sábado, setembro 25, 2010

A maioria pode estar enganada

.
De que lado você está?


Christ Passion
Ele carregou sobre si a cruz de muitos, por vontade da maioria.

João Cruzué

A voz do povo é a voz de Deus. Não é isso que estamos acostumados a ouvir? Depois de muitas vezes repetido, será que este clichê resistirá a uma análise bíblica? Sinto muito em dizer, mas vou ser um desmancha-prazeres, ou melhor, um destruidor de sofismas. Muito raramente, na história dos personagens e fatos bíblicos a voz do povo era a voz de Deus nem a razão estava com a maioria. Vamos analisar, então, este assunto a luz da Bíblia.

Até construir, betumar e encher a arca com animais, Noé e sua família levou muitos anos. Apesar de Deus ter ordenado a Noé que juntasse sete casais de animais limpos para um casal de animais não limpos, a ordem para colocá-los na arca veio somente sete dias antes do dilúvio. Pedro fala claramente que Deus aguardava com longanimidade uma mudança de atitude da maioria dos vizinhos de Noé, durante o tempo que este construia a arca.. Somente oito pessoas entraram na nela, porque a maioria era incrédula. Somente percebeu que estava enganada quando nada mais podia ser feito. O dilúvio se abateu sobre todos eles, quando a porta da arca estava fechada. Noé a fechou por dentro, e Deus a fechou por fora, pois o tempo da graça e da oportunidade de arrependimento tinha se esgotado.

Quando Deus prometeu a Abraão e Sara que teriam um filho na velhice, eles acharam graça da promessa. Nunca contaram para ninguém porque achavam aquilo, sinceramente, uma coisa ridícula. Quando Sara, então, ouviu essa promessa em Gênesis 18, ela começou a rir. Mas para que nunca se esquecesse da sua incredulidade daquele momento, um ano depois teve de batizar o filho com o nome de Isaque, que significa riso.

O Êxodo dos judeus do Egito para terra de Canaã teve vários episódios em que a maioria ou estava enganada ou fracassou. Quando Moisés se apresentou diante do faraó do Egito para pedir que deixasse o povo de Israel ir ao deserto sacrificar ao Senhor, tinha ao seu lado apenas Arão. O faraó simplesmente desprezou Moisés, quanto Jeová, o Deus de Israel, porque se achava o maior. Quando os doze espias foram enviados para observar a terra de Canaã, somente dez entre os doze voltaram com um relato assustador para contar. Josué e Calebe quase foram apedrejados por discordarem daquele relato, e apresentarem uma visão de fé.

Gideão era um jovem valoroso. Foi o capitão escolhido por Deus para livrar Israel dos midianitas. Dos 32.000 soldados que ele recrutou, apenas 300 ficaram para ir à batalha. Deus não contava nem confiava naquela maioria. Ao simples aviso de que os medrosos podiam voltar para casa, 22.000 não pensaram duas vezes: foram embora.

Diante do gigante Golias todo exército de Israel tremia. Do coração do rei Saul até o do mais humilde pajem de armas. A maioria aceitava passivamente as blasfêmias e ofensas diárias do gigante de boca “suja”. Bastou apenas um jovem sem nenhuma experiência de guerra para derrubar o gigante e cortar o pescoço dele. Noutra feita, fugindo da perseguição do sogro, Davi e seus 600 homens de armas voltavam para casa. A cidade de Ziclague, em I Samuel capítulo 30. Em lugar das famílias e dos filhos encontraram lares queimados, filhos e mulheres capturados pelos amalequitas. Seriam vendidos como escravos. Os 600 companheiros de Davi ficaram tão amargurados, tão revoltados por andarem com ele, que chegaram mesmo a pensar em matar Davi à pedradas. Diz a Bíblia que “Todavia Davi se esforçou no Senhor”. Enquanto o desespero tomava conta da maioria, Ele foi orar e consultar a Deus. Deus ouviu a oração de Davi e lhe assegurou a vitória para si e seus companheiros. Recuperariam tudo e trariam de volta as famílias. Foi exatamente isso que aconteceu, porque um homem entre 600 pensava e agiu de modo diferente. Deus não estava no desespero da maioria, estava com Davi. Um com Deus é maioria, e a maioria sem Deus é nada.

Nos dias de Jesus Cristo, as lideranças religiosas estavam distanciadas de Deus. Quando o menino nasceu não teve o teto nem o calor de uma casa para abrigá-lo. Com tanta gente e tantas casas em Belém o único lugar disponível para hospedar José e Maria fora uma estrebaria. Para revolucionar o mundo e manter seu nome como o maior homem que jamais pisou nesta terra, Cristo precisou de apenas 12 homens iletrados para iniciar a Igreja. Nos dias que antecederam a sua morte, ele foi julgado culpado pelos líderes do Sinédrio. O próprio Sumo Sacerdote produziu a prova que o mandou para a cruz, quando lhe perguntou se era o Filho de Deus, e Jesus lhe deu o testemunho da boa confissão, mesmo sabendo que a resposta iria sentenciá-lo à morte.. No auge do julgamento a maioria do povo, insuflada pelos sacerdotes e príncipes do povo, escolheu a liberdade para Barrabás e a morte cruz para o Filho de Deus. Nunca a maioria esteve tão longe da verdade.

São inúmeras as histórias e situações ao longo da Bíblia que mostram o perigo de se deixar manipular e levar pela voz da maioria. Mais exemplos: o Rei Saul tinha o mau costume de desobedecer à voz de Deus para atender ao povo. Jó enfrentou sozinho o ataque de cinco pessoas, manipuladas pelo diabo. Daniel e seus três companheiros enfrentaram muitos perigos. O profeta Jeremias era uma voz solitária entre tantos falsos profetas. O Apóstolo Paulo em seus últimos dias ficou só e abandonado pelos novos “donos” da Igreja que o consideravam um homem derrotado e sem fé. Por fim, alguém perguntou a Jesus: Senhor, são poucos os que são salvos? Ao que ele respondeu: Esforçai-vos por entrar pela porta estreita, pois eu vos digo que muitos procurarão entrar e não poderão.

Depois de tantos fatos e acontecimentos negativos patrocinados pelas “maiorias”, vamos parar um pouco e refletir. Um cristão que se julga ser fiel, sincero, reto, íntegro, temente a Deus não deve nunca tomar decisões com base na voz da maioria. A voz do povo nunca foi a voz de Deus. Muitos irmãos neste momento estão prestes a tomar decisões erradas baseados em uma falsa sensação de segurança porque estão do lado da maioria.

Se Deus não estiver no meio dessa maioria, como normalmente não está, qual será o futuro de quem fica do lado errado? Antes que participe de algo pelo qual venha a se arrepender amargamente, guarde bem isso: ouça o que diz a voz do Espírito Santo. Ele é apenas um, mas não induz ao erro.


Mensagens bíblicas



.

2 comentários:

willian disse...

Ola gostaria de fazer parceria do seu blog com os meus blogs e sites
?
se estiver interessado por favor acesse: www.iasdmt.blogspot.com e comente a ultima postagem, ate mais espero

jmarcos disse...

Com certeza Deus não está com a maioria. O problema é que muitas vezes nos baseamos naquilo que SENTIMOS (visão, audição, etc), como as pessoas e as situações da vida, ao invés de seguir aquilo que Deus disse, por meio da fé.

Não é nada fácil fazer isso, é uma mudança de hábito que acontece aos poucos, desde as pequenas coisas da vida.

Escrevi sobre algo parecido lá no meu blog (crucificadocomcristo.blogspot.com), sobre como o Rei Asa, através do seu relacionamento pessoal com Deus, trouxe a RESTAURAÇÃO a toda uma nação!

Por fim, excelente postagem! Deus abençoe.