passou diante dos olhos do profeta, este pensou: Certamente, está perante o Senhor o seu ungido. Se encantou pelas aparências, mesmo sendo um profeta experiente. Foi surpreendido pela voz do Senhor: "Samuel, não dê crédito à aparência, nem para a altura de sua estatura, porque o tenho rejeitado. Porque o Senhor não vê como vê o homem, pois o homem vê o que está diante dos olhos, porém o Senhor olha para o coração."

Fico imaginando, se até um profeta como Samuel se equivocou, quanto mais um simples crente, como eu?


Paulo escreveu assim em II Coríntios 5:7: "Porque andamos por fé e não por vista."

Andar por vista é
acreditar na aparência daquilo que vemos.

Crer é diferente. Para crer é preciso fé. E a fé não é de todos. II Tes. 3:2.

Para que o moço de Eliseu visse os cavalos e os carros de fogo sobre os montes, ele não precisava de um curso de teologia nem um doutorado em divindade. Os olhos da sua fé foram abertos por uma oração feita por quem tinha a presença de Deus na vida: "Senhor abra os olhos do moço, para que veja."


Quem sabe, até este momento você tem acreditado em muitas coisas que têm aparência de verdade, cheiram como verdade, outros atestam que são verdadeiras, mas não passam de declarações humanas?

E como prova disso, aí está você, no íntimo do seu ser, sentindo-se vazio e infeliz. Olha, há pessoas costumam passar a vida inteira a procura de algo que as satisfaçam e, paradoxalmente, não conseguem achar o que o que procuram, e que está tão perto.

Outras procuram experiências místicas ou uma religião, pensando que rituais, liturgias e regras de conduta são o bastante para acreditarem que Deus está no comando de suas vidas. Mas podem estar tão enganadas.

Quero terminar este texto refletindo sobre a vida de Saulo de Tarso. Ele acreditava que estava fazendo a vontade de Deus. Ele acreditava que acabar com os cristãos era o propósito de Deus para sua vida. Ele era pós-graduado nas escrituras judaicas. E mesmo assim estava enganado. Deus teve misericórdia dele, e se deixou conhecer. Anos depois já convertido, Paulo - o apóstolo dos gentios, disse estas palavras:

"Crê no Senhor Jesus, e serás salvo, tu e a tua Casa." Atos 16:31.









2 comentários:

Tânia Míriam disse...

Parabéns, ótimo texto
Um abençoado ano de 2012
Abraços

Complemento Ativo disse...

É verdade, somente aqueles que conhecem o Senhor intimamente podem ter os olhos abertos pela fé Nele. Pois crença não salva, mas a fé em Cristo Jesus... pode-se a assim revelar-se ao que "crer".