sábado, julho 31, 2010

Divórcio entre casais evangélicos.

.
João Cruzué

-------------------------------------------------------------------------------

Está faltando autoridade, temor de Deus

e orações nos púlpitos e em muitos lares evangélicos
.

---------------------------------------------------------------------------------

Li recentemente uma pesquisa feita sobre divórcio em relação a religião das pessoas. O resultado mostrou que os índices de separação eram idênticos tanto para católicos, evangélicos, espíritas, judeus e muçulmanos. A mesma proporção entre a população religiosa estimada e a quantidade de divórcios. Como sou evangélico desde os 18, 27 anos de casado e 54 anos de idade, creio que tenho alguma experiência e autoridade para abordar o assunto.

Deus tem um compromisso com o casamento. Isso é inegável.Foi Deus quem criou a instituição do casamento, o compromisso assumido entre um homem e uma mulher, diante de suas famílias, amigos e autoridades, em todas as culturas e religiões. A forma pode ser diferente, mas os princípios, compromissos e familiares são os mesmos.

Quando um casal se separa, produz um mau exemplo, potencialmente "copiável" pelas gerações seguintes. Quando pai abandona sua esposa, está ensinando para o filho que é o compromisso com a família é relativo. E do filho para o neto, mais relativo ainda. Quando os limites são quebrados, já não restam mais limites. É isso que está acontecendo no meio evangélico. Quando os jovens membros de uma Igreja presenciam os filhos da "segunda" subirem no colo da repudiada, os valores do matrimônio são desmerecidos e o púlpito perde autoridade e respeito.

Uma Igreja de faz de contas. É exatamente isso que tenho a dizer e aquele versículo de Hebreus 12:5 passa de fato a ter a seguinte redação: "Desprezado seja entre vós o matrimônio, e o leito maculado não faz mal." E por deixar passar um boi, o púlpito acaba deixando passar um rebanho inteiro, pois a moral e a Bíblia foram relativizadas.

Um casamento não se sustenta apenas por sexo. Daí a importância do jovem insistir com Deus em oração para se casar com a pessoa certa. E o Senhor comunica conosco que é esta pessoa, se e somente se, andemos em santidade. Tem que andar direito com Deus para receber respostas de Deus. Orações de ímpios, profanos e pecadores não são respondidas. O conselho está bem claro em II Crônicas 7:14. Para se aproximar de Deus e receber respostas à oração é preciso andar com um coração reto, e esta comunhão com Deus traz a noiva/noivo escolhido ao encontro um do outro, da mesma forma que Eliézer encontrou Rebeca para Isaque.Amor não significa apenas sexo. O prazer de tocar e abraçar o corpo do cônjuge.

Amor conjugal é sacrifício. E sacrifício é perdoar, desculpar, esquecer, criticar e ficar calado dependendo das circunstâncias. Amar é valorizar o cônjuge, levá-lo a alcançar posições mais altas nos estudos, na Igreja, na vida profissional. Nisso é preciso uma análise mais profunda. Uma abordagem do caráter de muitos cristãos, que têm o péssimo defeito de criticar em 100% do tempo. Precisamos tomar cuidado com isso, pois quanto a crítica é um atributo preponderante em nosso caráter, espelhamos mais a personalidade do diabo que a de Deus. Em rápidas palavras, uma pequena ilustração: Se Zaqueu estivesse na árvore, e o diabo estivesse passando, diria: Vejam todos o homem mais corrupto, ladrão e traidor da cidade de Jericó. E Cristo, ao passar, não disse uma palavra sobre a vida de Zaqueu, suas palavras, ao contrário, levaram o "ladrão" a se arrepender e mudar de vida. Da mesma forma, elogios ausentes e críticas frequentes, fazem com que certos cônjuges desenvolvam o pior lado de seus caráteres.

O sexo é muito presente nos primeiros anos do casal, mas ele deixa de ser preponderante à medida que envelhecem. É quase impossível que não aconteça rusgas e divergências sérias , mas se Jesus é o Senhor (em tese) de um lar cristão, o perdão cristão e a "borracha" do esquecimento devem ser bastante utilizados.

O mais importante que tenho a dizer nesta ocasião é que poucos sabem o que fazer na hora mais difícil que casal cristão é posto à prova. Eu passei por onze anos de desemprego, onde chegou a faltar muitas coisas em minha casa. E o problema financeiro prolongado afetou muito meu casamento. Mas em todas ocasiões difíceis que minha esposa e eu passamos, quando parecia que não as coisas chegavam perto de um ponto final, nós orávamos e pedíamos ajuda ao Senhor. E foram estas orações, e são estas orações, que Deus precisa ouvir para nos ajudar. Muitos perdem seu casamento, porque se esquecem na hora decisiva de dobrar os joelhos de entregar o problema nas mãos de Jesus.

Um casal cristão somente se divorcia, se e somente se, quando deixa de ter fé no Senhor Jesus. Quando os dois se esquecem de orar e manter Jesus em suas vidas, o lar naufraga mesmo. Pois quando Jesus é expulso, a capacidade de perdoar acaba, a fé vai embora e o diabo vem e toma posse. Primeiro destrói o lar dos pais, depois leva os filhos à fornicação, a usar de engano no namoro. Quando a geração dos netos chega à adolescência, a promiscuidade já tomou conta da família. O divórcio é o resultado de vários erros que poderiam ser evitados se houvesse mais temor de Deus tanto na nave quanto no púlpito da Igreja.

Que o Senhor tenha misericórdia, e atenda as orações de quem está neste momento em dificuldades. Quando tudo mais falha, a oração nunca perde seu valor, pois mantém aberta a porta do socorro de Deus, bem presente nas horas de aflição. Antes de jogar tudo fora, peça ajuda ao Senhor e espere pela vitória.

Assim, entendo que o divórcio entre casais evangélicos se tornou comum em nosso país por causa da falta de temor de Deus e do hábito de orar em secreto a Deus. O mau exemplo tem sido tolerado pelos púlpitos, que tem feito (com raras e honrosas exceções) vista grossa para o pecado que acontece debaixo de seu "nariz". E quando o matrimônio é relativizado, as pesquisas de sobre divórcio vai mesmo mostrar que não existe diferença na quantidade de divórcios entre crentes, católicos, espíritas, judeus, muçulmanos, incrédulos, ímpios, etc. Está faltando autoridade, temor de Deus e orações nos púlpitos e em muitos lares cristãos.




.

13 comentários:

Reinaldo Carlos da Silva disse...

irmao cruzoe,
é lamentavel pois Deus abomina o repudio.

tenho uma materia no meu blog sobre o asamento legsliado na argentina, pode conferir e se achar por bem tambem indicar a outros irmãos.

Júnio Almeida disse...

Graças a Deus pela sua vida e pelo exemplo.
Se as pessoas parassem de enxergar o amor como um sentimento apenas, mas como decisão, entenderiam melhor o que diz em 1 Co 13: "O amor é paciente, é benigno; o amor não arde em ciúmes, não se ufana, não se ensoberbece, não se conduz inconvenientemente, não procura os seus interesses, não se exaspera, não se ressente do mal; não se alegra com a injustiça, mas regozija-se com a verdade; tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.O amor jamais acaba"
Deus te abençoe!

Joao Cruzue disse...

Apresento aos leitores, o link da matéria que o Irmão Reinaldo comentou acima.

Casamento Gay na Argentina

Blog Canal Bíblico.


.

Joao Cruzue disse...

Muito Legal também o artigo que o Irmão Junio Almeida escreveu no Blog "Cristão Ex Ofício"

Porque Deus Insiste em Mim


.

Sidney Xavier de Sousa disse...

Pastor João Cruzue, ao ler o seu post "divórcio entre casais evangélicos" senti um alento na minha alma e alegria pela esperança renovada por saber que ainda tem homens de Deus, como o Amado Pastor, com coragem para enfrentar as críticas, e levar o vitupério de Cristo do lado de fora das portas. Pois, se formos zombados e criticados por nossas posturas cristãs, então que levemos também esta vergonha com a alegria de estarmos fazendo a vontade do Senhor.
Eu também tenho tratado este tema nos meus blogs, pois os lamentáveis casos de divórcio e o pior "o novo casamento" tem me deixado muito triste, e às vezes me pergunto: "o que é que esta acontecendo com a igreja?". Por isso me senti também impulsionado para escrever sobre coisas que a Bíblia fala e que ninguém mais quer mais ensinar.
Que Deus lhe dê cada vez mais (autoridade + amor = sabedoria) para tratar os assuntos mais complicados do ser humano.
A paz do Senhor.

Salviano disse...

MUITO BOM! Eu acredito que Deus criou o homem e deixou o manual de instrução, a “BÍBLIA SAGRADA!” A bíblia é a divina revelação da palavra de Deus e não produtos enlatados, eu costumo dizer que: “As pessoas precisam parar de comer tudo o que dão. E começar a questionar! ” Alguém escuta alguma coisa de alguém, e saem falando, sem questionar, sem saber se é verdade ou não. As pessoas precisam se perguntar! Será que a minha crença esta de acordo com a lei de Deus? Será que a religião que eu nasci sempre me falou a verdade? Quando uma pessoa morre pra onde ela vai? Ela volta? A bíblia apóia o homossexualismo? Quem não herdara o reino de Deus? O que devo saber sobre idolatria, imagens e escultura? O que devo saber sobre o único batismo? Será que tem uma seqüência para salvação? A quem eu devo me confessar, quem pode me perdoar? Religião salva alguém? Essas e outras perguntas e respostas em:
www.aunicaverdadeemsuapropriabiblia.blogspot.com
Você pode dizer, eu já sou salvo amém! Vamos atrás de quem não esta, divulgue este site, porque: “Eis que vêm dias, diz o Senhor Jeová, em que enviarei fome sobre a terra, não fome de pão, nem sede de água, mas de ouvir as palavras do Senhor. E irão vagabundos de um mar até outro mar, e do norte até ao oriente; correrão por toda parte, buscando a palavra do Senhor, e não a acharão." ( Amós cap 8 ver 11 e 12 )Fale para outras pessoas, por que “O Senhor não retarda a sua promessa, ainda que alguns têm por tardia: mas é longânimo para convosco, não querendo que alguns se percam, senão que todos venham a arrepender-se.” (II Pedro cap. 3 ver 8) e “Que quer que todos os homens se salvem, e venham ao conhecimento da verdade. Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo o homem. (I A Timóteo cap 2 ver 5 e 6)
Seja sua bíblia, católica ou evangélica, aqui você vai tirar suas duvidas.
www.aunicaverdadeemsuapropriabiblia.blogspot.com
E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertara (João cap 8 ver 32) Se você tiver coragem de perguntar, a bíblia terá coragem de responder!

O outro Evangelho disse...

Gostaria de saber uma coisa:
Guando um casal namorou apenas 3 meses, e por impulso se casou nestes 3 meses após se conhecerem, e isto se deu, porque um era diácono ( não podia dar mau testemunho caindo na fé ) e a outra era levita ( também no mesmo sentido ) e ao passar do tempo, os 2 perceberam que não se amavam de verdade , mas apenas foi uma precipitação, devido a tão culpada "carência" de ter ficado muito tempo sozinhos ambos os dois, e quando se cnheceram, foram logo ao casamanto.Vejo isto tudo como algo precipitado, e os dois vivem infeliz sexualmente, embora são conscientes que sexo não é tudo, mas, são infelizes no ato sexual. Creio que, o termõmetro de um casamento pode ser medido pela satisfaçao sexual, pois, é por causa do sexo que todos casamos, senão fosse, não casaríamos, apenas seríamos namorados eternos, sem se tocar um no outro!
O que podem me aconselhar sobre isto?
Não houve traição de lago algum.
Temos receio de ter filhos ( insegurança de amanhã se separar )
Não somos felizes.

Me respondam pelo email: ensinosdecristo@gmail.com

servo fiel disse...

A paz do SENHOR, li o teu blog, concordo que o divorcio deve ser extindo no meio da igreja... mas devemos julgar e condenar os divorciados e recasados, dizer para eles, que não há salvação, pois já estão condenados por DEUS? só serão absorvidos se foram traídos... e os que divorceiam por causa de violencias domesticas, mas lutaram com toda força, orando, até que chegou ao limite, pois se continuassem casados, poderia acontecer um morto e outro preso... certo que a biblia so dar margem só no caso de aduterio, mas ela manda julgar e condenar tais pessoas, jogando pedra, pois só quem que divorceia sabe a dor que isto ocasiona e sem contar o preconceito que sofrem...

servo fiel disse...

Então o que deve ser feito, com os que são divorciados e recasados? devemos expulsa-los das igrejas dizer que não são bem-vindas, que JESUS não morreu na cruz por elas e nisto o pecados delas não tem perdão? antes de pregar o evagelho para alqurem devemos perguntar que são divorciados, ou recasados e qual o motivo, salvo se estes por causa de adulterio e em caso negativo estão condenados; e o irmãos que divorciaram por outros motivos e recasaram devem ser expulsos da igreja.... é esta que deve ser a nossa atitude....

Alessandro disse...

Realmente penso que duas pessoas que assumem tal compromisso não devem se separar, mas não podemos generalizar todas as situações! existem situações que uma das partes não quer continuar a caminhada do casamento mesmo com a outra lutando de todas as formas para que não ocorra a separação. Penso que os dois depois de tentarem não separar e por uma das partes ou as duas não queiram ou entendam não ser possível mais viverem juntas...devem se separar! mas aí vem a pergunta...podem se casar mesmo não se encaixando nas situações descritas na Bíblia? Racionalmente..penso que nenhuma das duas pensaria que um dia tudo terminasse inclusive o amor (sendo gente crente ...segundo o texto do blog enfatiza como uma situação de perda da fé) creio que Deus não quer ver duas pessoas infelizes sustentando sua solidão até a morte! divórcio é coisa fácil de se falar para quem tá bem ou passou uma luta e se reconciliou com Deus ou conjuge mas não creio que o amor entre duas pessoas acabe e essas tenham perdido sua fé de algum modo!
encaminhem a resposta para alessandrodelima14@gmail.com e publiquem caso queiram a resposta aqui também para que todos sejam abençoados!

Joao Cruzue disse...


Obrigado Alessandro.

Meu comentário: Entendo sua opinião, mas quero dizer o seguinte:

O que geralmente acontece é que o/a jovem costuma escolher primeiro a pessoa com quem deseja namorar. Ao fazer isto, ela passa por cima da vontade de Deus. E, não é assim que a coisa funciona. Daí, depois de ter já escolhido, ela começa a perguntar para Deus se ele aprova a escolha ou se ela é a pessoa certa. Ora, se já esperando em Deus e namorando e casando com a pessoa escolhida por Ele o casamento não fica isento de tempestades e tribulações, que dirá um casamento feito com a vontade de Deus sendo deixada em segundo lugar...
Portanto, essa conversa de que se não deu certo, é melhor seguir em frente pode ter duas causas: erro no processo de escolha ou o processo foi certo mas o crente deixou o diabo abrir uma brecha dentro do seu lar. Eu ainda tenho certeza de que a maioria dos casamentos entre pessoas crentes que termina em divórcio veio de uma escolha onde Deus ficou de fora.

Abraço.

SAUL OMARQUES disse...

GOSTEI MUITO POIS PASSO POR UMA SITUAÇÃ ODE DESEMPREGO E MINHA ESPOSA NÃO ME QUER MAIS.
É UM VERDADEIRO HORROR E NÃO PASSAMOS NECESSIDADE , POIS ELA É PROFESSORA E ATÉ GANHA BEM, MAS NÃO ME QUER .

Anônimo disse...

Bem, vejo que muitos são os motivos que podem levar a separação. Eu como muitos jovens desavisados e muito mau informado me casei sem conhecer a pessoa que eu estava levando para conviver comigo dentro de uma casa e não sabia como lidar com situações rotineiras de um casamento e como enfrenta-los sem trazer muitos prejuízos para a minha vida... Casei gostando muito de uma pessoas, mas ela não retribuía o mesmo sentimento. Sofria muito com isso, mais durantes muitos anos tentava entender o motivo de tanto sofrimento e descobri... Nós não nos amava-vos e eu tentava conviver com isso e tocava o casamento de forma a me conformar, pois a familia, igreja e a sociedade não aceitariam a dissolução de nosso casamento. Foi o meu maior erro, pois sabendo disso, não me permiti aceitar que eu poderia verdadeiramente amar alguém, e o inevitável aconteceu... Dizem que não foi de Deus, mas nunca me senti tão amado e me sentia na obrigação de não permitir que esse sentimento se apossasse de mim... Sofri muito até aceitar e para não piorar mais o meu sofrimento, me separei e fui tentar ser feliz... Hoje sou feliz... E seu que Deus permitiu que assim acontecesse, Biblicamente falando, não vou comentar, mais sei que a misericórdia do senhor e muito grande e esta acima de tudo. Sei que as leis que foram criadas por ele foram criadas para não permitir que o homem continuasse em processo de degradação humana, como Sodoma e Gomora. Não quero ser exemplo para ninguem, mas digo a misericórdia de Deus me conforta, apesar da reprovação de muitos... Digo que se não houvessem leis, não haveriam pecados... Amar de verdade não é pecado... E deus não tem prazer em nosso sofrimento...