sábado, agosto 07, 2010

Ambev - sustentabilidade insustentável

.
Não beba cerveja, o álcool pode emburrecer.

João Cruzué

Crítica à publicidade de companhia de cerveja. Assim com o cigarro, a publicidade de bebidas alcoólicas deveria ser proibida no Brasil. Segue um recorte do texto da campanha divulgado na imprensa, esta semana.


Excerto:

"Em 2000, comecei a trabalhar aqui na área do meio ambiente. Muito antes disso a Ambev já investia em ações que buscavam o equilíbrio entre ganho econômico e socioambiental. Tive a oportunidade de realizar diversos sonhos: fizemos um mutirão onde transformamos menores infratores em ajudantes de limpeza com um programa de coleta seletiva... (Diretoria de meio ambiente da Ambev).

---

Meus comentários: primeiro arranjaram uma campanha de baixo QI, querendo ensinar o uso responsável da água. Pura hipocrisia. Imagina, eles retiram e sujam bilhões de litros de água potável da natureza, para fazer cerveja que retorna mais tarde na forma de esgoto.

Depois tentaram "melhorar" a tal campanha dizendo que devolviam potabilidade a 15% desses bilhões. E os outros 85%? De longe um dos maiores poluidores da água do planeta, querendo nos ensinar uso responsável da água!

Esta semana, voltaram à imprensa com outra campanha publicitária, falando de sustentabilidade. Eu não consegui acreditar no que li e reproduzi, para que vejam o tamanho da agressão a nossa inteligência. Menores infratores transformados pela "Ambeb" em ajudantes de limpeza. Isto é "fantástico"!

A Ambeb deveria aprender sustentabilidade com alguns Tribunais do Estado de São Paulo que transformaram em doutores, menores trazidos da antiga Febem. Põe sustentabilidade nisso.

Ajudantes de limpeza é muito pouco. Aliás, é pouquíssimo, principalmente para menores infratores, que talvez furtem para comer ou porque não têm sustentabilidade em casa.


Campanha do Blog Olhar Cristão contra a publicidade de bebidas alcoólicas.



.

Um comentário:

Felipe Huvos Ribas disse...

Apóio a campanha. E os outros jovens que dirigem bêbados e se matam e/ou matam famílias em acidentes?
De que adianta falar "beba com moderação" ou "se beber, não dirija" se, no final das contas, essas advertências são mostradas rapidamente após uma PROPAGANDA da bebida?