quinta-feira, maio 13, 2010

Pr. Silas Malafaia debate Estatuto da Família na CCJ da Câmara Federal


Bispo Rodovalho




ESTATUTO DAS FAMÍLIAS - PL 674/07

Assunto Polêmico em debate na Audiência Pública da

CCJ - Comissão de Constituição e Justiça da Câmara Federal

----------------------------------------------------------------------


Agência Câmara de Notícias

"Um debate bastante polarizado dominou o clima da audiência pública sobre o Estatuto das Famílias na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) nesta quarta-feira. O Estatuto engloba diversos projetos de lei (PL 674/07 e 2.285/07, entre outros) e, em alguns deles, existe a regulamentação da união entre pessoas do mesmo sexo e da adoção feita por esses casais.

Críticos e defensores da união civil de homossexuais colocaram seus argumentos diante do plenário lotado, onde evangélicos contrários à união de pessoas do mesmo sexo estavam em maioria.

Para tentar chegar a um acordo, o presidente da CCJ e relator do Estatuto das Famílias, deputado Eliseu Padilha (PMDB-RS), disse que diante de tantas diferenças e dúvidas, vai tentar encontrar um meio termo.

Direitos civis

Para o presidente da Associação Brasileira de Gays, Lésbicas, Bissexuais, Travestis e Transexuais, não se trata de casamento, mas sim de garantir direitos civis. "Envolve essa questão da herança, de planos de saúde, de adoção. Nós queremos nem menos nem mais, queremos direitos iguais. Nós não queremos é o casamento, nesse momento não é a nossa pretensão. O que nós queremos são os direitos civis".

Ele citou declarações das organizações das Nações Unidas (ONU) e dos Estados Americanos (OEA) para defender o direito ao reconhecimento da união civil e da adoção entre pessoas do mesmo sexo. Ele destacou que o Governo Lula também apoia a reivindicação e mencionou o programa Brasil sem Homofobia, coordenado pela Secretaria Especial dos Direitos Humanos da Presidência da República. "O Brasil é um Estado laico e queremos o que a Constituição preconiza, direitos civis", argumentou.

Tema eleitoral

O pastor da Assembleia de Deus Silas Malafaia afirmou que conceder os diretos civis é a porta para depois aprovarem o casamento. Ele defendeu que a família é o homem, a mulher e a prole, sendo que a própria Constituição defende esse desenho familiar. Malafaia trouxe o debate para o contexto político das eleições presidenciais.

"Eu ouvi os homossexuais fazerem aqui pronunciamentos dizendo que o presidente os indicou para a ONU, que o presidente os apoia totalmente, então nós evangélicos, que representamos 25% da população, temos que pensar muito bem em quem vamos votar para presidente da República", avisou.

Malafaia questionou se outros comportamentos poderiam, futuramente, virar lei. "Então vamos liberar relações com cachorro, vamos liberar com cadáveres, isso também não é um comportamento?" O pastor foi muito aplaudido durante sua exposição.

Desconstrução da família

Na mesma linha crítica, o pastor da Igreja Assembleia de Deus Abner Ferreira afirmou que o Estatuto das Famílias seria, na verdade, o Estatuto da Desconstrução da Família. Segundo ele, ao admitir a união de pessoas do mesmo sexo, a proposta pretende destruir o padrão da família natural, em vez de protegê-la. Ele disse que todas as outras formas de família são incompletas e que toda manobra contrária à família natural deve ser rejeitada."

Fonte: Texto Integral



Comentário: Ponto para o Pastor Silas. E onde estavam os outros líderes evangélicos brasileiros diante de questão tão importante para a família brasileira? ocupados com coisas mais "importantes"? Será que o assunto Família deixou de ser importante para estes senhores? Uma lástima! (João Cruzué)


Veja também no YouTube



João Cruzué.
.

3 comentários:

Cleverson disse...

Amado Irmão Pator João Cruzue. Este Silas defende muito bem este assunto, vamos orar para que Deus tire da cabeça dele as coisas de sementes de prosperidade e deixar somente as coisas boas. (risos).

Cleverson

neco disse...

Caro Pastor Silas Malafaia...
Interessante a sua comparação de um ser humano com um cachorro...
Penso que qualquer pessoa, homossexual ou não, é apenas e nada mais que um ser humano.
Contudo, seguindo a sua linha de raciocínio na comparação de um ser humano com um cachorro, posso te dizer que se eu fosse adotar um cão, eu não adotaria um da sua "raça", que aparentemente é inofensivo, mas que na verdade é traiçoeiro e acaba por atacar e talvez até matar as pessoas.

Anônimo disse...

Nós, brasileiros, que amamos a família precisamos de homens, como o Pr,. Silas Malafaia, que não se adere a mentes corrompidas e complascentes com o pecado. A pervesão dos valores morais tem sido a marca desta nossa geração, pois a cda dia vemos o incorruptívem, a moral social e a permanência aos prioc´pios éticos sendo desprezados como algo que que serve mais. Infelizmente, muitos, até mesmo "cristãos" mal informados, de mente pervertida e interesseira em seus projetos pessoais sendo complascente com o pecado. Tais pessoas precisam orar mais e ler mais a Bíblia.
Para tais pessoas, vale lembrar que Deus não suportou a geração pré-diluviana quando a mesma se corropeu moralmente. Houve inversão dos papéis sociais na família, onde o homossexualismo e imoralidade se alastrou como câncer naqueles dias.
Uma geração desenfreada e sem escrúpulos. Embora Deus dera àquela geração oportunidade para voltar para a moralidade social, eles rejeitaram a mensagem de Deus por boca do justo Noé. Homem este que não se curvou diante de uma geração contaminada pelo mal. Se firmou até o fim. E o resultado? Qual foi? A destruição de uma geração de coração duro e zombeteira no que concerne aos avisos de Deus.
Cuidado! você que não atenta para esse episódio real. Deus é mesmo de ontem, hoje e eternamente para abencoar e cuidar de seus escolhidos. Porém Ele é é mesmo de ontem, hoje e eternamente também para julgar e fazer juízo a uma geração que se retém do que moral, incorruptível e que se distancia dos princípios que regem a conduta humana de forma honrosa. Abram os olhos!
Quew Deus abencoe o Pr. Silas Malafaia e que ele seje o Noé deste geração que luta pela subsistência daquilo que está no coração de Deus.
Márcio, Ba