domingo, setembro 26, 2010

Políticos da Igreja Batista criticam Pastor Silas Malafaia


ASSUNTO DE FUNDO
Pr. Paschoal Piragine


“Prezado Pr. Silas Malafaia

Graça e Paz!

Somos evangélicos e tomamos conhecimento da Vossa orientação no programa exibido em 11/09/2010, para que os expectadores assistissem ao vídeo do Pr. Paschoal Piragine, que pede aos cristãos não votar nos candidatos do Partido dos Trabalhadores do qual fazemos parte.

O Pr. Paschoal Piragine é bastante conhecido e o temos como uma pessoa íntegra que esteja considerando que as informações que possui contra o PT sejam realmente verdadeiras. Entretanto, trata-se de afirmações que não correspondem com a realidade.

Diante do conteúdo vídeo, gostaríamos de esclarecer que:

Não é verdade que um parlamentar do PT não pode descumprir uma deliberação coletiva do partido por uma questão religiosa ou de foro íntimo. Veja o que diz o inciso XV do art 13 do estatuto do PT:

“Art. 13. São direitos do filiado:
XV – excepcionalmente, ser dispensado do cumprimento de decisão coletiva, diante de
graves objeções de natureza ética, filosófica ou religiosa, ou de foro íntimo, por decisão da
Comissão Executiva do Diretório correspondente, ou, no caso de parlamentar, por decisão
conjunta com a respectiva bancada, precedida de debate amplo e público.”

Não é verdade que deputados do PT foram expulsos por se manifestarem contra o aborto. É verdade que eles tiveram conflitos com movimentos de mulheres sobre questões relacionadas ao aborto, mas não houve expulsão. Em função desses problemas eles foram punidos pelo PT, o que os levou a mudarem de partido.

Não é verdade que o PT possui uma orientação pela legalização do aborto. Em seu IV Congresso, o PT modificou a resolução que falava de aborto e estabeleceu para o atual programa de governo da Dilma o seguinte texto: “Promover a saúde da mulher, os direitos sexuais e direitos reprodutivos: O Estado brasileiro reafirmará o direito das mulheres ao aborto nos casos já estabelecidos pela legislação vigente, dentro de um conceito de saúde pública”.

O Plano Nacional de Diretos humanos é elaborado pela sociedade por meio dos conselhos de diretos humanos com a participação do governo federal, mas não é uma novidade do governo Lula. O primeiro plano foi publicado através do Decreto número 1.904, de 13 de maio de 1996, e o segundo através do Decreto número 4.229, de 13 de maio de 2002. Em todos eles estão presentes assunto polêmicos ligados com a sexualidade. Diante disso seria um equívoco afirmar que todos os méritos e deméritos do PNDH 3 é de responsabilidade do governo Lula ou do PT.

O conteúdo apresentado no vídeo não corresponde, portanto, com a realidade do que está sendo defendido pelo PT. Podemos pegar os posicionamentos do PT e comparar com o conteúdo do vídeo e observaremos que não existe veracidade. Um exemplo bastante claro é a questão da pedofilia. Não conhecemos nenhum parlamentar, de nenhum partido político, ou algum grupo social que defenda a pedofilia. Atribuir uma acusação dessa natureza ao PT é de extrema injustiça.

Até o dia 13/09/2010 já houve mais de um milhão, duzentos e cinquenta mil acessos ao vídeo disponibilizado na internet. Diante desses fatos nos sentimos extremamente injustiçados e pedimos que os esclarecimentos fossem veiculados em seu próximo programa.

Desde já agradecemos um retorno.

Na Graça de Deus!


Gilmar Machado
Candidato a Deputado Federal – PT/MG – Igreja Batista Central de Uberlândia
Isaac Cunha
Candidato a Deputado Estadual – PT/BA – Primeira Igreja Batista
Joaquim Brito
Candidato a Vice-Governador de Ronaldo Lessa - PT/AL – Igreja Batista do Pinheiro
Walter Pinheiro
Candidato ao Senado – PT/BA – Igreja Batista da Pituba
Wasny de Roure
Candidato a Deputado Distrital – PT/DF – Igreja Batista do Lago Norte”

Fonte: Associação Vitória em Cristo



VEJA O RETORNO DO PR. SILAS: A V E C
.



.

2 comentários:

jmarcos disse...

queria saber porque tantos ministros do Evangelho se arriscam na política. Primeiro que não há tempo para ser político e pastor.

Segundo que o meio é corrupto e, para ter suas propostas aprovadas, vc precisa do apoio dos outros. Isso vc só consegue com "concessões", nem sempre lícitas. Assim, é quase certo que o político se corromperá, em algum momento, mesmo com boas intenções. Assim fica aquela escolha: se corromper por uma boa causa, ou ser justo e ficar isolado?

Terceiro, não é cabível misturar a igreja com assunto tão mundano quanto a política. Vemos muitos políticos dizendo que farão mais pelo povo de Deus se estiverem lá, como se o poder de Deus pudesse ser negociado e obtido através do voto! Pelo contrário, nada substitui a vida na igreja, ajudando aos irmãos.

Enfim, se houver um político muito bem-intencionado, NO MÍNIMO ele terminara isolado no legislativo, e não poderá fazer nada por seus eleitores. Fica a pergunta: vale a pena?

Anônimo disse...

Desculpe-me, mas fiquei indignada quando ontem, dia 16/10/2010 assisti a propaganda política do Pastor Silas Malafaia apoiando o Candidato Serra. Que contraditório, tantas propagandas nas ruas defendendo a família e agora, seu apoio em rede nacional a um candidato que declarou ser a favor da União Civil dos Homossexuais!! Que requer mudança na cosntituição!! Uma vez aprovada na Lei o casamento dos homossexuais, obrigatoriedade de aceitação nas igrejas, ou agora o Senhor mudou de ideia???? Onde estamos!! O que falar agora Pastor Silas de Seu voto declarado ao candidato Serra??? Era melhor ter ficado calado!!!!