domingo, dezembro 11, 2011

Pré-candidatos às eleições CGADB 2013

.

João Cruzué

Pelas últimas estatísticas publicadas por nós, com base em fontes oficiais: @Estados do IBGE e FGV/Marcelo Neri, o número estimado de evangélicos no Brasil, em agosto de 2011, era de 21% da população brasileira, cerca de 40,3 em 192 milhões. Também é fato aceito no meio evangélico que os membros da Igreja Assembleia de Deus representam sozinhos a metade da população evangélica, ou seja, mais de 20 milhões de crentes. Se fosse um Estado, a Assembleia de Deus seria o segundo mais populoso do Brasil, ficando atrás apenas do Estado de São Paulo. Daí, quando se fala em eleições para a Mesa Diretora da CGADB, (o que se vai acontecer em 2013) o fato provoca fortes emoções pelas interações de seus ministros fazendo subir e muito a temperatura política na Igreja.

A CGADB , com base nas informações do Point Rhema do Pr. Carlos Roberto Silva, contou com a inscrição de 17.500 ministros da última grande convenção de 2009, em Vitória, Espírito Santo. Isso quer dizer que na proxima eleição a ser realizada em 2013, com certeza mais interessante, e com pelo menos quatro chapas concorrendo, o número estimado de ministros participantes pode subir e ficar em torno de 20 a 25 mil participantes.

Um grande fato político nesta próxima eleição é que, com a mudança dos Estatutos em 2009, o Pastor José Wellington Bezerra da Costa, grande vencedor ao cargo de Presidente da CGADB nos últimos 20 anos, poderá se candidatar, caso queira, apenas mais uma vez, segundo observação (comentário) do Pr. Carlos Roberto, interpretando o artigo 37 do novo Estatudo da CGADB.

Excerto dos Estatutos em vigor:

---------------------------
Art. 37. A Mesa Diretora da Convenção Geral, a partir da próxima Assembleia Geral Ordinária, será eleita para um mandato de quatro anos, na penúltima sessão da Assembleia Geral Ordinária, nos termos do artigo 15 e seus parágrafos e compõe-se de:

I - um Presidente;
II - cinco Vice-Presidentes;
III - cinco Secretários;
IV - dois Tesoureiros.

Parágrafo único. O Presidente e os Tesoureiros poderão ser
reeleitos para um único período subsequente.

Fonte: www.cgadb.com.br
------------------------

A situação política na CGADB no final des 2011, pela semântica atual, é a seguinte:

Primeira Via: Ainda sem nome definido para concorrer à presidência da Mesa. Há uma forte possibilidade de que o grande eleitor da situação, o Pr. José Wellington Bezerra da Costa, faça seu sucessor como fez o ex-presidente Lula. E quem pode ser este sucessor? Provavelmente um de seus filhos: Pastor Joel Freire da Costa, Pastor Paulo Freire da Costa ou Pr. José Wellington Jr. Minha preferência entre eles, é pelo Pr. Joel, com base em fatos no final dos anos 80's.

Segunda Via: O nome mais forte da oposição já está definido, há pelo menos duas eleições: Pastor Samuel Câmara, da Igreja-Mãe, em Belém do Pará. A seu favor tem o fato de ter feito (quase sozinho) as construções do Centenário das Assembleias de Deus no local de sua origem. Mostrou competência. Tem no momento, um grande cabo eleitoral: O Pr. Silas Malafaia, também muito admirado, não só na Igreja Assembleia de Deus, como em todo meio evangélico e católico carismático, pela sua destacada participação em Brasília em protestos e audiências públicas de assuntos de grande interesse religioso: Aborto, Lei da Homofobia, Kit Gay e projetos de mudanças constitucionais. Pesa contra o Pastor Câmara pesa o fato de ser um "eterno" presidente das convenções do Pará e o cerceamento de liberdade de expressão do blogueiro Victor Leonardo Barbosa do Blog Geração que Lamba.

Terceira Via: O pastor Geremias do Couto vem encabeçando um movimento político que critica o dualismo e a falta de opções que vêm acontecendo nas últimas eleições majoritárias da CGADB. O Pr. Geremias é um conceituado líder da Igreja, tenho sido escolhido em 2007 pela Associação Billy Granham para tocar o projeto evangelístico interdenominacional "Minha Esperança Brasil" em 2008, o que fez com muita competência e excelência. Pessoalmente o Pastor não falou de um nome para encabeçar a Terceira Via. Minha opinião é que ele, o Pr. Geremias do Couto, possa ser o candidato. Seu nome também honrará o pleito, devido aos grandes serviços que já prestou e continuará prestando à Instituição chamada Assembleia de Deus.

Pesa contra a candidatura da Terceira Via, o fator financeiro. Os gastos para uma eleição desta magnitude não sairá por menos de 5 milhões de reais. Mas, em se tratando de Assembleia de Deus e do momento político próximo à Eleição, no momento isso não significa inferioridade . Pr. Geremias tem, sim, grande desembaraço na mídia eletrônica, sendo um dos blogueiros mais antigos da websfera evangélica.

Este é o xadrez que está posto. A Igreja Evangélica Assembleia de Deus brasileira ainda não entrou no III Milênio. Prova disso foi a incapacidade política de seus quatro maiores líderes : Pr. José Wellington, Pr. Samuel Câmara, Pr. Manuel Ferreira e Pr. Silas Malafaia de não conseguirem celebrar o Centenário juntos. Um rol de picuinhas de 35 anos acabou produzindo um efeito de tristeza e desânimo nos membros.

A cizânia foi mais forte que o Salmo 133.

Espero que as eleições da CGADB em 2013 levem, de uma vez por todas, o oxigênio do novo século para reavivar o grande e simples projeto assembleano de evangelização. Aviva, ó Senhor, a tua Obra e conceda um espírito de humildade, força e amor aos nossos Pastores.


Em 11.12.2011





15 comentários:

Pr. Carlos Roberto disse...

Caro irmão e amigo,
Pb. João Cruzue,

Parabéns pelo seu esclarecedor post, no entanto, quero registrar que, a lei não retroage para prejudicar quem quer que seja, nesse caso, a última eleição do Pr. José Wellington, foi a primeira dentro da nova modalidade, ou seja, ainda vale uma reeleição, desde que assim ele queira, o povo vote e Deus permita! Daí para frente, só ficando de fora uma gestão! rsrs

Só esse esclarecimento.

Um grande abraço, amigão!

Saúde & Paz!

Seu conservo em Cristo,
Pr. Carlos Roberto

Joao Cruzue disse...

.



Obrigado pela correção, Pr. Carlos. Já procedi a correção, informando também a abençoada fonte.

Obrigado pela honra de merecer parte do seu tempo e comentário.

A paz de Cristo.


Irmão João

Juscelino Nery disse...

Praticamente nasci numa AD. Aceitei a Cristo com 6 anos numa AD. Porém, a AD nos últimos 20 anos vem sofrendo com a politicagem, seja interna ou externa. Interna quando se vê confusão entre alguns líderes com ações e políticas coronelistas. Externa quando se envolvem em política partidária apoiando A, B ou C - figuras, em vários casos, sem nenhum comprometimento ou princípio cristão. Lamento, mas saí da AD e não pretendo voltar. Aliás, vários da minha geração pegaram outros rumos. O importante é seguir a Cristo e não placa de igreja. Pra mim, chega de decepções de líderes da AD. Não que em outras denominações não as terei. Mas não esperava tê-las onde praticamente nasci e me criei. Lideranças manipuladoras, acordos políticos, aumento de receita, etc. O verdadeiro Evangelho manchado por ações obscuras de alguns líderes. Espero que Deus dê sabedoria aos que irão eleger os próximos líderes da instituição em questão. A propósito, Paulo não ensinou que não deveríamos levar nossos irmãos à presença da Justiça? Por que certos líderes fazem uso disso? Ah, e por que alguns pastores se acham acima do bem e do mal e não podem ser contestados? Liderança é uma coisa, ditadura e coronelismo são outras. Com esse evangelho, eu já disse, afastamos aqueles que desejam conhecer a Cristo, afinal pra que ser cristão e ter atitudes anticristãs? Sem união, sem amor, sem respeito, subestimar a inteligência do povo de Deus. Quem não conhece a Cristo e vê essas coisas escandaliza-se e vai querer ser cristão pra quê? Vai acreditar no que os evangélicos pregam, dizem? Fica muito difícil. Sejamos sábios, prudentes, e jamais confiemos em qualquer pastor ou líder religioso. A Bíblia já diz: maldito o homem que confia em outro homem. É uma advertência muito séria. Honrar, respeitar, admirar, acho louvável, mas confiar cegamente, jamais.

Wilma Rejane disse...

Graça e paz querido irmão Cruzué.

Parabenizo-lhe pelo esclarecedor artigo que julgo de muita importância, não só para os Assembleianos como para toda comunidade evangélica.

Como Batista, não participo diretamente da eleição, mas como cristã interdenominacional julgo que seja necessário mudanças na liderança da CGADB. A primeira e terceira vias são para mim as mais agradáveis. Contando que um sucessor familiar do José Wellington não seja de perfil tão conservador para implementar as inovações que o tempo exige, é claro, sem ferir principios doutrinários.

Só espero que esse pleito seja mais tranquilo que o passado, onde tanto saiu como foi empurrada "sujeira para baixo do tapete".

O mais, que vença a melhor opção em prol do Reino de Deus.

Deus o abençoe.

Daladier Lima disse...

Precisamos é de uma nova Reforma Protestante!

Cintia Kaneshigue disse...

Olá irmão João!

A Paz do Senhor, eu acredito que a CGADB precisa de mudanças radicais, e o nome do pastor Geremias do Couto cai muito bem, pois tem sido muito ativo e creio ser totalmente capaz de dar uma reviravolta, nessa grande politicagem que se tornou a presidência das AD. Mesmo esta do fora do paÍs acompanho toda essa história com olhar apreensivo, não ficou nada bom as comemorações do centenário dividida, a AD é uma grande instituição, porém ao meu ver toda essa picuinha e falatório tem jogado a credibilidade da denominação lá pra baixo. Estamos precisando de mudanças drásticas na cúpula!

Em Cristo, Cintia Kaneshigue

Gabi disse...

Olá desejo que o Senhor continue abençoando este trabalho. abraços fique na paz do Senhor Jesus.
www.mensagensedificantes.com

Judson Canto disse...

Caro irmão João,

Acho louvável a iniciativa do meu amigo Geremias do Couto de sacudir o "dualismo" e lembrar que há outros líderes capazes de fazer pela denominação muito mais do que está sendo feito. Essa parte, aliás, não será difícil.
Difícil será, além da questão financeira, quebrar os vícios políticos adquiridos na última década, o jogo de vaidades cada vez mais acirrado e até as atitudes criminosas, a julgar pelas denúncias que temos ouvido.
Como disse o Daladier, existe a necessidade de uma reforma profunda, e isso não será feito do dia para a noite. É lamentável termos de dizer isso daqueles que deveriam nos dar o melhor exemplo de conduta cristã. Penso que a Terceira Via pode ser um bom começo, mas o desafio que terá pela frente será imenso.

Joao Cruzue disse...

.

Quero agradecer o carinho dos comentários dos irmãos: Judson, Gabi, Cíntia, Daladier, Wilma e Juscelino Nery.

Este blog foi enriquecido com a presença de vocês.

A paz do Senhor.

Juber Donizete Gonçalves disse...

Irmão João Cruzoé,

A iniciativa do Pr. Geremias do Couto e da Terceira Via, trouxeram um alento novo a uma eleição estava projetada para ser plebiscitária entre os dois polos que a dispuraram nos últimos pleitos. Um dos seus desafios será sem dúvida concorrer com campanhas milionárias.

Abraço.

Luis disse...

Irmão João.
Essa idéia de fazer sucessor não me agrada. O Samuel Câmara, embora eu conheça muito pouco a respeito dele, também não vejo como boa opção.
Então, obviamente que sou um defensor da terceira via em que o Pastor Geremias certamente será candidato.
Gostaria muito de ver a terceira via na CGADB, mas como o irmão já bem citou, há dificuldades a serem vencidas.

Gutierres Siqueira disse...

Vejo com alegria o nascimento de uma Terceira Via que não está presa nos vícios e manias das duas primeiras. Só torço para que a CGADB seja um órgão que faça avançar a evangelização e a educação teológica da liderança assembleiana. Para isso é necessário acabar a politicagem eclesiástica.

Desafiando Limites Vencendo Barreiras disse...

apz, irmão Robinson ops! João Cruzué! risos

amado, bastante pertinente seu post, bem como sua análise do tema. Gostei da forma franca e objetiva que tratou de um assunto espinhoso e delicado, e de não ter se furtado dessa árdua tarefa para empurrar embaixo do tapete situações que mereciam uma análise desapaixonada e coerente, mesmo sendo de cunho intramuros.

eu louvo a Deus por sua atitude ousada e que deve servir de espelho para novas análises no futuro e, ainda se me permite a observação, foi uma crítica sensata e realista, sem o "chafurdo" de outros blogs ditos apologéticos que adoram espalhar lama no ventilador para alavancar a audiência sem se importar em manchar a Obra.

enfim, o sr. continua sendo para mim um referencial, não só de blogueiro, mas de cristão atuante e ético, a quem perfilo ao lado de outras personalidades dignas da blogosfera cristã, várias das quais me precederam aqui, expondo suas relevantes opiniões.

de vosso conservo em Cristo,

Wallace.

Anônimo disse...

Paz do Senhor !
A melhor postagem aqui foi a da irmã Wilma Rejane, nossa irmã em CRISTO e que o serve numa Igreja Batista: Torço e luto para que a 1ª e a 3ª via ganhem as eleições da CGADB ! No compasso dos tempos porém firmados na Rocha.

Leandro Fernandes disse...

A paz do senhor Pr. Joao Cruzue e amigos internautas,

Nao acho correto a forma que a igreja escolhe sua liderança, ou seja, se a igreja é de Cristo* por que nao deixa-lo escolher um sucessor para levar a boa obra? politica e eleiçoes sao para a nossa condiçao de civis, no reino de Deus somos servos e como tal deveremos deixar que o Espirito Santo nos revele um lider.
muitos vao em perguntar como se daria tal fato, vou explicar, Deus através do seu poder podera revelar um lider em uma manifestaçao da sua gloria, ou seja, os pastores reunidos em uma convençao geral...um destes será revelado em gloria pelo propio Deus, sendo confirmado através de varias revelaçoes em sonho e com uma marca de seu poder...todos saberão que é a plena vontade de Deus.

essa é minha opiniao, Deus já fez isso varias vezes no antigo testamento e sempre deu certo, veja os exemplos; Rei davi, Moises, Josué, José, Samuel e tantos outros....