quinta-feira, julho 09, 2009

Alerta vermelho: gripe suína se espalhando no Brasil


VOCÊ JÁ ESTÁ PREPARADO?


João Cruzué

Se a vacina contra a "Influenza A", popularmente batizada de gripe suína, não vier antes de novembro, nós, brasileiros, vamos precisar de toda espertize que tivermos para ganharmos tempo. Tratando-se de uma patologia muito recente, nosso organismo pode apresentar vulnerabilidade. A seguir vou descrever uma série de ações que podem limitar o processo de propagação dessa gripe e de outras enfermidades.

Ações de Higiene

Cuidados específicos com as mãos. Você já observou o que faz com suas mãos, por exemplo: a caminho do trabalho? Quem usa transporte coletivo, principalmente, já na subida do meio de transporte coloca suas mãos em objetos e alças metálicas, corrimãos, onde outras centenas, milhares de mãos fazem a mesma coisa - sem que haja uma higienização a cada viagem.

Ao chegar na escola, no trabalho, a quantidade de pessoas que cumprimentamos e tocamos pode ser muito grande. Lavar as mãos é a melhor higiene, mas não há água nos meios de transportes. Seria bom que nós mesmos levássemos algum frasco na bolsa ou mochila para que ao sair da condução pudéssemos fazer alguma higienização.


Torneiras e pias públicas. Seria muito bom que nos terminais de ônibus urbanos - fora dos banheiros - também tivessem torneiras e pias externas somente para se lavar as mãos. E sabonete líquido. Quantas enfermidades - além da gripe suína - poderiam ser evitadas ou levadas para casa ou para o trabalho se esta facilidade estivesse ao alcance dos usuários?


Ações de solidariedade

Pessoas gripadas - não temos definitivamente o hábito do uso de máscaras contra gripe. Não estou falando de uma ação de defesa para evitar a gripe de outros. Como a gripe comum custa caro ao bolso seria uma atitude muito solidária se quem estivesse com gripe utilizasse uma máscara dentro dos meios de transportes públicos para não espalhar vírus ao longo do caminho para centenas de pessoas. Que por sua vez, acionam o efeito dominó. Se não é possível ficar em casa por causa de uma gripe, ao menos que evite disseminar o mal.

Definitivamente não penso em pregar idéias hipocondríacas. Eu trabalho na área da saúde. Sei que bilhões são gastos todo ano no tratamento dos males de nosso povo. Muitos desses males podem ser evitados se houver uma conscientização - minha e sua - de que ações simples podem prevenir males enquanto trazem economia. Em lugar de pavor por gripe suína ou por qualquer doença, na verdade, deveríamos nos surpreender é com o nosso despreparo em preveni-las.


É muito possível, que à semelhança de Estados Unidos, México, Chile e Argentina, autoridades brasileiras venham a fechar as portas, temporariamente, de escolas, IGREJAS, universidades, creches, eventualmente até de meios de transporte de massas. Principalmente se não houver imunização com uma vacina até dezembro 2009. O pior da gripe suína não será em 2009, mas no inverno do ano seguinte, quando o vírus já estiver presente em todos os estados.

Mudança de hábito I

Água potável. Por mau hábito ou tradição, não sei, bebemos menos água do que é preciso. Não beber água no inverno é natural. Não sentimos calor, nem sede. Esta falta de hidratação no inverno gera em nosso organismo um ambiente mais que propício para o desenvolvimento de viroses e uma série de outros males que vão dos rins à própria pele do rosto. E falando de rosto, pele, água é muito mais barato que cremes farmacêuticos.

Mudança de hábito II

Arejamento. Uma das razões para tantas alergias, na Capital paulista são os ambientes hermeticamente fechados das residências. Fungos, ácaros e bactérias ficam muito agradecidos com isso. Mas esses micro-organismos são muito mal agradecidos. Eles nos retribuem com alergias, rinites, sinusites, e uma série de males insuspeitos. Se a sua casa passa o dia inteiro fechada, assim que chegar abra portas e janelas. Ventile sua casa. Quando for construir pense em planejar uma casa com bons recursos de arejamento.

Cuidados alimentares.

Divulguei há poucos dias aqui no Blog que tipo de alimentação garante um bom sistema imunológico. Nosso corpo, além de água, precisa de equilíbrio orgânico e mineral. Como somos feitos do pó da terra nosso corpo possue e diferentes proporções uma composição de mais de 80 elementos químicos. Basta que falte um, para que haja insuficiência ou superabundância de outro.

Muito interessante é que os alimentos mais ricos em vitaminas sejam principalmente verduras e legumes. Quem por exemplo gosta mais de couve, almeirão ou cebola mais que um hambúrger ou outro tipo de fast-food? Já está mais do que na hora de introduzir mais verduras legumes e frutas em nossos (maus) hábitos alimentares.


A gripe suína vai colocar em cheque, agora, hábitos e tradições antigos. Antes que, eventualmente, ela bata à porta da sua casa, comece a cuidar melhor desta maravilhosa máquina que Deus lhe deu: o corpo humano.



3 comentários:

Adones@comentários-escrituristico disse...

Graça e paz, amado. é muito importante instruir a respeito dessa...pandemia, que se alastra pelo mundo assustadoramente. Muitos que não acompanham os noticiários, estão desinformadose alienados sobre essa peste. Mas o Senhor cuida de nós. Um abraço. Visite meu blog.

Ministério da saúde disse...

Adones, os sintomas do vírus Influenza A (H1N1) e uma gripe comum são muito parecidos. Inclusive o índice de letalidade de ambas as doenças está muito próximo, entre 0,4% e 0,5%. A preocupação com a Influenza A (H1N1) se dá pelo fato de ela ser um vírus novo. Dessa forma, a população ainda não possui imunidade. Por isso a necessidade de adotar medidas especiais para controlá-la. Para mais informações: fernanda.scavacini@saude.gov.br.

Ministério da saúde disse...

Adenir, o Ministério da Saúde está tomando todas as medidas de prevenção necessárias para combater a doença, uma delas é a comunicação para deixar a população bem informada sobre o assunto. Está fazendo isso não só através dos principais meios de comunicação como também respondendo dúvidas no twitter, orkut, blogs, debates em sites de notícias etc. Os sintomas do vírus Influenza A (H1N1) e uma gripe comum são muito parecidos. Inclusive o índice de letalidade de ambas as doenças está muito próximo, 0,4%. A preocupação com a Influenza A (H1N1) se dá pelo fato de ela ser um vírus novo. Dessa forma, a população ainda não possui imunidade. Por isso a necessidade de adotar medidas especiais para controlá-la. Para mais informações: fernanda.scavacini@saude.gov.br.controlá-la. Para mais informações: fernanda.scavacini@saude.gov.br.